quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Sonhos versus Realidade Atual

Imagem capturada da Internet


No primeiro dia do novo ano, eu postei a mensagem abaixo, mas desconhecia que era de autoria do grande poeta e escritor Carlos Drummond de Andrade. Por isso, neste momento, estou retificando a autoria da mesma.


"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui pra diante vai ser diferente".

Carlos Drummond de Andrade



Interessante é a identificação da situação que nos remete à véspera do primeiro dia do novo ano.

Eu mesma, sob a expectativa de melhores dias, fiz promessas e discursos sobre a premência da renovação e o estado de mudanças em curso. Talvez seja a força da crença que nos faz ser perseverante e confiante.

No entanto, enquanto muitas das vezes nos posicionamos em um mundo isolado, criado e imaginável de acordo com o que acreditamos ser capazes e de fazer, a realidade atual se mostra dura e violenta, reforçando a idéia que a relação entre o real e o sonho está longe de ser compatível.

Iniciamos o ano na expectativa de grandes mudanças mundiais com a eleição do 44º Presidente dos Estados Unidos e o primeiro chefe de Estado negro.

A expectativa incide não pelo novo mandato presidencial, em si, mas pelo perfil do presidente eleito, que reflete mudanças e os atuais anseios da população estadunidense.

Imagem capturada da Internet

Por outro lado, a violência e a intolerância expressas nos conflitos na Faixa de Gaza, noticiada e retratada, diariamente, na mídia televisiva permitiram visualizar e sentir o quanto sonhos são desfeitos, nesta relação Realidade x Utopia.

A crescente rivalidade entre membros do Hamas (Palestina) e o governo de Israel transforma e motiva gerações e gerações a relações desumanas e brutalizadas.

Após três semanas de conflitos, de Israel decretar o cessar-fogo unilateral, no sábado (17 de janeiro) e, no dia seguinte (domingo), o Hamas anunciar, também, um cessar-fogo por sete dias na região do conflito, com a retirada total do exército israelense, que culminou nesta quarta feira, os resultados deste conflito são devastadores.

Segundo o site Tvi Informação os resultados do último confronto foram:

Óbitos: 1.300, sendo 410 crianças;

Feridos: superior aos 5.300;

Destruição material: muitas, mas em termos de casas foram cerca de 25 mil casas.

Imagem capturada da Internet
Se ainda restarem fragmentos de sonhos e de fé nas pessoas... se a moderação nas relações entre a Palestina e Israel se mantiverem, podemos até voltar a ter “vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente”.


Imagem capturada da Internet

Nenhum comentário: