sábado, 21 de agosto de 2010

Falência da empresa aérea Varig




Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Por muitos anos utilizei o logotipo da Varig para mostrar, como exemplo, a Rosa dos Ventos aos alunos. Inclusive, eu tenho até hoje o "saquinho" de papel da empresa, o qual mostrava aos alunos como curiosidade. E, agora, este sai de cena... Por fatores conjunturais (dívidas herdadas).

Ontem, saiu na imprensa que a juíza Márcia Cunha de Carvalho (1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro) decretou a falência das empresas aéreas Flex (antiga Varig), Rio Sul e Nordeste (do mesmo grupo).

De acordo com o que foi divulgado, o próprio administrador e gestor judicial da companhia havia solicitado a falência da empresa à referida juíza, pois as dívidas do grupo chegou a um nível impagável.

Por determinação da juíza, por duas semanas, a antiga Varig vai continuar operando o serviço de comunicações do rádio com os pilotos durante os pousos e decolagens. Assim como, o centro de treinamento de aeronautas da empresa, que é utilizado por outras empresas, será mantido ativo até a alienação judicial, enquanto os demais estabelecimentos serão lacrados por oficiais de justiça.

Em junho de 2005, o grupo Varig foi a primeira empresa aérea do país a solicitar recuperação judicial. Na época, a sua dívida era na ordem de R$ 7 bilhões.

Transcorridos 13 meses de negociações, parte da empresa - sem dívidas - foi vendida para a ex-subsidiária VarigLog e, em 2007, a Nova Varig foi comprada pela concorrente Gol. Ela passou a ser chamada Flex.


Leia mais a respeito no Folha.com...

2 comentários:

Tamiris Neves disse...

A empresa já não vinha bem a bastante tempo. Eu tenho como prova um caso bem próximo. Meu pai trabalhava para a SATA, que prestava serviços à Varig, e em 2005 quando a emprega teve uma crise, meu pai foi demitido.

Marli Vieira de Oliveira disse...

Tamiris,

Realmente, faz tempo! E sue pai foi vítima, como já falamos em anos anteriores, do desemprego causado por fatores conjunturais (neste caso, crise financeira no âmbito de uma empresa central).


Beijos