segunda-feira, 29 de março de 2010

Dica de Site: Alimente os peixes e outros animais


Imagem capturada e produzida através do Adobe Photoshop


Navegando na Internet, descobri este aplicativo para Blogs ou site. Achei-o interessante pela animação em si. Minha filha adorou e insistiu para que eu colocasse no Blog.
A justificativa dela é que o Blog é voltado, também, para as questões ambientais e, por isso, eu não poderia deixar de alimentar os peixinhos e, muito menos, privar as pessoas de os alimentar.
Sendo assim e depois de tanta insistência por parte dela, eu acabei disponibilizando o referido aquário no final da página do Blog, na lateral à esquerda.
O site oferece outros gadgets, como o do hamster, que você também o alimenta, além deste beber água e andar na roda. Os pinguins que caminham sob a influência do movimento do mouse. A raia e a aranha (3D), entre outros.
Imagens capturadas no site e processadas no Adobe Photoshop



Hamster


Pinguins

Aranha
Para saber mais e/ou adicioná-los em páginas da web (blogs ou sites), clique AQUI.

domingo, 28 de março de 2010

Mensagem: O Sentido da Vida

Imagem capturada na Internet

O SENTIDO DA VIDA

Luiz Fernando Veríssimo

Ponha a mão no peito
e sinta as batidas do seu coração.
Esse é o relógio da sua vida
tiquitaqueando a contagem regressiva
do tempo que lhe resta.



Um dia ele parará.
Isso é cem por cento garantido
e não há nada que você possa fazer a respeito.
Portanto, não dá para perder um único precioso segundo.

Vá atrás do seu sonho com energia e paixão,
ou então recue e veja-o escorrer pelo ralo.

Se você passar o tempo todo em cima do muro,
acabará não indo a lugar algum
no pouco tempo que lhe resta
(Sem falar, claro, no perigo das farpas em
lugares inconvenientes.)


Como dizem.
"não se salta uma fenda em dois pulinhos".
É preciso coragem e dedicação para viver o seus sonhos.
(Claro, também é preciso lembrar onde acaba a
coragem e começa a estupidez.)


A verdade é que todos nascemos
com potencial para a grandeza,
abençoados com oportunidade
para alcançar novas e estonteantes alturas.

Mas, tristemente, muitos de nós
são preguiçosos demais,
preocupados demais
com o que os outros possam pensar,
com medo demais de mudanças,
para abrir suas asas e
usar todos os seus talentos.


É importantíssimo
fazer o que deixa feliz e da melhor maneira possível.
Não importa que seja fazer bolas de neve,
prender a respiração debaixo d'água, cantar,
ou conseguir efeitos dramáticos com
um secador de cabelos.


Só o que interessa
é que você se sinta bem com o que está fazendo..
Tenha sempre em mente que,
faça o que você fizer,
os enganos são parte da vida e não perca tempo
se castigando por erros do passado.



Não fique ruminando
se está ou não fazendo a coisa certa.
Você sempre saberá a resposta no seu coração.
Em vez de desanimar-se,
lembre-se sempre de que rejeição e resistência
são inevitáveis quando se faz
algo muito importante ou especial.


Quando você se propõe a realizar seus sonhos,
muitos tentarão detê-lo
(incluindo os que mais amam você).

O que não falta neste mundo
são pessimistas lamentáveis,
que desistem dos seus sonhos, para lhe dizer:
"Não perca seu tempo, você nunca conseguirá.


" Você pode muito bem se ver cercado
por pessoas que, secretamente,
querem ver você fazer menos,
ou fracassar por completo,
para não se sentir diminuídas.
"Esqueça isso", dirão. "Não vale a pena."


Por isso é importante compreender
que seguir o seu próprio caminho pode ser
incrivelmente recompensador,
mas não é fácil não.

Como todo mundo
você terá alguns dias melhores que outros.
De vez em quando,
tudo parecerá uma grande zona de perigo.
As pessoas olharão para você com estranheza
quando souberem o que você esta tentando atingir,
e você começará a ouvir seus detratores
e a ter duvidas.


"Porque não continuei vendendo bananas, meu Deus?"
Mas, aconteça o que acontecer,
não desista!

Lembre-se de que todos têm dificuldades.
É incrivelmente cansativo passar
dias fazendo coisas que não nos agradam
ou sequer nos interessam.
Mas, se você perseguir o seu sonho,
pelo menos se cansará fazendo o que mais gosta.


Você pode achar que nada disto
significa muito no grande esquema global das coisas.
Mas, acredite: significa.

Quando você tirar tudo que puder da sua vida,
saboreando cada gota, isto mudará tudo à sua volta,
de ordinário para extraordinário.


Quando estiver fazendo o que ama,
você se levantará de manhã
cheio de animação para enfrentar
o começo de cada dia
e estará tomado de uma alegria sincera,
altamente contagiante.

Do mesmo modo que, ao dar uma boa risada,
faz outro começar a rir, e outro,
até que estão todos rindo tanto que
começam a lacrimejar,
ter dor de estômago e dificuldades em respirar.

Mas, melhor do que tudo,
fazendo coisas que enroscam os seus bigodes de fazer
(presumindo-se, claro que você tenha bigodes),
você inspira outros a irem atrás dos seus sonhos,
e é assim, meu amigo,
que se transforma o mundo!


Sabe de uma coisa?
Mesmo que você cometa enganos e esteja errado
sobre quase tudo,
ainda assim sua vida será uma aventura
fantástica e divertida;
você dormirá cada noite sabendo
que fez o que podia e isso fez diferença,
e acordar a cada dia antecipando o futuro tão belo
e excitante quanto puder imaginar.


E sabe de outra coisa?
Se você ouvir seu coração e usar a cabeça,
nunca estará errado.

Fatiamento da Amazônia em dez pedaços

Falando na Campanha Hora do Planeta, dos efeitos do Aquecimento Global e, ainda mais, da questão da Amazônia que, indubitavelmente, sofrerá consequências devastadoras face às mudanças climáticas, bem como de seus problemas sociais, econômicos, políticos e ambientais que são históricos (ocupação e apropriação das terras; Ciclo da borracha; Programa de Integração Nacional; grileiros; garimpo; queimadas etc.), o Ministério do Meio Ambiente apresentou na última 4ª feira, dia 24 de março, uma proposta de Projeto para a preservação e desenvolvimento da chamada Amazônia Legal.

A região da Amazônia Legal cobre, aproximadamente, 61% do território brasileiro. Sua área territorial é de cerca de 5.217.423 Km² e abrange nove estados brasileiros, a saber: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão (oeste do meridiano de 44º).

Estes estados têm, em comum, o fato de pertencerem à Bacia Amazônica e de apresentarem a vegetação ou trechos da Floresta Amazônica, como o Tocantins que apresenta 87% de sua área com cerrado e somente ao Norte, no chamado Bico do Papagaio ocorre a transição da mata do Cerrado para a Floresta Amazônica, bem como a região Oeste do estado do Maranhão, que preserva trechos da floresta Amazônica em uma área demarcada, ou seja, na Reserva Biológica do Gurupi, de cerca de 300 mil hectares e o estado do Mato Grosso, onde esta cobertura vegetal domina – sobretudo, a porção noroeste do seu território.

Imagens capturadas na Internet (Google)

Voltando ao projeto em questão...

Baseado em um zoneamento da região, a proposta prevê a divisão da Amazônica Legal em dez áreas distintas, de acordo com as suas características físicas (solo, relevo, clima, vegetação, recursos hídricos etc.), suas aptidões e vocações econômicas, seja voltada para fins agrícolas, de exploração mineral e/ou vegetal, agropecuária, entre outras.

Sendo assim, cada área terá uma estratégia própria de preservação e de desenvolvimento econômico, cujas ações deverão perpassar em nível de parceria das três instâncias de responsabilidade, isto é, dos governos federal, estadual e municipal.

Imagem capturada na Internet (Folha OnLine)


O Ministério do Meio Ambiente espera, com isso, que qualquer tipo de ação territorial, econômica e ambiental na região seja planejada de acordo com o diagnóstico realizado e as particularidades de cada área individualizada. Falta apenas o projeto ser transformado em Decreto pelo presidente da República.

Pelo que foi publicado na mídia (Folha OnLine), esta proposta apresentada pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, leva em consideração não apenas as características físicas de cada área, mas também os impactos ambientais gerados ao longo dos anos de ocupação e apropriação do solo, bem como os conflitos sócio-econômicos existentes.



Ministro do meio Ambiente Carlos Minc - Imagem capturada na Internet (Google)

Não posso afirmar, o nível de detalhamento e de “profundidade” destas informações a nível do diagnóstico em si, mas pelo que foi noticiado e exposto no mapa com a demarcação das 10 áreas, acredito que – diferentemente – de outros planos políticos para a referida região, este pode ser – sim – uma estratégia capaz de viabilizar a sua preservação (prefiro o termo conservação) e o seu desenvolvimento.

Espero que sim, pois caso contrário, este servirá apenas como chamariz para grandes empresas (nacionais e/ou estrangeiras), cujos interesses particulares divergem dos objetivos apresentados.

Além deste aspecto, vale ressaltar – aqui – que os problemas que norteiam à questão da Amazônia não são recentes. O seu processo de ocupação e apropriação do solo é antigo, pode-se considerar, para efeito deste, à partir do Ciclo da Borracha (1879-1912), com a chegada de migrantes do Ceará, passando pela Plano de Integração Nacional, instituído pelo, então, presidente da República Emílio Garrastazu Médici, na década de 70 do século passado (Decreto-Lei Nº1106) até os dias de hoje, com a expansão das fronteiras agrícolas (soja) e de criação de gado (bovino), alimentando e perpetuando a prática das queimadas, acirrando mais ainda os problemas sociais e ambientais na região.

E, para piorar, até o momento, o discurso político – seja através de campanhas eleitorais seja legitimado através de papel (decretos e leis) - nunca chegou ao mesmo nível ou patamar de tratamento com a realidade, isto é, com as muitas práticas exploratórias e impactantes na referida região.

Ao longo destes anos, em diferentes governos, o que sempre vemos ou ouvimos falar acerca da Amazônia reflete uma realidade dissociada entre a ocupação do solo e o desenvolvimento sustentável da região. A Amazônia permanentemente ocupa o cerne das discussões acerca dos problemas ambientais, seja por desmatamento, queimadas, avanço da soja, do cultivo da cana de açúcar, do narcotráfico, da biopirataria, contaminação dos rios com mercúrio, áreas degradadas, extração ilegal de madeiras, conflitos de terra, os povos indígenas, os missionários religiosos, entre tantos outros.

Até hoje, não houve um governante que conseguisse conciliar a teoria (legislação vigente) com a prática ou, pelo menos, aplicasse severamente a legislação e as sanções a aqueles que cometem crime ambiental.

As concepções errôneas quanto à região e o jogo de interesses políticos e particulares, diversos, não permitem uma solução concreta para os problemas da Amazônia.

Espero mudar de opinião...

Todas as imagens abaixo foram capturadas na Internet (Google) com o propósito de ilustração e enriquecimento do artigo.


Atividades econômicas impactantes

Serra Pelada: Ouro


Derrubada de árvores e queimada


Desmatamento e venda ilegal de madeira






Gado bovino






Desmatamento





Área de cultivo no meio da floresta






Usina Hidrelétrica de Balbina (rio Uatumã)








Área degradada pelo garimpo





Cultivo de cana de açúcar





Expansão das fronteiras agrícolas com o cultivo de soja




Narcotráfico: riscos na área fronteiriça com outros países




Sua fauna e sua gente



Araras





Onça pintada





Sucuri




Tucano




Cesta para coleta de açaí (artesanato)





Zona Franca de Manaus





Seringueiro







Os ribeirinhos








Os povos indígenas


Há muito mais riquezas... em termos humanos, sociais, econômicos e ambientais...



Fontes: Folha OnLine

Sugestões de leitura acerca da Amazônia (Fontes de algumas imagens)

. AMAZÔNIA - SINAL VERMELHO!

. Amazônia: Interesses e Conflitos

. Amazônia socioambiental. Sustentabilidade ecológica e diversidade social

. Meio século de mineração industrial na Amazônia e suas implicações para o desenvolvimento regional


sábado, 27 de março de 2010

27 de março: A Hora do Planeta



Imagem capturada no site oficial da Campanha



Desta vez devo reconhecer que falhei, pois embora tenha conversado com algumas turmas a respeito da Hora do Planeta, agendado para hoje, no horário de 20h30 às 21h30, eu não postei nada a respeito de forma antecipada, tal como sugere o site Hora do Planeta.

Mas, estive envolvida com a semana de prova da minha filha e dos meus alunos do Curso Noturno, que ainda continuará semana que vem.

Ontem, à noite, cheguei muito cansada da E.E.E.S. Clóvis Beviláqua. Hoje, pela manhã, terminei de elaborar alagumas provas da E.M. Dilermando Cruz e, às 9 h, fui para a casa da minha mãe. Só voltei para casa às 20h15 e pude participar da referida Campanha, apagando a lâmpada da sala.

Minha filha reparou que as luzes da Igreja da Penha estavam apagadas e indagou-me se esta estaria, também, participando da Campanha. Na hora, eu não pude responder, mas esperamos a confirmação através da própria Campanha, ou seja, até o final do horário desta. Se a igreja acender as lâmpadas às 21h30, realmente ela - enquanto monumento religioso (Santuário de Nossa Senhora da Penha) - participou da mobilização em prol do Planeta Terra.

E dito e feito... Às 21h3o, as lâmpadas da igreja reacenderam-se, aos poucos.

A minha aluna Tamiris Neves, atualmente na Turma 1901, sempre se mostrou engajada na Campanha. Inclusive, foi ela que tocou no assunto em sala de aula e, aqui, neste espaço.

Por mais que possa parecer algo simples, sem grandes efeitos concretos em relação ao Aquecimento Global, a Campanha visa, antes de tudo, a conscientização das pessoas acerca do problema em si e quanto maior for a adesão, grandes serão as expectativas de ações a favor do Planeta Terra e, indubitavelmente, de nossa sobrevivência.

A conscientização é o primeiro passo neste processo. A mobilização de pessoas em todo o planeta, independente da classe social ou de pessoas públicas nas diversas áreas de atuação (política, religião, esportes, artes em geral, como atores, músicos etc) tem um resultado singular para que as grandes empresas e os próprios governantes repensem nas políticas e planos susceptíveis a desencadear ou agravar os efeitos do Aquecimento Global.

O Brasil participa da Campanha desde o ano passado e, de acordo com o site oficial (Hora do Planeta), a mobilização em nosso país superou todas as expectativas.

A Campanha deste ano, com certeza, deve ter sido um sucesso.

terça-feira, 23 de março de 2010

Rio de Janeiro: Quinta Sessão do Fórum Urbano Mundial

Atualizado em 24/03/2010 (anexada imagem)


Desde ontem (22) está sendo realizado, nos armazéns da Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro, a Quinta Sessão do Fórum Urbano Mundial (FUM5). O Evento, cujo tema é “O Direito à Cidade: Unindo o Urbano Dividido” vai até sexta-feira, dia 26 de março.

Como o próprio professor de Geografia e colega Haroldo da escola municipal onde trabalho, comentou, é uma pena que nós professores não tivemos a oportunidade de participar, visto que isso implicaria em nossa ausência na referida rede de ensino. Realmente, é uma pena.

O Fórum, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), tem por perspectiva analisar um dos mais graves problemas que a sociedade mundial enfrenta, hoje, isto é, a rápida urbanização e o seu impacto tanto nas comunidades quanto nas cidades, nas economias, nas mudanças climáticas e nas políticas.

Saiba mais, clicando no ONU-Habitat

Água poluída mata mais que a violência

Segundo artigo, também, postagem na íntegra e publicada no AmbienteBrasil...

Água poluída mata mais que violência no mundo, diz ONU
A população mundial está poluindo os rios e oceanos com o despejo de milhões de toneladas de resíduos sólidos por dia, envenenando a vida marinha e espalhando doenças que matam milhões de crianças todo ano, disse a ONU nesta segunda-feira (22).

"A quantidade de água suja significa que mais pessoas morrem hoje por causa da água poluída e contaminada do que por todas as formas de violência, inclusive as guerras", disse o Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas (Unep, na sigla em inglês).

Em um relatório intitulado "Água Doente", lançado para o Dia Mundial da Água nesta segunda-feira (22), o Unep afirmou que dois milhões de toneladas de resíduos, que contaminam cerca de dois bilhões de toneladas de água diariamente, causaram gigantescas "zonas mortas", sufocando recifes de corais e peixes.

O resíduo é composto principalmente de esgoto, poluição industrial e pesticidas agrícolas e resíduos animais.

Segundo o relatório, a falta de água limpa mata 1,8 milhão de crianças com menos de 5 anos de idade anualmente. Grande parte do despejo de resíduos acontece nos países em desenvolvimento, que lançam 90% da água de esgoto sem tratamento.

A diarreia, principalmente causada pela água suja, mata cerca de 2,2 milhões de pessoas ao ano, segundo o relatório, e "mais de metade dos leitos de hospital no mundo é ocupada por pessoas com doenças ligadas à água contaminada."

O relatório recomenda sistemas de reciclagem de água e projetos multimilionários para o tratamento de esgoto.

Também sugere a proteção de áreas de terras úmidas, que agem como processadores naturais do esgoto, e o uso de dejetos animais como fertilizantes.

"Se o mundo pretende... sobreviver em um planeta de seis bilhões de pessoas, caminhando para mais de nove bilhões até 2050, precisamos nos tornar mais inteligentes sobre a administração de água de esgoto", disse o diretor da Unep, Achim Steiner. "O esgoto está literalmente matando pessoas." (Fonte: Folha Online)

Continente africano x água potável

Aproveitando o Dia Mundial da Água, comemorado ontem, estou compartilhando dois artigos publicados no AmbienteBrasil acerca dos problemas que envolve este recurso natural.


Transcrição na íntegra...


África: 155 milhões de pessoas não têm acesso a água potável

Mais de 155 milhões de pessoas, ou 39% da população da África ocidental e central, não têm acesso a água potável, informou a agência da ONU para a infância, a Unicef, nesta segunda-feira (22), o Dia Mundial da Água.

Essa região tem a menor cobertura de água potável do mundo, abrigando 18% da população mundial que não tem acesso a água potável.

"Faltando cinco anos para 2015, prazo estabelecido para as Metas de Desenvolvimento do Milênio (MDG), a água e a situação sanitária na África Ocidental e Central continuam sendo uma preocupação", afirma o comunicado da Unicef.

De acordo com a organização, apenas oito dos 24 países da região estão prestes a atingir os objetivos no que se refere ao fornecimento de água: Benin, Burkina Faso, Camarões, Cabo Verde, Gabão, Gana, Guiné e Mali.

"O número total de pessoas na região sem acesso a fontes de água potável aumentou no período de 1990 a 2008 de 126 milhões de pessoas para 155 milhões", indica o comunicado.

Isso significa que, apesar de uma melhora na cobertura de 49% em 1990 para 61% em 2008, os países precisam chegar a 75% em 2015.

"Mais de 155 milhões de pessoas (39%) estavam sem acesso a fontes de água potável em 2008, e o ritmo lento do aumento não conseguiu alcançar a velocidade de expansão da população na região", afirma o documento.

Seis países têm menos de 50% de cobertura em água potável: Chade, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial, Níger, Mauritânia e Serra Leoa.

Também é motivo de preocupação o fato de 291 milhões de pessoas na África Ocidental e Central não terem acesso a nenhum serviço sanitário - a região tem a maior taxa de mortalidade infantil de todas as regiões em desenvolvimento, com 169 crianças mortas em 1.000 nascimentos. (Fonte: G1)


China: Pés de Lótus


Imagem capturada na Internet (Google)

O que mais chama a atenção em determinados povos, não é só o idioma, mas - sobretudo - sua cultura, suas tradições, passadas de geração a geração. Muitas ainda persistem; outras se encontram em processo de total de extinção ou estão sendo aniquiladas – aos poucos - pela modernidade, mas ainda há correntes que buscam preservá-las ou resgatá-las.
 
Algumas tradições são bastante interessantes, outras totalmente bizarras, havendo ainda aquelas que são aberrantes, capazes de causar dor ou mutilação.
 
Falando nas turmas acerca das postagens sobre a Mulher comentei que iria postar sobre as chinesas que calçavam sapatos minúsculos, os chamados sapatos de pés de lótus.

Esta tradição, graças a Deus, não se conservou, sendo abolida no Século passado.

Sua prática na China data do início do século X. Segundo as fontes de pesquisa, este costume foi estabelecido para crianças e mulheres de forma a imitar uma concubina imperial e com o objetivo principal de atrair o sexo masculino e, assim, conquistar um bom casamento.

Este acabou sendo absorvido pela classe alta da sociedade como um rito de passagem para as chinesas das boas famílias, tornando-se marca de status na Dinastia Sung (960-976 e.c.).

Consequentemente, famílias pobres viam neste costume a perspectiva de conseguir uma vida melhor para as filhas.
Até mesmo alguns homossexuais, na época, passaram a fazer uso deste costume com a intenção de atrair as atenções e se tornarem mais sensuais.
 
Esta tradição consistia em um doloroso e torturante processo de amarrações nos pés das meninas, à partir dos 3 anos de idade, para impedir o crescimento natural destes, a fim de mantê-los pequenos dentro de delicados calçados conhecidos como “Lótus Chinês”.

O processo de formação/moldagem dos pés de Lótus era bastante torturante, visto que os quatro dedos pequenos eram dobrados e colocados debaixo do calcanhar. Nisso, os ossos acabavam se partindo.

Durante o dia, a mulher calçava vários sapatos com o objetivo de reduzir os pés. Depois de atrofiados, os pés ficavam reduzidos a um comprimento que variava de 7 a 10 cm, no máximo.
 
As fábricas começaram a produzir sapatos com essas medidas, a fim de que os pés atingissem até 7 centímetros. Os sapatos variavam em termos de material, podendo ser de seda, cetim, tecido de algodão, encerado para a chuva etc.; decorados de acordo com a ocasião, como para casamento, para uso de mulheres casadas, para dormir, entre outras.




Por incrível que possa parecer e, por mais que julguemos uma aberração as deformações sofridas pelas mulheres, os pés pequenos e delicados representam objeto de desejo da sociedade chinesa, masculina, ou seja, despertava certo erotismo aos homens.






As jovens chinesas submetidas a este costume apresentavam grandes dificuldades para dançar e até mesmo para caminhar. Segundo as fontes de pesquisa, foi devido a esta dificuldade em andar das mulheres, balanceando de um lado para o outro, que deu origem a sua comparação à flor de lótus ao vento.
 


Este costume foi abolido em 1949, durante o governo de Mao Tse Tung, que liderou a República Popular da China e a implantação do sistema comunista no país.
 

Em razão disso e, graças a Deus, hoje só encontramos algumas idosas chinesas que foram submetida a este costume, deformando por moldar os pés de Lótus.

















OBS.: Todas as imagens foram capturadas na Internet e nos sites de consulta (abaixo).

 
Fontes de Consulta
 
 
 

segunda-feira, 22 de março de 2010

22 de Março: Dia Mundial da Água


Imagem capturada na Internet (Google)



Hoje é comemorado o Dia Mundial da Água. Ao mencionar em sala de aula (tanto na escola do diurno quanto no noturno) alguns alunos se mostraram contrariados, achando certo “absurdo” ter uma data comemorativa para água. Eu os rebati, explicando a importância da água mediante o agravamento quanto à escassez e a poluição que ameaçam este recurso natural, bem como a contexto histórico pelo qual esta foi articulada e criada.
Como já postei no ano passado... Foi durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), mais conhecida como ECO-92, realizada na cidade do Rio de Janeiro, em junho de 1992, que foi lançada a ideia sobre a criação do Dia Mundial da Água.
No dia 22 de fevereiro de 1993, a Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) - através da Resolução A/RES/47/193 – instituiu que, à partir daquele ano, o Dia Mundial da Água seria comemorado todo dia 22 de março.
É evidente que há uma necessidade enorme de se promover uma maior conscientização da população, em geral, e – especificamente – de nossos alunos acerca da importância da água, dos problemas atuais vinculados à qualidade, escassez e poluição dos recursos hídricos do planeta. Isto não resta dúvida!




Imagens capturadas na Internet (Google)

E como eu mesma afirmei no ano passado, “ignorar a importância da água significa o mesmo que negar a vida, pois a sobrevivência humana e de todos os demais seres vivos (vegetais e animais) depende da sua disponibilidade, acesso e conservação”.
Sabemos que a área da Terra é de aproximadamente 510 milhões de Km² e deste total, cerca de 71% de sua superfície correspondem as águas, enquanto 29% representam às terras emersas (ilhas e continentes).
Deste percentual de água, que compreende os oceanos, mares, rios, água subterrânea, lagos, lagoas etc., a maior parte é imprópria para o consumo humano, tendo em vista que 97,5% correspondem aos oceanos e mares, ou seja, às águas salgadas. Apenas 2,5% da água, aproximadamente, são 2,5% de água doce.
Deste total de água doce, 2% correspondem às geleiras e 0,5%b às águas subterrâneas. Os rios e lagos, que são as principais fontes naturais de abastecimento de água, pronta para consumo, correspondem aproximadamente 0,01%.

Os problemas já são bastante visíveis, inclusive, porque a sua distribuição no planeta não é uniforme, regular. Há regiões onde a escassez de água é natural e em outras se verifica uma maior abundância.

Tanto em uma ou na outra situação se torna imprescindível o uso racional da água, pois a sua escassez ou mau uso podem agravar - mais ainda - a disponibilidade de água potável para a população mundial.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, em 2050, a população mundial chegue a 9 bilhões de pessoas, o que indubitavelmente acarretará um aumento expressivo quanto ao consumo de água.

Pensemos no amanhã, agindo desde já. Há muito a mudar... nossas posturas e pensamentos, ou seja, nossa educação perante os recursos hídricos.

Temos o dever de usá-la de forma racional, evitando o desperdício, a poluição e o seu comprometimento em razão do aumento da escassez de água potável.

Por isso, esta data foi escolhida para ser comemorado o Dia Mundial da Água. Basta apenas refletir sobre a sua importância e agir, desde já!


PLANETA TERRA:

. Área Total : 510 milhões de Km².
Terras Emersas: 149 milhões de Km² (29%).
Água: 361 milhões de Km² (71%)


IMPORTÂNCIA DA ÁGUA
Ciclo da Água
Vida animal e Vegetal
Consumo Humano
Fonte de Recursos e Alimentos
População Ribeirinha
Lazer e Balneabilidade
Produção de Energia Elétrica


DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA:
. Água Salgada – 97,5 %
. Água Doce – 2,5 %


ONDE ENCONTRAMOS ÁGUA:
Oceanos
Mares
Geleiras
Rios
Lagos
Lagoas
Água Subterrânea (Aquífero e Mananciais)
Atmosfera

Obs.: Os seres vivos (vegetais e animais, inclusive, o homem), também, retém água no organismo.


DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA SALGADA:
- Oceanos e Mares (96,6%)

Obs. Alguns depósitos de água subterrânea (0,9) e lagos (0,006) apresentam grande concentração de cloreto de sódio (sal).


DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DOCE
- Água subterrânea (0,514 %)
- Rios e lagos (0,006 %)
- Geleiras (1,979 %)
- Atmosfera (0,001 %)



CONSUMO DE ÁGUA SUPERFICIAL
- doméstico (10%)
- industrial (21%)
- agricultura (69%)


FONTES NATURAIS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA:
- Água da chuva- Águas superficiais (rios, arroios, lagos)
- Águas subterrâneas (aquíferos, mananciais)

 
Todas as imagens abaixo foram capturadas na Internet (Google)