domingo, 12 de junho de 2016

Tradições Indianas: Casamento arranjado entre uma jovem e um cachorro

 Imagem capturada na Internet
Fonte: Pravda RU


O que é a questão cultural de um povo...

A crônica que publiquei, anteriormente, sob o contexto do Dia dos Namorados (Absolvendo o Amo), a autora - Martha Medeiros – finaliza a mesma com a seguinte frase, “Não adianta querer compensar com amor pelos amigos, pelos filhos e cachorros, não é com eles que você fica de mãos dadas no cinema.

Pois bem, isso depende da pessoa e da sua cultura, pois vejam uma situação – meio bizarra – mas – de qualquer forma – compreensível diante das crenças e valores culturais do seu povo.

Um indiano fez com que sua filha, de 18 anos, casasse com um cachorro. Para quem não sabe e, eu também desconhecia, outros matrimônios nestas mesmas circunstâncias já foram realizados no local, pelo menos, onde eles moram, no leste da Índia.

Houve até a cerimônia do casamento e eu até lembrei de algumas cenas da novela da rede Globo, recentemente reprisada, Caminho das Índias (Glória Perez). Só que a cerimônia exibida na novela era em outro contexto (feito por uma família tradicional da casta de comerciantes) e o único personagem a exceção é o cão, pois também havia um guru local (na novela, o guru era o Sacerdote Pandit, interpretado pelo ator José Abreu).

Pois bem, na vida real, foi o próprio guru que aconselhou ao Sri Amnmunda, pai da moça (Mangli Munda), que a mesma estava sob efeito de um feitiço e que, se ela viesse a casar com um homem, os riscos eminentes eram da família ser destruída e até a comunidade, a qual eles pertencem.

De acordo com o guru, Mangli estava possuída por “um espírito maligno” e só o casamento com o cachorro a livraria da maldição. O casamento com o cachorro, segundo o mesmo e as tradições indianas, evitaria essa tragédia.

O cachorro escolhido pelos seus pais Sri Amnmunda e Seems Devi (muitos dos casamentos na Índia são arranjados pelos pais) é chamado Sheru. A jovem não se mostrou nem um pouco feliz com tal arranjo, ainda mais por ser com um animal, mas - a seu favor – ela contava com a possibilidade de obter a sorte após o livramento da maldição e, principalmente, que ela não está impedida de se casar normalmente com um homem (sem precisar de haver o seu divórcio com o cão, Sheru).

Sem precisar a data específica do matrimônio oficial, Mangli e Sheru se casaram, em uma cerimônia realizada em 2014. A cerimônia seguiu a tradições indianas, com a benção do guru (que é o sacerdote), muitos festejos nas ruas e festa. De acordo com as mídias, a festa teve 70 convidados.


A jovem Mangli deverá tomar conta de Sheru como um animal de estimação.






Fontes de Consulta



5 comentários:

ICarrascoGamer disse...

Muito estranho só vi uma coisa dessa

Nome:Diego t: 1801 <3

Ana Carolina Amorim Geraldo disse...

achei muito estranho mas o amor faz qual que coisa

Marianne Lima disse...

Nossa cada pais tem mesmo suas proprias culturas !!

Marianne Lima
T:1901

Girl Upp disse...

Bem diferente, amar como um animal de estimação td bem, mas se casar, bem diferente, meio bizarro talvez

Antônia sarah
Turma: 1801

Girl Upp disse...

Bem diferente, amar como um animal de estimação td bem, mas se casar, bem diferente, meio bizarro talvez

Antônia sarah
Turma: 1801