sexta-feira, 9 de abril de 2010

Mensagem: Atire a Primeira Flor


Imagem capturada na Internet (Google)



Quando a dor é grande, o cansaço prevalece, as forças e o otimismo se encerram ...



ATIRE A PRIMEIRA FLOR

Gláucia Daibert 

Quando tudo for pedra... atire a primeira flor.
Quando tudo parecer caminhar errado, seja você a tentar o primeiro passo certo.
Se tudo parecer escuro, se nada puder ser visto, acenda você a primeira luz.
Traga para a treva você primeiro a pequena lâmpada.
Quando todos estiverem chorando, tente você o primeiro sorriso. Talvez não na forma de lábios sorridentes, mas na de um coração que compreenda, de braços que confortem.
Se a vida inteira for um imenso não, não pare você na busca do primeiro sim, ao qual tudo de positivo deverá seguir-se.
Quando ninguém souber coisa alguma e você souber um pouquinho, seja o primeiro a ensinar.
Começando por aprender você mesmo, corrigindo-se a si mesmo. Quando alguém estiver angustiado, a procura nem sabendo o que, consulte bem o que se passa. Talvez seja em busca de você mesmo que este seu irmão esteja.
Daí, portanto, você deve ser o primeiro a aparecer, o primeiro a mostrar que pode ser o único e mais sério ainda, talvez, o último.
Quando a terra estiver seca que sua mão seja a primeira a regá-la.
Quando a flor se sufocar na urze e no espinho, que sua mão seja a primeira a separar o joio, a arrancar a praga, a afagar a pétala, a acariciar a flor.
Se a porta estiver fechada, de você venha a primeira chave.
Se o vento sopra frio, que o calor de sua lareira seja a primeira proteção e primeiro abrigo.
Se o pão for apenas massa e não estiver cozido, seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.
Não atire a primeira pedra em quem erra. De acusadores o mundo esta cheio. Nem por outro lado, aplauda o erro, dentro em pouco a ovação será ensurdecedora.
Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu. Sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido, seja você o primeiro para aquele que não tem ninguém.
Quando tudo for espinho atire a primeira flor, seja o primeiro a mostrar que há caminho de volta.
Compreendendo que o perdão regenera, que a compreensão edifica, que o auxilio possibilita, que o entendimento reconstrói. Atire você, quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor...


5 comentários:

Juscelino V. Mendes disse...

Bela imagem poética! Remeto-lhe uma flor e um beijo!

Marli Vieira de Oliveira disse...

Obrigada, Juscelino! Achei oportuno partilhar a mesma neste espaço mediante a situação caótica do estado do Rio de Janeiro, do número de mortos e dos desabrigados.A dor existe e vai continuar no coração de muitos. Nós, que não estamos diretamente ligados às sucessivas tragédias que aconteceram em virtude das chuvas, pouco podemos fazer... Mas, que sejamos os primeiros (de nada adianta ficarmos de braços cruzados e como telespectadores).

Obrigada mais uma vez e a você retribuo também uma flor!

Marli Vieira

Tamiris Neves *--* disse...

Belo texto, gostei. Leva em conta a questão da solidáriedade e de não julgar os erros das pessoas, uma coisa que muitas pessoas as vezes não fazem, até eu mesmo faço isso, depois me dou conta de o que falei não adianta de nada, pois ninguém é perfeito.

Aparecido disse...

A autoria está errada - o texto é de Glácia Daibert

Marli Vieira de Oliveira disse...

Obrigada, Aparecido!

Vou corrigir no post.

Abraços