domingo, 12 de junho de 2016

Crônica: Absolvendo o Amor

 Imagem capturada na Internet


Aproveitando o clima de amor que o dia inspira mais ainda...


ABSOLVENDO O AMOR
Martha Medeiros

Uma mulher namora um príncipe encantado por três meses e então descobre que ele não é príncipe coisa nenhuma, e sim um bobalhão que não soube equalizar as diferenças e sumiu no mundo sem se despedir. Mais um, segundo ela. São todos assim, os homens. Ela resmunga: "Não dá mesmo para acreditar no amor".

Peraí. Por que o amor tem que levar a culpa desses desencontros? Que a princesa não acredite mais no Pedro, no Paulo ou no Pafúncio, vá lá, mas responsabilizar o amor pelo fim de uma relação e a partir daí não querer mais se envolver com ninguém é preguiça de continuar tentando. Não foi o amor que caiu fora. Aliás, ele talvez nem tenha entrado nessa história. Quando entra, é pra contribuir, para apimentar, para fazer feliz.

Se o relacionamento não dá certo, ou dá certo por um determinado tempo e depois acaba, o amor merece um aperto de mãos, um muito obrigada e até a próxima. Fique com o cartão dele, você vai chamá-lo de novo, vai precisar de seus serviços, esteja certa. Dispense namorados, mas não dispense o amor, porque esse estará sempre a postos.

Viver sem amor por uns tempos é normal. Viver sem amor pra sempre é azar ou incompetência. Só não pode ser uma escolha, nunca. Escolher não amar é suicídio simbólico, é não ter razão para existir. Não adianta querer compensar com amor pelos amigos, pelos filhos e cachorros, não é com eles que você fica de mãos dadas no cinema.

Fonte: MEDEIROS, Martha. Doidas e Santas, 33 ed. 2012, Porto Alegre, RS 

4 comentários:

Davidson Gabriel disse...

e verdade.Minha mãe sempre me diz que se não der certo uma vez tem a próxima.Algumas situações acontecem por acaso e outras não...mas não adianta descontar nos bens matérias ou em pessoas.Algumas pessoas acabam tentando trocar o amor do seu namorado(a) por um amor totalmente diferente como de animais,filhos e de plantas.

Girl Upp disse...

Super concordo com todas as palavras ditas

Antônia sarah
Turma: 1801

Girl Upp disse...

Super concordo com todas as palavras ditas

Antônia sarah
Turma: 1801

Anônimo disse...

Eu sempre dizia que não ia gostar de ninguém nem tão cedo. Que isso só ia atrapalhar minha vida. Mas conheci uma pessoa que hoje me faz muito bem, e se for pra ser de ficarmos juntos, serei a mais feliz. Mas se caso não for, sim, ficarei muito triste mas vou esperar de novo ate que Deus coloque alguém de novo no meu caminho, acho que tudo serve como aprendizado, como lição pra crescermos e não achar que o amor não existe, só não era a hora certa, ou talvez á Pessoa certa, e acreditarmos que um dia, encontraremos outra pessoa que nos complete em tudo.


Maria Eduarda da Costa
T:1903