sábado, 16 de fevereiro de 2013

Hoje, à meia noite, encerra o Horário de Verão no Brasil

 
Imagem do meu acervo particular
 
Para muitos será um alívio, mas para outros - como eu - ele poderia continuar, sem grandes problemas... É, mas hoje, à meia noite, todos nós deveremos atrasar os relógios em uma hora, pois de acordo com o Decreto Federal nº. 6.558 de 08/09/2008, que institui que o Horário de Verão passa a vigorar – anualmente - a partir do 3° domingo do mês de outubro, terminando no 3° domingo de fevereiro do ano subsequente.
 
Conforme já mencionei, neste Blog, o Horário de Verão foi adotado em nosso país, em 1º de outubro de 1931, no Governo do presidente Getúlio Vargas, através do Decreto nº. 20.466 de 01/10/1931. Contudo, ele não foi seguido, continuamente, nos anos subsequentes, sendo interrompido por muitos anos. O seu cumprimento anual só veio acontecer a partir de 1985.
 
O Decreto Federal nº. 6.558 (2008), além de estabelecer o período do seu início e encerramento, faz uma ressalva quanto ao fato da data final do Horário Verão coincidir com o carnaval. Nesta situação, o término de sua vigência passa para semana subsequente.
 
Conforme dita o referido Decreto, a medida do Horário de Verão só abrange as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, além do estado do Tocantins, uma vez que as demais regiões, Norte (com exceção do Tocantins) e Nordeste, por sua localização geográfica, próxima a linha do Equador, a duração do dia não apresenta mudanças durante a estação do verão. Não implicando, assim, em uma redução de energia.
 
Eu, particularmente, adoro o Horário de Verão. Como não tenho problema algum em levantar cedo, gosto de retornar para casa - após o encerramento das aulas nas escolas - com a presença da luz solar. Mas, a medida acaba hoje, mesmo!
 
Segundo fontes do governo, no período compreendido antes do seu encerramento à meia noite de hoje, a redução do consumo de energia no horário de pico alcançou o patamar de 4,5%, ou seja, cerca de 2.477 megawatts (MW), abaixo da economia do Horário de Verão de 2011/2012 (4,6% - 2.555 megawatts).
 
Mas, este ano devido os baixos índices pluviométricos (chuvas), o governo também acionou as usinas térmicas, afetando de modo significativo a diminuição no consumo de energia neste período.
 
Como muitos sabem o nosso sistema de produção e transmissão de energia elétrica é, predominantemente, mantido por usinas hidrelétricas. Se ocorrer uma estiagem prolongada, os níveis dos reservatórios ficam mais baixos comprometendo o sistema elétrico do país. Daí, a necessidade de utilizar outras fontes de energia, como as usinas termelétricas (movidas a óleo), como o Governo Federal fez, no mês de outubro mesmo, quando teve início o Horário de Verão.
 
Depois, as chuvas voltaram a sua regularidade... Em certas situações até de forma abundante causando enchentes, deslizamentos etc. Mas, isso é outro assunto a ser abordado.
 
 Imagem capturada na Internet (Fonte: Portal G1 - Foto: Reprodução Globo News)
 
 
 Fontes Consultadas:
 

Um comentário:

António Manuel - Tómanel disse...

Neste dia de inverno friorento e meio chuvoso, passei por aqui, para lhe felicitar pelos trabalhos que tem publicado neste seu blog, especialmente, esta última postagem.
Um abraço cá deste meu Algarve - Faro.
http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com