terça-feira, 18 de setembro de 2018

I Campanha da Solidariedade: C.E. Profª Sonia Regina Scudese

Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay

Dando continuidade a retomada dos Projetos nas escolas, já que eu estive doente no mês de agosto (licença médica), os alunos da Turma 2005 do C.E. Prof.ª Sonia Regina Scudese – responsáveis pela Campanha da Solidariedade da referida Unidade Escolar – visitaram às salas de aula na 5ª feira (13/09) e 6ª feira (14/09) passada a fim de divulgá-la e reforçar a necessidade das contribuições em atendimento às duas Instituições beneficiadas com este projeto:

- Centro Terapêutico Maria Margarida - CETEMM (Brás de Pina)
 
- Casa de Apoio à Criança com Câncer - São Vicente de Paulo (Irajá)
 
No dia 13/09 (5ª feira), as alunas Karolina Loureiro e Kuezia Cristina Moreira divulgaram a Campanha nas turmas do 3° Turno (Noturno). Elas ainda contaram com a ajuda e companhia do aluno Gustavo Henrique Barcellos (Turma 2002).



 

 
Da direita para esquerda, Kuezia Cristina, Karolina Loureiro e
Gustavo Henrique

No dia 14/09 (6ª feira), o grupo de alunos visitou às turmas dos turnos do Diurno, ou seja, manhã e tarde. O referido Grupo, formado pelos alunos Alexandre Felipe de Souza, Anderson Israel dos Santos e Kuezia Cristina Moreira, teve a ajuda e companhia da ex-aluna da turma, recém transferida para o 1° Turno, Tamires Costa Carvalho e, também, da Prof.ª Denise Nonato – responsável pelo  Centro Terapêutico Maria Margarida – que explicou a situação das crianças do CETEMM e a importância da Campanha para ambas as Instituições.
 
Da direita para esquerda, Anderson Israel, Kuezia Cristina,
Tamires Carvalho e Alexandre Felipe
 
  


 

 

 

Da direita para esquerda, Tamires Carvalho, Kuezia Cristina
e a Profª Denise Nonato



Durante esta semana toda estaremos aceitando os donativos. Semana que vem faremos a triagem, etapa que consiste na verificação da data de validade, contagem e separação dos donativos para cada Instituição. A data da entrega dos donativos ainda não está marcada.
 
Contamos com a ajuda de todos os membros da Comunidade Escolar!



segunda-feira, 10 de setembro de 2018

I Campanha da Solidariedade 2018

Triagem e Contagem dos donativos
da E.M. Dilermando Cruz
Imagem do meu acervo particular
 
 
Devido ao fato do mês passado (agosto) eu ter sido acometida por um problema de saúde grave, o qual me fez ficar de licença médica por quase três semanas, a Campanha da Solidariedade de ambas as Unidades Escolares em que trabalho e a qual sou a responsável junto com os respectivos alunos envolvidos, acabou sofrendo alterações em suas programações estabelecidas para o referido mês. 
 
Para a Campanha da Solidariedade desenvolvida no C. E. Prof.ª Sonia Regina Scudese (Ensino Médio) só conseguimos realizar uma reunião para definirmos novas datas para o Dia D da mesma e para contagem dos donativos. Infelizmente, alguns alunos muito ativos e participativos junto ao Projeto mudaram de turno no âmbito da Unidade Escolar. O referido projeto atende à Casa de Apoio à Criança com Câncer São Vicente de Paulo (Irajá) e ao Centro Terapêutico Maria Margarida (Brás de Pina), ambos no município do Rio de Janeiro.
 
Já o Projeto da E. M. Dilermando Cruz (Ensino Fundamental II), além da Reunião para a definição das datas, já passou pelas etapas de triagem (verificação da data de validade e se a embalagem ou o produto apresentam sinais de rompimento), contagem dos donativos e distribuição para as respectivas Instituições beneficiadas, isto é, o Hospital Mário Kröeff (Penha Circular) e Casa de Apoio à Criança com Câncer São Vicente de Paulo (Irajá), localizados também em nossa cidade.

 
Hoje, dia 10 de setembro, foi realizado o Dia D da Campanha da Solidariedade da E.M. Dilermando Cruz, no turno da manhã e da tarde. Lamentavelmente, só contamos com os donativos adquiridos a partir de contribuições feitas por dinheiro por mim, outros professores, alunos e ex-alunos da referida escola.
 

 ETAPAS DE TRIAGEM, CONTAGEM E DISTRIBUIÇÃO
DOS DONATIVOS
 
 Da direita para esquerda, as alunas Hellem Vitória,
Thaís da Silva, Maria Eduarda Soares,
Ana Luiza Pereira, Déborah Nascimento,
Yasmin Victória e Kaline Novais
 
 Da direita para esquerda, as alunas Maria Eduarda Soares,
Kaline Novais, Thaís da Silva, Hellem Vitória,
Yasmin Victória, Ana Luiza Pereira e Déborah Nascimento
 

 

 

Imagens do meu acervo particular

  
TOTAL ARRECADADO ATÉ O MÊS DE AGOSTO
 
 - GELATINAS EM PÓ: 313 unidades
 
- LEITE EM PÓ INTEGRA L: 31 unidades (400 gr.)
                                                            05 unidades (200 gr.)
 

- LEITE EM PÓ SEMIDESNATADO: 01 unidade (400 gr)
 

 
DIA D DA CAMPANHA DA SOLIDARIEDADE
10 DE SETEMBRO DE 2018
 

1° TURNO (Manhã)
 
  Da direita para esquerda, Francisco de Souza,
Hellem Vitória e Thaís da Silva.
A Letina (mascote da Campanha) se encontra no
colo da aluna Hellem Vitória

As alunas Kaline Novais e Thaís da Silva foram,
também, nas salas de aula avisar da
disposição dos alunos no pátio da escola
 
 

 2° TURNO (Tarde)

Da direita para esquerda, as alunas Ana Carolina Amorim,
Carla Cristina, Hellem Vitória, Yasmin Victória,
a Letina (mascote da Campanha) e Thaís da Silva
 

 

As alunas Thaís da Silva, Hellem Vitória e 
Yasmin Victória foram, também,
nas salas de aula do turno da tarde,
avisar acerca da disposição dos alunos
no pátio da escola
 
Campanha continua e, por isso, estaremos recebendo os donativos até 2ª feira que vem (17/09).

Mês de Setembro: Datas Comemorativas


11/09: Dia do Cerrado
Imagem capturada da Internet

 
SETEMBRO

1º. Dia do Profissional de Educação Física
       Dia da Bailarina
 
02. Dia do Repórter Fotográfico
        Dia Internacional do Livro Infantil
 
03. Dia do Guarda Civil
        Dia do Biólogo
 
04. Dia dos Desaparecidos e Mortos pela Ditadura
 
05. Dia Internacional das Mulheres Indígenas
        Dia Oficial da Farmácia
        Dia do Irmão
        Dia da Amazônia
 
06. Dia da Oficialização da Letra do Hino Nacional Brasileiro
        Dia do Alfaiate
        Dia do Sexo
        Dia do Barbeiro e do Cabelereiro
 
07. Dia da Independência do Brasil/ Dia da Pátria
         Dia do Alcoólatra Recuperado
 
08. Dia Mundial/Internacional da Alfabetização
        Dia da Dedicação
 
09. Dia do Administrador
        Dia do Médico Veterinário
 
10. Dia da Imprensa
       Dia do Gordo
 
11. Dia do Cerrado
      Dia dos Atentados Terroristas nos EUA
 
12. Dia Nacional da Recreação
       Dia da Seresta
 
13. Dia do Perdão
       Dia do Agrônomo
 
14. Dia da Cruz
       Dia do Frevo
 
15. Dia do Musicoterapeuta
 
16. Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio
       Dia Internacional para a Prevenção contra os Desastres Naturais
 
17. Dia da Compreensão Mundial (da Paz)
 
18. Dia dos Símbolos Nacionais
 
19. Dia do Teatro
 
20. Dia do Funcionário Municipal
        Dia do Gaúcho
        Dia da Polícia Civil
 
21. Dia Internacional da Paz
       Festa Anual das Árvores (regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste)
       Dia do Fazendeiro
       Dia do Radialista
 
22. Início da Primavera
       Dia Nacional da Juventude
       Dia Nacional da Fauna
       Dia Mundial Sem Carro
 
23. Dia do Soldador
       Dia Mundial do Filho
 
25. Dia Nacional do Trânsito
        Dia do Rádio
 
26. Dia Interamericano das Relações Públicas
        Dia Nacional do Surdo
 
27. Dia Nacional do Idoso
       Dia de São Cosme e São Damião
       Dia Internacional das Relações Públicas
       Dia do Encanador
       Dia Mundial de Turismo e do Turismólogo
 
28.  Dia da Lei do Ventre Livre
 
29. Dia do Professor de Educação Física
        Dia do Petróleo
        Dia do Anunciante
 
30. Dia da Bíblia
        Dia Mundial da Navegação
        Dia da Secretária
        Dia Mundial do Tradutor
        Dia Nacional do Jornaleiro

Regresso após Período Conturbado

Minha Mesa de Trabalho
Imagem do meu acervo particular

Estive afastada do Blog desde o mês passado, pois já o comecei, doente. Fiquei três semanas de licença médica e quase nada produzi nesse período devido às fortes dores. Não houve como... Não tive cabeça nem para pensar e nem para escrever. Tive uma infecção séria na perna, que comprometeu até a minha locomoção.
 
Logo depois, ainda um pouco debilitada, perdi um ex-aluno de forma tão inesperada, que me abalou emocionalmente bastante, assim como os seus ex-colegas de sua turma do Ensino Fundamental. Foi de repente e muito triste!
 
Na verdade, eu ainda não estou 100%, mas espero retomar – gradativamente - as atividades no Blog a fim de atualizá-lo o mais rápido possível. Afinal, muitas coisas aconteceram a nível nacional e internacional, como também fiquei de publicar alguns tópicos da minha disciplina.
 
Peço desculpas e, ao mesmo tempo, paciência!
 

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Riscos Eminentes com a Baixa Cobertura Vacinal no Brasil

Sarampo
Imagem capturada na Internet
Fonte: Revista Veja
 
 
Começa, hoje, a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite no país. O estado de São Paulo antecipou a mesma realizando, no último sábado (04/08), o Dia D da Vacinação. E, em comparação ao estado do Rio de Janeiro, os registros de São Paulo estão bem abaixo, mas faz sentido a preocupação pela baixa cobertura vacinal da população. Prevenção e imunização contra doenças infecciosas e altamente contagiosa tornam-se viáveis e poupam vidas por meio da vacinação.
 
Duas doenças que não ocorriam mais em nosso território estão no cerne desta preocupação, o Sarampo que já é considerado um novo surto, de caráter importado e, a poliomielite (ou paralisia infantil), cujos riscos de reintrodução são altos. 
 
SARAMPO 
 
Devido as recentes imigrações de venezuelanos para o Brasil, sobretudo, os não vacinados contra o sarampo, em particular, para a região Norte, o país tem vivenciado um surto desta doença na referida região, o qual já ultrapassou os limites regionais, com  registro de casos confirmados e/ou suspeitos em outras Unidades Federativas, como o Rio de Janeiro e São Paulo (região Sudeste) e no Rio Grande do Sul (região Sul).
 
Até a presente data, segundo os últimos dados oficiais, há mais de mil casos confirmados em todo o território nacional. No entanto, todos esses casos confirmados estão relacionados à importação do vírus, advindo pelos fluxos migratórios da Venezuela. De acordo com o Ministério da Saúde, publicado no G1, esse fato foi confirmado pela identificação do genótipo do vírus (D8) que é o mesmo que circula no referido país.
 
Segundo os dados divulgados, recentemente, pelo Ministério da Saúde, até o dia 1º de agosto, há o registro de 1.053 casos confirmados em todo o território nacional. E esse número supera os registros, até então, considerados mais elevados de surto da doença, os quais ocorreram em 1999 e em 2014, com 908 e 876 casos de sarampos confirmados, respectivamente.
 
Por conta da proximidade e localização geográfica dos dois países (Venezuela e Brasil), a região Norte do país é a mais afetada pelo surto de sarampo. Entre os 7 estados da referida região, a situação mais agravante é do estado do Amazonas, onde já foram confirmados 742 casos da doença, com 4.470 casos em investigação (suspeitos), seguido pelos estados de Roraima que já registra 280 casos confirmados e 106 suspeitos, o do Pará, com dois casos e Rondônia, com um caso.
 
Entre as demais regiões brasileiras, a situação do estado do Rio de Janeiro (região Sudeste) e do Rio Grande do Sul (região Sul) também é preocupante, pois foram detectados e confirmados, respectivamente, 14 e 13 casos da doença.
 
O pior é que o sarampo já havia sido erradicado em nosso país. De acordo com o Ministério da Saúde (G1), desde 2001, não ocorria transmissão autóctone da doença no país, ou seja, vírus de ocorrência nativa dentro do nosso território. Tanto que, em 2016, o Brasil recebeu um Certificado de Erradicação do Sarampo pela Organização Pan-Americana de Saúde.
 
No entanto, no período de 2013 a 2015 foram registrados 1.310 casos da referida doença, mas tal como desta vez, os surtos foram de casos importados e não autóctones. Sendo a incidência na região Nordeste, nos estados de Pernambuco e Ceará.
 
Desta vez, por conta da crise na Venezuela e as imigrações dos venezuelanos não vacinados contra a doença ao Brasil, o retorno do sarampo foi algo não articulado, mas consequente devido aos fluxos migratórios (importação do vírus).
 
Mas, essa situação não é pontual, localizada na América do Sul e, muito menos, em território venezuelano e brasileiro. Segundo a própria Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de casos da doença em todo o mundo tem aumentado, sobretudo, pela baixa cobertura vacinal em alguns países, como foi constatado no nosso.
 
De acordo com a OMS, em 2017, foram registrados 173.330 casos de sarampo no planeta. E um fato também deve ser acrescido a essa questão de baixa cobertura vacinal, o fato de muitas crianças não tomarem a dose de reforço (2ª dose), o que compromete a cobertura de imunização contra o sarampo, tal como é recomendada pela referida Organização.
 
Se, ao menos, 95% desta cobertura vacinal já tivesse sido atingida, o vírus importado – trazido por indivíduos estrangeiros, cujos países ainda enfrentam a doença - não seria disseminado no Brasil, evitando – assim – o retorno do sarampo em nosso país e, consequentemente, novo surto e possíveis mortes em consequência deste.
 
Para piorar e, ainda, neste contexto de cobertura vacinal, o Brasil também se encontra sob a ameaça da reintrodução da poliomielite (paralisia infantil). A justificativa deste risco recai também na baixa cobertura vacinal.
 
Desde 1990, em nosso país não houve registro de algum caso de paralisia infantil, mas segundo o próprio Ministério da Saúde, o país corre sério risco de ter a poliomielite de volta, pois foram identificados 312 municípios de diferentes estados, em todas as regiões brasileiras, cuja cobertura vacinal registrada está abaixo dos 50% na faixa etária recomendada a ser imunizada contra a doença, isto é, crianças menores de 1 ano de idade.
 
Para ver a lista dos referidos municípios e seus respectivos estados, acesse AQUI!
 

Diante deste quadro configurado, a partir de hoje (06/08) até o dia 31 de agosto vai acontecer a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a poliomielite. A primeira já é considerada um novo surto, enquanto a segunda é de caráter preventivo, a fim de se evitar a reintrodução da doença no país.
 
Vale ressaltar que, em ambos os casos, a vacinação é a única forma de prevenção. Esta é a única forma de prevenção da poliomielite, do sarampo e de outras doenças que não circulam mais no país.
 
 
Grupos que podem ser imunizados com a vacina contra o Sarampo
(Tríplice Viral: caxumba, rubéola e sarampo)
 
. Crianças de 1 até 5 anos incompletos;
 
. Crianças acima de 5 anos de idade que não se vacinaram, sendo necessário tomar o reforço (2ª dose);
 
. Adolescentes e Adultos até 29 anos, devendo tomar as duas doses, ou seja, o reforço também;
 
, Adultos na faixa etária entre 30 e 49 anos deverão tomar apenas uma dose.
 
Vale lembrar que, de acordo com as orientações prestadas pelo Ministério da Saúde, qualquer pessoa que não tenha a certeza se tomou a vacina da Tríplice Viral na infância e, se encontra em um desses Grupos, deve procurar um Posto de Saúde para ser vacinado. Segundo as informações divulgadas, a vacina contra o Sarampo está disponível, o ano inteiro, nos Postos.
 
 
Grupos que podem ser imunizados com a vacina contra a Poliomielite (Paralisia Infantil)

. Crianças a partir das 6 semanas de vida e até os 5 anos de idade.

Observação: Pessoas das demais faixas etárias (até na idade adulta), que não foram imunizadas contra a pólio, podem tomar a vacina (Tua Saúde).
 
 
Fontes de Consulta