domingo, 27 de dezembro de 2009

Mensagem: Uma história para o dia de Natal

Imagem capturada na Internet


Esta mensagem foi publicada, no último dia 20/12 (domingo), na Revista O Globo, na seção do escritor Paulo Coelho. Achei-a interessante e separei para publicar neste meu espaço. No entanto, só agora estou podendo fazer isso.

De qualquer maneira, vale a pena ler e guardar para uma outra ocasião especial. Afinal, ela pode ser utilizada em diversos momentos.


Uma história para o dia de Natal

Conta uma antiga e conhecida lenda, que há cinco mil anos três cedros nasceram nas lindas
florestas do Líbano. Como todos nós sabemos, os cedros levam muito tempo para crescer, e estas árvores passaram séculos inteiros pensando sobre a vida, a morte, a natureza, os homens.

Presenciaram a chegada de uma expedição de Israel, enviada por Salomão, e mais tarde viram a
terra coberta de sangue durante as batalhas com os assírios. Conheceram Jezabel e o profeta Elias, inimigos mortais.

Assistiram a invenção do alfabeto, e deslumbraram-se com as caravanas que passavam, cheias de tecidos coloridos.

Um belo dia resolveram conversar sobre o futuro.

- Depois de tudo o que tenho visto - disse a primeira árvore - quero ser transformada no trono do rei mais poderoso da Terra.

- Eu gostaria de ser parte de algo que transformasse para sempre o Mal em Bem - comentou a
segunda.

- Por meu lado, queria que toda vez que olhassem para mim pensassem em Deus - foi a resposta
da terceira.

Mais algum tempo se passou, e lenhadores apareceram. Os cedros foram derrubados, e um navio os carregou para longe.

Cada uma daquelas árvores tinha um desejo, mas a realidade nunca pergunta o que fazer com os
sonhos; a primeira serviu para construir um abrigo de animais, e as sobras foram usadas para apoiar o feno.

A segunda árvore virou uma mesa muito simples, que logo foi vendida para um comerciante de
móveis.

Como a madeira da terceira árvore não encontrou compradores, foi cortada e colocada no armazém de uma cidade grande.

Infelizes, elas se lamentavam: “ Nossa madeira era boa, e ninguém encontrou algo de belo para
usá-la”.

Algum tempo se passou e, numa noite cheia de estrelas, um casal que não conseguia encontrar
refúgio resolveu passar a noite no estábulo que tinha sido construído com a madeira da primeira árvore.

A mulher gritava, com dores do parto, e terminou dando a luz ali mesmo, colocando seu filho entre o feno e a madeira que o apoiava.

Naquele momento, a primeira árvore entendeu que seu sonho tinha sido cumprido: ali estava o
maior de todos os reis da Terra.

Anos depois, numa casa modesta, vários homens sentaram-se em torno da mesa que tinha sido
feita com a madeira da segunda árvore. Um deles, antes que todos começassem a comer, disse algumas palavras sobre o pão e o vinho que tinham diante de si.

E a segunda árvore entendeu que, naquele momento, ela sustentava não apenas um cálice e um pedaço de pão, mas a aliança entre o homem e a Divindade.

No dia seguinte, retiraram dois pedaços do terceiro cedro, e o colocaram em forma de cruz. Deixaram-no jogado em um canto, e horas depois trouxeram um homem barbaramente ferido, que cravaram em seu lenho. Horrorizado, o cedro lamentou a herança bárbara que a vida lhe deixara.

Antes que três dias decorressem, porém, a terceira árvore entendeu seu destino: o homem que ali estivera pregado era agora a Luz que tudo iluminava. A cruz feita com sua madeira tinha deixado de ser um símbolo de tortura, para transformar-se em sinal de vitória.

Como sempre acontece com os sonhos, os três cedros do Líbano tinham cumprido o destino que
desejavam - mas não da maneira que imaginavam.

Demorei, mas voltei antes de 2010!

Imagem capturada na Internet


Diferentemente como pensou o meu aluno Douglas (Turma 1607), eu não continuei postando e, muito menos, nas férias.

Na verdade, eu nunca passei por uma situação similar como foi a deste final de ano letivo. Não tive tempo para nada em razão de correção de provas (17 turmas); fechamento de Diários de Classe; Conselhos de Classe; Curso on line; Campanha de Solidariedade (triagem, separação dos donativos para as duas Instituições e entrega), entre outros.

Sem falar das tarefas domésticas (minha casa) e os cuidados com a minha mãe.

As compras para as festividades de Natal e Reveillon, inclusive os presentes, só pude realizar no dia 23, quando sai pela manhã (8h) e só retornei às 21:30h... super cansada.

Estou retornando e peço desculpas pelas postagens atrasadas e por aquelas que não poderei mais publicar.

Todo ano, eu digo e afirmo sempre que vou mudar no ano seguinte, mas a história sempre se repete. O meu mapa astral indica - como característica minha - ser procrastinadora, ou seja, aquela que sempre deixa para a última hora.

Além de ter acumulado muitas tarefas este ano, esta característica piora a minha situaçào de forma significa.

Estou retornando, podem apostar! E prometo maior organização e agilidade.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Resolução SME nº 1046, de 27 de novembro de 2009


Imagem capturada na Internet


Os alunos da E. M. Dilermando Cruz souberam o Resultado Final do ano letivo, nesta 2ª feira, dia 14 de dezembro.

Diante do resultado obtido, alguns esboçaram tristeza, alegria e, até, indiferença. Muitos vibraram; outros choraram. Houve até aluno reclamando do fim do ano: "É porque é chato ficar em casa"...

Confusão pior foi em cima da última Resolução da Secretaria Municipal de Educação (Nº 1046). Os alunos ficaram confusos com a situação de cada um face a Reprovação, à prova de 2ª Época e a Recuperação.

Até, no período noturno (E.E.E.S. Clóvis Beviláqua), uma aluna me procurou para tirar dúvidas quanto a situação de sua filha adolescente, estudante da rede municipal de ensino.

Em função disso e, como eu não havia publicado nada a respeito, antes, estou compartilhando a referida Resolução.


RESOLUÇÃO SME Nº 1046, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009

Dispõe sobre a recuperação da aprendizagem.

A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor,

RESOLVE:

Art.1.º Fica instituído o Sistema de Recuperação de Aprendizagem para alunos que no último Conselho de Classe (COC) do ano letivo tiverem conceito global R (Regular) ou I (Insuficiente).

Art.2.º Os alunos que obtiverem conceito global R receberão dos professores, na semana de 10 a 17 de dezembro de 2009, dever de férias para ser feito até o início das aulas.

Art.3.º Os alunos que obtiverem conceito global I e o desempenho for considerado pelo COC insuficiente em mais de três disciplinas do Núcleo Comum ficarão reprovados.

Parágrafo único. Para os efeitos previstos neste artigo serão consideradas como Núcleo Comum as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História e Ciências.

Art.4.º Os demais alunos que obtiverem conceito global I por desempenho considerado fraco em até três disciplinas do Núcleo Comum, pelo COC, deverão fazer dever de férias em todas elas.

Parágrafo único. Esses alunos serão submetidos à prova de 2ª época, se o motivo do conceito I for seu desempenho nas disciplinas do núcleo comum.

Art. 5º Para os fins desta Resolução aplicar-se-á o calendário previsto no Anexo Único.

Parágrafo único. A antecipação da data de realização da prova de 2ª época dos alunos do 9º Ano tem por objetivo facilitar sua matrícula no Ensino Médio, se aprovados.

Art.6.º Todo aluno que for aprovado na 2ª época receberá aulas de reforço ao longo do ano letivo de 2010.

Art. 7.º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.



Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2009.



CLAUDIA COSTIN

Secretária Municipal de Educação



ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO SME Nº 1.046, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009

DATA - ATIVIDADE

10/12/2009 - Realização do 4º Conselho de Classe – COC

10 a 17/12/2009 - Distribuição e orientação do dever de férias

17/12/2009 - Realização da prova de 2ª época para alunos do 9º Ano

17/12/2009 - Entrega, pelos alunos do 9º Ano, do dever de férias

18/12/2009 - Resultado das provas de 2ª época dos alunos do 9º Ano

18/01/2009 - Realização da prova de 2ª época para alunos do 3º ao 8º Ano

18/01/2009 - Entrega, pelos alunos do 3º ao 8º Ano, do dever de férias

Até 21/01/2009 - Resultado das provas de 2ª época dos alunos do 3º ao 8º Ano

Nota minha: E dizem que a aprovação automática acabou... Acabou, pois agora vem em suaves parcelas...

Atraso e faltas minhas


Imagem capturada na Internet


Realmente, neste finalzinho de ano, superei todas as minhas falhas passadas... Nunca fiquei tão "enrolada" como estive neste final de novembro e início de dezembro.

Reconheço que assumi muitos compromissos com apenas "dois braços", mas após ter assumido, não tive como retroceder. Além destes, são 17 turmas (duas extras) em 3 escolas.

Correções de provas, trabalhos, módulos e outros... Sinto-me como a imagem capturada na Internet e postada neste espaço. Só com um detalhe, em geral, todos estes papéis ficam na minha pasta, a qual levo diariamente para a escola.

Não pude postar mais nada no Blog, faltou-me tempo livre. Nem mesmo dormir direito, tenho conseguido fazer.

Minha cabeça processa rápido e não acompanha os meus movimentos físicos. Daí, o estresse sendo diagnosticado no meu semblante, atitudes e fala.

Eu mesma não aguento mais pedir mil desculpas pelas minhas falhas, pois já está ficando cansativo e repetitivo.

Espero que as pessoas compreendam...

domingo, 6 de dezembro de 2009

07 de Dezembro: 15ª Conferência das Partes (COP-15)


Imagem capturada da Revista Espaço Acadêmico (n° 103 - dezembro 2009)




Em meio às controvérsias criadas - à partir do vazamento de documentos e diversos e-mails de pesquisadores da Unidade de Pesquisas Climáticas da Universidade de East Anglia, na Grã-Bretanha - os quais confirmavam que os dados climáticos sobre o Aquecimento Global não seriam confiáveis, começa à partir de amanhã (07) até dia 18 de dezembro, em Copenhague (Dinamarca), a 15ª Conferência das Partes (COP-15), realizada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC).

A referida polêmica de fraudes foi rebatida pela ONU, mas independente das discussões pertinentes - assunto para uma outra postagem - o fenômeno do Aquecimento Global é real, seus efeitos e consequências são previsíveis até certo ponto, visto que a dinâmica externa da Terra ao sofrer alterações, suas respostas se tornam imprevisíveis. Daí, a preocupação aumenta.

Retornemos ao tema central... A 15ª Conferência das Partes (COP-15).

A primeira Convenção sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas foi realizada em 1995, em Berlim, na Alemanha.

No entanto, a Convenção Marco sobre Mudança Climática, como muitos se lembram, foi firmada e assinada por mais de 160 países, em 1992, durante a Conferência Mundial Sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, mais conhecida como Eco-92 ou Rio-92, realizada na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Com isso foi dado o primeiro “pontapé” ao combate ao Aquecimento Global, com o reconhecimento – por parte dos países – que:

- as mudanças climáticas constituem-se em um problema real e planetário;

- as atividades antrópicas (humanas) contribuem direta e/ou indiretamente para as alterações do clima, cabendo aos países o esforço para diminuir o problema.

Em 11 de dezembro de 1997, em Kyoto (Japão), outro Encontro negociou e concluiu o mais importante Acordo Ambiental para redução da emissão de gases de efeito estufa, o chamado Protocolo de Kyoto, reunindo propostas objetivas de responsabilidade e de ações sobre a questão das mudanças climáticas ligadas ao Efeito Estufa.

As assinaturas dos países começaram em março de 1998, tendo inicialmente 84 países, inclusive o Brasil.

O Protocolo de Kyoto só entrou em vigor no dia 16 de fevereiro de 2005, após a ratificação da Rússia (2004), totalizando-se – atualmente - em 179 países (número não preciso) que se comprometeram a desenvolver projetos para a redução da taxa de emissão de gases causadores do efeito estufa até o ano de 2012.

Durante a 13ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, final do ano de 2007, na Indonésia, os países participantes concordaram em iniciar negociações para formular a segunda parte de Tratado de Kyoto, isto é, a COP-15.

A 15ª Conferência das Partes (COP-15) de amanhã tem a finalidade de traçar os objetivos a serem cumpridos após o período firmado no Protocolo de Kyoto (2008 a 2012) se expirar.

Na verdade, a referida Convenção deve ser constituído um novo acordo, isto é, uma segunda parte do Protocolo de Kyoto, onde novas metas de redução da emissão de gases de efeito estufa, sobretudo o dióxido de carbono (CO2), devem ser estabelecidas a fim de serem cumpridas a partir de 2013 ou 2014, segundo informações publicadas na mídia. As propostas prevêem reduções de 25% a 40% até 2020, com base em valores obtidos em 1990.

O objetivo do Protocolo de Kyoto era de reduzir em 5% as emissões dos gases poluentes. Neste, a meta foi estabelecida apenas para os países desenvolvidos. O Brasil, por exemplo, que também contribui com emissões de gases-estufa em consequência da prática de queimadas (principal fonte de emissões de dióxido de carbono no país), não foi enquadrado na referida regra. Ele ocupa a 17ª posição no ranking dos países que mais poluem.

Tais situações de tratamento desigual para o mesmo problema e eficácia deverá ser, também, colocada em pauta e revista na COP-15.

Os países que mais contribuem com emissões de dióxido de carbono são (em ordem decrescente): China, EUA, Rússia, Índia, Japão, Alemanha, Canadá, Grã-Bretanha, Coreia do Sul e Irã.

A grande expectativa do momento para a referida Convenção é a adesão dos Estados Unidos, segundo maior poluidor do mundo.

O país não ratificou a primeira parte do Protocolo de Kyoto. Na época, o então presidente George W. Bush alegou que a redução das emissões de gases-estufa acabaria prejudicando a economia estadunidense.

O atual presidente, Barack Obama, por sua vez, fez menções de aderir propostas que assegurem a redução em cerca de 80% das emissões de gases até o ano de 2050.

Vamos aguardar para ver se, realmente, os EUA vão ceder e se empenhar às propostas de redução da emissão de gases de efeito estufa, bem como serão as discussões e as propostas delineadas na referida Convenção.

Para saber mais, acesse:

. Fracasso em Copenhague seria melhor, diz cientista da Nasa

. Mais uma conferência sobre clima, e acordo ambicioso ainda é miragem

. ONU rebate acusações sobre manipulação de dados sobre clima

. ONU vincula discussão sobre clima em Copenhague aos direitos humanos

sábado, 5 de dezembro de 2009

II Campanha de Solidariedade 2009

Em razão da Semana de Provas e do Campeonato Interno da E. M. Dilermando Cruz, não pude fazer um balanço da nossa II Campanha de Solidariedade do ano em curso.

Algumas alunas foram organizar as doações na sala da Professora Andréa Paula, que mais uma vez cedeu o seu espaço para acomodar as caixas com as gelatinas e leite em pó. Retiramos os brinquedos, que estavam em sacos e passamos para outra sala, pois estes são mais volumosos.

Como era de se esperar, estamos bem longe de atingirmos a meta estabelecida. Recebemos muitas doações, inclusive, graças ao empenho de algumas professoras do I Segmento, que trabalharam bem com as suas turmas acerca da importância das doações.

Até agora não recebemos nenhuma notícia do Supermercado Superprix. Temo que, desta vez, não sejamos atendidos quanto a nossa solicitação. Espero estar errada...

Chegaram os cartazes do Instituto Faça Parte, com o Selo de "Escola Solidária". O nosso projeto foi aceito e, por isso, fomos selecionados. Mais um material de incentivo a nossa campanha.

Eu fixei um cartaz, junto com uma cópia do Certificado emitido pelo referido Instituto, no portão principal de acesso à parte interna da escola e, o outro, na parte anexa a esta, onde funciona o II Segmento.

Estamos indo para a última semana da Campanha. Vamos ver como esta vai se transcorrer. Ainda temos o dinheiro da venda dos adesivos e da turma para às compras dos brinquedos novos.

Vejam as imagens dos cartazes maiores (há alguns menores, espalhados nas salas e corredores, sob a forma de 'Chamada").

















Humor: Política Brasileira



Imagem capturada na Internet

$$$$$$$$$


Dois políticos analisam uma proposta de negociata em Brasília. São muitos milhões em jogo. Um deles pergunta:

- Quando nos dariam por isso?

- Num país sério, nos dariam uns quinze anos, eu acho.

########################################


DISTRAÇÃO

E no Congresso Nacional daquele país:

- Sua excelência quer fazer o favor de tirar a mão do meu bolso?

- Perdão, excelência. Pensei que sua excelência estivesse distraído.

################################################


VEXAME

- Sabe qual o maior vexame a que um político pode ser submetido?

- ?!

- É ser confundido com um homem honesto.

###############################

Você sabe como identificar quando um político está mentindo?

É quando os lábios dele se movem.

#############################

EM BRASÍLIA

Um ladrão se aproxima de um senhor todo enfarofado e fala:

— Me passa o seu dinheiro.

O enfarofado senhor fica indignado e retruca:

— O quê?! O senhor sabe com quem está falando? Eu sou de-pu-ta-do!!!

— Então me passa O MEU dinheiro.


###########################

Os Profissionais... na Política Brasileira




Imagem capturada na Internet


OS PROFISSIONAIS


Um político ia andando pela rua, passou em frente a um banco e lembrou-se de que precisava de algum dinheiro. Entrou no banco e viu que estava sem a carteira, sem o cartão do banco, sem cheques e sem documentos. Mesmo assim foi falar com o gerente para ver se ele quebrava o galho.

- Bem, - disse o gerente - é difícil atender o seu pedido. Eu não conheço o senhor, o senhor não tem documentos. Agora, se o senhor provar quem é, talvez eu possa fazer alguma coisa.

- O que é que você está querendo dizer? Eu sou um deputado muito importante - falou o político com a peculiar arrogância.

- É o seguinte: um dia desses entrou aqui no banco o cantor Alceu Valença. Ele não tinha documentos, mas cantou um trecho de "Morena Tropicana". Com isto, ele comprovou a identidade dele e eu autorizei o saque. Outro dia, isso aconteceu com o Romário. Ele não tinha documentos, mas comprovou a identidade dele dando um show de bola. Entendeu?

- Ah, entendi.

O político pensou um pouco e falou:

- Mas eu não sei fazer nada, só faço trampolinagens, maracutaias, safadezas, essas coisas...

- Quanto é mesmo que o senhor quer sacar? O senhor quer em notas de cinqüenta ou de cem reais?

Charges: Corrupção na Política


Imagem capturada na Internet




Charge é uma manifestação, por parte do chargista, crítica da sociedade, tanto político quanto social, geralmente é contestadora e reflexiva, que necessita da boa informação do espectador para ser bem compreendida. A charge tem uma certa vida útil, isto é, como sempre se refere a um assunto vigente, quando o fato que a gerou é esquecido ela perde a sua força. Obviamente há assuntos que podem alimentar uma charge em todas as épocas, tipo injustiça social, miséria, preconceito e coisas assim”.



Infelizmente, o nosso sistema e a prática política se incluem na categoria de tema presente em todas as épocas. É evidente que, por termos vários partidos políticos, ora um fica em evidência mais do que o outro e vice-versa.

Apenas, o povo - seus eleitores - é o ator coadjuvante permanente. Por culpa dele mesmo, talvez! Pois, muitos se esquecem, rapidinho, das falcatruas, da corrupção, da vida pública e política incoerente com a ética, a moral, a honestidade e os princípios pelos quais os candidatos ao pleito eleitoral discursaram e se fizeram passar por homens públicos voltados para as causas sociais, econômicas e políticas de seu povo.

Infelizmente, mesmo diante da saída e da entrada de um novo governo e de seus membros, das mudanças de cenário e, inclusive, da conjuntura histórica ser outra, a prática da corrupção está tão enraizada no país, que os poucos que ainda acreditam sobre o seu fundamental papel como agentes públicos, capazes de representar e de lutar pelos anseios da sociedade acabam sendo pressionados pela grande maioria, que faz desta uma forma de se enriquecer ilicitamente em detrimento às causas sociais e ao príncípio ético da verdadeira política.

Infelizmente...





















































Fontes: Todas estas imagens foram capturadas em diversos sites na Internet.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Mais um Escândalo na Política Brasileira


Imagem capturada no Globo.com

"De tanto ver triunfar as nulidades,
tanto ver prosperar a desonra,
tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto".



(Ruy Barbosa)




A minha intenção era postar anteontem esta matéria, principalmente após ter lido nos jornais duas frases do nosso Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Mas, ao final do dia, depois da minha escola noturna, o cansaço me venceu e eu acabei adiando, adiando e, hoje, resolvi postar, mesmo cansada e com sono.

Na verdade, não é só pelo fato em si, por ser inadmissível a rotina como estes escândalos estão vindo à tona... mas eu estou ficando seriamente temerosa que a frase de Ruy Barbosa, acima descrita, se torne um “lugar comum” para a sociedade brasileira.

Enquanto o povo ficar estarrecido com as notícias, a esperança ainda existe. Pior é chegarmos a um nível de análise que leve estes escândalos a um patamar debanalidade humana.

Mais uma vez, um escândalo envolvendo um esquema de distribuição de dinheiro (propinas) a políticos e aliados vem à tona e deixa o povo perplexo diante das telas de TV.

Desta vez, as denúncias envolvem o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), apontado como o comandante do referido esquema de distribuição de propina, o seu vice, Paulo Octávio (DEM), empresários e outros integrantes do governo.

Este escândalo já está sendo chamado de “mensalão do DEM”, em Brasília, isto é, divisão de proprina entre membros do governo do Distrito Federal, do partido Democrata (DEM).

As denúncias foram exibidas em diversos vídeos, tendo como pivô do escândalo o ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que aparece nas imagens distribuindo a propina e em gravações de telefone com empresários, secretários e com o próprio governador José Roberto Arruda.

Durval Barbosa apresentou as gravações em troca de redução de pena, em caso de condenação.

As investigações fazem parte da Operação da Polícia Federal, denominada de Caixa de Pandora. No dia 27 de novembro (6ª feira), a Polícia Federal realizou buscas e apreensões na residência oficial do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, em Águas Claras, bem como em gabinetes de deputados distritais.

Os vídeos não deixam dúvidas do montante de dinheiro que “rola” por detrás das cortinas da política. A corrupção é grande, a quantia de dinheiro é grande e o número de pessoas envolvidas na distribuição de propinas é grande demais...

A série de vídeos apresentada nas mídias mostra o atual Governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, recebendo dinheiro para a sua campanha, na época em que concorria o pleito eleitoral.

Com a exibição do vídeo, este negou a versão apresentada, alegando que defeitos no gravador devem ter provocado alterações nos diálogos, pois o mesmo estava discutindo a distribuição de dinheiro que seria para os membros do governo.

Em outro vídeo, as imagens também são comprometedoras e, ao mesmo tempo, absurdas. Elas mostram o presidente da Câmara Distrital, Leonardo Prudente (DEM), guardando o dinheiro recebido em várias partes do corpo, inclusive, nas meias.

O mesmo explicou que guardou o dinheiro nas meias porque não tinha pasta, mas admitiu que recebeu "ajuda financeira não-contabilizada" para a campanha de 2006.

Outra aberração em nossa política, foram as imagens de deputados distritais orando, em voz alta, depois da divisão de propina.

Em um outro vídeo, aparece o dono de jornal em Brasília guardando dinheiro na cueca.

Há, ainda, um vídeo mostrando o empresário Gilberto Lucena, dono da Linknet, reclamando do pagamento de proprina. Ele aparece perguntando a Durval Barbosa, na época Secretário de Relações Institucionais, a participação do vice-governador, Paulo Octávio, no recebimento da propina.

Mas, o pior foi ouvir as palavras proferidas pelo nosso representante máximo, Presidente Lula, em relação aos vídeos, “A imagem não fala por si. O que fala por si é todo o processo de apuração, é todo o processo de investigação. Quando tiver toda a apuração e investigação terminadas, a Polícia Federal vai ter que apresentar o resultado final do processo. Aí você pode fazer juízo de valor e mesmo assim quem vai fazer é a Justiça”

E, para completar, afirmar que... “Não estou acompanhando, porque está na esfera da Polícia Federal e se está na esfera da Polícia Federal o presidente da República não dá palpite, espera a apuração para depois falar alguma coisa.

Fica difícil acreditar que a política brasileira vai mudar.

Como diz a letra da música...



Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão
Se gritar pega ladrão, não fica um
Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão
Se gritar pega ladrão, não fica um.

Fontes: Folha OnLine; Globo.com


terça-feira, 1 de dezembro de 2009

1º de dezembro: Dia Mundial de Combate à AIDS




Imagem capturada na Internet

O Dia Mundial de Luta Contra a Aids é comemorado, hoje, dia 1º de dezembro, desde outubro de 1987.
 
A data foi uma decisão da Organização Mundial de Saúde (OMS), com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) e teve como objetivos reforçar a solidariedade, a tolerância e a compreensão para com as pessoas infectadas com o vírus HIV.
 
No Brasil, a data passou a ser adotada a partir de 1988.
 
O preconceito e a discriminação contra as pessoas infectadas ainda se mostram bem elevados. Mesmo diante das informações, divulgadas nas mídias, a respeito do vírus, das formas de contágio, tratamento etc.
 
As barreiras encontradas são grandes para aqueles que se encontram infectados ou, ainda, para s parentes mais próximos, que vivem diariamente com o doente. Os estigmas resultam pela falta de conhecimento, mitos e medos.
 
O Brasil já é conhecido, mundialmente, pelo modelo de tratamento para a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, que é considerado uma referência pela OMS (Organização Mundial de Saúde).
 
Mas, não restam dúvidas que muitas pessoas desconhecem ou sabem pouco acerca da AIDS. E isso acaba sendo preocupante.
 
No mês passado, no dia 11 de novembro, a Turma 1801 assistiu uma peça teatral sobre o Vírus HIV no Retiro dos Artistas. Alguns alunos chegaram a comentar a respeito da peça e de sua mensagem.
 
Interessante seria que as Secretarias de Educação (Municipal e Estadual) promovesse nas escolas, encontros, debates, peças teatrais sobre a temática em si, bem como outras de interesse coletivo, sejam de caráter preventivo e/ou apenas esclarecedor.
 
De acordo com Vida e Saúde (Terra), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) afirma que, todos os dias, no mundo, há mais de 6.800 novas contaminações pelo vírus HIV.
 
E que no Brasil, de 1980 a junho de 2009, foram registrados 544.846 casos no Brasil, segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (Ministério da Saúde). Este, ainda, afirma que durante esse período, mais de 200 mil pessoas morreram em consequência do vírus HIV/AIDS.
 
Para este ano (dados computados até 30 de junho de 2009), o Boletim Epidemiológico Aids/DST indica que 8.157 homens e 5.501 mulheres receberam o diagnóstico positivo no país, sendo que a maioria na faixa etária de 40 a 49 anos.
 
Contudo, na comparação entre 2008 (20.744 em homens, e 13.733, em mulheres) e 2007 (20.496 em homens e 13.411, em mulheres), a ocorrência tem se mantido estável.
 
Outro aspecto a ser observado é que em 1986, os registros marcavam 15 casos em homens para cada um em mulheres. A partir de 2003, este quadro estabilizou-se, sendo para cada 15 diagnósticos em homens, haviam 10 em mulheres. O que chama mais a atenção é que, entre 13 e 19 anos, o número é maior entre as meninas, numa relação de 10 contra 8 em meninos.
 
Como alguns alunos, inclusive, de outras turmas já haviam me perguntado acerca da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida e hoje se comemora o Dia Mundial de Combate à AIDS, estou compartilhando - neste espaço - a entrevista publicada na Saúde (Terra) com infectologista Munir Akar Ayub, professor da Faculdade de Medicina do ABC.
 
A entrevista segue na íntegra.
 
1 - Aids e HIV são a mesma coisa
Mito
- O HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) é o vírus causador da Aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). No entanto, há muitas pessoas soropositivas (com o vírus) que vivem durante anos sem desenvolver a síndrome e apresentar seus sintomas, como febre prolongada, emagrecimento, falta de apetite, cabelo ralo.
 
São notificados entre 33 mil e 35 mil novos casos de Aids no país por ano. Em relação ao HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), a estimativa é de que existam 630 mil pessoas infectadas.
 
2 - HIV pode passar pelo beijo na bocaVerdade - Apesar de ser uma afirmação verdadeira, segundo o médico, a possibilidade de alguém ser infectado pelo vírus durante o beijo é mínima e existe apenas se tiver com um ferimento grande na boca, como logo após uma cirurgia de extração de dente. Situação incômoda que, venhamos e convenhamos, não dá condições e nem ânimo para trocar esse tipo de carinho, não?
 
3 - Toda criança que nasce de mãe com HIV tem o vírusMito - Bebês que nascem de mães soropositivas têm 17% de chances de serem contaminadas caso a mulher não tome as medidas de prevenção necessárias, segundo o infectologista. Quando as segue à risca, a possibilidade cai para 0,5%.
Durante o pré-natal, toda gestante tem o direito e deve realizar o teste de HIV. Quando o problema é identificado, entre as recomendações estão o uso de drogas antirretrovirais, o parto cesariano e a suspensão do aleitamento materno, substituindo-o por leite artificial (fórmula infantil) e outros alimentos, conforme a idade da criança. "No parto normal, o filho tem contato com a secreção da vagina, o que aumenta o risco de transmissão."
 
4 - Ninguém morre de Aids
Verdade
- A doença pode deixar a pessoa muito debilitada, o que abre espaço para outras patologias. Estas sim têm a chance de levar o infectado à morte. Portanto, a pessoa não morre de Aids, mas em decorrência dela.
 
5 - O uso de preservativo impede a transmissão do vírus
Verdade
- Se o preservativo não estourar, estiver dentro do prazo de validade, for armazenado do modo adequado e usado de maneira correta, impede a transmissão. Pesquisas indicam que o rompimento do produto deve-se muito mais ao uso incorreto do que à falha estrutural.
 
Abra a embalagem da camisinha com cuidado, nunca com os dentes ou objetos cortantes que possam danificá-la. Coloque-a no pênis somente quando estiver ereto. Aperte sua ponta com o intuito de retirar o ar e, só então, a desenrole até a base do órgão sexual. Após a ejaculação, retire-a com o pênis ainda ereto, fechando com a mão a abertura para evitar que o esperma vaze. Nunca a utilize mais de uma vez.
 
Certifique-se de que contenha a identificação completa do fabricante ou do importador. Observe as informações sobre o número do lote e a data de validade e verifique se a embalagem traz o símbolo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro). Não utilize preservativos que estejam há muito tempo guardados em locais abafados, como bolsos de calça, carteiras ou porta-luva de carro, pois ficam mais sujeitos ao rompimento.
 
6 - Fazer tratamento com os coquetéis impede totalmente a manifestação da doença
Mito
- O tratamento impede em boa parte dos casos. Mas, às vezes, os medicamentos podem não ter o efeito esperado em determinados pacientes, ou o portador começa a tomá-los muito tarde e torna mais difícil o processo.
 
7 - A probabilidade de uma mulher contrair HIV é maior que a de um homem.
Verdade
- A mulher é mais vulnerável por ficar mais tempo em contato com a secreção sexual. O esperma ainda pode ser encontrado no colo de seu útero de 24 a 48 horas após a relação.
 
8 - Há pessoas imunes à Aids
Talvez
- Algumas prostitutas na África não adquirem o problema mesmo sem o uso de preservativos. Elas estão sendo estudadas, mas ainda não se chegou a uma conclusão quanto à possível imunidade.
 
9 - O vírus é transmitido apenas em relações sexuaisMito - O HIV também pode passar com o compartilhamento de seringas e agulhas; transfusão de sangue contaminado; reutilização de objetos perfuro-cortantes com presença de sangue ou fluidos com o vírus; durante o parto normal.
 
10 - O coquetel oferecido após caso de abuso sexual elimina as chances de contrair HIV
Mito
- O coquetel não impede por completo, mas diminui muito o risco: cerca de 90%.
 
11 - Equipamentos de salão de beleza não esterilizados passam HIV
Verdade
- Objetos perfuro-cortantes com presença de sangue podem transmitir o vírus, sim. Basta que sejam lavados com água e sabão para eliminar esse risco.
 
12 - Ter relação sexual sem camisinha com alguém infectado significa 100% de chance de contrair o vírus
Mito
- A relação sexual sem camisinha com alguém infectado oferece 0,3% de risco de contrair o vírus, como disse o médico. "Se tem uma segunda relação, sobre para 0,6%; uma terceira, para 0,9%, e assim por diante. Em casos de estupro, a pessoa fica sensibilizada e a chance é maior."
 
13- O grupo de risco não abrange adolescentes e mulheres com mais de 50 anos
Mito
- Qualquer pessoa pode ter a doença, desde que tenha comportamentos de risco, como relação sexual (homo ou heterossexual) com pessoa infectada e sem o uso de preservativos; compartilhamento de seringas e agulhas; transfusão de sangue contaminado pelo HIV; reutilização de objetos perfuro-cortantes com presença de sangue ou fluidos com o vírus.
 
No começo da epidemia, pelo fato de a Aids atingir principalmente os homens homossexuais, os usuários de drogas injetáveis e os hemofílicos, eles eram considerados grupos de risco. Atualmente, fala-se em comportamento de risco, já que o vírus passou a se espalhar de forma geral, sem se concentrar em grupos específicos.
 
14- O portador de HIV tem de separar todos seus pertences pessoais dos de seus familiares
Mito
- O vírus da Aids pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal e leite materno. Dessa forma, a convivência deve ser normal, sem que haja a necessidade de separar os pertences, mas não compartilhe objetos perfuro-cortantes.
 
15 - O portador do HIV não está apto para o mercado de trabalho
Mito
- Os soropositivos podem viver normalmente, mantendo as mesmas atividades físicas, profissionais e sociais de antes do diagnóstico. O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, informou que têm o direito de manter em sigilo a sua condição sorológica no ambiente de trabalho, como também em exames admissionais, periódicos ou demissionais.
 
Se o fato de ter HIV for motivo de demissão, o portador pode buscar na Justiça seus direitos por ser vítima de discriminação, desde que apresente provas. Pode ainda propor ação trabalhista, com pedido de liminar, para ser imediatamente reconduzido ao cargo, com o pagamento de todos os salários referentes ao período de seu afastamento (corrigidos monetariamente); e o pedido de ressarcimento moral e anulação em definitivo do ato rescisório do contrato de trabalho.
 
Caso a demissão esteja relacionada a outros motivos, como faltas seguidas injustificadas e cargo extinto, não há nenhum meio de proteção, assim como para qualquer trabalhador.
 
Fontes:
 
 

Elevação da Expectativa de Vida e Queda da Mortalidade Infantil no Brasil



Imagem capturada na Internet



O Jornal Hoje divulgou o resultado da pesquisa anual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre a taxa de mortalidade e de expectativa de vida.

Estes indicadores sociais refletem diretamente a qualidade de vida da população, inferindo também quanto ao nível de desenvolvimento do país.

Os avanços na área da medicina e as melhorias nas condições gerais de vida da população induzem a elevação da média de vida do brasileiro. De acordo com o levantamento realizado pelo IBGE, a expectativa de vida da população aumentou, tanto para o grupo masculino quanto para o feminino.

De acordo com os dados obtidos junto ao IBGE, em 1940, a expectativa de vida do brasileiro era de 45,5 anos de idade. Em 1998, a média era de 69 anos e, no ano passado (2008), este índice foi para 72,7 anos.

Embora, os números mostrem um aumento na média de vida do brasileiro, o número foi considerado baixo em relação às nações que figuram entre os das maiores taxas de expectativa de vida.

No entanto, eles querem comparar o Brasil com países desenvolvidos, como o Japão (considerado o líder no ranking, com a população mais idosa do mundo/ média de 82,6 anos), Islândia (81,8 anos), Suíça (81,7 anos), Austrália (81,2 anos), entre outros.

Tudo bem que Hong Kong (República Popular da China), subdesenvolvido, ocupa a segunda posição no referido ranking, com uma expectativa de vida em torno de 82 anos. Mas, não vamos esquecer, que o modo de vida das populações orientais também repercutem nisso.

De acordo com o IBGE, com a expectativa de vida aumentando - paulatinamente - o Brasil deve alcançar o mesmo nível atual dos países desenvolvidos, isto é, média de 81 anos, somente em 2050.

Dois fatos preocupantes, o IBGE destaca neste perfil, que repercutem na média de vida da população brasileira. Tratam-se das mortes associadas às causas externas (acidentes de qualquer natureza e violência), principalmente, nas faixas jovens e adultos do sexo masculino.

À partir de meados dos anos 1980, o número de mortes nestas faixas etárias e sexo aumentou muito, configurando-se de forma desfavorável para o quadro de esperança de vida.

"A esperança de vida no Brasil continuou elevando-se, mas poderia, na atualidade, ser superior em 2 ou 3 anos à estimada, se não fosse o efeito das mortes prematuras de jovens por violência. Basta constatar que, em 2000, a incidência da mortalidade masculina no grupo etário 20 a 24 anos era quase 4 vezes superior à da feminina e, este indicador, ao que tudo indica estaria elevando-se com o passar dos anos." (IBGE)



Com relação à mortalidade infantil, este índice apresentou uma queda de 30% no período de uma década, isto é, de 1998 a 2008. Em 1970, a taxa de mortalidade infantil no país estava próxima de 100 óbitos de crianças menores de 1 ano por mil nascidos vivos.

Contudo, os números atuais (23,30 óbitos de menores de 1 ano para cada mil nascidos vivos) ainda são elevados e preocupantes.

Países vizinhos, sul-americanos, apresentam números bem inferiores, tais como a Argentina (13,4), o Uruguai (13,1) e o Chile (7,2).

Há muito ainda a alcançar como meta; estamos - na verdade - ainda engatinhando.

Fonte:

IBGE/Comunicação Social