terça-feira, 31 de março de 2015

Capitalismo versus Socialismo


Imagem capturada na internet para fins ilustrativos
(Fonte: Brasil Escola)

Como vimos na postagem sobre a Guerra Fria (Período de Paz Armada: Guerra Fria), após a II Guerra Mundial (1945), a nova Ordem Mundial instituída caracterizava-se pela bipolaridade, tendo como grandes potências hegemônicas os Estados Unidos da América (EUA) e a antiga União Soviética (ex-URSS).
 
Ambas, no entanto, destoavam-se em termos posicionamento ideológico, uma vez que os EUA seguiam e defendiam o sistema Capitalista e seus países aliados, enquanto a antiga União Soviética professava o Socialismo e controlava o bloco de países socialistas.
 
Sistemas sócio-político-econômicos, estes, totalmente antagônicos e conflitantes em seus fundamentos e práticas. E foi, justamente por seus princípios distintos e, sobretudo, dos riscos eminentes da influência soviética, principalmente, sobre os países europeus, arruinados economicamente e estruturalmente em consequência da II Guerra Mundial, que teve o início da Guerra Fria.
 
A Guerra Fria acabou no começo dos anos 90 (Século XX), mediante a crise no Socialismo e a extinção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), o que provocou o desmantelamento quase por completo do bloco dos países socialistas, de regimes comunistas.
 
Embora o Socialismo Real tenha contrariado os princípios do Socialismo Científico de Marx e Engels, caracterizando-se como um regime ditatorial, dizer que o Capitalismo é o melhor sistema é, indiscutivelmente, leviano para qualquer análise.
 
Daí, a importância de conhecermos as características de cada um.
 
Imagem capturada para fins ilustrativos (Fonte: Desconhecida )
Imagem disponibilizada por cursista no
Fórum do Curso de Formação Continuada em Geografia (CECIERJ) 
 
CAPITALISMO

Sistema socioeconômico e político desenvolvido na Europa, a partir do Século XV e XVI, passando a vigorar com o estímulo da burguesia e com a ascensão do Absolutismo, suplantando o sistema de produção vigente, na época, que era o Feudalismo.
 
Entre as principais características do Capitalismo, pode-se destacar:
 
. Predominância da propriedade privada dos meios de produção (terras, indústrias, comércio, bancos, fazendas etc.), ou seja, os meios de produção têm dono, podendo este ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas.
 
 Imagem capturada na Internet para fins ilustrativos
 
. Objetivo Principal: Obtenção de lucro a partir do aumento do consumo e da oferta de serviços.
 
. Divisão da Sociedade em Classes Sociais: Burguesia e Proletariado.
Os proprietários dos meios de produção, que representam a minoria da sociedade, são os burgueses (comerciantes capitalistas ou empresários). Enquanto, a maioria da população é representada pelos proletários (trabalhadores) que, para garantir a sua sobrevivência, vivem dos salários pagos em troca de sua força de trabalho.
 
Esta relação assinala outra característica do sistema, com a sociedade dividida em classes sociais, que é a má distribuição de renda da população.

 

 Imagem capturada na Internet para fins ilustrativos
 

. Economia de mercado (livre comércio): A economia é baseada em empresas privadas (particulares) e regulada pelo mercado, ou seja, pela “lei da oferta e da procura”, a qual traduz uma relação em que se a oferta de um determinado produto é maior que a sua procura, o seu preço tende a ser baixo, enquanto que, se a procura for maior que a oferta do mesmo, o preço deste tende a ser mais alto (produto raro = valor mais alto).

 Verificando-se, ainda, a competitividade e a livre concorrência no mercado, onde todos são livres para produzir, vender, comprar etc., tendo uma baixa interferência do Estado nos negócios.
 

 Imagem capturada na Internet para fins ilustrativo
(Fonte: Economia)



SOCIALISMO

Sistema socioeconômico e político desenvolvido, na Europa, em oposição ao sistema Capitalista. Suas origens datam do Século XVI, quando o inglês Thomas More – em sua obra (o livro Utopia) propôs uma nova forma de organizar a sociedade, que ficou conhecida com o nome de Socialismo (Socialismo Utópico). Outros idealizadores foram Claude-Henri de Rouvroy (1760-1825), Charles Fourier (1772-1837), Pierre Leroux (1798-1871), Louis Blanc (1811-1882) e Robert Owen (1771-1858).

Mas, foi no Século XIX, que os alemães Karl Marx e Friedrich Engels - preocupados com as “mazelas” do sistema capitalista (exploração do homem pelo homem, pobreza, grande desigualdade social, entre outros aspectos) - aprofundaram os seus estudos e se tornaram os mais conhecidos defensores do Socialismo e, ao mesmo tempo, opositores e críticos ao Capitalismo. Estes propuseram nova forma de organização social-política e econômica da sociedade, conhecido como o Socialismo Científico.

Entre as principais características do Socialismo, pode-se destacar:

. Predominância da propriedade coletiva dos meios de produção (terras, indústrias, comércio, bancos, fazendas etc.), ou seja, há uma socialização dos meios de produção, os quais pertencem a todos, à sociedade.

. Seu Objetivo Fundamental: O bem estar da sociedade.
 
. Não há divisão da Sociedade em Classes Sociais e, com isso, haveria uma divisão igualitária da renda.
 
. Economia Planificada: As decisões econômicas perpassam por um plano, o qual é elaborada e administrado pela sociedade.
 
 
 SOCIALISMO REAL

 Imagem capturada na internet para fins ilustrativos
 
Diferentemente desse Socialismo Utópico e do Socialismo Científico, o Socialismo Real, tal como ocorreu na Rússia e em outros países socialistas, no Século XX, não se caracterizou com às ideias de Marx e Engels, tornando-se uma forma de ditadura por parte do Estado. Sendo assim, entre outros aspectos, o que ocorreu de fato foi:
 
 - A socialização dos meios de produção, mas o governo era o único proprietário e administrador;
 
- Houve uma certa divisão de classes sociais, a partir do momento que o Estado e pessoas ligadas a este passaram a ter determinados privilégios em detrimento a maior parte da população; 
 
- As decisões econômicas continuaram a perpassar por um plano, mas este é elaborado,  administrado e controlado pelo Estado, que regulava o mercado como um todo, determinando o que produzir, os preços, os salários etc.;
 
- Embora, não houvesse a prática de lucro, típica do sistema capitalista, houve acumulação de capitais particulares.

 

Nenhum comentário: