sábado, 30 de maio de 2015

Registros de Neve nos Estado do Rio de Janeiro

 Imagem capturada na Internet
(Fonte: Tempo e Clima)
 
Eu já publiquei - aqui, no Blog - algumas matérias acerca da precipitação nival (neve) no estado do Rio de Janeiro, mais especificamente, no Pico das Agulhas Negras, inclusive, com imagens que comprovam.
 
Na elaboração desta, pesquisei outras fontes na Internet, sobretudo, mais recentes, já que há registros de neve em nosso estado por vários anos, sendo a de 1985 considerada a maior de todas (não sei a nível de Brasil, mas no estado, esta foi).
 
Para haver precipitação de neve é preciso que a umidade do ar esteja elevada e a temperatura abaixo de zero.
 
De acordo com os dados levantados, o registro histórico de queda de neve, durante o inverno, no Parque Nacional do Itatiaia e em sua parte alta, isto é, no Pico das Agulhas Negras se resume em:

. 1867: Primeiro registro de nevasca em Itatiaia.
 
. Junho de 1985: A neve que caiu no Parque Nacional de Itatiaia foi considerada atípica e atraiu bastante turistas. De acordo com o jornal O Globo, até na capital do estado, foi realizada uma operação de recolhimento de mendigos das ruas devido as baixas temperaturas.
 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: Itamonte Net)
 

Imagens capturadas na Internet
(Fonte: Blog Assomar)
 
. Julho de 1988: Os termômetros registraram - 9˚C, sendo a temperatura mais baixa dos últimos 12 anos. A neve caiu por volta das 21 h e, somente por volta das 10h30m, do dia seguinte, o Sol seguiu derreter a neve. Muitos turistas aproveitaram para fazer bonecos de gelo e quebrar a capa de gelo formada na superfície dos córregos.
 
. Julho de 1996: Com a temperatura registrando - 6˚C houve a formação de geada no Parque de Itatiaia e a vegetação amanheceu com uma fina camada de gelo.
 
. Agosto de 1999: Nevou na região durante dois dias.
 
. 2001: Nevou e a vegetação do Parque voltou a ficar coberta de neve e gelo.
 
. 2004: A neve caiu no alto da Serra de Itatiaia, sendo precedido por um temporal de granizo. O fenômeno durou 30 minutos e foi observado em áreas acima de 2 mil metros.
 
. Maio de 2009: Formação de geada com registro de - 3˚C.
 
. Junho de 2010: Com as temperaturas baixas houve a formação de geada.
 

 Imagens capturadas na Internet
 
. Setembro de 2012: Houve queda de neve na área mais alta do Parque, cuja temperatura atingiu -9° C.
 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: ICMBio)
 
. Julho de 2013: Os termômetros registraram dez graus negativos (-10°C) no Pico das Agulhas Negras.
 
De acordo com o site Itamonte Net há registro, ainda, de temperaturas baixas, com nevascas na região, nos anos de 1928, 1970, 1973, 1975.

Fontes:

. Itamonte Net

. O Globo

Temperaturas Baixas e Neve no Estado do Rio de Janeiro

Todo ano, quando inicio as aulas sobre Clima ou Regionalização da Terra por Zonas Térmicas (ou Domínios Climáticos), as reações dos alunos são sempre as mesmas, isto é, de total espanto misturado com certa descrença, uma vez que muitos não acreditam e duvidam das minhas palavras.
 
Afinal, como imaginar neve no estado do Rio de Janeiro, ainda mais morando na capital (município de mesmo nome), estando acostumado com as altas temperaturas e chuvas no verão?
 
Realmente, para muitos, é algo surpreendente, porém fácil de entender...
 
Pois bem, estou me referindo aos registros de neve no Pico das Agulhas Negras, localizado na Serra da Mantiqueira, entre os municípios de Itatiaia e Resende (no estado do Rio de Janeiro) e o município mineiro de Bocaina de Minas.
 
Com os seus mais de 2.790,00 metros de altitude, este é considerado o ponto culminante do nosso estado, ocupando a sexta posição entre os pontos mais altos do país.
 
Como entender a precipitação nival (neve) no estado do Rio de Janeiro, se este se encontra – assim como a maior parte do território nacional - na Zona Térmica classificada como a mais quente e úmida do planeta (Zona Tropical ou Intertropical)?
 
Para entender é preciso compreender os efeitos dos dois principais fatores que determinam o clima de uma região, isto é, a Latitude e a Altitude. Embora, existam outros fatores que possam influenciar também as condições climáticas, mais pontuais, como as massas de ar, as correntes marítimas, a continentalidade, a maritimidade e a disposição de relevo, a latitude e a altitude se destacam na determinação e influência climática.
 
A Regionalização ou Divisão da Terra em cinco Zonas Térmicas tem por base a relação Latitude versus Radiação Solar. Em razão da forma esférica da Terra, com leve achatamento nos polos (geoide), a incidência dos raios solares não vai apresentar a mesma intensidade em toda a superfície terrestre.
 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: Geografia Net)


Nas áreas próximas à linha do equador, que corresponde a parte mais larga do planeta, a intensidade vai ser maior (temperaturas mais altas), pois os raios solares atingem à superfície de forma perpendicular. Já na direção dos polos, com o formato do planeta é mais arredondado, estes incidem de forma inclinada, atingindo a superfície com menor intensidade.
 
Em razão disso e da influência da Latitude verifica-se uma diminuição da temperatura da linha do equador em direção aos polos, ou seja, das baixas às altas latitudes, a temperatura diminui.
 
Vale, ainda, ressaltar neste item que o território nacional não se encontra totalmente localizado na Zona Tropical ou Intertropical, tendo em vista que a região Sul do país se localizada na Zona Temperada do Sul e, em consequência disso, esta apresenta condições climáticas distintas das demais regiões brasileiras. É por esta razão que a precipitação nival (neve) é comum na região, durante o inverno, sobretudo, nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
 
Se o estado do Rio de Janeiro está localizado na Zona Tropical ou Intertropical, com condições climáticas quentes e úmidas, como se explica a ocorrência de precipitação nival no Pico das Agulhas Negras?
 
Simples! O fator, neste caso, não é a Latitude, mas sim, a Altitude. Sendo esta definida como a distância ou a altura de um determinado ponto em relação ao nível médio do mar. Conforme a altitude aumenta, a temperatura diminui. Isso se dá em razão da incidência solar ocorrer de forma inclinada e, também, pelo fato do ar ser mais rarefeito nas altas altitudes, possuindo – com isso – menor capacidade de acumular calor.
 
Em média, a cada 200 metros de altitude, a temperatura diminui cerca de 1º C a 2º C.
 

 Imagem capturada na Internet

(Fonte: Geógrafos)
 

Por esta razão, ou seja, pela altitude, cai neve no Rio de Janeiro, mais especificamente, no Pico das Agulhas Negras.
A imagem, abaixo, eu cheguei a comentar com os alunos durante a explicação em sala de aula. Nesta é possível ver a conjunção dos dois fatores, cujas temperaturas são bastante distintas. Trata-se do monte Kilimanjaro, pico culminante do continente africano, na Tanzânia, que em razão da altitude apresenta as chamadas “neves eternas”, embora - devido a latitude - o país esteja localizado na Zona Tropical ou Intertropical (a mais quente do planeta).
 

 Imagem capturada na Internet


 

Mensagem: Duvidando da Existência de Deus

Depois de tanto tempo ausente, enfim, estou tentando recomeçar as atividades neste espaço, tal como prometi aos meus alunos. E, conforme comentei em duas turmas do 8˚ Ano do Ensino Fundamental, nesta última semana, diante dos últimos acontecimentos no ambiente escolar, iniciarei com uma mensagem que poderá servir para reflexão de muitos.
 

Imagem capturada na Internet (Fonte: Clan Revoltados)

 
 
DUVIDANDO DA EXISTÊNCIA DE DEUS
 
 
Um homem foi cortar o cabelo e a barba. Como sempre acontece, ele e o barbeiro ficaram conversando sobre várias coisas, até que - por causa de uma notícia de jornal sobre meninos abandonados - o barbeiro afirmou:
 
- Como o senhor pode ver, esta tragédia mostra que Deus não existe.
 
- Como?
 
- O senhor não lê jornais? Temos tanta gente sofrendo, crianças abandonadas, crimes de todo tipo. Se Deus existisse, não haveria sofrimento.
 
O cliente ficou pensando, mas o corte estava quase no final, e resolveu não prolongar a conversa.
 
Voltaram a discutir temas mais amenos, o serviço foi terminado, o cliente pagou, e saiu.
 
Entretanto, a primeira coisa que viu foi um mendigo, com barba de muitos dias, e longos cabelos desgrenhados. Imediatamente, voltou para a barbearia, e falou para a pessoa que o atendera:

- Sabe de uma coisa? Os barbeiros não existem.
 
- Como não existem? Eu estou aqui, e sou barbeiro.
 
- Não existem! - insistiu o homem. - Porque se existissem, não haveria pessoas com barba tão grande, e cabelo tão desgrenhado como o que acabo de ver na esquina.
 
- Posso garantir que os barbeiros existem. Acontece que este homem nunca veio até aqui.
 
- Exatamente! Então, para responder sua pregunta, Deus também existe. O que passa é que as pessoas não vão até Ele. Se O buscassem, seriam mais solidários, e não haveria tanta miséria no mundo.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Datas Comemorativas: Mês de Maio


 Imagem capturada na Internet (Fonte: Ciência em Pauta

 
MAIO

 
1º. Dia Mundial do Trabalho
      
02. Dia Nacional do Ex-combatente
        Dia do Taquígrafo 

03. Dia do Sertanejo

05. Dia de Rondon
        Dia da Comunidade
        Dia Nacional do Expedicionário
        Dia do Pintor

06. Dia do Cartógrafo

07. Dia do Oftalmologista
        Dia do Silêncio 

08. Dia da Vitória
        Dia do Profissional Marketing
        Dia do Artista Plástico
        Dia Internacional da Cruz Vermelha 

09. Dia da Europa 

10. Dia da Cavalaria
       Dia do Campo
 
11. Integração do Telégrafo no Brasil
      Dia das Mães (2º Domingo de Maio) 

12. Dia Mundial do Enfermeiro 

13. Dia da Abolição da Escravatura
       Dia da Fraternidade Brasileira
       Dia do Automóvel
       Dia do Zootecnista

14. Dia Continental do Seguro

15. Dia do Assistente Social
       Dia do Combate à Infecção Hospitalar
       Dia do Gerente Bancário

16. Dia do Gari

17. Dia Internacional da Comunicação e Telecomunicações
       Dia da Constituição
       Dia Internacional da Internet

18. Dia dos Vidreiros
       Dia Internacional dos Museus

19. Dia dos Acadêmicos do Direito

20. Dia do Comissário de Menores

21. Dia da Língua Nacional

22. Dia do Apicultor
        Dia Internacional da Biodiversidade
        Dia do Abraço

23. Dia da Juventude Constitucionalista

24. Dia da Infantaria
        Dia do Café
        Dia do Datilógrafo/Dia do Digitador
        Dia do Detento
        Dia do Telegrafista
        Dia do Vestibulando

25. Dia da Indústria
       Dia do Massagista
       Dia do Trabalhador Rural
       Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte
       Dia Nacional da Adoção
       Dia do Orgulho Nerd

27. Dia do Profissional Liberal
       Dia Mundial dos Meios de Comunicação
       Dia do Serviço de Saúde
       Dia Nacional da Mata Atlântica

28. Dia do Hambúrguer
        Dia Nacional de Luta pela Redução da Mortalidade Materna
        Dia do Ceramista

29. Dia do Geógrafo
        Dia da Gentileza
        Dia do Estatístico
        Dia Mundial da Energia
 
30. Dia da Decoração/Dia do Decorador
        Dia do Geólogo
        Dia das Bandeiras

31. Dia do Comissário de Bordo
       Dia Mundial das Comunicações Sociais
       Dia do Espírito Santo
       Dia Mundial Sem Tabaco