sexta-feira, 7 de abril de 2017

07 de Abril: Dia Nacional de Combate ao Bullying e Violência na Escola


 Memorial das vítimas
Imagem capturada na Internet
Fonte: R7 Notícias
 
Quase ninguém sabe, mas no dia de hoje – 7 de abril – se comemora o Dia Nacional de Combate ao Bullying e Violência na Escola.
 
Talvez, muitos não saibam, pois a data foi instituída há um ano, ou seja, no dia 29 de abril de 2016, através da Lei nº 13.277. Por isso, ela é recente e não teve muita repercussão nas mídias. No entanto, a motivação de sua origem, com certeza, todos lembram com grande tristeza. Ela reporta uma tragédia ocorrida na cidade do Rio de Janeiro.
 
Passaram-se seis anos, mas as lembranças e a dor pelas perdas de vidas inocentes, pegas de surpresa no espaço escolar se encontram encravadas no coração da maioria que, direta e/ou indiretamente, tiveram uma ligação com os alunos envolvidos.
 
Estou me referindo à chacina que marcou, para sempre, o bairro de Realengo, mais especificamente, a Escola Municipal Tasso da Silveira, o qual ficou conhecido como o “Massacre de Realengo”.
 
Há seis anos, na manhã do dia 07 de abril de 2011, o ex-aluno da referida escola municipal, Wellington Menezes de Oliveira, na época com 24 anos, entrou no estabelecimento escolar armado (dois revólveres, calibres 32 e 38), fingindo ser um palestrante e, ao subir para o andar superior, ele entrou em uma sala do 9◦ Ano (Ensino Fundamental), sem pedir licença à professora que estava ministrando aula de Português e atirou contra os alunos da turma. Seu foco principal eram as alunas, as atingindo na cabeça.
 
 Wellington Menezes de Oliveira
Imagem capturada na Internet
Fonte: Wikipedia
 
Ao todo morreram 12 adolescentes, de idade entre 13 a 16 anos, sendo dez alunas e dois alunos. Estes últimos, de forma acidental. Além das vítimas fatais, mais de treze ficaram feridos com esse ataque.
 
As vítimas fatais do Massacre de Realengo
Imagem capturada na Internet
Fonte: RJNotícias
 
Graças a uma vítima baleada que conseguiu fugir da escola e encontrou alguns Agentes do Departamento de Transportes Rodoviários (DETRO), que estavam em uma operação de fiscalização nas proximidades, junto policiais militares, estes foram até à escola.
 
Na tentativa de impedir que o Wellington Menezes causasse mais mortes no local, os policiais atiraram duas vezes sobre o jovem, o atingindo sequencialmente na perna e no abdômen. Ferido e já caído na escada de acesso ao andar de cima, o Wellington Menezes tirou sua própria vida, atirando contra a sua cabeça.
 
No final de setembro de 2015 foi inaugurado, em uma praça, ao lado da escola, um Memorial com estátuas de bronze representando os alunos, vítimas do massacre. Cada uma delas mede 1,5 m de altura, com exceção de uma que, a pedido de seus pais, teve a forma de uma borboleta. Até o nome da praça foi substituído, passando a ser chamada de Anjos da Paz.  
 
 Memorial Anjos da Paz
Imagem capturada na Internet
Fonte: Portal G1 
 

Em razão dessa chacina, envolvendo ex-aluno e alunos contemporâneos, em um espaço escolar, a referida data foi escolhida justamente para combater a violência e o Bullying nas escolas. Espaço e ambiente propícios à promoção de ações positivas acerca do respeito  ao próximo, às pluralidades culturais, ao exercício da cidadania, à cultura pela Paz e à tolerância mútua.

3 comentários:

Daniel Ferreira disse...

Análise muito bem detalhada.

Marli Vieira de Oliveira disse...

Obrigada pela visita e comentário, Daniel Ferreira!



Anônimo disse...

Realmente, o assunto "bullying e violência nas escolas" não é muito debatido, as pessoas que sofrem dessas violências não tem a quem procurar ou até mesmo não sente que precisa. Tô surpresa que já tenha passado 6 anos, lembro detalhadamente como foi, realmente muito triste...

Yasmim Vieira
T. 1903