segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mensagem: Podemos Fazer a Diferença




Imagem capturada na Internet (Google)




PODEMOS FAZER A DIFERENÇA…

Autor Desconhecido

Relata a Sra. Teresa, que no seu primeiro dia de aula parou em frente aos seus alunos da 5ª série primária e, como todos os demais professores, lhes disse que gostava de todos por igual. No entanto, ela sabia que isto era quase impossível, já que na primeira fila estava sentado um pequeno garoto chamado Ricardo.

A professora havia observado que ele não se dava bem com os colegas de classe e muitas vezes suas roupas estavam sujas e cheiravam mal. Houve até momentos em que ela sentia prazer em lhe dar notas vermelhas ao corrigir suas provas e trabalhos.

Ao iniciar o ano letivo, era solicitado a cada professor que lesse com atenção a ficha escolar dos alunos, para tomar conhecimento das anotações. Ela deixou a ficha de Ricardo por último. Mas quando a leu foi grande a sua surpresa.

Ficha do 1º ano: “Ricardo é um menino brilhante e simpático. Seus trabalhos sempre estão em ordem e muito nítidos. Tem bons modos e é muito agradável estar perto dele.”

Ficha do 2º ano: “Ricardo é um aluno excelente e muito querido por seus colegas, mas tem estado preocupado com sua mãe que está com uma doença grave e desenganada pelos médicos. A vida em seu lar deve estar sendo muito difícil.”

Ficha do 3º ano: “A morte de sua mãe foi um golpe muito duro para Ricardo. Ele procura fazer o melhor, mas seu pai não tem nenhum interesse e logo sua vida será prejudicada se ninguém tomar providências para ajuda-lo.”

Ficha do 4º ano: “Ricardo anda muito distraído e não mostra interesse algum pelos estudos. Tem poucos amigos e muitas vezes dorme na sala de aula.”

Deu-se conta do problema e ficou terrivelmente envergonhada. Piorou quando lembrou dos lindos presentes de Natal que os alunos lhe haviam dado, com papéis coloridos, exceto o de Ricardo, que estava enrolado num papel de supermercado.

Lembrou que abriu o pacote com tristeza, enquanto os outros garotos riam ao ver uma pulseira faltando algumas pedras e um vidro de perfume pela metade.

Apesar das piadas, ela disse que o presente era precioso e pôs a pulseira no braço e um pouco de perfume sobre a mão. Naquela ocasião Ricardo ficou um pouco mais de tempo na escola do que o de costume. Relembra, ainda, que ele lhe disse que ela estava cheirosa como sua mãe.

Naquele dia, depois que todos se foram, a professora chorou por longo tempo… Em seguida, decidiu mudar sua maneira de ensinar e passou a dar mais atenção aos seus alunos, especialmente a Ricardo.

Com o passar do tempo, ela notou que o garoto só melhorava. E quanto mais ela lhe dava carinho e atenção, mais ele se animava. Ao finalizar o ano letivo, Ricardo saiu como o melhor da classe.

Seis anos depois, recebeu uma carta de Ricardo contando que havia concluído o Segundo Grau e que ela continuava sendo a melhor professora que tivera.

As notícias se repetiram até que um dia ela recebeu uma carta assinada pelo Dr. Ricardo Stoddard, seu antigo aluno, mais conhecido como Ricardo. Mas a história não terminou aqui.

Tempos depois recebeu o convite de casamento e a notificação do falecimento do pai de Ricardo. Ela aceitou o convite e, no dia do casamento, estava usando a pulseira que ganhou de Ricardo anos antes e também o perfume.

Quando os dois se encontraram, abraçaram-se por longo tempo e Ricardo lhe disse ao ouvido: “Obrigado por acreditar em mim e me fazer sentir importante, demonstrando-me que posso fazer a diferença.”

E com os olhos banhados em lágrimas sussurrou: “Engano seu! Depois que lhe conheci aprendi a leccionar e a ouvir os apelos silenciosos que ecoam na alma do educando. Mais do que avaliar as provas e dar notas, o importante é ensinar com amor mostrando que sempre é possível fazer a diferença…”

Rede Municipal de Ensino: Primeiro dia letivo de 2010


Imagem capturada na Internet (Google)


Hoje teve início o ano letivo na rede municipal de ensino do Rio de Janeiro. Eu já sabia que a maioria das turmas que eu peguei neste ano são de alunos novos, com exceção de duas turmas (1901 e 1903) e de alguns alunos, que acabam trocando de turmas.

E, justamente, hoje, eu tive horário com estas duas turmas que vêm me acompanhando desde a antiga 5ª série (atual 6° ano).

Conversei acerca dos resultados do final do ano (2009) sob o impacto da extinção da chamada "Promoção Automática". Alguns alunos retidos no 9° ano, também, estão nestas duas turmas e, por coincidência, eu tmabém fui professora deles nos anos anteriores (com execção de 3 alunos novos).

Achei super legal que dois alunos pediram para conversar comigo no final da aula e um deles acabou confessando que se havia se arrependido de ter levado os estudos na brincadeira.

Que ele percebeu, no período das férias, o quanto ele foi prejudicado por culpa de sua atitude e postura mediante ao processo educativo. Inclusive, em termos relações humanas, ele demonstrou maior maturidade e determinação em sua meta.

Fiquei muito feliz em ouvi-lo. Sinto apenas que, muitas das vezes, nós professores alertamos os alunos, a fim de ajudá-lo, mas estes não compreendem as nossas intenções.

A sorte é que muitos aprendem por si mesmo, tal como estes dois alunos. Mas, em compensação, outros não apresentam maturidade suficiente para discernir que o futuro está nas mãos dele mesmo e de mais ninguém!

Espero que este ano, eu consiga superar as minhas falhas e erros cometidos em 2009.

O exercício docente e a responsabilidade são grandes... Temos muito a trabalhar... Copa do Mundo, Continente Africano, Eleições, Aquecimento Global, entre outros tantos temas atuais.

Para iniciar, gostaria que os alunos lessem (ou relessem) alguns o textos, com os quais trabalhamos no ano passado e que iremos discuti-los novamente. Prestem atenção apenas nas mensagens, pois nas referidas postagens há comentários antes. São eles:

. Existe uma coisa difícil de ser ensinada

. Bom Aluno

. Professor Hoje


Para os responsáveis, eu indicaria - neste primeiro momento - o texto abaixo:

. Girassóis e Miosótis


Uma outra coisa que me chamou a atenção, no ano passado, foi saber que dois alunos (meninos) perderam suas respectivas mães por doenças, sendo que um deles - por pouco - não "perdeu" a cabeça e o sentido de sua vida. O outro, apesar da dor e saudade, continuou estudando e foi promovido.

Nestas situações, o papel da família é muito importante! Fiquei feliz em ver que o aluno que ficou reprovado (diante do abandono dos estudos) retornou e se mostrou disposto a mudar, investindo em seu processo educativo. Com certeza, sua mãe está feliz por sua decisão. Daí, resolvi postar uma mensagem do próximo post...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Cidade do Rio de Janeiro: 41,8º C



Praia de Ipanema lotada (16/02/2010) - Foto de Mônica Imbuzeiro - Agência O Globo

Mais uma vez, a temperatura no Rio ultrapassou os 40º C. Os termômetros registraram 41,8º C, na Praça Mauá, no Centro da cidade.
 
Quanto à sensação térmica, esta foi de 50º C, segundo a meteorologista Marlene Leal (Globo.com).
 
De acordo com o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), pode-se dizer que, até o momento, hoje foi o dia mais quente do ano ( se não vierem outros com temperaturas acima desta marca).
 
A maior temperatura já registrada em nosso município data de janeiro de 1984, quando os termômetros registraram 43,1º C. Ufa, só em pensar, sinto mais calor!
 
Como mencionei em outra postagem, para o nosso alívio ou não (dependendo das condições atmosféricas), a previsão é de formação de uma frente fria amanhã, com chuvas isoladas ao anoitecer. É esperar para ver!
 
Fonte: Globo.com

Campanha de Solidariedade: Everybody Hurts


Imagem capturada na Internet (Google)




Outro clipe foi lançado na intenção de arrecadar fundos para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti, reunindo 21 estrelas da música.

Pelo que eu pude observar, talvez até esteja errada, Miley Cyrus foi a única artista que teve participação também na regravação do We are the World – 25 For Haiti, produzido por Lionel Richie e Quincy Jones.

O vídeoclipe foi produzido pelo magnata da indústria da música, Simon Cowell, jurado de programas de calouros como American Idol, X-Factor e Britain's Got Talent.

Simon Cowell - Imagem capturada na Internet (Google)


De acordo com o que foi noticiado, a mais nova empreitada de Simon Cowell foi para atender pedidos do Primeiro-Ministro britânico, Gordon Brown, e do tabloide "The Sun".

A música escolhida foi do grupo americano REM, “Everybody Hurts” (Bill Berry, Peter Buck, Mike Mills e Michael Stipe).

A escolha da canção foi acertada, pois a sua melodia é muito bonita. Um outro fato que me chamou bastante atenção, diferentemente das imagens da regravação do We are the World – 25 For Haiti, foram as cenas de resgate dos sobreviventes do terremoto, as expressões e choros (gritos) de dor dos feridos, os olhares assustados, perplexos diante da tragédia ...

Apesar de serem fortes, elas retrataram bem a situação vivida pelos haitianos naquele fatídico dia 12 de janeiro de 2010.

O referido clipe é aberto pela cantora britânica Leona Lewis, que inclusive foi vencedora de um dos concursos promovidos por Simon Cowell.

O único nome de maior peso, principalmente, para a minha faixa de idade é de Rod Stewart, mas participaram também Susan Boyle, Miley Cyrus, Take That, Mika, Cheryl Cole e James Blunt, entre outros.

Como sempre a proposta sofreu críticas em razão da escolha dos artistas, mas na minha opinião, toda e qualquer iniciativa com o objetivo de ajudar, compartilhar e doar é válida.

No caminho da caridade não existe vaidade; não existe disputa, concorrência e, muito menos, arrogância. É a humildade, o amor e a compaixão que devem mover estas ações.

Ficar discutindo se a escolha do cantor foi certa ou errada, não é a preocupação principal. Esta, sim, deve permear se as pessoas vão abraçar a ideia e contribuir com a campanha e o povo haitiano. É isso que devemos nos preocupar.

Segundo os organizadores deste clipe, metade da renda arrecadada irá para o fundo Helping Haiti, do tabloide britânico The Sun e o restante será doado ao Disasters Emergency Committee.

A referida música pode ser encomendada - via Internet - através dos sites hmv.com, play.com e amazon.co.uk.

Vejamos a letra e tradução da música em questão...



EVERYBODY HURTS
R.E.M.
Composição: Bill Berry / Peter Buck / Mike Mills / Michael Stipe



When your day is long
And the night the night is yours alone
When you're sure you've had enough of this life
Hang on


Don't let yourself go
'Cause everybody cries
And everybody hurts, sometimes


Sometimes everything is wrong
Now it's time to sing along
When your day is night alone (Hold on, hold on)
If you feel like letting go (Hold on)
If you think you've had too much of this life
To hang on


'Cause everybody hurts
Take comfort in your friends
Everybody hurts
Don't throw your hand, oh no
Don't throw your hand
If you feel like you're alone
No, no, no, you're not alone


If you're on your own in this life
The days and nights are long
When you think you've had too much of this life
To hang on


Well, everybody hurts
Sometimes, everybody cries
And everybody hurts, sometimes
But everybody hurts, sometimes
So hold on


(7x)
Hold on
Everybody hurts
You're not alone





Tradução


TODO MUNDO SE MACHUCA


Quando seu dia é longo
E a noite
A noite é solitariamente sua
Quando você está certo de que já teve o suficiente dessa vida
Bem, se liga


Não se deixe ir
Porque todos choram
E todo mundo se machuca
Às vezes


Às vezes algo está errado
Agora é hora de cantar
(Quando seu dia é uma noite solitária)
Aguenta firme, aguenta firme
(Se você se sentir indo)
Aguenta firme
Se você pensa que já teve demais dessa vida
Bem, se liga


Porque todo mundo machuca
Tenha conforto em seus amigos
Todo mundo se machuca


Não solte sua mão
Oh, não
Não solte sua mão
Quando você se sentir como se estivesse sozinho
Não, não, não, você não está sozinho


Se você está na sua mente
Nesta vida
Os dias e as noites são longos
Quando você pensa que já teve demais
Desta vida
Pra se ligar


Bem todo mundo machuca
Às vezes todo mundo chora
E todo mundo se machuca
Às vezes


E todo mundo se machuca
Às vezes


Entao aguente firme, aguente firme
Aguente firme, aguente firme
Aguente firme, aguente firme
Aguente firme, aguente firme
(Todo mundo machuca)
(Você não está sozinho)




Assistam, também, no YouTube, o clipe da música Everybody Hurts ou aqui, neste espaço...






Fontes: Globo.com; BBC Brasil e You Tube.


Rio 40 graus: ala-lá-ô, mais que calor!


Imagem capturada na Internet (Foto: Severino Silva_Jornal O Dia)


Para quem vive na cidade do Rio de Janeiro ou até mesmo quem não mora, mas vem acompanhando os noticiários, tem certa noção das altas temperaturas que vêm sendo registradas neste verão no município.
 
Eu sofro diretamente, pois tenho alergia ao suor e, no meu caso, o a estação do verão representa um “sofrimento” só. Apesar de “carioca da clara” (só o meu pai é carioca/minha mãe é paulista), eu – na verdade - adoro o inverno! Se é que podemos dizer que o Rio de Janeiro tem inverno, com temperaturas baixas...

A onda de calor que assola a cidade tira até o ânimo de sair de casa. Mexeu com o mercado, pois as vendas de ar condicionado, ventiladores, protetor solar, sorvetes, refrigerantes, água e frutas aumentaram significativamente. As de ar condicionado foram surpreendentes, pois tanto nas lojas quanto na Internet, já é produto escasso.

Minha mãe, que nunca gostou de ar condicionado, teve que se adaptar, pois ela pode agravar o seu quadro face as altas temperaturas.

O calor também tem mudado os hábitos de muitas pessoas. Outro dia no telejornal mostrou muitos banhistas, à noite, bem mais tarde, nas praias da Zona Sul.

Esta primeira quinzena de fevereiro já o colocou como o mês mais quente dos últimos 100 anos das das medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).
 
O calor está tão forte, que na quarta feira passada (10 de fevereiro), o Rio de Janeiro subiu à categoria de segunda cidade mais quentes do mundo, perdendo apenas para Ada, em Gana, na África.
 
De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a segunda maior sensação térmica do mundo foi registrada em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, às 13h (43,9 graus).
 
No dia seguinte, a temperatura registrada foi de 40,1ºC, enquanto a sensação térmica ultrapassou os 50ºC. Ninguém aguenta! E o pior é que não chove há muitos dias, pois há uma massa de ar quente estacionada na região Sudeste. Nem para amenizar um pouco cai umas gotinhas d’água do céu (não quero temporal!).

Sensação térmica é a temperatura aparente, ou seja, aquela que o nosso corpo sente. Ela está relacionada com a umidade do ar, que nada mais é que a quantidade de vapor de água contido na atmosfera.

Isso é fácil de perceber pelo desconforto que nos causa. Se a umidade do ar foi baixa, ao transpirar, o seu corpo ficará suado, mas o suor secará logo (evapora).

Em contrapartida, se a umidade relativa do ar estiver alta, do mesmo jeito, seu corpo ficará suado, mas o suor vai levar mais tempo para secar. Daí, o desconforto geral.

Com a baixa umidade do ar, a formação de nuvens é reduzida e, sem nuvens não há chances de chuvas. Daí, a insolação – número de horas de Sol - aumenta.
 
Como o calor não dá trégua, eu mesma não estou tendo coragem para sair na rua. Por mais que pensemos na economia de energia e de água está sendo difícil encarar os dias sem ligar ar condicionado ou ventiladores (dependendo do cômodo da casa tem que ser dois) e tomar só dois banhos, no mínimo.

A previsão é de chegada de formação de uma frente fria, hoje - à tarde – no litoral paulista. No Rio de Janeiro, ela deverá chegar na 4ª feira de Cinzas.
 
A razão destes dias com altas temperaturas, fora do normal, principalmente no Rio de Janeiro, litoral de São Paulo (já morreram 32 idosos em santos em consequências do forte calor) e outras áreas da região Sudeste é justificada – de acordo com o Climatempo – pelo posicionamento e intensidade do Anticiclone Subtropical do Atlântico Sul.
 
O referido anticiclone é um dos grandes sistemas de Alta Pressão atmosférica semipermanentes no planeta, que oscila entre o Brasil e África. Seu movimento e intensidade determinam muitas características e mudanças meteorológicas sobre o Brasil.
 
O que está acontecendo é que, neste verão, o sistema de Alta Pressão está mais forte do que o normal e sua região central tem ficado mais próximo da costa litorânea do Sudeste.

Imagem capturada na Internet (Climatempo)

Isso se deve a uma das alterações causadas pelo fenômeno El Nino, que é o aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico entre a Austrália e a costa do Peru.
 
Além de estarmos no verão (altas temperaturas), a presença do sistema de Alta Pressão traz o ar seco dos altos níveis da atmosfera para perto do solo. A baixa umidade dificulta a formação de nuvens e a ocorrência de chuvas. O número de horas de Sol forte aumenta, aquecendo mais ainda o ar (insolação).
 
Por conta da posição do anticiclone suptropical do Atlântico Sul, os ventos quentes do Quadrante Norte estão mais persistentes no Rio de Janeiro e no litoral de São Paulo.
 
Os efeitos das chamadas “ilha de calor” também devem ser considerados para explicar o calor excessivo.

As massas polares e a as frentes frias não estão conseguindo chegar com mais força e frequência ao litoral do Sudeste, por conta do bloqueio atmosférico causado pelo anticiclone subtropical do Atlântico.
Fontes de Consulta
 
. Climatempo;
 
. Jornal O Globo (impresso).

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Campanha de Solidariedade ao Haiti: We are the World - 25 For Haiti

Imagem capturada na Internet (Google)




Apesar de muitas críticas, como a participação de alguns astros convidados, da própria regravação de um clássico, entre outras, no dia 12 de fevereiro, durante a celebração da Abertura das Olimpíadas de Inverno em Vancourver, no Canadá, foi apresentada a regravação do clássico “We are the World”, numa versão resumida de três minutos.

A versão original da referida música, gravada há 25 anos (1985), foi composta por Michael Jackson e Lionel Richie, tendo a participação de 45 artistas estadunidenses de grande projeção mundial, tais como Ray Charles, Bruce Springsteen, Diana Ross, Stevie Wonder, Tina Turner, Cyndi Lauper, Bob Dylan e outros, além dos próprios compositores acima citados.

Na época, o seu principal objetivo era arrecadar fundos para o combate à fome na África, especialmente na Etiópia.

A maior parte da arrecadação (gravações, videoclipe e merchandising), avaliada em 55 milhões de dólares, foi destinada à “USA for Africa Foundation”.

O ato de solidariedade, no entanto, foi alvo de ataque de alguns críticos, que alegaram que o dinheiro arrecadado foi entregue aos governos dos países, muitos dos quais sob regime militar, ao invés de destinar à população local.

Desta vez, o remake, intitulado We are the World – 25 for Haiti, além de marcar as comemorações dos 25 anos da primeira gravação, está voltada para uma causa justa, humanitária, isto é, arrecadar fundos para as vítimas do terremoto no Haiti, que arrasou com a capital do país (Porto Príncipe), no dia 12 de janeiro do ano em curso, matando cerca de 233 mil pessoas.

A convite do cantor Lionel Richie e do produtor Quincy Jones, a canção We are the World – 25 for Haiti teve a participação de mais de 70 vozes de artistas de diferentes gêneros musicais.
E, mesmo sem a presença do inesquecível e um dos compositores do sucesso original, Michael Jackson, morto em junho de 2009, o novo clipe apresenta imagens do mesmo, reeditadas da versão original.

A exceção desta inovação tecnológica, que destaca a presença irreal de Michael jackson, nenhum artista da primeira versão da música participou deste segundo clipe. Nem mesmo Lionel Richie participou, cantando com os demais artistas.

O novo clipe contou com a participação de cantores renomados como Barbra Streisand e Tony Bennett, que se uniram a Celine Dion, Fergie, Snoop Dogg, Jamie Foxx, LL Cool J, Miley Cyrus, Jonas Brothers, Kanye West, Justin Bieber e Lil Wayne, entre outros, em prol do Haiti pós-terremoto.

Tanto a primeira quanto esta segunda versão foram produzidas por Quincy Jones e gravadas no A&M Studios, em Hollywood, Califórnia (EUA).

O remake já sofreu diversas críticas negativas, muitas das quais em concordância com a minha opinião. Estas perpassam em diferentes aspectos, como por exemplo, a participação e ausência de determinados artistas; as imagens de crianças “felizes” sobre escombros em um país arrasado pelo terremoto; a mudança do ritmo para o rap e a própria regravação de um clássico de grande sucesso.

Eu não sou contra o remake, pois acaba sendo intencional o seu objetivo, igualmente, de caráter humanitário; a ausência de certos artistas também me frustou, mas não posso ser contra a presença de nomes novos da área musical, inclusive, aqueles de preferência do público jovem.

Porém tenho que concordar quanto às imagens, pois acredito que os efeitos seriam mais impactantes se estas mostrassem a situação vigente no país e, não, embalada por um toque musical, como também, a introdução de uma versão de rap no meio do clipe.

Não sou contra o rap, mas a mudança fez com que a segunda versão perdesse em muito na qualidade, principalmente, face a autencidade com o clássico.

Críticas à parte, o remake da música We are the World – depois de 25 anos – propõe mobilizar a todos – numa corrente de solidariedade – ao país mais pobre do continente americano, arrasado mais ainda após um evento sísmico de grande magnitude.

Seu objetivo é nobre e todo o dinheiro arrecadado será encaminhado a uma fundação de ajuda às vítimas no Haiti.

Vejamos a letra e tradução da música em questão...




WE ARE THE WORLD

There comes a time, when we hear a certain call

When the world must come together as one

There are people dying

And it's time to lend a hand to life

The greatest gift of all


We can't go on pretending day by day

That someone, somewhere will soon make change

We are all a part of God's great big family

And the truth you know

Love is all we need


chorus:


We are the world, we are the children

We are the ones who make a brighter day

So let's start giving

There's a choice we're making

We're saving our own lives

It's true we'll make a better day, just you and me

Send them your heart so they know that someone cares

And their lives will be stronger and free

As God has shown us by turning stones to bread

And so we all must lend a helping hand


-chorus repeat


When you're down and out, there seems no hope at all

But if you just believe there's no way we can fall

Let us realize that a change can only come

When we stand together as one


Chorus repeat x5



Tradução


NÓS SOMOS O MUNDO


Chega um momento, quando ouvimos uma certa chamada
Quando o mundo tem que vir junto como um só
Há pessoas morrendo
E está na hora de dar uma mão a vida
O maior presente de todos

Nós não podemos continuar fingindo todos os dias
Que alguém, em algum lugar irá mudar
Todos nós somos parte da grande família de Deus
E a verdade
Você sabe que o amor é tudo que nós precisamos

Refrão:
Nós somos o mundo, nós somos as crianças
Nós que fazemos um dia mais brilhante
Assim comecemos nos dedicando
Há uma escolha que nós estamos fazendo
Nós estamos salvando nossas próprias vidas
É verdade que nós faremos um dia melhor, só você e eu

Lhes envie seu coração assim eles saberão que alguém se preocupa
E as vidas deles serão mais fortes e independentes
Como Deus nos mostrou transformando pedras em pão
E por isso todos nós temos que dar uma mão amiga

refrão

Quando você está acabado, e não aparece nenhuma esperança
Mas se você acredita que não há nenhum modo que nos faça cair
Nos deixa perceber que uma mudança só pode vir
Quando nós nos levantamos junto como um só

Refrão (cinco vezes)

Assistam, também, no YouTube, o clipe da nova versão (We are the World - 25 For Haiti) ou aqui, neste espaço...


domingo, 14 de fevereiro de 2010

Haiti: Um mês agonizando sob os escombros e uma situação caótica



Imagem capturada na Internet (Google)



Com os problemas de saúde de minha mãe, as idas a UTI e ao quarto, inclusive, dormindo e ficando em outros horários com ela (revezamento com as minhas irmãs e sobrinha Fernanda), muitos tópicos deixei de postar, apesar de estar acompanhando, parcialmente, as mídias.

Um deles foi a situação, ainda caótica, do Haiti após mais de um mês do grande terremoto, ocorrido no dia 12 de janeiro, que matou 230 mil pessoas, segundo dados do governo.

Triste é saber que este número ainda não é o real, uma vez que o total de mortos ainda pode aumentar, tendo em vista que muitos corpos ainda não foram muitos contabilizados.

No número total de mortos divulgado pelo Governo do Haiti não consta os corpos enterrados por funerárias privadas em cemitérios privados e nem as vítimas enterradas pelas suas respectivas famílias.

De acordo com o Relatório do Centro de Pesquisas sobre Epidemiologia de Desastres, encomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o número de mortos por consequência do terremoto no Haiti supera o total de óbitos causados pelo tsunami de dezembro de 2004, que matou cerca de 220 mil pessoas no sudeste asiático. Outra tragédia difícil de ser esquecida e marcada pela dinâmica interna da Terra.

A situação no Haiti continua caótica, muitos desabrigados, falta de alimentos, registros de violência (por diversos motivos), temor por epidemias, pela chegada do período das chuvas, prédios sob riscos de desabamento, entre outros.

Estima-se que cerca de 500 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe, capital do país, após o terremoto.

E, se já não bastassem os problemas sócio-econômicos do país, considerado o mais pobre de todo o continente americano, e de toda a situação caótica vigente, pós-terremoto, um outro caso chamou a atenção das mídias: a tentativa de sequestro de 33 crianças haitianas por um grupo de religiosos.

O grupo formado 10 americanos (cinco homens e cinco mulheres), ligado à Organização Beneficente New Life Children’s Refuge, Entidade religiosa do Estado de Idaho (EUA), foi preso próximo à fronteira do Haiti com a República Dominicana sob a acusação de tráfico infantil.

Alegando inocência e justificando o ato em si, como solidariedade, o grupo afirmou que as crianças eram órfãs (os pais teriam morrido no terremoto) e estavam sendo encaminhadas para um orfanato na República Dominicana.

O fato é preocupante, visto que a situação pós-terremoto facilita tais ações e, também, porque o tráfico infantil já era uma prática no país, antes do último terremoto.

Daí, as medidas baixadas e maior controle por parte do governo a respeito da adoção de crianças, após o grande abalo sísmico. Todas adoções solicitadas e precisam ser aprovados pelo governo.

As autoridades locais, como representantes da ONU acreditam que a reconstrução do Haiti vai durar uma década. Sabemos que as ajudas humanitárias não param de chegar de diversas partes do mundo, embora ainda se mostrem insuficientes.

O G-7, Grupo dos 7 países mais ricos do mundo, formado pelos EUA, Canadá, Japão, Alemanha, Reino Unido, França e Itália já cogitou perdoar a dívida do Haiti, a fim de contribuir com a recuperação do país.

Esperamos que sim! Mas, não podemos esquecer que a localização geográfica da ilha Hispaniola, que abrange o Haiti e a República Dominicana, induz a uma situação de grande instabilidade tectônica, ou seja, ela não está livre de novos terremotos.



Fonte: BBC Brasil

Mensagem: 12 Conselhos para Evitar um Infarto




Imagem capturada na Internet


12 Conselhos para Evitar um Infarto


Quer evitar um Infarto? Então leia e pratique estes conselhos!

1. Não deixe de lado suas necessidades pessoais e as de sua família por trabalhar exageradamente. O afeto na família, convivência social para distrair, aliviam a sobrecarga sobre a circulação e o coração.

2. Tenha momentos de lazer descansando um dia por semana, conforme Deus indica em Sua Lei, os Dez Mandamentos, sobre o descanso no Sábado. Trabalho excessivo sem um desacanso semanal esgota o físico e a mente.

3. Vá para sua casa após o trabalho sem levar as preocupações do mesmo. Curta sua família.

4. Aprenda a dizer "não" para os pedidos que lhe chegam. Colocar limites é fundamental para não sobrecarregar-se e, assim, sobrecarregar seu físico.

5. Faça uma seleção criteriosa de que atividades participará ao invés de assumir ser membro de todas as comissões, dirigir todas as reuniões, atender todos os congressos, etc.

6. Levante cedo, faça uma caminhada ao ar livre perto da Natureza, tome um bom desjejum com sua família. Evite comer entre as refeições e tome um bom almoço com calma, e à noite só um lanche leve e duas horas antes de deitar. Nos intervalos das refeições só água pura.

7. Pratique exercícios físicos de preferência ao ar livre. Caminhadas diárias de 30 minutos junto à Natureza, ou pelo menos uma hora e três vezes por semana são suficientes. Você pode ter algum esporte como hobby, como pescar, passear de bicileta, nadar, mas evite esportes competitivos.

8. Suas férias anuais devem ser sagradas e de preferência por trinta dias. Não venda suas férias, e evite dividi-la pois não produzirá o descanso físico e mental suficiente para o retorno ao trabalho com energia.

9. Aprenda a pedir ajuda. Passe para outras pessoas o que elas podem fazer ou podem aprender a fazer. Não centralize tudo em suas mãos.

10. Se seu corpo mostrar sintomas de estresse, como dor física, má digestão, dor de cabeça, cansaço físico e mental, reavalie sua carga de trabalho e diminua um pouco, veja se não tem sobre seus ombros tarefas demais e delegue, corrija erros alimentares, pratique exercícios físicos, e evite lançar mão de remédios sintéticos imediatamente, deixando-os para emergências.

11. Procure dormir mais cedo. Em torno de 10 da noite é ideal. No quarto de dormir tenha silêncio, ventilação, sem televisão. Se tiver dificuldade para dormir (insônia) evite jantar tarde e pesado, elimine cafeína, tome banho morno perto da hora de dormir, faça uma caminhada se possível ao retornar do trabalho.

12. Tenha momentos de oração, meditação nas coisas espirituais, leia a Bíblia meditando no que ela está dizendo naquele texto e que se aplica à sua vida. Faça disto um hábito diário. A ciência já provou que as pessoas que fazem isto têm melhores resultados de recuperação da saúde e previnem doenças.

Extraído do Portal Natural

Como ocorre o infarto do miocárdio ou ataque do coração



Imagem capturada na Internet (Google)


Como ocorre o Infarto

Como vimos o papel do coração é enviar sangue rico em oxigênio para todo o organismo humano e, neste mecanismo de distribuição, a importância recai nas artérias coronárias direita e esquerda.
 
Quando uma artéria coronária apresenta, por exemplo, um acúmulo de gordura ou um coágulo, com obstrução parcial ou total, o suprimento de sangue e de oxigênio acaba sendo prejudicado, reduzindo ou interrompendo - de vez - a função e a capacidade do coração de bombear o sangue (insuficiência cardíaca).
 
A região afetada, nestas condições, sofre lesões irreversíveis em função da destruição (morte) das células do músculo cardíaco, ou seja, do miocárdio. Este processo de destruição das células é chamado de necrose e é a partir destas lesões (necroses) que se caracteriza o infarto.
 
A grande responsável pela obstrução das artérias coronárias é o excesso de gordura (colesterol ruim e triglicérides) no sangue, que respondem pela maior parte das "placas de ateromas" (camadas de gordura depositadas nas paredes arteriais).
 
Quando bloqueio cardíaco é total, caso bastante grave, torna-se necessário a implantação de um marcapasso artificial, a fim de provocar a contração regular do músculo cardíaco (miocárdio).
 
Outra alternativa é implantar pontes de veia safena ou mamária, que serve como via alternativa de passagem para o sangue, que vai irrigar o músculo cardíaco, ou ainda, a angioplastia, através da qual a placa de ateroma é esmagada por um balão de borracha introduzido através de uma artéria.

Embora, os sintomas possam variar e/ou até ser desapercebidos a ponto de não serem relacionados à insuficiência cardíaca, o maior sintoma de um infarto é a dor. Em geral, a sensação é de um "aperto" no peito, na altura do coração, podendo ou não irradiar para os ombros e braços (geralmente o esquerdo), costas etc.
 
Quando intensa, ela pode provocar suores frios, náuseas, vômitos e vertigens. Ela também costuma provocar projeção do estômago no abdômen.
 
No caso da minha mãe, não houve obstrução, mas pequenas lesões espalhadas, que não indicavam a necessidade de operação (inclusive na sua idade não seria aconselhável), sendo recomendado tratamento através de medicamentos. E, graças a Deus, ela conseguiu superar com o segundo medicamento ( o primeiro foi rejeitado pelo organismo) e, depois, ela saiu da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e foi para o quarto.
 
Agora, ela já está em casa, mas a preocupação continua e os cuidados também. Afinal, como o próprio médico havia falado é melhor se prevenir, evitando os riscos de desencadear um infarto, do que ter que se adaptar a uma nova vida pós-infarto...
 
 
Fatores de risco
 
Diversos fatores podem desencadear, conjuntamente e simultaneamente, o infarto do miocárdio. O médico cardiologista, Edson Stefanini, ressalta os principais, a saber:
 
. Hereditariedade: a atenção recai se houver parentes próximos que já sofreram infarto, angina ou foram operados do coração antes dos 60 anos de idade;
 
. Pressão Arterial: é importante o seu controle, mantendo-a em níveis adequados épara prevenir doenças do coração;
 
. Diabetes: o controle da glicemia (nível de açúcar no sangue) é imprescindível, pois eles sofrem infartos subclínicos, isto é, que não provocam o sintoma convencional de dor no peito. Os sintomas podem ser outros, como mal-estar, sudorese, náuseas e até vômitos, em geral, atribuídos a algum problema de menor importância;
 
. Colesterol: o controle do metabolismo das gorduras tem de ser sistemático e permanente;
 
. Triglicérides: em geral, os triglicérides sobem quando há aumento da ingestão de carboidratos;
 
. Tabagismo: a nicotina é um dos mais agressivos fatores de risco do infarto e outras doenças do coração (além do câncer no pulmão);
 
. Estresse: o estresse é outro fator de risco e este aumenta a probabilidade de infarto, quando associado a outros fatores de risco.

Além destes, podemos incluir a obesidade e o sedentarismo (falta de exercícios).

Por isso é bom tomarmos ciência dos fatores de risco, em qualquer faixa de idade, a fim de evitar hábitos nocivos à saúde e desencadeadores para um quadro de infarto. Sem dúvida nenhuma esta é a melhor maneira de se evitar o infarto!


Fontes de Consulta: as mesmas da postagem anterior.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

O Funcionamento de uma Bomba chamada Coração



Imagem capturada na Internet (Google)



Para entendermos como se dá o infarto e, daí o meu objetivo em postar esta matéria, é preciso conhecer um pouco acerca do coração, do seu mecanismo de funcionamento.

Vale ressaltar, no entanto, que não pretendo oferecer – aqui - um aprofundamento do tema, uma vez que este não é objetivo principal. No final da postagem, indico alguns endereços para uma maior complementação da leitura e pesquisa sobre o assunto em questão.

Diariamente, as mídias divulgam inúmeros artigos, pesquisas, dados estatísticos e reportagens sobre ataque cardíaco e os riscos de ser acometido por um, além dos problemas da hipertensão, do nível elevado de colesterol, entre outros, ligados à saúde do coração.

Daí, mesmo sendo um assunto associado à área de Ciências/Saúde, o tópico além de constar na Categoria de Informativo, ele pode ser tratado, indiretamente, no campo da geografia, uma vez que alguns fatores de risco se encontram relacionados a certos hábitos nocivos da sociedade, cuja incidência recai nos países desenvolvidos e nos grandes centros urbanos, sobretudo, na região Sudeste do Brasil.

Além disso, verificou-se algumas mudanças no perfil e no número de infartados na sociedade. Antigamente, as doenças cardíacas estavam mais relacionadas ao público masculino, mas com o passar das décadas, a inserção da mulher no mercado de trabalho e um maior posicionamento desta no meio social, o número de infartos em mulheres apresentou um ritmo ascendente, principalmente, associado ao estresse emocional, à hipertensão, a uma alimentação rica em gorduras, ao aumento da obesidade, do tabagismo, de fatores hormonais com o avanço da idade etc.

Além destes fatores, o uso de pílulas anticoncepcionais também passou a representar outro fator de risco, uma vez que mexe com todo o sistema circulatório.

Como o coração funciona?

Para melhor entender, vamos imaginar o coração como uma bomba hidráulica... ao invés de circular água, o líquido que é transportado é o sangue.

O coração é um órgão musculoso, vital para o ser humano, sendo responsável pelo percurso do sangue em todo o nosso organismo através de vasos sanguíneos (artérias, veias e capilares) e a função do sangue é transportar o oxigênio, nutrientes e outras substâncias que se encontram dissolvidas na água que o compõem, além das células sanguíneas (glóbulos vermelhos e brancos).

Os vasos sanguíneos e o coração formam o aparelho circulatório.

Sob a forma de um “cone”, o coração se localiza entre os pulmões e atrás do esterno, isto é, o osso do peito, situado na parte anterior do tórax, servindo para a sustentação das costelas e da clavícula, formando a caixa torácica (vide figura abaixo).

Imagem capturada na Internet (Wikipedia)



Tomando por base a linha mediana do nosso corpo, 2/3 do coração fica ao lado esquerdo do nosso peito, enquanto 1/3 se localiza à direita. Esta divisão do coração em duas porções, direita e esquerda, vai responder pelo mecanismo da circulação sanguínea.

O ápice do coração, ou seja, a sua ponta final se encontra apontada para baixo e para o lado esquerdo.





Imagem capturada na Internet (HowStuffWorks)



O tamanho do coração de um homem é aproximado ao de um punho. Ele apresenta 12 cm de comprimento, 8 a 9 cm de largura e 6 cm da frente para trás. O seu peso médio do é de 250 g para as mulheres e de 300 g para os homens.

Ele possui três camadas: o endocárdio (membrana que reveste a superfície interna das cavidades do coração); o pericárdio (membrana que reveste externamente o coração) e o miocárdio (camada muscular responsável pelo movimento do coração, situada entre o pericárdio e o endocárdio).

O coração apresenta quatro cavidades, sendo duas superiores e duas inferiores. As cavidades superiores são chamadas de átrios ou aurículas (direito e esquerdo) e duas inferiores são denominadas de ventrículos (também direito e esquerdo), ou seja, cada uma das porções apresenta duas cavidades, uma superior (aurícula ou átrio) e uma inferior (ventrículo).

A circulação do sangue nestas quatro cavidades é controlada por válvulas, que também servem de meio de comunicação entre as aurículas (ou átrios) e os ventrículos.

No átrio direito chegam as veias Cava Superior e Inferior, no átrio esquerdo, as quatro veias pulmonares. Do ventrículo direito sai a artéria pulmonar e do ventrículo esquerdo sai a artéria aorta, que é a maior e a principal de todas as artérias, pois alimenta de sangue o corpo inteiro.

As artérias do coração são chamadas "artérias coronárias". São duas artérias, a coronária direita e a esquerda.






Imagem capturada na Internet (HowStuffWorks)



Embora represente menos de 0,5% do peso total do corpo humano, o coração é uma verdadeira bomba em funcionamento. Na verdade, alguns se referem a duas bombas, uma vez que as duas “porções” do coração, isto é, os lados direito e o esquerdo, como vamos ver, desempenham funções distintas.


Como órgão central da circulação sanguínea, a movimentação do sangue é assegurada pelo batimento cardíaco, isto é, pelos seus movimentos de contração (sístole) e relaxamento (diástole).

Quando o coração relaxa, ele puxa o sangue, enchendo suas cavidades; quando, ele se contrai, o sangue sai de suas cavidades. Há uma verdadeira sincronia nestes movimentos, enquanto os átrios se enchem, os ventrículos se esvaziam e vice-versa. E este movimento de contração e relaxamento é chamado de deplumarão cardíaca.

No lado direito circula o sangue venoso do coração, que é pobre em oxigênio e é bombeado para os pulmões. Chegando aos pulmões, o dióxido de carbono é liberado e o oxigênio é absorvido.

Cabem à aurícula e o ventrículo direitos desempenhar esta função, ou seja, de “arrastar” o sangue para os pulmões.

Já o lado esquerdo do coração coleta o sangue arterial provindo dos pulmões, que é rico em oxigênio e é enviado para o resto do corpo, a fim de que todas as células recebam oxigênio adequadamente. Neste sistem, cabem à aurícula e o ventrículo esquerdos o trabalho de levar o sangue enriquecido de oxigênio para todas as partes do corpo.

Como pode se observar, a comunicação entre estas cavidades só ocorre em um único sentido, ou seja, de cima para baixo, na mesma porção, seja esta direita ou esquerda. Melhor explicando, o átrio direito se comunica com ventrículo direito, enquanto o átrio esquerdo se comunica com o ventrículo esquerdo.

Isso é fácil de entender, pois o sangue arterial não pode se misturar com sangue venoso, já que no lado esquerdo do coração passa o sangue arterial e no lado direito, o venoso.

Retomando aquela analogia do coração a uma boma hidráulica, os tubos de saída da bomba (coração) seriam as artérias e os tubos de entrada, as veias.






Imagem capturada na Internet (Google)





Fontes de Consulta


. Boa Saúde


. Como Tudo Funciona


. Dr. Drauzio Varella


. Escola Vincentina Técnica de Enfermagem Catarina Labouré


. Instituto de Combate ao Enfarte do Miocárdio


. Portal do Coração


. Terra Gira


. Webciência


. Wikipedia


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Curiosidade: Enfarte, Infarte ou infarto???


Imagem capturada na Internet (Webciencia)


Antes de falar sobre o infarto, propriamente dito, gostaria de elucidar uma dúvida a respeito do uso correto da palavra. Assim como muitas pessoas, eu já ouvi falar de enfarte, infarte e infarto. A dúvida sempre existiu, mas devo admitir que também nunca procurei saber o correto.

Agora, no entanto, com o caso recente da minha mãe, o interesse aumentou e foi até necessário a fim de dar sentido correto a esta matéria.

Apesar dos médicos usarem o termo “infarto”, o tempo todo, pesquisei nos dicionários e na Internet para desfazer as dúvidas ainda existentes.

Ah, já ia me esquecendo... o infarto é também designado – popularmente - como ataque do coração ou ataque cardíaco.

Segundo o Instituto de Combate ao Enfarte do Miocárdio (ICEM), o termo infarto é mais empregado no sul do país, inclusive, com propósitos de sua indexação em artigos de revistas científicas, livros e outros tipos de materiais e pesquisas por parte dos cardiologistas e outros especialistas. Já a expressão enfarte é mais utilizada nas demais regiões brasileiras.

Ainda, de acordo com o referido Instituto, a 11ª edição do Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, editado em 1980 pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), passou a adotar a preferência pelo uso do termo infarto, mesmo concebendo, também, a outra expressão (enfarte).

O famoso Professor Pasquale, também, apresenta uma explicação acerca desta controvérsia entre os termos empregados ao ataque do coração. É possível ouvi-la através do quadro “Com a palavra, o professor Pasquale”, que faz parte de alguns programas da Rádio Globo AM (Clique AQUI).

E assim, como eu pude constatar e até ratificando o termo utilizado pelos médicos da minha mãe, o mais correto mesmo é falar INFARTO.


Informativo: Infarto




Imagem capturada na Internet (Google)


Tal como mencionei, anteriormente, a razão da minha ausência no Blog decorreu do fato da minha mãe ter sofrido um infarto no dia 23 de janeiro passado. Seu estado foi considerado grave, mesmo ela estando lúcida e com enorme vontade de sair da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).


Segunda feira, dia 01 de fevereiro, ela foi para um quarto ao lado da UTI, pois o seu quadro ainda inspirava cuidados.


Tive medo de perdê-la, pois o cansaço e a falta de ar que ela demonstrava nos dava uma sensação horrível. Mas, graças a Deus, às orações e à força dela, dos familiares, amigos e conhecidos, o seu quadro evoluiu positivamente e, no domingo passado, ela teve alta do hospital.


Contudo, no dia seguinte, ela sentiu dor no peito e, novamente, a levamos ao hospital. Depois de cerca de 15 horas em observação e realizando exames, a equipe médica descartou a possibilidade de um novo infarto.


E foi por esta questão, eu não tido “cabeça” suficiente para produzir textos e postar. Mas, pela situação que estamos vivendo e pela fala constante dos diversos médicos que trataram da minha mãe, resolvi pesquisar sobre o infarto e fazer uso deste espaço para compartilhar com todos.

Ainda mais que as palavras de um médico me fez pensar muito a respeito disso e da vida que levamos. Ele falou - mais ou menos - isso.... “É preferível evitar ter um infarto do que esperar a recuperação de um, pois a vida nunca volta a ser igual”.


Traduzindo o que de fato o médico quis dizer é que devemos pensar em prevenção, evitando assim todas as possíveis complicações e procedimentos pós-infarto.


Com certeza, a pessoa poderá levar a sua vida normalmente depois de recuperada, porém esta nunca mais vai ser a mesma.


Por uma questão de sobrevivência, vai ser preciso que ela mude os seus antigos hábitos e adquira outros, mais saudáveis. Além do mais, a atenção sobre qualquer sinal anormal na pessoa que já sofreu um infarto deve ser redobrada, pois, infelizmente, ela apresenta grandes riscos de ser acometida por um novo infarto. Daí ser preferível evitá-lo.


Para mais esclarecimentos, vou postar - por partes - os tópicos acerca do coração e do infarto...