quinta-feira, 12 de junho de 2014

Por ser brasileira vou torcer pela nossa Seleção


 Imagem capturada na Internet (Fonte: Copa do Mundo do Brasil)
 
Chegou, finalmente, o grande dia tão esperado por muitos e, ao mesmo tempo, contestado por muitos outros...
 
A população brasileira, sobretudo, a carioca que sempre foi festiva e receptiva se mostrou arredia e crítica à realização do evento em nosso país. Mas, com a proximidade da data de abertura do referido evento esportivo, que é hoje, a população foi, aos poucos, se envolvendo e se contagiando com o espírito otimista de sempre face às possibilidades da nossa Seleção conquistar, em casa, o título de hexacampeã.
 
Não resta dúvida, que esta edição (2014) vai ficar na história, não só pelo fato do Brasil ser – pela segunda vez - o país-sede do Campeonato, mas, sobretudo, pelas manifestações populares que marcaram o período pré-Copa.
 
A minha, a sua e a contestação da maior parte da população tem lógica mediante aos atos obscuros, as falcatruas e corrupção que cercaram todo o processo da execução do evento esportivo em nosso país, cuja realidade nos sistemas de Saúde e de Educação deixa qualquer um indignado, revoltado.
 
Os altos investimentos empregados na construção e nas reformas de estádios confrontados com o caos dos hospitais públicos, federais, estaduais e/ou municipais é, realmente, um absurdo. Sem falar das Unidades Escolares da rede pública em termos estruturais, de mobília e materiais de consumo...
 
Eu li, outro dia, uma declaração Joseph Blatter – atual presidente da FIFA – que a Entidade queria apenas 8 estádios, mas o governo brasileiro quis 12 e, com isso, mais quatro foram construídos. Arranjo político, segundo o mesmo.
 
E, com certeza, este foi o objetivo, pois alguns se tornarão verdadeiros “elefantes brancos”, em razão do pouco retorno que causará para a cidade após a Copa do Mundo.
 
Tal constatação pode ser ratificada pelo levantamento feito pelo Instituto Dinamarquês de Estudos do Esporte (IDEE), que criou o chamado “Índice Mundial de Estádios”. De acordo com o mesmo, os estádios considerados mais problemáticos desta edição da Copa são o Nacional (Brasília), o Arena Amazônia (Manaus), o Arena Pantanal (Cuiabá) e o das Dunas (Natal). O primeiro com 70 mil lugares e os outros três, comportando 42 mil pagantes.
 
Fora a estes problemas, os custos das obras que aumentaram com o passar dos anos e as diversas denúncias de corrupção envolvendo todo o esquema.
 
Infelizmente, temos que concordar que este mal ainda persiste em nosso país, entre aqueles que representam o povo. Mas, uma coisa podemos admitir - embora até hoje ninguém o tenha feito - o caos por qual passa as áreas da Saúde e da Educação no Brasil é fato, mas tem solução.
 
O que não existe – por parte das três instâncias do governo (federal, estadual e municipal) - é o interesse em investir nestas áreas e oferecer serviços públicos de qualidade à grande massa populacional. É, realmente, vergonhoso!
 
A hora se aproxima, os estopim dos fogos de artifícios já anunciam o espírito festivo e a ansiedade do povo na vitória de nossa Seleção... Tais problemas sociais passarão – temporariamente – para um segundo plano.
 
Não condeno ninguém, porque – como brasileira – vou torcer pela nossa Seleção. Mas, os ideais de mudanças em nosso país, principalmente, na sua estrutura política (corrupta) vai permanecer até o momento certo de outras manifestações populares, seja nas ruas ou nas urnas, em outubro próximo.
 
Só que precisou passar por um atendimento médico na rede pública de Saúde sabe que a população está certa em protestar.
 
A hora está chegando e eu vou assistir a Abertura da Copa do Mundo pela TV da minha casa. Vou torcer pela nossa Seleção porque sou brasileira... Pendurei até a bandeira do Brasil, hoje, em minha janela da sala.
 
Que venham as vitórias através das pernas dos nossos jogadores, dos dribles com a bola e com os adversários, para que o povo brasileiro não se esqueça dos reais problemas do país, mas que ao menos seja um pouco mais feliz.  
 

2 comentários:

[C]astzin disse...

Concordo com você professora.

E também não foram os jogadores que "ordenaram" que ficassem esses gastos absurdos com os estádios, eles foram convocados e apenas vão fazer o trabalho deles. #Brasil

Jonatas
Turma: 1801

Anônimo disse...

verdade professora , os jogadores só estao fazendo o trabalho deles que é jogar pela seleçao brasileira e tentar ganhar a copa do mundo eles nao t nada haver com o que foi gasto com os estadio.


Gabriel Ferreira
1801