quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Eleições 2010: Candidatos ao Governo do Estado do Rio de Janeiro


Retomando às eleições, desta vez são os candidatos para o governo do estado do Rio de Janeiro, que são seis, a saber:





Eduardo Serra

. Data de Nascimento: 14 de janeiro de 1956 (54 anos);

. Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ);

. Formação Acadêmica: Engenheiro de produção, com mestrado em Engenharia de Produção e doutorado em Engenharia Naval;

. Cargos políticos e não-políticos: servidor público federal (professor universitário), candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro (2008);

. Partido Político: Partido Comunista Brasileiro (PCB)

. Vice: Alice Medina







Cyro Garcia

. Data de Nascimento: 26 de outubro de 1954 (56 anos);

. Naturalidade: Manhumirim (MG);

. Formação Acadêmica: Economia;

. Cargos políticos e não-políticos: bancário, candidato a deputado federal (2006);

. Partido Político: Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU);

. Vice: Miguel Malheiros




Fernando Gabeira

. Data de Nascimento: 17 de fevereiro de 1941 (69 anos);

. Naturalidade: Juiz de Fora (MG);

. Formação Acadêmica: Jornalista;

. Cargos políticos e não-políticos: redator do Jornal do Brasil (1964), escritor (livro “O que é isso companheiro?”), um dos fundadores do Partido Verde (PV), candidato ao governo do Rio de Janeiro (1986), candidato às eleições presidenciais (1989), deputado federal (1994,1998, 2002 e 2006), candidato à prefeitura do Rio de Janeiro (2008).

. Partido Político: Partido Verde (PV);

. Vice: Marcio Fortes.






Fernando Peregrino

. Data de Nascimento: 22 de abril de 1950 (60 anos);

. Naturalidade: Belém (PA);

. Formação Acadêmica: Engenheiro, com especialização em Propriedade Intelectual e mestradoe em Engenharia de Produção;

. Cargos políticos e não-políticos: Foi fundador, ex-diretor executivo e ex-professor da Escola de Políticas Públicas e Governo da UFRJ, fundou a Internet no Rio de Janeiro, presidente da Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) nos governos Leonel Brizola e Garotinho, ex-presidente do Proderj (Centro de Processamento de Dados do Estado do Rio de Janeiro), ex-secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação e secretário chefe de gabinete da governadora Rosinha Garotinho, candidato a deputado federal (2002).

. Partido Político: Partido da República (PR);

. Vice: Pastor David Cabral






Jefferson Moura

. Data de Nascimento: 27 de agosto de 1973 (37 anos);

. Naturalidade: Volta Redonda (RJ);

. Formação Acadêmica: Sociólogo;

. Cargos políticos e não-políticos: presidente estadual do PSOL, partido que ajudou a fundar, servidor estadual do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro há mais de 15 anos;

. Partido Político: Partido Socialismo e Liberdade (PSOL);

. Vice: Flávio Serafini (PSOL)




Sérgio Cabral

. Data de Nascimento: 27 de janeiro de 1963 (47 anos);

. Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ);

. Formação Acadêmica: Jornalista;

. Cargos políticos e não-políticos: diretor de operações da Turisrio (Companhia de Turismo do Rio de Janeiro, 1987), deputado estadual (1990, 1994 e 1998), Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro – Alerj durante 8 anos (1995), candidato à Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (1996), Senador (2002), atual governador do estado do Rio de Janeiro (2006-2010);

. Partido Político: Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB);

. Vice: Luiz Fernando Pezão.




Fontes:

. Biografia de Sérgio Cabral Filho

. Ficha dos candidatos ao Governo do Rio de Janeiro Folha. com

. SRZD

. Wikipedia


OBS.: As imagens foram capturadas de diversas fontes no Google.

Eleições 2010: Apresentação apenas de um documento oficial com foto



Imagem capturada na Internet (Fonte: Escreva Lola Escreva)


Embora, algumas pessoas considerem que a Lei nº 12.304, sancionada há um ano, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aprovada pelo Congresso Nacional, expressasse mais uma estratégia de fraude - em seu artigo 91-A - o qual exigia dois documentos para o eleitor poder votar, eu estou preocupada com a mudança da mesma, hoje, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que aprovou, sob votação, que para participar do próximo pleito, do dia 03 de outubro, basta apresentar um documento oficial com foto.

Mediante a esta decisão, o título de eleitor passa a ser um documento de gaveta ou de arquivo pessoal.

Para votar, no próximo domingo, para presidente, governador, senadores, deputados estadual e federal, a documentação necessária pode ser a carteira de Identidade (RG), o a carteira de trabalho, o passaporte, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou a carteira funcional.

Eu, ainda, acredito que a exigência de mais um documento oficial com foto junto à apresentação do Título de Eleitor nos dá mais segurança contra fraudes.

Posso estar até equivocada, mas esta alteração bem em cima das eleições e estando no páreo a candidata do Governo e mais outros dois candidatos (infelizmente, estes com margens consideráveis entre um e outro e com o primeiro lugar), ao que parece, faz mais sentido como artifício de falcatrua eleitoral.

Catapora: Doença viral infantil, benigna e branda, mas que necessita de muita atenção e cuidados




Imagem capturada na Internet e modificada no Adobe Photoshop
(Fonte original: Chupetes Y Biberones)

Assim como sarampo, coqueluche, rubéola, poliomielite e meningite, a catapora é uma doença infantil, mas que raramente acomete o recém-nascido. Em geral, a sua maior ocorrência se dá na faixa etária de 2 a 8 anos de idade.
 
No entanto, esta também pode acometer adultos e idosos, que não tiveram a doença na fase regular (infanto-juvenil), os quais necessitam de cuidados especiais, uma vez que podem apresentar graves complicações devido a pré-existência de outras doenças.
 
Conhecida também por varicela, a catapora é causada por um vírus chamado Varicela Zoster (Herpesvirus varicellae). Ela é uma doença benigna, branda e auto-limitada, isto é, desaparece sozinha em poucos dias. Todavia, ela é altamente contagiosa, sendo fácil a sua transmissão através do ar e/ou no contato direto com a pessoa doente.
 
Mesmo sendo, na maioria dos casos, uma doença benigna e branda, a catapora pode se tornar potencialmente grave devido às complicações que venham a surgir, seja por infecções secundárias seja pelo uso de medicamentos não recomendados a este tipo de doença ou, ainda, em decorrência de outros agravantes.
 
A principal característica da doença é a sua evolução no corpo da criança. Ela começa com manchas vermelhas (“pintas”), as quais se evoluem para bolhas de água (vesículas), que podem se romper ou não e, depois, cicatrizam-se formando crostas (“casquinhas”), que permanecem por 5 a 7 dias, para depois caírem.
 
No corpo, as lesões da catapora podem se apresentar, simultaneamente, sob estes três diferentes estágios (mancha vermelha, bolha de água e crosta), evoluindo - cada qual - para o estágio subsequente.
 
Após a queda da crosta, fica uma mancha branca no local, que desaparece logo em seguida.

A primeira parte do corpo onde as manchas se manifestam é no tronco, se espalhando – rapidamente - para os braços, pescoço, rosto, couro cabeludo e pernas.

As manchas também podem se espalhar, internamente, na boca, nas narinas (nariz), no ouvido e outros orifícios do corpo da criança.

No estágio da bolha de água é quando se dá a incidência da coceira, cujos riscos são maiores em razão das possíveis complicações que podem ocorrer.
 
Além das manchas vermelhas, os principais sintomas da catapora são: febre, mal estar, perda de apetite, cansaço e dor de cabeça. Estes, porém, podem anteceder o aparecimento das manchas no corpo em cerca de 24 a 48 horas.

A intensidade dos sintomas vai variar em função da quantidade de vírus contaminantes e da capacidade de defesa do organismo do indivíduo.
 
A maior incidência da catapora e de surtos epidêmicos da doença (quando mais de duas pessoas são contaminadas em um mesmo local) ocorre – em geral – no final da estação do inverno e início da primavera, quando o tempo está mais seco.
 
Sob condições de baixa umidade, o vírus da catapora (Varicela Zoster) permanece suspenso no ar, por mais tempo, possibilitando que sua transmissão seja mais rápida.
 
Sua transmissão pode ser feita através do contato direto com o indivíduo doente por meio das gotículas de saliva suspensas ou não no ar (através da tosse ou do espirro, por exemplo) ou pela secreção das feridas (contato com o próprio corpo do doente).
 
O período de contágio compreende desde o dia de surgimento das primeiras lesões na pele até o dia em que as mesmas já se apresentam sob a forma de crostas (“casquinhas”).
 
Tal como qualquer outra doença viral, não há um tratamento específico para a catapora. Por ser auto-limitada, ela age durante um período de tempo e depois desaparece sozinha.
 
E, em razão disso, os cuidados devem ser tomados apenas para aliviar os seus sintomas, os quais são bastante desagradáveis (mal estar, cansaço, coceira intensa etc.).
 
Em geral, as recomendações médicas são: beber muito líquido, usar roupas leves, higiene corporal diária, repouso, isolamento e unhas sempre curtas e limpas.
 
Ao mesmo tempo, deve-se evitar coçar a áreas lesionadas a fim de não provocar complicações por infecção secundária através do rompimento das bolhas ou contato com a ferida, assim como não colocar partes do corpo em risco de ter cicatrizes permanentes na pele.
 
As complicações advindas do ato de comichar o local podem também agravar o quadro do doente provocando, sobretudo, outras enfermidades, as quais podem variar desde infecções bacterianas na pele e cicatrizes, como pneumonia e, em casos mais raros, a infecção do sistema nervoso, dos rins, coração, articulações e complicações hematológicas.
 
Além destes, o uso de determinados medicamentos pode desencadear uma grave complicação, como a Síndrome de Reye, que causa danos irreversíveis ao cérebro e ao fígado (degeneração aguda).
 
A Síndrome de Reye ocorre, sobretudo, em crianças com catapora ou gripe, cujo tratamento foi incluído medicamentos a base de ácido acetilsalicílico (AAS e Aspirina). Estes medicamentos não devem ser usados, de forma alguma, em crianças com catapora (ou gripe).
 
Em geral, a recuperação completa da Catapora ocorre de 7 a 10 dias depois do aparecimento dos primeiros sintomas.
 
A catapora só se pega uma vez e, por esta razão, a pessoa que já teve a doença fica imune para o resto da vida. Contudo, o vírus Varicela Zoster permanece latente no organismo do indivíduo, podendo provocar outra doença, conhecida como Herpes-Zoster (ou cobreiro).
A sua prevenção pode ser feita através da vacina antivaricela, em uma única dose, sendo permitida a partir de 12 meses de idade (1 ano).
 
A rede pública de saúde não oferece esta vacina, gratuitamente, ao contrário, das demais vacinas para a faixa etária infantil, tais como a BCG (Tuberculose), Sabin (contra a Paralisia Infantil), Tríplice (Difteria, Tosse Comprida e Tétano), Sarampo, MMR (Reforço contra o Sarampo, Caxumba e Rubéola), a Hepatite do tipo B e Anti-Hemofilos tipo B. Sendo estas duas últimas, apenas para crianças menores de um ano.
 
Sendo assim, a vacina para Catapora só encontrada na rede privada de serviços (clínicas especializadas em vacinas).

Fontes de Consulta

Adiamento do Início da II Arrecadação da Campanha de Solidariedade 2010


Logotipo da Campanha da Solidariedade da E.M. Dilermando Cruz

(Bonsucesso, Rio de Janeiro)

Estava previsto, para ontem, a abertura das inscrições para o Concurso de Poesia, promovido pela Campanha da Solidariedade, coincidindo com o início da II Arrecadação de donativos deste ano.

Tal como a Campanha da Solidariedade, o Concurso de Poesia (e de Desenho para as classes do EI e dos primeiros anos) será aberto a toda a comunidade interna da E. M. Dilermando Cruz.

Mas, infelizmente, eu mesma - que estava a frente da organização do Concurso junto com a turma 1901 (idealizadora da Campanha de Solidariedade desde 2007) – precisei tirar licença médica para acompanhar e cuidar da minha filha, que está com catapora.

Até há pouco tempo, eu sabia que o surto desta doença estava em São Paulo, mas tive três alunos doentes e afastados da escola (E.M. Dilermando Cruz), recentemente, pelo mesmo motivo. E, desta vez, foi a minha filha.

Em razão disso, vou adiar o lançamento do Concurso para a semana que vem e da Campanha da Solidariedade para a seguinte subsequente.

Embora eu não esteja na escola, as inscrições para o referido Concurso podem ser feitas também com a Profª e Coordenadora Pedagógica, Márcia Ruggi e com a Profª e Responsável pela Sala de Leitura, Maria Isabel.

Já a II Arrecadação dos Donativos, eu preciso estar - necessariamente - orientando e supervisionando os alunos, os quais farão incursões nas salas de aula tanto do 1º quanto do 2º turno.

Ontem, à tarde, quando fui buscar o Boletim de Inspeção Médica (mais conhecido por sua sigla - BIM), um aluno da 1702 (Pedro Vitor) me perguntou quando a nova campanha iria começar, pois ele já havia comprado uma lata de leite em pó e só estava aguardando o seu início para entregar.

Após respondê-lo, mencionei acerca do Concurso de Poesia e um outro aluno, o qual não conheço, se interessou muito e me questionou se todos poderiam participar. Respondi que sim e que na próxima semana haverá divulgação na escola.

Espero que a ansiedade demonstrada por ambos os alunos, tanto acerca da II Arrecadação da Campanha de Solidariedade quanto ao Concurso de Poesia, seja um indicativo de que a participação da Comunidade Escolar vai ser bastante significativa, atendendo e superando as nossas expectativas.

Semana que vem passarei na escola para fixar os cartazes ou os enviarei através da Profª Sueli Vieira (minha irmã), que trabalha na mesma.

Os alunos da turma 1901, responsáveis pela Campanha, deverão divulgar entre eles, que os mesmos devem manter contato comigo através deste espaço (Blog), Orkut ou por e-mail.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Justiça no Brasil: Uma Gigante Adormecida

Por falar em política, nos três Poderes da União...


domingo, 26 de setembro de 2010

Eleições 2010: Candidatos à Presidência da República

Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)


As eleições estão se aproximando... No dia 03 de outubro haverá sufrágio para os seguintes cargos: presidente da República (e seu vice), governador de Estado e do Distrito Federal (e seus vices), 54 senadores (dois em cada uma das 27 Unidades Federativas do país), deputados federais e estaduais (ou distritais).

O Brasil tem mais de 130 milhões de eleitores. Caso as eleições à Presidência e ao Governo (Estado e Distrito Federal) não obtenham um vencedor - no próximo dia 03 de outubro - com mais de 50% dos votos, será realizado o segundo turno em 31 de outubro. Neste dia, a disputa será entre os dois candidatos mais votados no primeiro turno.

Os alunos do 7º ano estão fazendo trabalho sobre os Três Poderes da União e a função de cada político integrante destes.

Eu ainda não havia postado nada a respeito e, em razão disso, algumas postagens versarão sobre as próximas eleições. Não poderei postar nada a respeito das funções do presidente da República, do governador de Estado (e do Distrito Federal), do senador, dos deputados federais e estaduais, (ou distritais), pois este é um dos tópicos do trabalho solicitado para os alunos.

Após às eleições, tendo ou não o segundo turno, eu postarei acerca do mesmo a fim de constar como tópico de pesquisa neste espaço.

Nesta primeira postagem acerca das eleições optei por tratar do cargo maior de nossa nação, que é a da Presidência da República. A expectativa é que três candidatos estejam na briga, apesar das estatísticas já apontar um como o de maior probabilidade de ser vencedor e, inclusive, de não haver o 2º turno.

Eu não quero apostar em nada, pois torço pelo terceiro lugar nas pesquisas de opinião pública.

Vamos esperar para ver. Falta apenas uma semana...

O atual presidente do Brasil (35º), Luiz Inácio Lula da Silva, exerce o seu mandato desde 2003, tendo como vice-presidente, José Alencar.

Para quem, ele passará o cargo no dia 01 de janeiro de 2011? Só saberemos no próximo dia 03 de outubro ou, quem sabe (e assim espero!), no dia 31 do mesmo mês.

Ah, já ia me esquecendo... O pré-candidato do Partido Social Liberal (PSL), Américo de Souza, não vai concorrer, pois teve o seu processo de registro de candidatura indeferido duas vezez, em julho e agosto, ambas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Como o partido PSL não havia registrado nenhum nome para concorrer ao cargo da presidência, o referido candidato decidiu registrar sua candidatura em 10 de julho (além do prazo), numa brecha permitida dentro da própria Lei Eleitoral.

Mas, nas duas vezes que este recorreu, o TSE indeferiu por documentação incompleta.

Vejamos os candidatos à Presidência da República.





Dilma Rousseff

. Data de Nascimento: 14 de dezembro de 1947 (vai completar 63 anos);

. Naturalidade: Belo Horizonte (MG);

. Formação Acadêmica: Economia;

. Cargos políticos e não-políticos: Secretária Estadual de Minas, Energia e Comunicação no Rio Grande do Sul, ministra de Minas e Energia e ministra-chefe da Casa Civil;

. Partido Político: Partido dos Trabalhadores (PT);

. Vice: Michel Temer (PMDB).

. Veja seu Programa de Governo




Ivan Pinheiro

. Data de Nascimento: 18 de março de 1946 (64 anos);

. Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ);

. Formação Acadêmica: Direito;

. Cargos políticos e não-políticos: Bancário (Banco do Brasil), presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, foi candidato a deputado federal, vereador e a prefeito do Rio de Janeiro (1996);

. Partido Político: Partido Comunista Brasileiro (PCB);

. Vice: Edmilson Silva Costa (PCB).


Veja o seu Programa de Governo.




José Maria Eymael

. Data de Nascimento: 02 de setembro de 1939 (71 anos);

. Naturalidade: Porto Alegre (RS);

. Formação Acadêmica: Direito (com Especialização na área tributária) e Filosofia;

. Cargos políticos e não-políticos: empresário (marketing e comunicação), ex-deputado federal (1986 e 1990), candidato à Presidência em 1998 e 2006;

. Partido Político: Partido Social Democrata Cristão (PSDC);

. Vice: José Paulo da Silva Neto (PSDC).

Veja o seu Programa de Governo.




José Serra

. Data de Nascimento: 19 de março de 1942 (68 anos);

. Naturalidade: São Paulo (SP);

. Formação Acadêmica: Economista e Engenharia;

. Cargos políticos e não-políticos: Secretário de Planejamento de São Paulo (1983-1986), Deputado Federal Constituinte (1987-1991); Deputado Federal (1991-1995); Ministro do Planejamento e Orçamento (1995-1996); Ministro da Saúde (1998-2002); Senador (1995-2003);Prefeito de São Paulo (2005-2006) e ex-governador de São Paulo (2007 a abril de 2010);

. Partido Político: Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB);

. Vice: Indio da Costa (DEM).



Veja seu Programa de Governo.






Levy Fidélix

. Data de Nascimento: 27 de dezembro de 1951 (vai completar 59 anos);

. Naturalidade: Mutum (MG);

. Formação Acadêmica: --

. Cargos políticos e não-políticos: primeiro apresentador de um programa de informática na TV (Bandeirantes e SBT); Fundou as Revistas “Interface” e “Governo e Empresa”; Diretor de criação em agências de publicidade (revista Vogue e Staff - RJ); Professor na Faculdade de Marketing (FACMAR - ES); escreveu nos Jornais Correio da Manhã e Última Hora (RJ) e Revista Propaganda & Marketing (SP); Foi um dos fundadores do PL (Partido Liberal); já disputou eleições para Presidente da República (1994), Prefeito de São Paulo (1996 e 2008), governador (1998 e 2002), vereador (2004) e Deputado Federal (2006).

. Partido Político: Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB);

. Vice: Luiz Eduardo Ayres Duarte (PRTB).

Veja seu Programa de Governo.





Marina Silva

. Data de Nascimento: 08 de fevereiro de 1958 (52 anos);

. Naturalidade: Rio Branco (AC);

. Formação Acadêmica: História e Pedagogia;

. Cargos políticos e não-políticos: fundou, com Chico Mendes, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Acre (1985); Vereadora (1988); Deputada Estadual (1990); Senadora (1994); Secretária Nacional de Meio Ambiente e Desenvolvimento do Partido dos Trabalhadores (1995-1997) e Ministra do Meio Ambiente (2003 a maio de 2008);

. Partido Político: Partido Verde (PV);

. Vice: Guilherme Leal (PV).

Veja seu Programa de Governo.







Plínio Sampaio

. Data de Nascimento: 26 de julho de 1930 (80 anos);

. Naturalidade: São Paulo (SP);

. Formação Acadêmica: Direito;

. Cargos políticos e não-políticos: Advogado, Professor, Promotor Público; Coordenador do Plano de Ação do Governo de São Paulo (1959-1962), Secretário dos Negócios Jurídicos e Secretário do Interior e Justiça (no mesmo mandato do governador de São Paulo, Carvalho Pinto), Deputado Federal (1962 e 1985), Relator do Projeto de Reforma Agrária no governo de João Goulart (1961-1964), foi um dos fundadores e histórico dirigente do Partido dos Trabalhadores – PT (1980), Deputado Federal Constituinte (1986), Canditado a governador do Estado de São Paulo (2006); atualmente é o presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA) e Diretor do Semanario Correio da Cidadania;

. Partido Político: Partido Socialismo e Liberdade (PSOL);

. Vice: Hamilton Moreira de Assis (PSOL).

Veja o seu Programa de Governo.






Rui Pimenta

. Data de Nascimento: 29 de junho de 1957 (53 anos);

. Naturalidade: São Paulo (SP);

. Formação Acadêmica: Jornalismo;

. Cargos políticos e não-políticos: foi um dos fundadores do do Partido dos Trabalhadores – PT (1980), participou da formação do PCO (1996), foi candidato a vereador, a deputado federal, a prefeito de São Paulo e à Presidência (2002), atualmente é editor e jornalista do periódico Causa Operária;

. Partido Político: Partido da Causa Operária (PCO);


. Vice: Edson Dorta Silva (PCO).

Veja seu Programa de Governo.



Zé Maria

. Data de Nascimento: 02 de outubro de 1957 (vai completar 53 anos);

. Naturalidade: Santa Albertina (SP);

. Formação Acadêmica: não especificado;

. Cargos políticos e não-políticos: Metalúrgico; foi um dos fundadores e é o atual presidente nacional do PSTU, foi candidato à Presidência da República (1998 e 2002), é metalúrgico e integra a Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas);

. Partido Político: Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU);

. Vice: Cláudia Alves Durans (PSTU).

Veja seu Programa de Governo



Fontes de Consulta:

. Eleições 2010

. G1 Globo.com - As imagens dos candidatos foram retiradas deste site

. Super Blog

. Wikipedia

sábado, 25 de setembro de 2010

Mensagem: A Vida e a Viagem de Trem

Muitos já devem ter lido ou assistido a mesma em PowerPoint. Eu já a tenho há anos, mas nunca postei na categoria de Mensagens.

Achei oportuno compartilhar, hoje, neste espaço. Ela nos faz refletir muito na vida, nos nossos ente queridos, amigos, entre outros.


Imagem capturada na Internet - Serra do Mar em Morretes, Paraná (Fonte: Que Barato!)



A Vida e a Viagem de Trem




A vida não passa de uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, alguns acidentes, agradáveis surpresas em muitos embarques e grandes tristezas em alguns desembarques.

Quando nascemos, entramos nesse magnífico trem e nos deparamos com algumas pessoas, que julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco, nossos pais.

Infelizmente isso não é verdade, em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos do seu carinho, amizade e companhia insubstituível. Isso porém não nos impedirá que durante o percurso, pessoas que se tornarão muito especiais para nós, embarquem. Chegam nossos irmãos, amigos, filhos e amores inesquecíveis!

Muitas pessoas embarcarão nesse trem apenas a passeio, outras encontrarão no seu trajeto somente tristezas e ainda outras circularão por ele prontos a ajudar quem precise.

Vários dos viajantes quando desembarcam deixam saudades eternas, outros tantos quando desocupam seu assento, ninguém nem sequer percebe.

Curioso é constatar que alguns passageiros que se tornam tão caros para nós, acomodam-se em vagões diferentes dos nossos, portanto somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o que não nos impede é claro que possamos ir ao seu encontro. No entanto, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele assento.

Não importa, é assim a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas, porém, jamais, retornos. Façamos essa viagem então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com os outros passageiros, procurando em cada um deles o que tiverem de melhor, lembrando sempre que em algum momento eles poderão fraquejar e precisaremos entender, porque provavelmente também fraquejaremos e com certeza haverá alguém que nos acudirá com seu carinho e sua atenção.

O grande mistério afinal é que nunca saberemos em qual parada desceremos, muito menos nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado.

Eu fico pensando se quando descer desse trem sentirei saudades. Acredito que sim... Separar-me de muitas amizades que fiz será no mínimo doloroso, deixar meus filhos continuarem a viagem sozinhos será muito triste com certeza... Mas me agarro na esperança que em algum momento estarei na estação principal e com grande emoção os verei chegar.

Estarão provavelmente com uma bagagem que não possuíam quando embarcaram e o que me deixará mais feliz será a ter a certeza que, de alguma forma, eu fui uma grande colaboradora para que ela tenha crescido e se tornado valiosa.

Amigos, façamos com que a nossa estada nesse trem seja tranqüila, que tenha valido a pena e que quando chegar a hora de desembarcarmos o nosso lugar vazio traga saudades e boas recordações para aqueles que prosseguirem a viagem.

Lei Estadual: Cadeiras Especiais para Alunos Obesos


Imagem capturada na Internet (Fonte: ESEF)


Outra medida de âmbito escolar aprovada, esta semana, diz respeito a obrigatoriedade de haver – nas instituições de ensino público e privado (escolas, cursos e universidades) e até locais onde são realizadas provas de concursos – assentos especiais para pessoas obesas.

O projeto de lei, de autoria do deputado Fernando Gusmão, foi sancionado no dia 22 de setembro (4ª feira). E, de acordo com o mesmo, este foi motivado pelo desconforto e constrangimento sofrido por estudantes e candidatos obesos, quando sujeitos a cadeiras de medidas incompatíveis aos seus pesos e tamanho.

Fernando Gusmão acredita que o desempenho dessas pessoas, tanto nas Instituições de Ensino quanto nos concursos, será melhor com a implantação destas novas cadeiras.

Por sua vez, os assentos para os obesos deverão ser adquiridos e estar de acordo com as regras do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem- RJ).

A multa para quem descumpri-la é de 22 mil Ufirs (Unidade de Referência Fiscal), ou seja, R$ 44.440,00.

Outra medida que poderia ser tomada como obrigatória é a existência de cadeiras escolares adequadas para alunos canhotos.

Eu soube, no ano passado, do projeto de lei do vereador Fausto Alves acerca do mesmo, mas não soube se este fora aprovado ou não. Pesquisei, agora, na Internet para saber e nada encontrei.

É fato que nas escolas há cadeiras para canhotos, mas o número é insuficiente para atender a todos que precisam. Daí, ser bastante comum, alunos estarem sentados em posição inadequada mediante o uso da mão esquerda em carteira para destro, principalmente a do tipo universitário, a qual, com certeza, é desconfortante para os mesmos.



Imagem capturada na Internet (Fonte: Poeira Cósmica)


Lei Estadual: Notificações Obrigatórias de Casos de Bullying nas Escolas do Estado do Rio de Janeiro


Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Durante esta semana presenciei, mais uma vez, dois fatos ligados à prática de Bullying entre alunos. Em uma delas, eu estava na sala de aula, quando um aluno comentou algo e o outro - sem estar no meio da conversa - soltou uma piadinha a respeito do primeiro.

Eu, imediatamente, o adverti, pois este já esteve na Secretaria - em outras ocasiões - pelo mesmo motivo, inclusive, tendo a necessidade de chamar o responsável.

Ambos fazem parte de uma turma do 8º ano que apresenta, entre outras características, problemas sérios de relacionamentos entre os alunos. Tanto eu quanto a Coordenação e a Direção já conversamos com a turma e, acredito que outros professores, também. Os pais tomaram ciência dos fatos em reunião, mas eu tenho observado que tanto nesta turma quanto nas demais, a prática de bullying tem aumentado muito.

O outro fato, também ocorrente com aluno do sexo masculino, foi a respeito de denúncia. Ao final da aula do turno da manhã, um aluno retornou à sala, após a turma toda já ter saído, para me comunicar que estava sendo vítima de Bullying por um outro colega da classe.

Eu perguntei sobre o teor das brincadeiras e fiquei de intervir - da melhor maneira possível (a fim de não piorar a situação do mesmo) - na próxima semana.

E, com toda a certeza, depois de tantas conversas informais a respeito desta prática agressiva em todas as turmas, eu comunicarei sobre a mais recente medida tomada pelo governo do estado do Rio de Janeiro quanto a notificação - à polícia e ao Conselho Tutelar - dos casos de Bullying e violência contra criança e adolescentes cometidos nas escolas da rede pública e privada do estado.

Eu concordo com a opinião do presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino das Escolas do Estado do Rio (Sinepe), publicada na reportagem do jornal O Globo, ontem (página 23), o qual ressalta que o problema não será resolvido através de "atuações e multas", tal como prevê a lei.

Realmente, o Bullying no ambiente escolar já é uma prática antiga e que vem aumentando a cada ano. Seria imprescindível a existência no âmbito da unidade escolar ou sob a forma de parceria a atuação de um psicólogo, mas infelizmente não há nenhuma perspectiva para que isso ocorra.

E, todos nós sabemos o quanto esta prática marca a vida do indivíduo. Os efeitos e reações das vítimas de Bullying passam desde a indiferença a depressão, a evasão escolar e tentativas de suicídios.

O perfil e os problemas que cada pessoa enfrenta vão conduzir a uma determinada reação diante das provocações permanentes. E, com toda a certeza, vai intervir ao nível do seu processo de ensino-aprendizagem e, também, em sua vida em sociedade.

É preciso fazer algo mais incisivo quanto ao Bullying nas escolas. Medidas como notificações nas delegacias ou no Conselho Tutelar podem até não resolver o problema em si, mas são capazes de diminuir a incidência da mesma no ambiente que deveria primar pela democracia, pelos direitos e deveres iguais a todos, pela aceitação do outro, das diferenças e da diversidade cultural.

O projeto de lei, de autoria de André Corrêa (PPS), foi sancionado como lei estadual no dia 21 de setembro (3ª feira). Através desta, as notificações dos casos de bullying nas escolas passam a ser obrigatórias. A multa para quem descumpri-la é de três a vinte salários mínimos (até R$ 10.200,00).

Com a lei em vigor é bom os alunos que têm o hábito de provocar os demais alunos pensem antes de praticar estas “brincadeiras de mal gosto”.

Esta lei visa disciplinar, inclusive, as unidades escolares a respeito da forma pela qual elas têm que conduzir os fatos ocorrentes. Daí, as notificações serem obrigatórias.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Mensagem: Ditados da Era Digital



Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)

Vivemos na chamada Era Pós-industrial (ou Era Digital), cuja dinâmica se encontra nas interfaces da Ciência, da Tecnologia e da Informação sob a égide, principalmente, da Globalização e do uso das Tecnologias de Informação e de Comunicação (TICs).

Neste contexto, a sociedade moderna passou a ser denominada de “sociedade do conhecimento” ou “sociedade da informação”. Em razão disso, alguns ditados populares, antigos, precisaram ser revistos e adaptados à nova realidade.

Vejamos alguns exemplos:

1. A pressa é inimiga da conexão.

2. Amigos, amigos, senhas à parte.

3. A arquivo dado não se olha o formato.

4. Diga-me que chat frequentas e te direi quem és.

5. Para bom provedor uma senha basta.

6. Não adianta chorar sobre arquivo deletado.

7. Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.

8. Hacker que ladra, não morde.

9. Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.

10. Mouse sujo se limpa em casa.

11. Melhor prevenir do que formatar.

12. Quando um não quer, dois não teclam.

13. Quem clica seus bons ares multiplica.

14. Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.

15. Quem envia o que quer, recebe o que não quer...

16. Quem não tem banda larga, caça com modem.

17. Quem semeia e-mails, colhe spams.

18. Quem tem dedo vai a Roma.com

19. Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

20. Diga-me que computador tens e direi quem és.



PIADINHA (só para concluir):

Uma impressora disse para outra: “Essa folha é sua ou é impressão minha?”

Doar Órgãos: Um gesto de amor ao próximo



Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)






Estive ausente do Blog por motivos particulares (mãe e filha) e profissionais (final de bimestre), mas apesar de ainda encontra-me sob a mesma situação (preciso concluir algumas correções de provas e trabalhos), estou retornando por uma boa causa.

Aproveitando a sugestão recebida na última postagem, gostaria de destinar este post sobre a doação de órgãos.

Doar órgãos significa não só um gesto de amor, de solidariedade ao próximo, mas principalmente de sobrevida.

De sobrevida para aquele que enfrenta, diariamente, dificuldades, ansiedade e medo mediante o seu problema de saúde crônica ou não e, principalmente, a falta de perspectivas para a vida.

Por outro lado, há muitas pessoas com grande potencial de doador, as quais podem promover esta renovação de vida quer seja em vida quer seja após a constatação de sua morte (morte encefálica).

Não importa qual seja a situação, o importante é fazer algo por alguém, que impossibilitado de levar uma vida estável, se encontra na fila de espera do transplante, que parece não ter fim.

Quem doa, salva vidas! E, todos nós podemos fazer a diferença. Se não pudermos ser doadores, sejamos – ao menos – agentes multiplicadores, divulgando a importância da doação de órgãos no país.

Basta apenas comunicar o seu desejo em doar seus órgãos pós-morte ou seguir os mesmos procedimentos ainda em vida. Você pode salvar vidas... Doe seus órgãos.

E, como mencionei anteriormente, a doação de órgãos pode ser feita ainda em vida ou após a morte.

Quanto à doação em vida, a legislação pertinente à remoção e doação de órgãos expressa que a relação entre o doador e o receptor deve ser de parentesco (parente consanguíneo) até 4o grau (até primos, passando pelos pais, avós, irmãos, tios, sobrinhos e filhos) ou, também, o cônjugue.

No caso do receptor não ser parente, a doação só poderá ser realizada através de autorização judicial.

O doador, por sua vez, deve seguir certos procedimentos em termos de avaliação do histórico clínico da pessoa, bem como um check-up, a fim de que a doação de órgãos não represente riscos a este, capaz de comprometer a sua saúde e aptidões vitais.

Em vida, a pessoa só pode doar os chamados órgãos duplos, como o rim, o pâncreas, o fígado (apenas parte dele, em torno de 70%), o pulmão (apenas parte dele, em situações excepcionais), como também, a medula óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue).

O menor de 21 anos poderá ser doador de medula óssea, mas há a necessidade do consentimento dos pais ou responsáveis e autorização judicial, bem como a avaliação de que a retirada não irá oferecer risco à saúde. A gestante pode ser doadora de medula óssea se não houver risco à saúde, tanto para ela quanto para o bebê.

No caso de remoção dos órgão para fins de doação, após a morte, os procedimentos legais só podem ser realizados mediante o diagnóstico de morte encefálica.

Morte encefálica significa dizer que o cérebro morreu, mas que ainda há circulação sanguínea irrigando os órgãos.

Isso é fundamental para que os órgãos possam ser aproveitados para o transplante. Contudo, constatada uma parada cardíaca (o coração deixa de bater), só as córneas poderão ser aproveitadas e doadas.

Para doar, o futuro doador - antes de tudo - precisa comunicar aos seus familiares sobre o seu desejo pós-morte.

Ele não precisa deixar por escrito e nem a legislação atual exige mais o registro desta decisão pessoal (doador) na Carteira de Identidade e/ou na Carteira Nacional de Habilitação, tal como era antigamente.

Hoje, basta os familiares consentirem a doação com vistas a atender ou não o desejo da pessoa falecida. A autorização deve ser por escrito após a morte.

Vejamos a relação dos órgãos e outras partes do corpo humanos que podem ser doados:

- Córneas (retiradas até 6 horas depois da parada cardíaca e mantidas fora do corpo por até 7 dias);

- Coração (retirado antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 6 horas);

- Pulmão (retirado antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 6 horas);

- Rim (retirado até 30 minutos após a parada cardíaca e mantido fora do corpo até 48 horas);

- Fígado (retirado antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas);

- Pâncreas (retirado antes da parada cardíaca e mantido fora do corpo por no máximo 24 horas);

- Ossos (retirados até 6 horas depois da parada cardíaca e mantidos fora do corpo por até 5 anos);

- Medula óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue);

- Pele;

- Valvas Cardíacas.


Para se informar melhor sobre o que promulga no país sobre a doações de órgãos, a legislação brasileira pertinente à remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante é a Lei nº 9.434 (04 de fevereiro de 1997). Esta, porém, sofreu alterações, posteriormente, através da Lei nº 10.211 (23 de março de 2001).

Para ser um doador e renovar as esperanças daqueles que mais dependem dos outros para sobreviver, devemos:

- conscientizar nossos familiares sobre a importância do ato de doar órgãos;

- comunicar a nossa intenção em ser um doador após a morte;

- fazer a diferença em termos de cidadania responsável, divulgando e conscientizando mais e mais pessoas sobre a importância da doação de órgãos.

Ah, já ia me esquecendo... Além de seus órgãos, tecidos e medula óssea, podemos várias salvar vidas através da doação de sangue.

Não fique de fora, alheio a esta situação que depende de um número, cada vez maior, de doadores. Converse, conscientize e avise a sua família, que você quer ser doador e que eles também podem ser.

Para maiores informações a respeito, acessem os endereços abaixo, os quais - inclusive - me serviram como fontes de pesquisa.

. EPTV-Globo

. Portal do Ministério da Saúde

sábado, 18 de setembro de 2010

Tráfico de Órgãos: Brasil - África do Sul - Israel



Imagem capturada na Internet (Fonte: Revista Galileu)

Com o advento das novas tecnologias de Informação e de Comunicação (TICs), da fusão e incorporação de empresas, bem como a expansão das grandes multinacionais, entre outros aspectos ligados à área econômica, comercial, social, ambiental e política sob a égide do fenômeno da Globalização torna-se inquestionável os ganhos que a população mundial obteve em face da transformação do mundo sob uma “Aldeia Global”.

No entanto, diante do distanciamento gradativo existente entre os países desenvolvidos e subdesenvolvidos, o mesmo fenômeno ao estimular a cobiça pode, na maioria dos casos, instigar atividades ilegais. Assinalando assim, um dos aspectos negativos da Globalização.

Nesta perspectiva de cobiça, ilegalidade e de globalização é possível compreender a integração e o caráter transnacional de atividades criminosas como o comércio ilegal e o tráfico de órgãos (como também a de drogas, de armas, de mulheres, crianças etc.), que envolvem a participação de pessoas de diferentes países, cujo principal objetivo é ganhar dinheiro. E não é pouca quantia, não!

O comércio ilegal é estabelecido justamente obedecendo esta rota, isto é, de um ponto, os países do Sul (subdesenvolvidos) que vendem os seus órgãos e, na outra ponta, os países do Norte (desenvolvidos), onde se encontram os pacientes ricos que pagam fortunas pelos transplantes.

Apesar de já ser fato antigo, o comércio ilegal de rins envolvendo o Brasil (em destaque o estado de Pernambuco), África do Sul e Israel voltou a ser noticiado nos principais meios de comunicação.

De acordo com o que foi publicado nos principais jornais do país (impresso e on line), cinco médicos sul-africanos foram acusados de realizar 109 transplantes ilegais de rim em israelenses com órgãos comprados de brasileiros e romenos, entre 2001 e 2003.

As intervenções cirúrgicas, tanto as de extração dos rins (doadores) quanto as de transplante (doentes renais israelenses) foram realizadas no St Augustine Hospital, principal unidade hospitalar do grupo Netcare, em Durban (África do Sul).

Além dos doadores brasileiros e romenos também estariam envolvidos, como doadores, neste esquema de comércio ilegal de rins. A Romênia, país integrante da União Europeia (desde 2007), representa uma das economias frágeis da Europa Oriental (atraso econômico).

Antes destes, os próprios israelenses serviam-se como principais doadores, mas o valor da venda dos rins era bem superior (US$ 20 mil) à importância paga aos doadores brasileiros e romenos (US$ 6 mil).

Esta prática que, a princípio possa parecer algo legal, pois o doador está ciente de seus atos e de acordo com a venda, não é exatamente, pois a venda de órgãos humanos é crime.

De acordo com a Lei 9.434, de 4 de fevereiro de 1997, que dispõe sobre a Remoção de Órgãos, Tecidos e Partes do Corpo Humano para fins de Transplante e Tratamento, em seu Artigo 15 (Capítulo V das Sanções Penais e Administrativas) estabelece como crime “comprar ou vender tecidos, órgãos ou partes do corpo humanos (...)" e em seu parágrafo único afirma: "Incorre na mesma pena quem promove, intermedeia, facilita ou aufere qualquer vantagem com a transação”.

O grupo ligado ao esquema da NetCare e o St Augustine Hospital, ainda, falsificou documentos para constar que os doadores eram familiares dos doentes renais, que seriam submetidos ao transplante.

Segundo os dados divulgados, a NetCare faturou o equivalente a R$ 5,4 milhões com os 109 transplantes.

As audiências para o julgamento do caso estão agendadas para o mês de novembro. O NetCare negou ter atuado de forma ilegal e assegurou que se defenderá das acusações no tribunal. Mas, o caso é sério e dificilmente este e as pessoas envolvidas, direta e/ou indiretamente, sairão ilesas.

Além do comércio ilegal, os envolvidos poderão responder por formação de quadrilha, fraude, falsificação e lesão corporal grave.

No Brasil, de acordo com a antropóloga e pesquisadora da Universidade de Berkeley (Califórnia, EUA), Nancy Scheper-Hughes, desde o período do regime militar (1964 a 1985), tem-se registro de roubo de órgãos e de tecidos de cadáveres (Revista Galileu).

Segundo a referida revista, os especialistas acreditam que a lei 9.434, acima citada, tenha provocado um certo boom no mercado ilegal de compra e venda de rins, ao liberar o grau de parentesco entre o doador e o receptor (doente renal).

Imagem capturada na Internet (Fonte: Google)



Fontes:

. Estadão

. Jornal O Globo (impresso, 17/09/2010 - pag. 39)

. Revista Galileu

Trabalho Infantil no Brasil: Rio de Janeiro (1%) x Piauí (11%)

Imagem capturada na Internet (Fonte: O Globo)


Como muitos sabem, no Brasil, considera-se População Economicamente Ativa (PEA) todo e qualquer indivíduo, com 10 a 65 anos de idade, que esteja trabalhando ou a procura de emprego.
 
Por outro lado, a População Economicamente Inativa (PEI) consiste na parcela da população que não trabalha ou que não está a procura de emprego, tal como a dona de casa, os estudantes, as crianças (menores de 10 anos) e os aposentados.
 
Em sala de aula, discutimos – inclusive - a respeito da divergência existente quanto à idade mínima para o trabalho de menores entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) e a Constituição Brasileira (1988).
 
O IBGE considera, para efeito de trabalho a menores, a idade mínima de 10 anos, enquanto o ECA e a própria Constituição Brasileira (atualizada, com emendas) levam em conta a idade de 14 anos, em seus respectivos Artigos 60º e 7º (XXXIII).
 
O IBGE trata a idade mínima de 10 anos, porque a realidade do trabalho infantil no Brasil é esta e engloba faixa etária até menor. Infelizmente...
 
Sob esta temática (trabalho infantil) foi publicado no G1, recentemente, o resultado de um levantamento realizado pelo referido portal, o qual se baseou em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), que fora divulgada no dia 08/09 pelo IBGE.
 
Eu cheguei a comentar a respeito deste levantamento nas turmas 1705 e 1706, inclusive, com a promessa de postar no Blog acerca da mesma. Justamente, o que estou fazendo no momento. Nas turmas 1703 e 1704, eu não cheguei a falar.
 
De acordo com este levantamento, o Piauí é o estado brasileiro que apresenta o maior percentual de crianças de 5 a 14 anos trabalhando (11%). Em seguida e, ocupando a segunda posição no referido ranking, com 10% de menores trabalhando, se encontram os estados do Ceará, Rondônia e Tocantins.
 
Por sua vez, na outra ponta do ranking, nesta mesma faixa etária (5 a 14 anos) e com apenas 1% das crianças trabalhando, se destacam o Distrito Federal e os estados do Amapá e do Rio de Janeiro.
 
Em todo o país, conforme os dados do IBGE, 5% das crianças entre 5 e 14 anos trabalham, ou melhor dizendo, 1,637 milhão de menores de um total de mais de 33 milhões.
 
Na faixa etária de 5 e 9 anos, são 150 mil crianças ocupadas, cujos percentuais por estados se apresentam baixos (entre 1% a 3% da população nesta faixa de idade). Contudo, considerando o total da população, estes números não são tão baixos. Só para se ter uma ideia, no estado de Minas Gerais, por exemplo, são 15 mil crianças desta faixa etária que trabalham, enquanto que na Bahia, este número sobe para 21 mil.
 
Segundo Renato Mendes, coordenador do Programa Internacional para Eliminação do Trabalho Infantil da Organização Internacional do Trabalho no Brasil (OIT), apesar da gravidade e dos riscos que o país corre em não alcançar a meta de 2015 (metas do milênio da ONU, no que tange à eliminação das piores formas do trabalho infantil), este pode atingí-la se houver uma melhor atuação dos municípios e de suas respectivas políticas para erradicar o trabalho infantil.
 
Na faixa etária entre 10 e 14 anos, mais uma vez, os estados do Piauí, Rondônia e Tocantins aparecem com os maiores percentuais de menores sob regime de trabalho, tendo um acréscimo considerável: Piauí com 19% e Rondônia e Tocantins com 17%.
 
Em contrapartida, o Distrito Federal e os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Amapá apontam como as unidades federativas com os mais baixos índices de menores ocupados nesta faixa etária.
 
Como era de se esperar, as regiões Norte e Nordeste lideram o ranking, com os estados que apresentam os maiores índices de trabalho infantil.
 
O coordenador Renato Mendes, salientou - também - a necessidade de uma maior atenção ao trabalho realizado pelos jovens na faixa entre os 14 e os 17 anos, pois embora nesta faixa seja permitido – legalmente – o trabalho, a maior parte deles se encontra no mercado informal, isto é, trabalho sem carteira assinada e sem os direitos trabalhistas assegurados.
 
Em 2009, segundo o IBGE, o total de jovens brasileiros no mercado de trabalho, em idade de 5 a 17 anos, foi na ordem de 4,3 milhões (4,5 milhões em 2008). Deste total, 34,6% atuaram em atividades primárias (agricultura), com um rendimento médio mensal de R$ 278.
 
Embora, o país tenha registrado índices de crescimento econômico e de redução da pobreza mais acentuados, o mesmo não houve com o ritmo de redução do trabalho infantil, o qual se mostrou ainda um tanto tímido (lento).
 
Embora tenha havido uma redução nos índices, há muitas crianças - em idade escolar – trabalhando (quase um milhão de crianças).
 
De acordo com o coordenador da OIT, Renato Mendes, se os dados do trabalho infantil – por estado – forem cruzados com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), veremos que quanto menor o Ideb, maior a taxa de trabalho infantil. Daí, ele enfatizar a importância da educação, não só em termos de oferta, mas, sobretudo, em termos de qualidade.
 
Em termos de políticas públicas, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) do governo federal é considerado pela OIT como uma iniciativa de grande relevância para a redução do número de crianças no trabalho, pois se baseia em ações articuladas entre a educação e programas sociais (culturais, esportivos etc), bem como no programa Bolsa Família.
 
Mas, o país tem muito ainda a reduzir... O Piauí, que lidera o ranking do Trabalho Infantil apresenta números correspondentes ao Iraque, segundo dados cruzados com a Unicef, já o Rio de Janeiro, o Amapá e o Distrito Federal que se destacam por apresentarem o mais baixo índice (1%) de menores trabalhando equivalem à Romênia.
 
Vejam o infográfico com o percentual do trabalho infantil nas unidades federativas do Brasil e sua correspondência com as taxas equivalentes a determinados países do mundo (acessem Portal G1).
 
Para maiores informações acerca das faixas etárias, abordadas neste levantamento, por unidade federativa do país, acessem AQUI!
 
O Ministério Público do Trabalho, um dos ramos do Ministério Público da União, além de fornecer informações acerca de suas áreas de atuação (trabalho infantil, trabalho escravo, meio ambiente do trabalho, fraudes trabalhistas, entre outros, ele também oferece serviços de denúncia sobre o trabalho infantil. Clique AQUI!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Mensagem: Lágrima de Preta

Estive ausente por uns dias em razão de semana de provas, tanto das minhas turmas quanto as da minha filha, cuidados com a minha mãe e outros problemas particulares.

Estou retornando com uma mensagem que tem a ver com várias situações conflitantes expressas através das lágrimas e, neste caso especial, o "toque" é realmente conflitante (dor, perda, humilhação, segregação, preconceito etc.).

Podemos refletir sob o aspecto da perda de uma vida pela violência urbana, como é o caso da imagem abaixo ou do preconceito sofrido por ser negra, imigrante, idoso ou uma pessoal especial (com deficiências)...

A lágrima expressa o nosso coração...



Imagem capturada na Internet (Fonte: Raimundo Rui News)



LÁGRIMA DE PRETA

António Gedeão


Encontrei uma preta
que estava a chorar
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhai-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.

domingo, 12 de setembro de 2010

França: Assembleia Nacional aprova reforma na Previdência Social





Imagem capturada na Internet (Fonte: ASSETJ)


Comentei em sala de aula e prometi postar no Blog sobre as manifestações populares contra a reforma da Previdência Social ocorridas, no dia 07 de setembro (3ª feira passada), na França, mas em razão da minha mãe estar internada no hospital (desde o dia 24/08) e ter tido alta no dia seguinte (08/09), acabei ficando ocupada por demais com ela. E, com isso, os dias se passaram e somente, ontem, retornei ao espaço para postar.
 
Tal como mencionei em sala de aula, sobretudo, às turmas do 9º ano, todos estes episódios que vêm sendo registrados nas mídias acerca da Europa, quer seja sobre os imigrantes, quer seja sobre a aposentadoria tem a ver e se encontram associados com os grandes desafios por quais perpassam os países europeus em termos crescimento e envelhecimento da população.
Como é sabido, por muitos, a Europa é o continente que apresenta a população mais idosa do mundo. Isso se justifica pelas taxas de natalidade baixas e pela expectativa de vida da população elevada.
 
Em muitos países, como a Alemanha, Moldávia, Rússia e outros, a taxa média anual de crescimento demográfico é negativo, ou seja, a taxa de mortalidade supera a taxa de natalidade (morrem mais do que nascem).
 
Só para se ter uma ideia a respeito disso, estes países apresentam, respectivamente, as seguintes taxas (%), de acordo com os dados de 2009 fornecidos pelo IBGE@países: -0,086; - 1,0 e - 0,39.
 
O declínio da natalidade interfere diretamente na chamada População Economicamente Ativa (PEA) e, ao mesmo tempo, a expectativa de vida elevada aumenta de forma acentuada a quantidade idosos, que junto com as crianças, estudantes e donas de casas compõem a População Economicamente Inativa (PEI).
 
Estes dois indicadores sociais (taxa de natalidade baixa e expectativa de vida elevada), por conseguinte, vão intervir no mercado de trabalho (déficit de PEA), no sistema de saúde (o idoso necessita de maiores cuidados em razão dos problemas de saúde comuns nesta faixa etária) e, sobretudo, na previdência social em razão do aumento da quantidade de aposentadoria e pensionistas (mais pensionistas e menos contribuintes no mercado de trabalho).
 
Neste contexto, adquire importância ímpar o papel do imigrante, visto que ele se torna essencial não só para suprir o déficit do mercado de trabalho, como também contribuir para a estabilidade de muitos países em termos do crescimento demográfico e do sistema previdenciário.
 
Mas, mesmo assim, o número de imigrantes na Europa está longe de resolver a situação caótica por qual passa o continente face o crescimento natural ou vegetativo da população e o fenômeno de envelhecimento demográfico.
 
A conjunção e o impacto destes requerem, necessariamente, reformas na Previdência Social. Não vamos ser ingênuos a ponto de julgar as medidas do governo improcedentes.
 
É claro, que outras medidas deveriam ter sido cogitadas, anteriormente, tendo em mente os possíveis problemas, futuros, que a população enfrentaria com a redução da taxa de fecundidade da população feminina.
 
Infelizmente, a manutenção do sistema previdenciário depende da PEA e, perante o quadro demográfico e econômico da Europa, cada vez mais, há pessoas precisando de pensões e benefícios, enquanto há um menor número de pessoas contribuindo.
 
A greve geral do dia 7 de setembro, por qual a França enfrentou, com manifestações populares em todo o país e interrupções nos principais serviços à população, especialmente, no setor de transportes coletivos, não conseguiu derrubar e nem alterar a proposta do governo.
Na 6ª feira passada (10/09)
, a Assembleia Nacional da França aprovou o referido projeto, elevando a idade mínima de aposentadoria de 60 para 62 anos, a partir de 2018. E, ainda, elevando de 65 para 67 anos, a idade de aposentadoria com a integralidade dos salários.
 
O projeto obteve 98 votos a favor e 52 contra, mas ainda precisa ser votada no Senado, no fim de setembro. Mas, tudo indica que o projeto de reforma da Previdência Social da França seja aprovado.
 
O referido projeto passa também por um embate político, pois ele – caso seja aprovado no Senado – vai reverter parcialmente uma decisão tomada pelo ex-presidente da França, François Mitterrand, do Partido Socialista (PS), em 1983, que reduziu a idade de aposentadoria em cinco anos (piso que dura até hoje).
 
Em represália à votação e aprovação do projeto na Assembleia Nacional, os líderes do Partido Socialista (PS) anunciaram - ainda em plenário - que reverterão a lei, caso saiam vitoriosos nas próximas eleições presidenciais.
 
Os sindicatos, por sua vez, fortalecidos pelo apoio popular contra a reforma do sistema previdenciário e, objetivando evitar a aprovação no Senado, já anunciaram uma nova greve para o dia 23.
 
Mas, o presidente Nicolas Sarkozy se mostra irredutível... Segundo suas palavras, "Não deixarei que ninguém descaracterize a reforma" (Itamaraty) .
 
Tanto a aprovação do projeto na Assembleia Nacional quanto no Senado, no final de setembro, representam uma vitória política relevante para o presidente Sarkozy, não só pensando nas eleições futuras, mas devido a sua imagem estar muito desgastada nas mídia e no país por conta da aplicação de medidas repressivas aos imigrantes (mulçumanos, ciganos e outros).
 
Nota: O Brasil, assim como muitos outros países emergentes, se encontra neste processo de envelhecimento demográfico, caracterizado pelo declínio da natalidade e aumento da longevidade, assim como também da queda da mortalidade infantil. E, com certeza, tal como vem ocorrendo ao longo dos anos, a idade para a aposentadoria indubitavelmente sofrerá alterações (reforma no sistema da previdência social).

Imagem capturada na Internet (Fonte: Ciência Hoje)


Fontes de Consulta:
 
. SRZD