terça-feira, 31 de agosto de 2010

Migração Internacional em Manchete (II)


Imagem capturada na Internet (Fonte: Plano Brasil)
 
 
A outra reportagem relacionada à migração (externa ou internacional) aconteceu no México. Contudo, diferentemente dos fatos que vêm se sucedendo na França, com os imigrantes mulçumanos, ciganos e outros, o fato ocorrido em território mexicano teve um desfecho bem mais trágico para 73 imigrantes latino-americanos (de diferentes nacionalidades, El Salvador, Honduras, Equador e Brasil), que almejavam entrar ilegalmente, nos EUA, através do estado do Texas.
 
No caminho destes, tal como já vem ocorrendo no país, um grupo de homens fortemente armados, integrantes do Cartel de drogas Los Zetas, os interceptou e os sequestrou, conduzindo-os para um rancho nos arredores de San Fernando, no estado de Tamaulipas (nordeste do México), a 180 Km da fronteira com o Texas.
 
Após oferecerem o pagamento quinzenal de US$ 1 mil para que os imigrantes clandestinos trabalhassem para a organização e, destes, receberem uma recusa, os imigrantes latino-americanos foram executados. Apenas um imigrante equatoriano sobreviveu, Luis Fredy Lala Pomavilla, que mesmo baleado na garganta, se fingiu de morto. Este conseguiu se arrastar e pedir socorro a um Posto de Controle da Marinha próximo do local.
 
Com a chegada dos fuzileiros ao rancho houve um novo confronto, no qual – segundo informações da própria Marinha - resultou em mais quatro mortes (3 bandidos e 1 oficial).

Esta notícia causou forte indignação mundial, não só pela barbárie em si, diante do assassinato de 72 imigrantes (58 homens e 14 mulheres), como também pelo poder paralelo do narcotráfico no país.

Entre os imigrantes foi cogitada a existência de quatro brasileiros, mas - até o momento presente - apenas o corpo de um brasileiro foi identificado, o de Juliard Aires Fernandes (20 anos), de Minas Gerais. Todavia, os documentos de outro brasileiro, Hermínio Cardoso dos Santos (24 anos), também de Minas Gerais, foram encontrados, mas o seu corpo ainda não foi identificado.

O Brasil acredita que somente estes dois brasileiros estavam no grupo.
 
Ocupando a 53ª posição (0,854) no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), isto é, na categoria de países de nível elevado, o México vive uma situação bastante distinta em termos de qualidade de vida alta, sobretudo, em relação à segurança pública.
 
O crime organizado, os cartéis do narcotráfico e as guerras travadas entre estes na disputa por territórios e de rotas para os EUA não são fatos recentes e atingem várias regiões dentro do país.
 
Só para se ter uma ideia, do final de 2006 até hoje, a violência do narcotráfico já causou mais de 28.000 mortos.
 
Vítima de críticas quanto a sua política de segurança, o presidente do México, Felipe Calderón, reprime com força os cartéis do narcotráfico no país, bem como as demais atividades ilegais que estes se encontram associados (prostituição, tráfico de pessoas, de armas, imigrantes ilegais etc.).
 
O que aconteceu com os 72 imigrantes ilegais, na semana passada, já virou uma atividade criminosa - rotineira - por parte do narcotráfico. Eles capturam os imigrantes com vários objetivos, os quais podem ser para roubar o dinheiro dos mesmos, pedir resgate às famílias após o sequestro, obrigá-los a se passarem como “mulas” para levar cocaína para o outro lado da fronteira (EUA) ou, ainda, recrutá-los como “capangas” para a organização criminosa.
 
Desde o início deste ano, o estado de Tamaulipas, na região nordeste do país, onde os 72 imigrantes ilegais foram executados, se tornou um campo de guerra entre os cartéis Los Zetas e do Golfo, pela disputa de território, que constitui uma das rotas para a entrada nos EUA.
 
Os Zetas eram membros das forças de elite do Exército do México, treinados para combater os zapatistas no estado de Chiapas, ao Sul, um dos mais pobres do México.
 
Estes passaram para o outro lado e caíram no crime organizado, nos anos 90, unindo-se ao cartel do Golfo, com o qual - hoje - disputam.
 
O grupo, formado por 40 soldados desertores, foram recrutados pelo então tenente Arturo Guzmán para criar os anéis de segurança de Osiel Cárdenas, o chefão do cartel do Golfo.
 
Osiel Cárdenas foi preso e extraditado, em 2007, para os EUA, onde permanece preso, até hoje. Na época da captura de Cárdenas, os membros os "zetas" entraram na disputa pelo controle do cartel do Golfo.
 
Apesar dos cartéis do narcotráfico estarem espalhados nas diversas regiões do país, hoje, a região nordeste é a que apresenta os mais fortes conflitos entre as organizações criminosas que disputam o poder sobre os territórios.
 
Além de Tamaulipas, os estados de Nuevo León e Coahuila fazem fronteira com os EUA, formando um grande corredor que se estende por todo o litoral do golfo do México. Esta região junto com a península de Yucatán e a faixa da fronteira do país com a Guatemala e Belize consiste na zona de domínio do cartel Los Zetas, considerado um dos mais temidos no país.
 
A cidade mexicana considerada a mais violenta do país, em decorrência dos cartéis dos narcotráfico, é a Ciudad Juarez. Localizada no estado de Chihuahua (região norte), esta também faz fronteira com o Texas e é disputada pelos cartéis de Juárez e de Sinaloa.
 
No ano de 2009, na referida cidade, foram registrados mais de 2.660 homicídios e, neste ano, já são foram contabilizados 1860, A grande maioria associada à disputa pelo controle da região por ambos os cartéis (Juárez e Sinaloa).
 
Embora a cidade El Paso, no Texas, fronteira com Ciudad Juárez (México), seja considerada a segunda mais segura dos EUA, o governo estadunidense já enviou 1.500 oficiais para a fronteira, a fim de garantir a segurança.
 
O governo do México, por sua vez, acusa os EUA por contribuir e favorecer o narcotráfico no país, uma vez que não há uma política rigorosa - por parte destes - no combate ao tráfico ilegal de armas que ocorre entre os EUA e o México.



Imagem capturada na Internet (Fonte: R7 - Notícias)


Imagem capturada na Internet (Fonte: R7 - Notícias)


Fontes:

. Equatoriano se finge de morto para escapar de chacina no México - G1/Mundo;
 
. Ex-militares formaram grupo suspeito de chacina no México - Último Segundo;
 
. México: 72 cadáveres encontrados seriam de imigrantes clandestinos - G1/Mundo;
 
. Jornal O GLOBO (26/08/2010 - Seção O Mundo - página 35);
 
. Jornal O GLOBO (27/08/2010 - Seção O Mundo - página 41);
 
 

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Migração Internacional em Manchete (I)




Imagem capturada na Internet (Fonte: Geografia Geral e do Brasil - Paratodos)


Outras notícias que merecem destaque, neste espaço, tratam sobre a mesma questão, a migração, porém o enfoque de cada uma é diferente.
 
Uma delas se refere à França, cujo governo vem intensificando uma política repressiva à imigração (tal como ocorre em outros países europeus) e, a outra, reporta-se ao México e a ação de grupos ligados ao narcotráfico contra 73 imigrantes que tentavam entrar nos EUA (72 foram assassinados e apenas um sobreviveu).
 
Com relação à França, as reportagens estão voltadas para as medidas repressivas do governo à política de imigração, seja quanto à questão da retirada da nacionalidade francesa dos imigrantes, naturalizados, seja pela situação dos ciganos no país, que perpassa a nível do chamado Programa de Retorno Voluntário ou por deportação (expulsão do país).
 
Como muitos sabem, inicialmente, os fluxos de imigrantes para Europa eram tolerados e até incentivados por parte dos governos, tanto após a II Guerra Mundial (1945), com o intuito de reconstrução econômica dos países arrasados pela guerra quanto, posteriormente, como mão de obra para suprir o mercado de trabalho, em decorrência do fenômeno de envelhecimento demográfico no continente, verificado pelas baixas taxas de natalidade e a expectativa de vida elevada.

Após a II Guerra Mundial (1945), além da Grã-Bretanha, países como a Alemanha, França, Itália e Bélgica foram os que mais receberam imigrantes, sendo a Alemanha o país recordista.

Com o crescimento das diferenças sócio-econômicas, no mundo, assinalando o distanciamento cada vez maior entre os países subdesenvolvidos e desenvolvidos, bem como do desemprego a nível mundial, os fluxos de imigrantes ao continente, sobretudo, provenientes do Norte da África, da América Latina e da Ásia, aumentaram muito.

Além destes, grandes contingentes de imigrantes do próprio continente passaram a fazer parte, também, desta estatística, sendo a maioria proveniente dos países do Sul, cujo nível de vida sempre foi mais baixo e, do Leste Europeu, após o fim da Guerra Fria e o desmantelamento do sistema socialista no continente.

Em consequência disso, os fluxos de imigrantes aumentaram muito e a política de imigração incentivada pelos governos, anteriormente, passou a ser mais controlada ou reprimida, os quais se apoiaram na legislação, como instrumento legal, para diminuir ou suspender a entrada de imigrantes nos países.

No entanto, mesmo sob esta nova conjuntura, as imigrações continuaram, só que de maneira clandestina, isto é, de forma ilegal..

Em decorrência do aumento dos imigrantes e dos problemas sócio-econômicos vigentes na Europa, bem como no restante dos continentes, no final dos anos 80, as hostilidades contra os estrangeiros cresceram em muitos países europeus. E, junto a estas, a exaltação ao nacionalismo, emergindo assim, a Xenofobia, o chamado novo racismo, ou seja, a aversão ao imigrante.

Durante os anos 90 e até hoje, diversos grupos que se autodenominam de neonazistas (pois idolatram a imagem de Hitler) perseguiram e perseguem os imigrantes de forma violenta, inclusive, com agressões físicas extremas.

Muitos governos e partidos políticos de extrema direita difundem e exaltam o sentimento de nacionalismo, atribuindo aos imigrantes a responsabilidade pelos principais problemas sócio-econômicos dos seus respectivos países (desemprego, aumento da criminalidade, do tráfico de drogas, da prostituição etc.).

Embora, estas questões sejam bastantes polêmicas é preciso, em primeiro lugar, não generalizar e atribuir aos imigrantes todas estas mazelas sócio-econômicas e, em segundo lugar, torna-se mister avaliar a importância do papel do imigrante na economia e no quadro populacional do continente, que se caracteriza por uma situação crítica, pois o que se verifica no continente é um decréscimo demográfico, que só não é pior por conta da imigração.

Aqueles que defendem, amplamente, restrições aos direitos dos imigrantes levam o seu discurso para além mais da responsabilidade quanto aos problemas atuais da Europa, ou seja, este perpassa também no nível de temeridade tanto à perda da soberania quanto em defesa de uma identidade nacional étnico, política e religiosa.

Mas, como ressalta dois trechos do artigo “Uma Nova Europa”, de Tahar Ben Jelloun, publicada no L’Expresso, sobre es situação atual do continente europeu face à imigração:
 
“Houve algo de bom que se perdeu. A Europa solidária e fraterna transformou-se numa Europa dos egoísmos de Estado e do cidadão. Alguns políticos, sobretudo de direita, apostaram no medo e criaram uma indústria eleitoral. A economia europeia desenvolveu-se, em parte, graças à mão-de-obra estrangeira, ou seja, à imigração. São raros os dirigentes políticos que o reconhecem e prestam homenagem a esta gente vinda de todo o mundo. Hoje, o problema são os filhos destes milhões de imigrantes. O que havemos de fazer com estes europeus de pele escura, negros e mestiços? Como haveremos de viver com uma outra cultura, uma outra religião?

A Europa tem de aprender a ver-se ao espelho: a sua imagem, a sua paisagem humana deixou de ser completamente branca, completamente cristã. É o resultado de misturas, é o conjunto de muitas contribuições. Cruzamo-nos com aquelas pessoas na rua, mas pensamos que estão de passagem pela Europa e que vão regressar ao seu país, à sua terra natal. Estamos enganados! Estas pessoas são europeias, o país delas é a Europa, têm nacionalidade europeia e duas ou três culturas. E ilustram a globalização do aspecto humano, não apenas industrial e financeiro. O Homem é o capital do mundo, não a técnica”.
(Publicado no PressEurop)

Realmente, quem pensa que - ao chegar à Alemanha (origem germânica) – vai encontrar uma população predominantemente branca, de cabelos e olhos claros, vai se surpreender, em razão da influência dos imigrantes, provenientes, sobretudo, da Turquia.

Na França, os principais fluxos de imigrantes são provenientes do Norte da África, sobretudo, da Argélia, Marrocos e Tunísia. Outros grupos também se destacam em território francês, como os espanhóis, os portugueses, os turcos, os ciganos etc.

Não é de hoje, que a França é manchete de jornais a respeito da imigração. Desde a década de 90 (Século XX), ela já estabeleceu relações de apoio e de desafeto com os estrangeiros, seja regularizando a situação de muitos imigrantes seja deportando tantos outros. A hostilidade aumentou e chegou, inclusive, ao ponto de agressão física a um grupo de imigrantes africanos no ano de 2000.

A intolerância perpassa não apenas a nível étnico, mas, também, religioso, uma vez que há um percentual muito grande de imigrantes de Marrocos, Argélia e Tunísia, que são países mulçumanos do Norte da África.

Neste aspecto e sob o discurso de que na França não há lugar para a submissão feminina, o presidente Nicolas Sarkozy sempre se mostrou contrário ao uso de alguns tipos de véus e a burca por mulheres muçulmanas no país. De acordo com o mesmo, "A cidadania deve ser vivida com a face descoberta". Esta declaração foi feita em maio deste ano, durante uma reunião do Conselho de Ministros da França, na qual foi apresentado o projeto de lei que proíbe às mulheres muçulmanas de usarem o véu em locais públicos.

Imagem capturada na Internet (Fonte: Revista Veja)




Imagem capturada na Internet (Fonte: eBand Jornalismo)


O referido projeto de lei foi aprovado pelo Parlamento francês, em julho passado, devendo ser votado no Senado, no próximo mês (setembro), para poder virar lei.
 
Ainda, em consonância com o discurso anti-imigração, utilizados por governantes e partidos políticos de muitos países da Europa, mais uma vez, a França foi manchete nos jornais.
 
"A nacionalidade francesa precisa ser merecida e tratada com dignidade” (Último Segundo). Tal argumento empregado pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, foi acerca de outro projeto de lei, apresentado pelo Ministro da Imigração da França, Eric Besson, sobre a retirada da nacionalidade dos estrangeiros, naturalizados, sob duas situações distintas, a saber:
 
- daqueles que forem condenado a mais de 5 de anos de prisão durante o período de até 10 anos após a obtenção da nacionalidade;
 
- de jovens delinquentes reincidentes, nascidos na França, mas de origem estrangeira.
 
Este projeto de lei será discutido no Parlamento no próximo mês (setembro).
 
Segundo o próprio, Frédéric Lefebvre, porta-voz do partido do presidente francês Nicolas Sarkozy (UMP), “ (...) Todos sabem que há uma relação entre delinquência e imigração. Não é correto dizer isso, mas é uma realidade que todos conhecem".
 
Não é correto dizer, é claro, pois o sentimento xenófobo está explícito em sua frase...

De acordo com uma pesquisa, realizada pelo Instituto de Estatística da França (INSEE), no início deste ano, 3 milhões e 100 mil pessoas nascidas na França, entre 18 e 50 anos, tem pelo menos um pai de origem estrangeira.
 
A pesquisa também revelou que metade dessa população é fruto da imigração do próprio continente, são portugueses, italianos, espanhóis, alemães e poloneses. Contudo, entre os jovens de 15 a 18 anos, aumenta a proporção dos filhos de imigrantes argelinos, marroquinos e tunisianos (África do Norte).
 
De acordo, ainda, com a pesquisa, o número de filhos de imigrantes que vieram do Camboja, Vietnam e Laos, entre os anos 70 e 80, também aumentou.
 
Em termos de retirada da nacionalidade, atualmente, a legislação francesa prevê apenas quatro situações, em que esta pode incorrer: atos de terrorismo, crimes de espionagem, recusa em cumprir o serviço militar e traição contra o país, quando há a realização de atos incompatíveis aos interesses fundamentais da França, em benefício de um país estrangeiro.

A aplicação de crimes comuns de direito penal, a este processo de perda da cidadania francesa (retirada da nacionalidade), tal como intenta o governo francês, não consta na lista dos demais países europeus. E mais, a retirada da nacionalidade francesa só é viável, se a pessoa julgada tiver outra nacionalidade. Ela não pode ficar sem nenhuma outra nacionalidade.

Esta questão tem sido bastante criticada por pessoas civis dentro e fora do país, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e até pelo Vaticano. Assim como, também, o caso da deportação dos ciganos na França.

Neste caso, os números não escondem a relação hostil entre o governo francês e os imigrantes ciganos.

De acordo com O GLOBO, só este ano já foram expulsos 8.131 ciganos da França, enquanto no ano passado foram 9.875 imigrantes do mesmo grupo.
 
Estima-se que, na França, existam 15 mil ciganos, a grande maioria de procedência romena e búlgara.
 
Ambos os países também fazem parte da União Européia (desde 2007), mas seus cidadãos ainda devem cumprir determinadas regras impostas pelo bloco, previstos no regime transitório, por qual ainda se configuram.
 
O cidadão romeno e/ou búlgaro pode entrar sem formalidade e permanecer na França por 3 meses, sem a necessidade de justificar alguma atividade.
 
Terminado esse prazo, ele deve estar empregado, estar matriculado em escola ou curso ou, ainda, comprovar que possui renda suficiente para viver na França.
 
Situação igualmente polêmica e alvo de críticas quanto aos direitos humanos, o ministro do Interior, Brice Hortefeux, justifica as medidas do governo, alegando o aumento da delinquência entre ciganos romenos na região de Paris, cujas estatísticas apontaram um crescimento em torno de 138% em 2009 (3.151 delitos frente aos 1.323 ocorridos em 2008).
 
Apesar de tantas críticas acerca de sua política repressiva aos imigrantes, neste caso, segundo uma pesquisa do jornal "Le Parisien", a política de deportação de ciganos da França tem o apoio de 48% dos franceses (42% se opõem e 10% não responderam).
 
O chamado Programa de Retorno Voluntário, além de oferecer vôo fretado ao país de origem dos ciganos, oferece 300 € (euros) para quem deixar o país e mais 100 € por cada filho.




Imagem capturada na Internet (Fonte: R7 Notícias)
 
E é baseado nestas premissas e na exaltação ao sentimento nacionalista, atual (por interesses políticos e eleitorais, talvez!), que o governo francês justifica a necessidade de um “ajustamento” na legislação vigente e a implantação de medidas repressivas aos imigrantes.
 
 
Fontes:
. Filhos de imigrantes representam 12% da população (RFI - Português)
 
. França expulsa mais 283 ciganos para a Romênia (O GLOBO)
 
. França vai começar a deportar ciganos (Revista Época)
 
. Ministro diz que França não precisa aprender lições sobre como tratar imigrantes (R7 Notícias)
 
. Proposta de retirar nacionalidade de imigrantes condenados gera polêmica na França (Último Segundo)
 

sábado, 28 de agosto de 2010

Invenções Tecnológicas para Deficientes




Imagem capturada na Internet (Fonte: Inclusive: Inclusão e Cidadania)



As tecnologias modernas, a cada ano, nos surpreendem seja pela versatilidade seja pela praticidade ou, ainda, pela forte revolução que elas conseguem provocar diante de certos comportamentos humanos limitados e padrões de vida. E esta capacidade de inovação me fascina...

E, sob este contexto, vou reportar-me a uma matéria jornalística que assisti no hospital (junto com a minha mãe), na manhã do último dia 27 de agosto (6ª feira), no Bom Dia Rio (Rede Globo).

A reportagem era sobre o 3º Congresso Muito Especial de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social das Pessoas com Deficiência, que foi realizado entre os dias 13 e 26 do mês em curso, no Centro de Convenções SulAmérica, Cidade Nova, Rio de Janeiro (RJ).

Embora, a apresentadora do telejornal e nem a repórter “de rua” mencionasse o evento em si, eu pesquisei na Internet e descobri do qual se tratava.

O Congresso, em questão, foi realizado pelo Instituto Muito Especial, com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia. Paralelamente houve a feira de tecnologia, na qual vários inventos foram expostos. Foram estes inventos, justamente, que foram mostrados na TV.

Os inventos têm por finalidade ampliar as habilidades funcionais daqueles que, por um motivo ou outro, hoje, encontram dificuldades para executar e/ou desempenhar determinadas funções, assim como possibilitar a inclusão social dos mesmos.

Eu não tomei conhecimento acerca deste evento e, para ser sincera, interesses não faltam, pois além do fascínio pela tecnologia em si, a sua aplicabilidade tem a ver comigo, ou melhor, com a minha mãe diretamente, pois ela é cadeirante, tendo sequelas de um AVC (os membros do lado esquerdo são paralisados) e, por isso, pode-se dizer que ela é uma pessoa com deficiência (física).

De acordo com Rita Bersch, Tecnologia Assistiva é um termo empregado como referência aos recursos e serviços utilizados para proporcionar e ampliar as habilidades funcionais de pessoas com deficiência a fim de promover certa independência e, consequentemente, a inclusão social.

Apesar de outras invenções bastante interessantes, a tecnologia que mais me surpreendeu e despertou curiosidade, na referida reportagem (Bom Dia Rio), foi a invenção do Óculos-Mouse, de autoria de três jovens do Rio Grande do Sul.

Pelo que eu pude constatar, em pesquisa na Internet, a invenção criada pelos alunos do curso técnico do Rio Grande do Sul, Filipe Carvalho (18 anos), Cleber Quadros (18 anos) e Alexandre Sampaio (19 anos), já foi exposta em outros eventos ligados a tecnologias. Bastante interessante!


Imagem capturada na Internet (Fonte: FolhaOnLine)


O Óculos-Mouse é voltado, exclusivamente, para pessoas sem mobilidade nos braços, tendo a cabeça como “guia” - através dos óculos e dos olhos - nos movimentos que seriam do mouse comum.

Até na questão do valor da tecnologia para a venda, os jovens inventores pensaram e criaram um dispositivo que custa apenas R$ 50,00.

Vale a pena conferir a matéria jornalística (vídeo):

. Congresso apresenta novidades para a inclusão das pessoas com deficiência (Bom Dia Rio)


Retornando aos poucos...

Estive ausente do Blog, porque minha mãe, novamente, caiu doente (infecção urinária e problemas no pé esquerdo) e, na última 3ª feira (24/08), ela foi internada (e continua hospitalizada).

Por falta de sorte, também, eu cai no hospital e machuquei os meus dois joelhos (“estrago” muito grande!). A dor é tão grande que dificulta o meu andar, o subir as escadas e o sentar (preciso da ajuda de voluntários para levantar).

Minha aluna Jheniffer Elizabeth dos Santos (Turma 1901) fez até um rap em minha homenagem: "É no passinho da Marli (bis). Norte, Sul, Leste e Oeste, é no passinho da Marli..."

Brincadeiras a parte, o estado da minha mãe não é nada bom. Por isso, devo me ausentar mais vezes em virtude das idas ao hospital e, principalmente, por estar constantemente de "baixo astral".

A primeira postagem deste meu retorno é, inclusive, sobre uma reportagem do Bom Dia Rio, que assisti no quarto do hospital, na última 6ª feira (27/08), quando passei a noite anterior e o início da manhã com a minha mãe.

A reportagem era sobre uma Feira de Tecnologia no Rio de Janeiro e, apesar de constatar que muitos inventos já foram apresentados em outros eventos do mesmo segmento, achei super interessante a invenção de três jovens do Rio Grande do Sul. Vale a pena conferir!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Terremoto no Haiti: novas descobertas acerca dos sistema de falhas geológicas

Imagem capturada na Internet (Fonte: AlagoasNegócios)


Como já mencionei em sala de aula, a dinâmica interna da Terra não é totalmente previsível e, muito menos, sabemos ao fundo tudo que cerca a sua área de abrangência.
 
A Teoria da Tectônica de Placas é algo inquestionável, mas o que se conhece até hoje, o quê o homem domina em termos de conhecimento não representa tudo e, por esta questão, outras descobertas podem surgir por acaso... Algumas vezes, chegando a derrubar teorias ou premissas antigas.
 
Foi o que aconteceu, recentemente, e eu já havia esquecido de postar. Trata-se do terremoto que aconteceu em janeiro no Haiti. Eu mesma postei - neste espaço - a respeito deste grave desastre natural, que matou mais de 200 mil pessoas, inclusive, a nossa saudosa Drª Zilda Arns Neumann, que foi a fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Criança (Organismo de Ação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB).
 
Pois bem, no dia 12 deste mês, foi divulgado nas mídias a última descoberta a respeito do terremoto que devastou o país da América Central Insular. De acordo com os cientistas, o padrão do terremoto não foi compatível com a estrutura geológica, até hoje, conhecida na região. Ele foi provocado por uma falha geológica desconhecida.
 
Vejam a reportagem, na íntegra, publicada no Último Segundo.

Falha geológica desconhecida causou tremor no Haiti, dizem cientistas

Padrão do terremoto foi incompatível com a estrutura geológica conhecida na região, dizem pesquisadores americanos

O terremoto devastador que atingiu o Haiti no começo do ano foi provocado por uma falha geológica anteriormente desconhecida, disseram cientistas da Purdue University, do Estado de Indiana, nos Estados Unidos.
 
Segundo os pesquisadores, que apresentaram seus resultados em um encontro científico em Foz do Iguaçu (PR), a descoberta pode ser o primeiro sinal de um sistema maior de falhas geológicas na região.
 
A falha de Enriquillo, que passa pela capital do Haiti, Porto Príncipe, havia sido originalmente apontada como a origem do terremoto de janeiro. Entretanto, usando equipamentos como GPS e radar, o pesquisador Eric Calais e seus colegas da Purdue University foram capazes de mostrar que o padrão de movimento do tremor foi incompatível com o deslizamento em uma falha vertical como a de Enriquillo.
 
Cálculos mostraram que a única maneira de relacionar os dados coletados ao ocorrido era por meio do mapeamento de uma nova falha, levemente inclinada, a 60 graus na direção norte em relação à Enriquillo. Esta falha previamente desconhecida somente foi revelada aos cientistas pelo próprio terremoto.

Nível de risco
Eric Calais explicou que o fato de que não houve quebras na superfície ao longo da falha de Enriquillo foi a primeira pista de que o terremoto no Haiti foi mais complexo do que se pensava anteriormente.

Em meio à destruição provocada pelo tremor, os cientistas levaram vários meses para juntar dados para tentar explicar o que realmente ocorreu no país.

Calais disse à BBC que a busca e o estudo do sistema de falhas geológicas ao qual pode estar associada a falha descoberta é crucial para determinar "o nível de risco para o Haiti no longo prazo".

"O deslizamento de uma falha durante um terremoto altera o nível de risco na região de uma maneira que depende da localização da falha, da geometria e do deslizamento", disse. "Em algumas áreas o risco pode ser levemente elevado, em outras vai ser reduzido. Há pesquisas em andamento sobre quais as consequências específicas do tremor para o sul do Haiti", afirmou.

O terremoto em janeiro matou mais de 200 mil pessoas e deixou 1,5 milhão de pessoas desabrigadas no país caribenho.

domingo, 22 de agosto de 2010

Atividade Dirigida: Multinacionais




Os alunos do 8º ano da E.M. Dilermando Cruz, que estão pesquisando acerca das Multinacionais, precisam ter bastante atenção quanto aos itens a serem pesquisados e na configuração do trabalho a ser exposto na Unidade Escolar.

Como já expliquei na sala de aula, o trabalho deverá ser apresentado em 01 (uma) ou 02 (duas) folhas de papel Ofício ou A4, com margens de 1,5 cm (tanto a superior e a inferior quanto a da direita e da esquerda)*; o texto deve ser digitado com a fonte Geórgia e tamanho 12.

Todo o texto deve ser digitado com o espaçamento de 1,5 de entrelinhas.

Na parte superior da folha deve constar o logotipo da marca pesquisada (imagem de tamanho médio).

Itens a serem pesquisados:

. Marca;

. Ramo;

. Produto (s);

. País de Origem;

. Ano da Fundação;

. Histórico;

. Presença Global;

. Presença no Brasil;

. Curiosidades;

. Fonte de Consulta.

Vejam o exemplo abaixo:







. Marca: Benetton

. Ramo: Vestuário

. Produto (s): roupas, acessórios e malas

. País de Origem: Itália

. Ano da Fundação: 1965

. Histórico: Em 1965, na cidade de Ponzano Veneto, próximo a Treviso, na Itália, Giuliana Benetton tecia roupas coloridas nos seus tempos livres e o seu irmão, Luciano, as vendia.

Para melhorar a produção, eles venderam uma bicicleta e um acordeão. Com o dinheiro arrecadado com as vendas destes (30 mil liras), os irmãos adquiriram uma máquina de fazer malhas, passando a produzir regularmente. As malhas eram vendidas às lojas na região do Vêneto.

Com o sucesso obtido com as vendas de pulôveres coloridos, os irmãos investiram novamente na empresa e o negócio progrediu. Luciano utilizando uma estratégia de marketing, até então inovadora, conseguiu modificar por completo o mercado do vestuário.

Ele só comercializou com lojas especializadas em roupa de malha e, aproveitando a experiência e o empenho dos vendedores, concedeu descontos para pagamento à vista, comprou e adaptou máquinas de segunda mão (mais baratas), as quais executavam o trabalho pretendido.

Assim foi criada a empresa Maglificio di Ponzano Veneto dei Fratelli, uma empresa familiar gerida por quatro irmãos, Luciano, Giuliana, Gilberto e Carlo.

A aposta de Luciano foi marcada pela diversidade das cores, criando a mensagem comercial – “United Colours of Benetton”.

Essa idéia da cor a fez ser conhecida mundialmente e é um dos ícones da marca.

A partir de 1966, o grupo passou a contar com a colaboração do estilista francês Lison Bonfils, cuja parceria deu bons resultados na expansão dos negócios.

Três anos após a instalação da primeira fábrica, a Benetton inaugurou a primeira loja própria na cidade de Belluno, localizada na região de Vêneto, nos Alpes italianos. Foi um grande sucesso!

Em 1969, uma loja da Benetton foi aberta em Paris, França, onde, graças ao seu estilo e às cores das roupas, conquistou o público jovem de imediato.

Nos dez primeiros anos, a marca Benetton apostou no mercado doméstico, tendo conseguido abrir mais de 200 lojas nesse período.

Em meados dos anos 70, no entanto, as vendas no mercado italiano estabilizaram e a empresa passou a prestar mais atenção aos outros mercados europeus. Os fortes investimentos no mercado exterior fizeram com que cerca de 60% da produção da empresa fosse exportada em 1978.


. Presença Global: + 120 países

. Presença no Brasil: Sim

. Curiosidades: - No início, o nome Benetton nem sempre aparecia em todas as lojas. Algumas delas eram denominadas pelas marcas que vendiam (Sisley, Tomato, Merceria e 012), pois deste modo, caso alguma dessas fracassasse, a marca Benetton não sofreria consequências negativas.

. Fonte de Consulta: Mundo das Marcas


MariMoon: da exclusão à inclusão e fã clube





Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Muitos alunos me procuraram, porque leram a postagem sobre “Bullying” (15/08) e destacaram a relação com as artistas citadas no artigo. Afinal, as mesmas representam o público jovem.

A aluna Tamiris Neves, da turma 1901, levou até uma antiga revista Capricho (2008) para a sala de aula, na qual uma das matérias era também sobre a Mari Moon e a sua condição de vítima de bullying na idade escolar.

O que eu não pude responder a muitos alunos, que me procuraram e que, no momento em que escrevi e postei, também não tive a ideia de pesquisar, foi o nome verdadeiro da Mari Moon, apresentadora da MTV.

Eu prometi pesquisar, afinal a curiosidade foi grande e eu mesma quis saber. E para poder dar mais sentido, resolvi pesquisar mais sobre a sua vida.

Pois bem, pesquisei e descobri...



Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)

O seu nome verdadeiro é Mariana de Souza Alves Lima. Seu codinome (ou nome artístico) foi inspirado no desenho japonês Sailor Moon (anime).

Ela nasceu em São Paulo, no dia 27 de setembro de 1982 (signo Libra). Este ano, MariMoon completará 28 anos.

Na verdade, não é só o seu nome artístico tem a ver com os desenhos japoneses, mas também os cabelos coloridos e determinadas roupas, como a combinação de mini-saia e coturno (bota de cano alto, amarrado com cordões, tipo usado por militares).

Para quem não sabe a diferença entre mangás e animes (vejam a postagem do dia 10 de julho de 2008), o primeiro referem-se às histórias em quadrinhos japonesas, enquanto o segundo constituem os desenhos animados japoneses, transmitidos na TV e no cinema.




Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)


Do anonimato, o sucesso deu os seus primeiros passos... Sua história “deslanchou” após ter criado um fotolog, em 2003, com a intenção de postar imagens dela e de outros artistas amadores.

Nesta época, ela já se apresentava com os cabelos coloridos (ela começou a pintá-los aos 20 anos) e, muitas das vezes, suas fotos eram sensuais.

Sua página teve ampla repercussão na rede e devido ao grande acesso, diário, dos internautas, ela acabou sendo convidada para participar de campanhas publicitárias, revistas etc.

Ela também criou uma loja virtual, na qual poderia vender roupas criadas por ela mesma (grife MariMoon).

Ser estilista foi por um acaso, pois como ela não encontrava nada – a seu gosto – nas loja, acabou tendo que optar por criar as suas próprias roupas e acessórios.

As vendas começaram em eventos de anime e suas coleções passaram a ser revendidas pela marca MissBella, em 2007. Não achei nada que indicasse que as vendas continuam até hoje (se alguém souber, favor me enviar a fonte).





Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Em 2007, MariMoon foi eleita pela revista Criativa como uma das 25 mulheres mais criativas.

Em janeiro de 2008, ela passou a apresentar o programa Scrap MTV e, no final do mesmo ano, ela foi premiada na 7ª edição do Prêmio Jovem Brasileiro como “a apresentadora do ano”.

Atualmente, além do programa Scrap MTV, MariMoon apresenta o Acesso MTV, junto com Titi Müller. Esta última, por sinal, minha filha gosta muito.


Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)


Ela já foi capa da Capricho, revista voltada para o público jovem, em duas edições. A primeira foi a edição nº 998, de 06/08/2006 e a segunda foi este ano, na edição nº 1102, de 01 de agosto.

A aluna Tamiris Neves levou - para a sala - outra edição da mesma revista, na qual uma das reportagens era também sobre a MariMoon (Edição 1057, 09/11/2008).

Por sinal, em 2009, ela foi eleita e premiada pela referida revista como "a mais estilosa do ano".

MariMoon também apresentou um reality show produzido pela MTV Brasil em parceria com a revista Capricho, o programa era “Colírios Capricho”.


Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)


Em março deste ano, ela participou do Programa Um Contra Cem (SBT) e ganhou o prêmio de 300 mil reais.

Sua marca são os cabelos coloridos. Até uma boneca (Barbie) foi modificada pelo artista plástico Marcus Baby para ser a cópia fiel da apresentadora do MTV, Mari Moon. Com direito a um piercing nos lábios e os famosos coturnos. Vejam a reportagem na página oficial do artista (Bonecos do Baby).



Seus cabelos já foram pintados de diversas cores e, há anos, pelo mesmo cabelereiro. Hoje é uma ajudante deste. Seus cabelos já foram pintados de azul, vermelho, rosa, roxo e verde.

"As pessoas podem não saber meu nome, mas vão falar, 'aquela do cabelo colorido'", diverte-se MariMoon (Portal CARAS).

A menina que sofreu bullying na escola, se sentiu excluída do grupo por seguir um modismo próprio, hoje, é apresentadora de televisão (MTV), estilista, fotologger e empresária.

Espero ter atendido a curiosidade de muitos alunos... Curiosidades a mais, acessem o site oficial dela e o seu fotolog.



Imagens capturadas na Internet (diversas fontes):







Experiência nova: Colégio Estadual Prof. José de Souza Marques


Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Sexta-feira passada, dia 20 de agosto, eu comecei a dar aula no Colégio Estadual Prof. José de Souza Marques (1º ano do Ensino Médio).

Como muitos sabem, uma turma da E.E.E.S. Clóvis Beviláqua foi dissolvida e os alunos foram agrupados em outra do mesmo ano (8º ano). Em decorrência disso, os professores tiveram que procurar outra escola para complementar a carga horária.

Quando eu recebi a notícia do meu diretor, vi o meu mundo desmoronar... Afinal, a minha vida é toda esquematizada em função de duas escolas, minha casa, os cuidados com a minha mãe (inclusive, com horários à noite até o dia seguinte na casa dela), o meu Blog e outros.

Pensei até em pedir exoneração da rede, pois o meu horário na casa da minha mãe - durante a semana - já é fixo e não há como mudar. Eu permaneço no Clóvis Beviláqua com as outras cinco turmas, a complementação é para apenas uma turma (dois tempos de aula).

Graças a Deus, quando fui escolher a escola no dia 13 de agosto (sexta feira) havia uma turma no Colégio Estadual Prof. José de Souza Marques, em Brás de Pina, próximo do meu bairro. E o horário não foi tão ruim, pois não prejudica em nada com os meus tempos na outra escola (noturna) e nem da tarde (a mesma da manhã), assim como não cai no horário noturno nos dias da casa da minha mãe.

É a primeira vez que vou trabalhar com Ensino Médio, mas só faltava este nível para completar o meu currículo. A sala estava um pouco vazia, pois a turma havia ido a um passeio. Por isso, não tive como poder avaliá-la como um todo.

Eu gostei dos alunos presentes. Vamos ver como vai ser nesta semana, quando a turma deverá estar com mais completa (turma 1008).

No início, a adaptação ao professor é sempre mais difícil. Vamos esperar para ver!

sábado, 21 de agosto de 2010

Falência da empresa aérea Varig




Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Por muitos anos utilizei o logotipo da Varig para mostrar, como exemplo, a Rosa dos Ventos aos alunos. Inclusive, eu tenho até hoje o "saquinho" de papel da empresa, o qual mostrava aos alunos como curiosidade. E, agora, este sai de cena... Por fatores conjunturais (dívidas herdadas).

Ontem, saiu na imprensa que a juíza Márcia Cunha de Carvalho (1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro) decretou a falência das empresas aéreas Flex (antiga Varig), Rio Sul e Nordeste (do mesmo grupo).

De acordo com o que foi divulgado, o próprio administrador e gestor judicial da companhia havia solicitado a falência da empresa à referida juíza, pois as dívidas do grupo chegou a um nível impagável.

Por determinação da juíza, por duas semanas, a antiga Varig vai continuar operando o serviço de comunicações do rádio com os pilotos durante os pousos e decolagens. Assim como, o centro de treinamento de aeronautas da empresa, que é utilizado por outras empresas, será mantido ativo até a alienação judicial, enquanto os demais estabelecimentos serão lacrados por oficiais de justiça.

Em junho de 2005, o grupo Varig foi a primeira empresa aérea do país a solicitar recuperação judicial. Na época, a sua dívida era na ordem de R$ 7 bilhões.

Transcorridos 13 meses de negociações, parte da empresa - sem dívidas - foi vendida para a ex-subsidiária VarigLog e, em 2007, a Nova Varig foi comprada pela concorrente Gol. Ela passou a ser chamada Flex.


Leia mais a respeito no Folha.com...

Finalistas do 10º Concurso da Escola Voluntária.








Infelizmente, o nosso projeto da Campanha da Solidariedade não foi selecionado para a final do 10º Concurso da Escola Voluntária.

Eu sabia que seria bastante difícil, pois foram muitos inscritos e, com toda a certeza, haviam projetos bem mais estruturados.

Mas, valeu como experiência!

O Rio de Janeiro só teve um projeto na final. Confira, abaixo, as Escolas Finalistas do 10º Concurso da Escola Voluntária.



. BAHIA

Colégio Santo Antonio de Jesus - Cidade: Santo Antonio de Jesus

Projeto: “Reflorestamento de Nascentes



. MINAS GERAIS

Escola Municipal Anne Frank - Belo Horizonte

Projeto: “Anne Frank Viva


. PARANÁ

Colégio Positivo Telêmaco Borba - Cidade: Telêmaco Borba

Projeto:Clube de Matemática Solidária


Escola Berlaar Santa Maria de Londrina - Londrina

Projeto: “Áudiolivro



. RIO DE JANEIRO

Colégio São Vicente de Paulo - Rio de Janeiro

Projeto: “Construindo e preparando o futuro



. RIO GRANDE DO SUL

Escola de Ensino Fundamental Menino Deus - Porto Alegre

Projeto: “Núcleo de Cidadania e Voluntariado



Escola Municipal de Ensino Fundamental Benno Breunig - Venâncio Aires

Projeto: “Está em suas mãos a força de ser, transformar e recomeçar”



. SANTA CATARINA

EEB Professora Elza Mancelos de Moura - Guarujá do Sul

Projeto: “Rio das flores, rio da vida”



. SÃO PAULO

Escola Experimental Pueri Domus – Unidade Itaim - São Paulo

Projeto: “Aprender



Escola Internacional de Alphaville - Barueri

Projeto: “Janelas para o Futuro

Para saber mais acesse o site da Escola Voluntária, AQUI!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Dica de Site: Empresas Multinacionais e Nacionais



Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)

Os temas conexos à Globalização permeam o marketing, os avanços tecnológicos em diversas áreas, as Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC), os transportes modernos e rápidos, a integração dos mercados, as multinacionais, o consumismo exagerado, ente outros.

Em termos de liderança no mercado, a concorrência entre as empresas é muito grande e não importa a procedência destas, sejam estas multinacionais ou nacionais. O importante é divulgar a marca e abrir mais espaço no mercado, a fim de conquistar mais consumidores.

Neste aspecto, tenho uma dica de um Blog que, justamente, apresenta um rol de empresas multinacionais e nacionais, contando a sua história, bem como curiosidades, logotipos, sua atuação em diversos países e no Brasil.

Coca Cola, Avon, C&A, Apple, Mizuno... E muito mais! De acordo com a informação do seu autor são 1.348 marcas catalogadas. Vale a pena conferir!

Para os alunos das turmas do 8º ano, principalmente, que têm trabalho para apresentar acerca de multinacionais, esta dica é super valiosa.
Confira acessando o Blog Mundo das Marcas.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

17 de agosto: Propaganda Eleitoral Gratuita




Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)


Para muitas pessoas, hoje, começou um programa capaz induzi-las a desligar – principalmente - o aparelho de TV, tão logo este inicie. Estou falando da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

As eleições vão ser realizadas no dia 03 de outubro e o pleito é para os cargos à presidência da República, para o governador do estado, senadores e deputados federais, estaduais e distrital (no caso de Brasília).

De acordo com os horários estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), às 2ª, 4ª e 6ª feiras, a propaganda eleitoral está voltada para os candidatos ao governo estadual, do Distrito Federal, ao Senado e às Assembleias Legislativas (deputados estaduais), enquanto às 3ª e 5ª feiras, assim como aos sábados, a campanha é para os candidatos à Presidência e à Câmara dos Deputados (deputados Federais).

Infelizmente, tenho que admitir que não posso culpar as pessoas que assim procedem (desligando a TV), mesmo sabendo o quanto é importante conhecer os candidatos e um pouco da proposta de cada um deles.

Mas, o nível de descrédito que a política brasileira adquiriu, ao longo dos anos, em meio aos casos de corrupção, troca de favores, propinas, prática de nepotismo, entre outros tantos fatos que alimentam os chamados “rabos presos”, faz com que o eleitor não confie mais em nenhuma promessa, generalizando a política do país como um grande sistema corrompível, onde a prática de corrupção e de desvio de dinheiro público – aos olhos dos políticos – passa despercebidos como algo lesivo ao povo brasileiro.

O tempo da Propaganda Eleitoral Gratuita, de 2ª feira ao sábado, será de 50 minutos, compreendendo dois blocos, a saber: no rádio (às 7h e 12h) e na televisão (às 13h e 20:30h).

O voto no Brasil é obrigatório, mas assistir a propaganda eleitoral gratuita é opcional... Algo a ser ignorado ou a ser analisado politicamente.

Cada um sabe se deve manter a sua TV ligada ou desligada, mas não esqueçam que a decisão é nossa. E, muitos já esqueceram a história, os caminhos cruzados por muitos políticos.

Não devemos ficar alienados, principalmente, em se tratando de políticos que conduzem o país tanto no planejamento quanto nas decisões de seus aspectos sociais, econômicos, políticos e ambientais.

Todas as charges, abaixo, foram capturadas na Internet (Fonte: Google).






















































Charges: XII Censo Demográfico do Brasil




Os "Brasis" do Brasil

Como muitos sabem, eu adoro trabalhar com charges, tanto nas avaliações quanto no Blog. Aproveitando o ensejo do XII Censo Demográfico do Brasil, que iniciou no dia 1º de agosto e termina em 31 de outubro, assim como das eleições deste ano, a serem realizadas também em outubro (Presidência, Governo estadual, Senador, Deputados estaduais, federais e distrital), estou compartilhando algumas charges que encontrei na Internet.