quarta-feira, 19 de agosto de 2015

2015: 70 anos do Fim da II Guerra Mundial

 
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
 
Ainda sob o contexto do 70º aniversário dos bombardeios com bombas atômicas e do fim na II Guerra Mundial, aproveito para apresentar um esquema resumido deste grande conflito. Embora, já tenha publicado um artigo sobre o mesmo - neste espaço - em 2009.
 
A II Guerra Mundial foi um conflito sem precedente na história da humanidade, pois além das consequências que toda guerra traz para as partes envolvidas, esta – em particular – foi marcada por grandes atrocidades à vida humana, envolvendo pessoas inocentes, cujas ordens partiram de líderes de governos tanto do Grupo do Eixo quanto do Grupo dos Aliados.
 
Estou me referindo, pelo lado da Alemanha, as atrocidades praticadas nos campos de concentração nazistas, onde milhões de pessoas morreram, entre judeus, ciganos, grupos religiosos, opositores políticos de Hitler etc. (Holocausto), assim como, pelo lado dos EUA, o número de mortos na hora e posteriormente por doenças adquiridas, após o lançamento de bombas atômicas em duas cidades japonesas.
 
II GUERRA MUNDIAL
 . Período
   1939 a 1945;
                   
. Cenário Principal
  Europa (e outros territórios fora do continente europeu);
 
. Oposição
   Grupo dos Aliados x Grupo do Eixo;
 
. Potências
   Grupo dos Aliados (Inglaterra, França, ex-URSS e EUA/ mais 25 países);
   Grupo do Eixo (Alemanha, Itália e Japão).
 
. Origem/Causas
  Uma sucessão de fatores políticos, sociais e econômicos, interligados, deram origem ao conflito, entre os quais se destacam:
 
     - Sentimentos nacionalistas e as ameaças dos regimes autoritários sob o comando de Adolf Hitler, na Alemanha (Nazismo), de Benito Mussolini, na Itália (Fascismo) e do Imperador Hirohito, no Japão (“Fascismo Japonês”);
 
     - A política expansionista crescente nestes países (Alemanha, Itália e o Japão), os quais almejavam expandir os seus domínios territoriais. Isso criou um clima de tensão no mundo, sobretudo, na Europa, principalmente, em consequência do forte investimento nas indústrias de armamentos e equipamentos bélicos (aviões de guerra, navios, tanques etc.);
 
     - A crise político-econômica mundial do período entre a I Guerra Mundial (1914 -1918) e a II Guerra Mundial (1939-1945).
 
. Governos totalitários
  Alemanha (Nazismo, Adolf Hitler)
  Itália (Facismo, Benito Mussolini) 
  Japão (“Facismo”, Hirohito); 
 
. Marco Inicial
  1939 (setembro): O exército alemão invade a Polônia. França e a Inglaterra declararam guerra à Alemanha.
 
Observações: Através do Tratado de Versalhes, a Polônia obteve a posse do Porto de Dantzig, contrapondo à ideia do líder alemão, Adolf Hitler, que queria a incorporação do mesmo à Alemanha.
 
O Tratado de Versalhes (1919) conferiu a responsabilidade pelo desencadeamento da I Guerra Mundial à Alemanha e, por isso, determinou que o referido país teria que pagar uma dívida aos países arruinados pelo conflito, além de outras exigências, como por exemplo, o reconhecimento da independência da Áustria e o impedimento à formação de um exército alemão reforçado.
 
. Marco Final
  1945 (setembro): O Japão se rende à Guerra após a explosão da segunda bomba atômica em seu território.
 
Observação: A primeira cidade bombardeada por bomba atômica foi Hiroshima, no dia 06 de agosto de 1945 (o Japão não se rendeu). Três dias depois, no dia 09 de agosto, a cidade de Nagasaki foi escolhida, por apresentar melhores condições de tempo, sendo lançada a segunda bomba atômica.
 
. Data oficial do fim da II Guerra Mundial
  02 de setembro de 1945, quando o Japão aceitou e formalizou a sua rendição;
 
. Número total de mortos
  Não há dados exatos quanto ao número total de mortos, mas a estimativa varia de 47 a 60 milhões de pessoas, entre soldados e civis.
 
Observações: Deste montante (60 milhões), calcula-se que cerca de 40 milhões eram civis, os quais além dos bombardeios diretos, morreram em consequência de doenças adquiridas, fome, massacres, genocídios, entre outros.
 
A ex-União Soviética aparece como a potência que mais sofreu baixa durante o conflito, com a perda de cerca de 27 milhões de pessoas.
 
. Marcos Históricos:
 
     - Holocausto (campos de concentração nazista, onde cerca de seis milhões de judeus foram mortos).
 
Vala comum Bergen-Belsen (Campo de concentração na Alemanha)
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
Fonte: Educaterra
 
O senador estadunidense Barkley observa os corpos
de prisioneiros do campo de concentração de Buchenwald (Alemanha).
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
Fonte: Wikipédia
 
     - Ataque japonês à base norte-americana de Pearl Harbor, na ilha de Oahu, no Havaí (oceano Pacífico), que resultou na entrada dos EUA na II Guerra Mundial, em dezembro de 1941.
 
  Ataque japonês a Pearl Harbor
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
Fonte: Wikipédia
     - O uso, pela primeira vez na história da humanidade, de bombas atômicas em um conflito armado (guerra), as quais foram lançadas pelos EUA em território japonês, mais especificamente, nas cidades Hiroshima (6 de agosto de 1945) e Nagasaki (9 de agosto de 1945). Após o bombardeio em Nagasaki, os japoneses se renderam e a guerra acabou.
 
  Bombardeio na cidade de Nagasaki
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
 

     - Participação do Brasil na Guerra, em 1942, com o envio de cerca de 25 mil soldados da Força Expedicionária Brasileira (FEB), além de homens da Força Aérea Brasileira para lutarem na Itália. Embora, com participação modesta, a atuação dos pracinhas da FEB foi importante, sendo estes considerados heróis ao regressarem para o nosso país.

Pôster da Vitoria dos Aliados, feito pelo 6º Regimento da FEB, na Itália.
Desenho original do sargento Catani da FEB (acervo: O Resgate FEB).
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
 
 
. Consequências da Guerra

     - Maior número de mortes e de atrocidades na história da humanidade;
 
     - Cidades em ruínas e, consequentemente, a economia das mesmas;
 
     - O desenvolvimento e uso da bomba atômica, na guerra, foi o pontapé para a Era Nuclear;
 
     - Provocou a queda de Europa Ocidental, como o centro de poder mundial, ascendendo a URSS (ex-União Soviética) e os EUA, como superpotências, as quais passaram a ditar a Nova Ordem Mundial, no período pós-Guerra;
 
     - O Grupo dos Aliados instauraram um Tribunal Militar Internacional, mais conhecido como Tribunal de Nuremberg (Alemanha), para julgar 24 nazistas (do alto escalão) por crimes de guerra e contra a humanidade. Destes, somente 22 participaram do julgamento, pois um dos réus cometeu suicídio antes (Robert Ley) e outro foi dispensado por motivo de saúde (Gustav Krupp). Os nazistas julgados foram condenados à morte ou à prisão perpétua;
 
     - Após a II Guerra Mundial, em 24 de outubro de 1945, foi fundada a Organização das Nações Unidas (ONU), com sede em Nova York (EUA), cujo objetivo principal é mediar o fim de conflitos armados entre países a partir das estratégias como o diálogo e a cooperação;
 
- A Nova Ordem Mundial, bipolar, tendo os EUA e a antiga URSS no comando, desponta no em termos de rivalidade no patamar de sistemas político-ideológicos vigentes, os quais eram totalmente contraditórios, Capitalismo e Socialismo, respectivamente. Esta rivalidade e suas contradições no campo, sobretudo, político, resultou na chamada Guerra Fria (1947 – 1991).
 
. Curiosidades

     - Dos três ditadores do Grupo do Eixo, apenas o Imperador Hirohito (nome póstumo, Imperador Shōwa) permaneceu vivo e no poder até a sua morte, em 1989. Foram 63 anos (1926 a 1989) como imperador e Chefe de Estado do Japão. Após a sua morte, ele foi sucedido por seu filho, Akihito, o atual imperador e Chefe de Estado do Japão;
 
     - No dia 28 de abril de 1945, o ditador italiano, Benito Mussolini, sua companheira Clara Petacci e o militar Achille Starace (General e Secretário do partido fascista) foram executados (a tiro). No dia seguinte, os seus corpos foram levados para Milão, onde ficaram expostos, pendurados de cabeça para baixo, durante vários dias, em uma praça pública (Piazzale Loreto);
 
Corpos de Mussolini, Clara Petacci e Achille Starace  
Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
 
     - No dia 30 de abril de 1945, Adolf Hitler e sua esposa, Eva Braun se suicidaram. Ele com um tiro na cabeça e ela por ingestão do veneno cianureto. Após estes atos, a Alemanha – já derrotada – se rende oficialmente ao Grupo dos Aliados.
 
     Muitos oficiais nazistas, prevendo as consequências de suas prisões e julgamentos no Tribunal de Nuremberg, se mataram, da mesma forma, por envenenamento (cianureto);
 
     - Considerando o número total de mortos, material e equipamentos bélicos usados, a II Guerra Mundial foi muito mais intensa que a primeira;
 
     - Durante o conflito cerca de 3,5 milhões de toneladas de bombas foram lançadas sobre os países envolvidos na guerra. Daí, grande parte de mortes de civis (pessoas inocentes que não estavam envolvidas diretamente na guerra);
 
     - Como medida desesperada e, sobretudo, de crueldade tamanha - diante da escassez de soldados alemães adultos - Adolf Hitler formou exércitos compostos por crianças e adolescentes, nos últimos meses do conflito, a fim de evitar a já eminente derrota nazista;
 
     - Na batalha de Stalingrado, na URSS, entre o exército alemão e o soviético, o inverno rigoroso ajudou aos soviéticos, acostumados com o frio intenso, a derrotar os alemães. Além de muitos equipamentos de guerra, alemães, terem falhados e/ou nem sequer funcionados, muitos soldados alemães, sem uniformes adequados, morreram durante os combates devido as baixas temperaturas (registros de inverno até -40ºC);
 
     - O primeiro bombardeio aéreo dos alemães a navios brasileiros ocorreu em 1941, quando o navio Taubaté foi metralhado no Mar Mediterrâneo;
 
     - Durante as tentativas de bombardear e invadir a Inglaterra, a Alemanha perdeu milhares de aviões, graças à tecnologia de radares, empregados pelo exército inglês. Em decorrência destas perdas, Adolf Hitler acabou abandonando a ideia de invadir a Grã-Bretanha.

 
Fontes de Pesquisa

. Ataque a Pearl Harbor - Wikipédia

. Benito Mussolini Morto - Museu de Imagens

. Hiroshima e Nagasaki, Bombas e Terror - História do Mundo

Holocausto - Brasil Escola

. Material didático particular

O que foi o julgamento de Nuremberg? - Mundo Estranho

. Relembre 5 dos piores momentos da História da humanidade - Mega Curioso
Segunda Guerra Mundial - Wikipédia

. II Guerra Mundial - Mortos (apenas na Europa) - EducaTerra
 

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Redução dos Índices de Desnutrição Infantil no Brasil


Meirinha, menina cearense que sofria de desnutrição infantil,
no início da década de 90 (Século XX)
 Imagem capturada na Internet - Fonte: Tribuna do Ceará

No início deste mês, uma reportagem divulgada na Tribuna do Ceará me chamou a atenção para uma realidade, que apesar de estar sendo erradicada no Brasil, ainda existe em algumas áreas periféricas das cidades e zonas rurais: a Fome.
 
A reportagem mostra a trajetória de vida da menina Meirinha, que - no início dos anos 90 (Século XX) – moradora do bairro Pirambu, em Fortaleza, apresentava um grave quadro de desnutrição infantil. Na época, a menina tinha 10 anos e pesava apenas 10 Kg.

 
 
   Imagens capturadas na Internet - Fonte: Tribuna do Ceará
 

Apesar das diversas tentativas dos pais em Postos de Saúde, locais, o seu problema nunca foi tratado como a gravidade exigia. Mas, foi só a partir da iniciativa e ajuda do Programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/Band, que a encaminhou ao Instituto da Primeira Infância (IPREDE), que Meirinha, durante dois anos, recebeu os cuidados necessários que possibilitaram a sua total recuperação. As imagens abaixo registram o seu desenvolvimento e superação ao problema de desnutrição até a idade adulta, já casada e com filhos (Imagens do site Tribuna do Ceará).

 




 
Essa reportagem me fez lembrar de uma situação inusitada e similar, por qual passei, quando adolescente e que, na época, década de 70, me chocou muito. Eu estava em um Laboratório de Análises Clínicas, na Rua dos Romeiros, na Penha (Rio de Janeiro), quando vi uma criança, bastante desnutrida, sendo amparada por um casal de adultos para que fosse efetuado a coleta de seu sangue. Como ele era bem raquítico, a dificuldade era grande.
 
Minha mãe perguntou ao casal a respeito da criança e a mulher relatou que eles viram o menino no quintal de uma casa em um bairro do município de Duque de Caxias (Baixada Fluminense) e se sensibilizaram pelo quadro de pobreza da família e da grave desnutrição que o mesmo apresentava. Por isso, decidiram ajuda-lo e, perguntaram à mãe da criança, se ela autorizava que eles cuidassem do menino a fim de recuperar a sua saúde.
 
Pedido este, consentido pela mãe. O casal se mostrava, mesmo, apto a cumprir tal compromisso, iniciando pelos exames laboratoriais pedidos, com certeza, por um médico que estava o atendendo.
 
Embora, a imagem do menino tenha me marcado por ser um pequeno brasileiro, eu sabia que em nosso país – naquela época, década de 70 – a fome existia e atingia muitos municípios brasileiros, sobretudo, das regiões Nordeste e Norte. Mas, eu morava na região Sudeste, mais especificamente, na cidade do Rio de Janeiro, vizinha ao município de Duque de Caxias... Mas, a fome e a desnutrição também rondavam e matavam nas demais regiões brasileiras. À primeira vista, esta realidade parecia ser algo difícil de ocorrer em nossa cidade. Foi, realmente, bastante assustador!
 
Por muitas décadas do século passado, os índices da desnutrição infantil no Brasil foram elevados, verificando certo declínio a partir da década de 80 (Século XX), como comprovam os gráficos abaixo.
 
 Fonte: MONTEIRO, Carlos Augusto, 2003)
 
Hoje, podemos afirmar que o Brasil melhorou bastante, apresentando grandes avanços em termos de políticas públicas no combate à fome, à desnutrição infantil e, também, na redução da pobreza, com a implantação de diversos Programas de cunho social, como o Fome ZeroBolsa Família, Brasil sem Miséria, cujos resultados fizeram o país superar a chamada Meta n˚ 1 da Declaração do Milênio.
 
A referida Declaração, elaborada pela Organização das Nações Unidas (ONU), no ano de 2000, estabeleceu oito Metas ou Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), com prazo final para este ano 2015.
Embora o nosso país tenha alcançado e até superado a Meta n˚1 (erradicar a pobreza extrema e a fome), dados do Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) de 2013, divulgados em 2014, cerca de 3,4 milhões de brasileiros ainda se encontravam em situação de insegurança alimentar (fome) em nosso país, sobretudo, nas regiões Norte e Nordeste.
 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: Estadão)
 
Em uma próxima postagem, além de apresentar alguns resultados já divulgados nas mídias, irei detalhar melhor sobre os Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), cujos desafios ao Estado se relacionavam a atender aos seguintes compromissos (vejam a imagem abaixo).
 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: Wikipédia)
 
Fontes de Pesquisa
 
. MONTEIRO, Carlos Augusto - A Dimensão da Pobreza, da Desnutrição e da Fome no Brasil: Implicações para Políticas Públicas. Estudos Avançados, 17 (48): 7-20, 2003.
Disponível em:
 

 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

70 Anos da Explosão das Primeira e da Segunda Bomba Atômica: Comemorar o quê e pra quê?

 Imagem da nuvem atômica quando da detonação da primeira bomba 
na cidade de  Hiroshima, no Japão, em 06 de agosto de 1945.
 
Texto atualizado e modificado em 11/08/2015, às 06h00

Desde a semana passada e, sobretudo, neste último sábado e domingo, os principais veículos de comunicação noticiaram e exploraram muito os 70 anos da explosão da primeira e da segunda bomba atômica no mundo, no Japão, ambas lançadas pelos EUA, que integravam o Grupo dos Aliados, em plena II Guerra Mundial (1939-1945).
 
Na verdade, não há o quê celebrar e nem o quê lembrar, tendo em vista que tanto a primeira quanto a segunda bomba na cidade de Nagasaki, ambas em território japonês, além das mortes instantâneas, deixaram um legado de doenças por gerações, assim como o preconceito do qual as pessoas ficaram sujeitas, quando as mesmas foram apenas vítimas em um conflito sangrento que parecia não ter fim.
 
Sob o contexto da II Guerra Mundial, dos três países do Grupo do Eixo, a Alemanha sob o comando de Adolf Hitler, a Itália de Benito Mussolini e o Japão, apenas os japoneses – sob o comando do imperador Hirohito – persistiam em se manterem na guerra, já que os dois primeiros haviam se rendidos ao Grupo dos Aliados (Inglaterra, a ex-União Soviética/URSS, França e EUA).
 
 Imagem capturada na Internet para efeito ilustrativo
Pôster do Exército dos EUA anunciando a invasão ao Japão
após a rendição da Alemanha e da Itália
(Fonte: Wikipédia)
 
A bomba atômica foi utilizada, estrategicamente, tanto para obrigar o Japão a se render quanto para provar o poderio bélico dos EUA. O Japão, mesmo tendo sido alertado sobre o uso de armamentos “pesados”, mas desconhecendo, pois não foi mencionado - por parte dos EUA - sobre o possível emprego de bomba nuclear, recusou-se a se render e permaneceu na guerra.
 
A população civil japonesa, no entanto, jamais imaginou que esta decisão e, o que estava prestes a acontecer em seu território, tanto na cidade de Hiroshima quanto em Nagasaki, iria marcar a história de seu país e da humanidade no mundo inteiro. A destruição em massa por efeito de ataques com o emprego de bombas atômicas.
 
A primeira bomba, denominada de “Little Boy”, foi lançada no dia 06 de agosto de 1945, às 8h15, pelo bombardeiro B-29 - denominado Enola Gay - atingindo muitos indivíduos que já se encontravam trabalhando em lojas, escritórios, fábricas, entre outros estabelecimentos na cidade, matando instantaneamente cerca de 80 mil pessoas. A bomba continha 50 Kg de Urânio 235, cujo poder de destruição é equivalente a 15 mil toneladas de TNT (trinitrotolueno, alto explosivo).
 
Tripulação do Enola Gay que lançou a bomba atômica em Hiroshima
(Fonte: Wikipédia)
 

 Réplica da Little Boy
(Fonte: Wikipédia)


Hiroshima, antes e depois da detonação da bomba atômica
(Fonte: Wikipédia)

 Cidade de Hiroshima
(Fonte: Wikipédia)
 
 Cidade de Hiroshima
(Fonte: Wikipédia)
 
De acordo com os dados imprecisos, divulgados na imprensa, considera-se que aproximadamente 70% das construções da cidade de Hiroshima foram devastadas totalmente e cerca de 7% ficou severamente danificada.
 
Por ser uma bomba atômica, os efeitos da radiação perduraram por anos e, com isso, o número de vítimas fatais, sobretudo, entre os feridos e aqueles que desenvolveram alguma doença, como - por exemplo - algum tipo de câncer na garganta, no (s) pulmão (s) e em outras partes do organismo elevou o número de óbito a 140 mil.
 
No dia do ataque, em Hiroshima, milhares de pessoas foram desintegradas e, em razão da falta de corpo ou de partes deste, o número total de mortos é estimado. Cerca de 10.000 corpos de pessoas desaparecidas nunca foram achados.
 
A maior parte das vítimas era mulheres e crianças, tendo em vista que os homens estavam envolvidos diretamente no conflito (II Guerra Mundial).
 
Vítima com queimaduras 
(Fonte: Wikipédia)
 
 Menino carbonizado (observa-se a agonia precedente a sua morte)
(Fonte: Hum Historiador)
 
Hiroshima - (Fonte: Obvious)
 


 Sequelas e deformações causadas pela bomba em Hiroshima
(Fonte: Obvious)
 
Nenhum outro episódio parecido ou com os mesmos efeitos do uso de armas nucleares sobre um alvo humano havia sido registrado, anteriormente, em qualquer parte do mundo. Por causa disso, nem mesmo os médicos japoneses sabiam – ao certo - como proceder, pois os efeitos foram diretos e indiretos, isto é, agiram instantaneamente, assim como a médio e longo prazo.

“Horas depois de explosão, uma chuva negra caiu sobre o céu de Hiroshima. A chuva estava coberta de radioatividade das cinzas das fumaças. Mas, por causa da falta de informação, desespero e da desidratação, os sobreviventes tentavam beber a água que caía.
 
Quatro dias depois da desgraça em Hiroshima, começou a aparecer uma epidemia na cidade, o sangue das pessoas não coagulavam mais, sem glóbulos brancos ficavam propensos à várias infecções, manchas roxas apareciam nos corpos, tufos de cabelos caíam até a perda total, o último sinal que antecedia a morte era o vômito de um líquido marrom. Era um mal que surgia novo e incurável, a necrose."

                                                                                                     (Fonte: Cola da Web)

Mesmo com o efeito devastador do primeiro ataque com arma nuclear e número de perdas humanas, na cidade de Hiroshima, o imperador japonês - Hirohito - não removeu a ideia de continuar na guerra, não se rendendo aos aliados.
 
Diante disso, três dias depois do ataque em Hiroshima, no dia 09 de agosto, os EUA lançaram a segunda bomba atômica (chamada “Fat Man”), constituída de plutônio 239, cuja potência equivale a 22 mil toneladas de TNT, poder destrutivo superior à bomba lançada e detonada sobre Hiroshima.
 
Desta vez, na cidade de Nagasaki, escolhida de última hora devido às más condições do tempo, diante da ocorrência de muitas nuvens que impediam uma visualização perfeita da cidade-alvo, já pré-definida, que era Kokura.
 
 Mapa de localização das cidades de Hiroshima, Nagasaki e
Kokura (descartada pelo mau tempo)
(Fonte: Wikipédia)
 
Como Nagasaki apresentava melhores condições de tempo, optou-se por esta para alvo de ataque aéreo. Contudo, segundo, fontes bibliográficas, antes mesmo de escolher o ponto onde seria lançada e detonada a segunda bomba atômica, a falta de combustível na aeronave (bombardeiro B-29, chamado “Bockscar”), os obrigou a lança-la logo, fazendo com que a mesma caísse em outro ponto, em um vale, em uma distância de 3 Km do centro da cidade.


Tripulação do bombardeio Bockscar
(Fonte: Wikipédia)
 

Réplica da Fat Man
(Fonte: Wikipédia)
 

Imagem da nuvem atômica quando da detonação da segunda bomba 

na cidade de Nagasaki, no Japão, em 09 de agosto de 1945.
(Fonte: Obvious)
 
Nuvem atômica sobre a cidade de Nagasaki
(Fonte: Wikipédia)
 

A cidade de Nagasaki, antes e depois do bombardeio
(Fonte: Wikipédia)
 
Apesar do seu alto poder de destruição (superior até da primeira bomba lançada em Hiroshima), o seu efeito não foi o mesmo, devido ao erro do alvo em consequência da pressa diante da falta de combustível, mas esta causou, também, uma enorme destruição, com perdas materiais e, sobretudo, humanas. Cerca de 40% da cidade foi destruída e 40.000 pessoas foram mortas.
 
Nagasaki - (Fonte: Obvious)
 
Sobreviventes feridos em Nagasaki - (Fonte: Obvious)

No dia seguinte, 10 de agosto, o imperador do Japão pediu pela paz, sem declarar abertamente a condição de rendição, ressaltando, porém, que a sua posição como governante soberano do país fosse mantida.
 
No dia 11 de agosto, o Grupo dos Aliados declarou que a exigência quanto à soberania e o futuro do imperador deveriam ser determinados pelos próprios japoneses, o que ficou acordado pelo Japão, em uma Conferência realizada no dia 14 de agosto.
 
As forças estadunidenses cessaram fogo e a II Guerra Mundial era encerrada com dois dos episódios mais tristes sofridos em ataques em massa.
 
No dia 02 de setembro de 1945, no couraçado norte-americano Missouri, que se encontrava ancorado na Baía de Tóquio, as autoridades japonesas assinaram o documento formal de rendição.
 
A II Guerra Mundial chegou ao fim, oficialmente. Mas, as armas nucleares lançadas sobre o território japonês deixaram a pior herança para o seu povo e para mundo, expondo poder militar e bélico por detrás do jogo do poder no cenário mundial. 

 
Fontes:

. Cola da Web

. Material Didático (particular)

. Obvious

. OOcities

. Wikipédia