sábado, 29 de agosto de 2009

Gripe H1N1: Medidas do Governo Federal e a situação mundial perante à pandemia

Conforme imaginei desde a última postagem acerca da Gripe 1N1, quando foi noticiado que o Brasil já havia atingido a primeira posição entre os países com o maior número de mortes pela doença, o Governo Federal divulgou novas medidas para a questão.

Vale ressaltar aqui que, embora o Brasil apareça à frente dos EUA, este último ainda não tinha atualizado os números de óbitos provocados pela nova gripe. Embora, o país esteja no verão, ele vinha apresentando o recorde de mortes confirmadas pela Gripe H1N1 (522 até o dia 15 de agosto).

De acordo com o quê foi divulgado, em razão da situação do país no quadro geral da Nova Gripe, o Governo Federal enviou ao Congresso Nacional uma medida provisória para a liberação de crédito suplementar (mais de 2 bilhões de reais).

Esta verba vai ser aplicada na compra de 73 milhões de doses de vacinas contra a doença e de mais de 11 milhões de unidades de remédios, além de estar previsto a capacitação das Unidades Hospitalares para o atendimento aos pacientes com sintomas e em tratamento.

Mesmo apresentando queda nos números de pessoas em estado grave, o Brasil registrou 557 mortes confirmadas pelo vírus Influenza A, as quais se encontram distribuídas nas seguintes unidade federativas do país: São Paulo (223), Paraná (151), Rio Grande do Sul (98), Rio de Janeiro (55), Santa Catarina (11), Minas Gerais (8), Distrito Federal (2), Paraíba (2), Bahia (2) e, com 1 morte em cada estão os os estados de Pernambuco, Rip Grande do Norte, Roraima, Mato Grosso do Sul e Pará.

Com isso, em relação à taxa de mortalidade, na proporção de 100 mil habitantes, o Brasil subiu da nona para a sétima posição.

Entre os sete primeiros lugares, seis países se encontram localizados no hemisfério Sul, onde a estação do ano é inverno e, apenas um – a Costa Rica – no hemisfério Norte (verão). De acordo com os referidos índices, a Argentina vem na primeira posição (1,08), seguido pelo Chile (0,75), Costa Rica (0,67), Uruguai (0,65), Austrália (0,61), Paraguai (0,61) e Brasil (0,29).

De acordo com as últimas notícias acerca da Gripe H1N1 (28/08), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o vírus Influenza A, agente da nova gripe, já é o dominante em circulação no mundo. Isso significa que a maioria dos casos gripais que estão ocorrendo são causados por este vírus pandêmico e não pelo agente da gripe comum, característico da época do inverno.

O quadro clínico é similar ao da gripe comum e a maior parte das pessoas afetadas tem sintomas brandos. Daí, muitos acharem que tiveram apenas uma gripe comum.

Considerando o número de pessoas afetadas pela gripe e aqueles em estado mais grave, acrescentando a estes o número de mortes decorrente da mesma, o quantitativo é considerado pequeno, segundo a OMS.

Fonte: Globo.Com

Nenhum comentário: