domingo, 14 de junho de 2020

Mudanças no Calendário Oficial em tempo de Pandemia do Novo Coronavírus

Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay

Em face à pandemia do Novo Coronavírus, mudanças estão acontecendo no mundo inteiro, alterando toda possível “normalidade” de cada país.

A pandemia do Novo Coronavírus (SARS-CoV-2) trouxe, para o mundo todo, não só a temeridade mediante a um vírus totalmente desconhecido, altamente contagioso, cujos sintomas mais graves da doença (Covid-19) pode levar à morte, bem como vários impactos sociais, culturais, econômicos e políticos.

Alguns intensificados mediante a vulnerabilidade já pré-existente, sob a qual ficaram mais expostos, como a questão da desigualdade social e a precariedade de serviços básicos para as comunidades.

Além disso, ela impôs mudanças drásticas, alterando todo o ritmo do “conviver normal” de cada país. Exigindo, cada vez mais, como medida preventiva, o isolamento e o distanciamento social, a suspensão das aulas presenciais (rede pública e privada de ensino em todos os níveis de escolaridade), paralisação de uma série de atividades econômicas e de prestação de serviços e, consequentemente, aumentando o desemprego, a falência, sobretudo, de pequenas e médias empresas, elevando a linha de pobreza no país, entre outros impactos negativos.

Muitos projetos em curso ou em vias de desenvolvimento, para este ano, foram suspensos temporiamente ou cancelados.

E, por mais que tenhamos pensamentos positivos e boas perspectivas futuras no desenvolvimento e aplicação de uma vacina eficaz e segura no combate a Covid-19, os diversos efeitos da atual pandemia global sobre a sociedade, ao sistema-médico hospitalar, à economia e à política dificilmente serão superados completamente ao ponto de trazer um padrão de “normalidade” ao nosso dia-a-dia, a nossa realidade.

No âmbito dessas medidas de alterações, suspensões e cancelamentos propostas pelo Governo Federal, por conta do avanço do Novo Coronavírus, tivemos:

. IMPOSTO DE RENDA: Por conta da pandemia do Novo Coronavírus e as possíveis dificuldades em reunir os documentos e notas imprescindíveis para o seu preenchimento, a declaração do Imposto de Renda (IR), deste ano, que era para ter sido entregue no dia 30 de abril, foi adiada pelo Ministério da Economia, no dia 1° de abril, por mais 60 dias.

Sendo assim, o novo prazo de entrega da declaração do IR está bem próximo, neste mês, ou seja, até o dia 30 de junho.  

. ENEM 2020: o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), deste ano, pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) também foi decidido por causa da pandemia do Novo Coronavírus.

O INEP, além de ser responsável pela organização do ENEM é, também, o organizador do SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

As novas datas ainda serão confirmadas, após a realização de uma Enquete com três opções de períodos para a realização do ENEM. Os próprios estudantes, participantes do referido Exame, contribuirão - voluntariamente - para a escolha das novas datas da aplicação das provas.

A Enquete estará disponível na Página do Participante (enem.inep.gov.br), no período de 20 a 30 de junho. O estudante deverá entrar com o seu CPF e senha, utilizados no cadastro do portal único do Governo Federal e escolher uma das datas selecionadas para a aplicação das provas, os quais aparecem na tabela abaixo:

Opções da  Enquete
Aplicação
Enem Impresso
Enem Digital
1ª Opção
6 e 13 de dezembro de 2020
10 e 17 de janeiro de 2021
2ª Opção
10 e 17 de janeiro de 2021
24 e 31 de janeiro de 2021
3ª Opção
2 e 9 de maio de 2021
16 e 23 de maio de 2021
 Fonte: Portal INEP

. ELEIÇÕES MUNICIPAIS: Embora, a data da realização das Eleições Municipais (Prefeito e Vereadores) esteja regulamentada, no artigo 29 da Constituição Federal (1988), para o primeiro domingo do mês de outubro, esta data ainda é incerta, justamente, por conta dos riscos à saúde dos eleitores mediante a continuidade da pandemia. Essa possibilidade de adiamento existe e tem o apoio do Congresso.

No entanto, o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, que tomou posse no final de maio deste ano, discorda em adiar as eleições municipais para 2021 e, com isso, prorrogar os mandatos dos atuais representantes (Prefeito e Vereadores). De acordo com o próprio:

 “As eleições municipais somente devem ser adiadas
se não for possível realizá-las sem risco para a saúde pública.
Em caso de adiamento, ela deverá ser pelo prazo mínimo e inevitável.”
(Veja, 2020)


. CENSO DEMOGRÁFICO 2020: Seguindo as orientações do Ministério da Saúde em face à pandemia no país, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também adiou a realização do Censo Demográfico de 2020 para o próximo ano (2021), suspendendo também a coleta domiciliar presencial da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (IPCA, IPCA-15, IPCA-E e INPC) e do Sistema Nacional de Pesquisas de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI).

Sob esse contexto, o processo seletivo voltado para contratação de recenseadores e supervisores foi suspenso e, segundo o próprio Órgão, os candidatos que já haviam feito a inscrição serão reembolsados (valor pago no ato da inscrição).

Levando em consideração a gravidade em face à pandemia e a demanda de recursos humanos necessários para a coleta do Censo, assim como a natureza do seu levantamento, presencial e domiciliar, o seu adiamento foi a decisão mais acertada. Sua primeira etapa estava prevista para o mês de abril, de forma centralizada e, posteriormente, replicada aos polos regionais e locais até o mês de julho do ano em curso.

Segundo o IBGE, para sua realização, mais de 180 mil recenseadores (aprovados por concurso) teriam uma série de treinamentos acerca do trabalho de coleta de dados em cerca de 71 milhões de domicílios em todo o território nacional.

Diante disso e, se tudo correr tal como o esperado, a data de referência para o próximo Censo Demográfico será em 31 de julho de 2021, com a coleta de dados sendo realizadas no período de 1º de agosto a 31 de outubro do mesmo ano.

quinta-feira, 11 de junho de 2020

ONG Rio pela Paz: Protesto Silencioso, mas de grande impacto Visual e Emocional...


Imagem capturada na Internet
Fonte: G1 

Cem covas rasas foram abertas nas areias da praia de Copacabana e puderam ser vistas na manhã de hoje (11/06), representando o grande número de pessoas mortas por causa da pandemia no Brasil, ou seja, as vítimas pela Covid-19.

A iniciativa foi da Organização Não Governamental (ONG) Rio de Paz. Conhecida por suas formas inusitadas de protestar contra a violência do estado do Rio de Janeiro, esta foi a maneira encontrada pela referida ONG para simbolizar e protestar, respectivamente, o número elevado de mortos no país pela contaminação do Novo Coronavírus (alusão aos cemitérios lotados) e contra a política do Governo Federal ao tratamento à pandemia global no país.

Imagem capturada na Internet
Fonte: G1 - Foto: Daniel Silveira


Segundo informações publicadas nas mídias, o seu ato de protesto nas areias de Copacabana contou com a participação de cerca de 40 voluntários, que começaram os trabalhos ainda de madrugada, às 4 horas, em frente ao Hotel Copacabana Palace.

E, além da abertura das covas rasas (com sacos plásticos pretos), juntas a estas, cruzes foram fincadas na areia, sendo que em algumas delas foram colocadas bandeiras do Brasil. Foram estendidas também 3 faixas, tendo a principal com a seguinte citação “Brasil, país das covas”.

Imagem capturada na Internet
Fonte: G1 – Foto: Daniel Silveira


 Em outra faixa há uma mensagem em inglês, “Brazil is going against what the entire world is doing”, a qual afirma, em português, “O Brasil está indo contra o que o mundo inteiro está fazendo”.


Imagem capturada na Internet
Fonte: G1 – Foto: Daniel Silveira

O Presidente da ONG Rio de Paz, Antonio Carlos Costa, criticou e cobrou mudanças de atitudes do Governo Federal em face à pandemia global, inclusive, com a criação de um Gabinete de Crise com uma linha política comum entre as instâncias governamentais, entre outras cobranças a respeito da situação do país, neste momento tão difícil. E disse:

"O que nós esperamos com a manifestação
é uma mudança dessa situação de crise.
O que mais poderia ajudar agora é conhecer o cronograma,
saber o que vai acontecer daqui a um, dois meses,
para onde o país está indo.
Mas não há metas, não há planejamento.
Não houve um só momento que o presidente da república
tenha expressado compaixão, solidariedade pelos que sofrem"

E, tal como a nossa realidade caótica e divergente, marcada por posições contraditórias até mesmo na esfera do governo, a referida manifestação da ONG Rio de Paz - mesmo silenciosa e pacífica - sofreu ataque de um pequeno grupo de pessoas. Contrários aos propósitos do protesto, este grupo além de hostilizar os organizadores da ONG, com diversas ofensas proferidas contra eles, chegou ao absurdo de um deles invadir o espaço e arrancar algumas cruzes fincadas na areia. Os demais, que permaneceram no calçadão de Copacabana, bateram palmas em apoio à atitude deste indivíduo.

Segundo o que foi divulgado nas mídias, os membros deste grupo eram apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Na sequência, um senhor recolocou as respectivas cruzes retiradas nos seus devidos lugares e, em defesa do protesto pacífico da ONG, alegou o seguinte, tal como se encontra registrado em um vídeo publicado nas redes sociais da Rio de Paz:

"É uma manifestação pacífica. O mesmo direito que vocês têm de tirar eu também tenho de colocar. Meu filho morreu com 25 anos. Ele era saudável. Vocês têm que respeitar a dor das pessoas".

O pior de tudo é perceber que no âmbito deste clima de divergências (políticas, comportamentais, de atitudes etc.), importância menor se atribui à gravidade da pandemia global. E, como consequência desta discrepância de opiniões e de atos, mais e mais covas rasas deverão ser escavadas nas areias da praia de Copacabana... E, por que não dizer em todas as praias do litoral brasileiro?

Afinal, segundo alguns especialistas na área da Saúde, se nada for feito para mudar a linha pela qual o país está seguindo, o Brasil poderá se tornar o Epicentro da Pandemia, no próximo mês (julho), superando e ocupando o lugar atual dos EUA em número de mortes pela doença Covid-19.

Embora, neste ranking, o Brasil esteja em 3° lugar, com o registro de 40.919 mortes pela Covid-19 (dados de hoje, pela manhã), estando atrás do Reino Unido (41.364 óbitos) e dos EUA (113.803 mortes), segundo estes especialistas, a projeção é que o país pode “quase quadruplicar nos próximos 50 dias”.

Essa projeção tem por base um dos principais modelos matemáticos utilizados pela Casa Branca (EUA), que é a do Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME) da Universidade de Washington.

Mas, tal projeção pode não se concretizar, apontam os mesmos, no caso de haver mudanças no processo (maior adesão ao distanciamento e isolamento social e, consequentemente, no número de casos confirmados).

No entanto, tais estudos servem para as autoridades governamentais reconsiderarem os riscos e as consequências a fim de traçarem novas medidas preventivas.

Assim espero que o Governo repense e mude a sua linha de política divergente... Pois, como os próprios organizadores da ONG Rio pela Paz afirmaram, O Brasil está indo contra o que o mundo inteiro está fazendo”.


Fontes de Consulta

. Brasil pode se tornar líder mundial em mortes de covid-19 em 29/7, diz projeção usada pela Casa Branca – BBCNews

. ONG abre 'covas' na areia da praia de Copacabana em protesto contra ações do governo diante da pandemia – G1

. Rio de Paz faz ato e chama a atenção para mortes por covid-19 – Agência Brasil

sábado, 23 de maio de 2020

Pandemia no Brasil, fora de controle?

Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay 


Embora, o assunto do momento seja o da divulgação do vídeo de uma referida reunião ministerial, ocorrida em Brasília, há um mês, citada pelo ex-ministro Sergio Moro e com grande repercussão nas mídias, eu não estou aqui para discutir esta polêmica no âmbito do sistema político do nosso país. O próprio vídeo diz tudo!

Sem desmerecer a sua importância, a minha intenção neste espaço - como já comentei em outras postagens - não é tratar de questões políticas de dimensões acirradas, sobretudo, no campo de opiniões divergentes.

A questão crucial é que, além dessa crise política nacional, estamos em plena crise da pandemia global (Novo Coronavírus e da Covid-19). E esta desencadeou outras crises intrínsecas, como a da economia, a da violência doméstica (aumentando o número de casos), a da saúde mental e agravando mais ainda a situação da grande maioria dos brasileiros, neste embate contra o Novo Coronavírus em face às desigualdades sociais, de oportunidades de assistência médica e de serviços, entre outros problemas sociais.

É evidente que o papel do Estado, ao enfrentamento dessa pandemia global, deveria estar sincronizado com o conhecimento científico e com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas, nem mesmo as mudanças de discurso e de medidas tomadas por outros governos que perceberam, embora tardiamente, que os riscos do avanço da propagação do Novo Coronavírus perpassavam a um nível dissociado da economia, foram capazes de fazer com que o nosso governo mudasse de direção. 

E nada mudou, infelizmente! Pelo contrário, só vem piorando! E eu, particularmente, não vejo nenhuma perspectiva de mudança de opinião.

Permanecendo irredutível, sob uma retórica de defesa da população brasileira, sem mudar a sua linha de política à referida questão. Por outro lado, o número de infectados e de mortos pela Covid-19, no Brasil, só vem crescendo com o passar dos dias. Tanto que, de acordo com o Diretor do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, a América do Sul se tornou o “Epicentro” da Pandemia Global, tendo o Brasil em destaque neste cenário, justamente, por esse perfil irresponsável do nosso governo mediante a gravidade da pandemia, já configurada como “fora de controle” nesta porção continental. 

O Imperial College, instituição britânica com foco em ciência,
engenharia e medicina, divulgou nesta sexta-feira
estimativas preocupantes em relação ao coronavírus no Brasil.
A taxa de contágio (Rt), que indica para quantas pessoas em média
cada infectado transmite a covid-19, foi calculada em 1,3.
Número acima de 1 indica que a transmissão está fora de controle.” 

E sua afirmação está correta! No ranking mundial, de pessoas infectadas pelo Novo Coronavírus, o Brasil ocupa a 3ª posição, estando somente atrás dos EUA e da Rússia. E eu não acho difícil que ele ultrapasse esta última, passando a ocupar a 2ª posição, pois a diferença de ambos é de cerca de 5.000 casos. 

Em termos de óbitos, o Brasil se encontra em 6° lugar, atrás dos EUA, Reino Unido, Itália, França e Espanha. 

Segundo os dados oficiais, de ontem (22/05) para hoje (23/05), ou seja, em 24 horas, o número de casos confirmados da Covid-19 subiu para 330.890 infectados, com um aumento de 20.803 pessoas com a Covid-19. Com relação aos óbitos, o número também cresceu (diferença de 1.001 vítimas fatais), contabilizando hoje, até o horário de 10h32, em 21.048 mortos.

Fora as subnotificações...

A nossa crise em face à pandemia é mais complexa, pois além do posicionamento do nosso presidente frente a esse cenário de emergência, outros problemas e hábitos históricos nas diferentes instâncias de governo afetam direta e/ou indiretamente as medidas preventivas e de tratamento da doença, seja pela precariedade dos serviços públicos de saúde seja pelo desvio de recursos financeiros destinados à compra de equipamentos ou de materiais hospitalares, entre outros. Nem mesmo, neste período de pandemia, a corrupção deixou de funcionar.

Como cita, Marco Antonio Villa, “A elite dirigente tem na corrupção seu instrumento de gestão da coisa pública”.  (O GLOBO)

Só para lembrar, no dia 18 deste mês, o Secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, o Dr. Edmar Santos, foi exonerado pelo Governador Wilson Witzel, por suas falhas na gestão dos Hospitais de Campanha para tratamento da Covid-19. Mas, antes deste caso, em abril, o seu Subsecretário-Executivo, Gabriel Neves, foi preso por estar envolvido em uma organização criminosa ligada à compra de respiradores, sem licitação. Um verdadeiro absurdo!

Recentemente, perdemos dois Ministros da Saúde por causa da pressão do Governo e das divergências existentes entre a Pasta e o Governo, que sempre estive em desacordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Resta-nos apenas seguir o isolamento social, que é a melhor medida preventiva, neste momento e rezar muito!  

quarta-feira, 22 de abril de 2020

22 de Abril: Dia Mundial da Terra




Hoje, 22 de abril, além de comemoramos a data da chegada oficial dos portugueses ao nosso território (Descobrimento do Brasil), a partir do feito de Pedro Álvares Cabral, celebramos o Dia Mundial da Terra.

Esta data foi criada em 1970 (Século XX), pelo político e ambientalista estadunidense Gaylord Nelson (Senador de Wisconsin), cuja intenção era alertar e conscientizar às pessoas quanto à poluição do planeta e os problemas intrínsecos a esta, tomando como referência os impactos ambientais causados com um derramamento de óleo no Canal de Santa Bárbara, na cidade de mesmo nome, localizada o sul da Califórnia, no ano anterior (1969). 

Até hoje, o referido acidente ambiental é considerado o maior desastre petrolífero ocorrido nas águas do Pacífico no estado da Califórnia e o terceiro maior em águas dos EUA.

Este ano, no entanto, o nosso Planeta Terra padece... 

Padece não apenas pela depredação do meio ambiente por conta dos aumentos significativos de desmatamento e destruição das florestas, pela extinção de diversas espécies animais, pelos altos níveis de poluição atmosférica, por exemplos...

O Planeta Terra padece por estar sofrendo com as dores e as lágrimas de seus habitantes em face a uma Pandemia Global, cujo vírus (Novo Coronavírus), desconhecido – até este ano - pelos cientistas e médicos, já infectou 2.622.571 pessoas no mundo inteiro (casos confirmados com a doença Covid-19) e levou a óbito mais de 182 mil pessoas (números registrados no Mapa Interativo, hoje).

Por incrível que pareça, a pandemia em si acabou favorecendo a outros elementos da natureza, sob uma relação de causa e efeito positivo sobre estes, uma vez que em razão do cumprimento do isolamento social, medida de prevenção ao avanço da propagação do Novo Coronavírus, grande parte das atividades econômicas e de circulação de pessoas no espaço foram reduzidas consideravelmente, implicando na melhoria de qualidade de um fator ambiental

Infelizmente, nós, seres humanos, ainda não fomos contemplados com a descoberta de um medicamento ou de uma vacina eficaz contra este Novo Coronavírus.

Os impactos positivos causados, direta e/ou indiretamente, no âmbito desta Pandemia Global, os quais menciono, foram observados em diferentes pontos do planeta e até em nosso território nacional. Diversos animais reapareceram em grupos em seus habitats ou, simplesmente, circularam em espaços urbanos, sem riscos de serem incomodados pelo homem devido à medida de isolamento social deste, assim como os níveis de poluição caíram bruscamente tanto nas águas quanto no ar, em algumas regiões do planeta. 

Só que, por outro lado e mais sombrio, no Dia Mundial da Terra não temos nada a comemorar... Pois, muitos não conseguem enxergar a bendita “luz no final do túnel” e, descrentes, as perspectivas não são nada animadoras. São ameaçadoras... 

Avanço da propagação do Novo Coronavírus; Colapso dos Centros Hospitalares; Aumento do número de mortos pela doença Covid-19; Desemprego formal e informal; Recessão econômica; Retrocesso socioeconômico dos países desenvolvidos e em desenvolvimento; Aumento da fome e da pobreza, entre outros aspectos negativos, que já estão acontecendo.

Sob uma visão otimista, vamos manter a fé e acreditar que a descoberta de uma nova vacina no combate a este Coronavírus surgirá, assim como a humanidade seguirá novos padrões de comportamentos, mais saudáveis e justos, priorizando e orientando as políticas públicas para o atendimento às populações mais vulneráveis, afetadas diretamente por suas baixas condições socioeconômicas (renda, moradia, serviços etc.). 

domingo, 19 de abril de 2020

Desafabo: Dupla Preocupação em meio à Pandemia do Novo Coronavírus

Imagem do meu acervo particular


Embora, eu não tenha dado continuidade às postagens no Blog, assim como a maioria, venho acompanhando os boletins acerca da Pandemia do Novo Coronavírus no mundo e, principalmente, no Brasil pelos noticiários da TV e da Internet.

No entanto, tive que parar por um motivo bastante sério e preocupante, uma vez que fui submetida a uma cirurgia no último dia 03/04. A referida cirurgia estava prevista para ser realizada em março, mas por problemas de agendamento nas redes hospitalares, esta só foi possível no início deste mês.

Como mencionei em uma postagem anterior, desde o ano passado, tive vários problemas de saúde (fratura no pé e pneumonia, inclusive, com internação no CTI). Só não cheguei a mencionar uma feridinha que surgiu na aba direita do meu nariz. E, apesar desta ter surgido em dezembro do ano passado (2019), eu só procurei um dermatologista em fevereiro. Na verdade, eu fui em dois especialistas. 

Devo admitir que fui muito negligente comigo mesmo, pois não poderia ter demorado de tal maneira, tanto para consultar um médico quanto em relação à data da intervenção cirúrgica. Neste último aspecto, não coube a mim a demora pela data...

Pois bem, a feridinha era – na verdade – câncer de pele, o qual teve um aumento significativo de sua dimensão em decorrência do tempo que levei entre o seu surgimento, seu diagnóstico e a intervenção cirúrgica. 

Com a situação da Pandemia do Novo Coronavírus no país, muitas cirurgias foram canceladas, mas as oncológicas foram mantidas. Para minha sorte e azar, ao mesmo tempo!

Sorte, por poder tratar do câncer de pele, sem ter o cancelamento da cirurgia e, azar, devido aos riscos em contrair o Novo Coronavírus neste processo de ida e volta do hospital. Mas, graças a Deus, tudo correu bem!

Embora não tenha mencionado aqui, em nenhum momento, eu escondi esse problema dos meus alunos (14 turmas), pois era visível a sua ocorrência, mesmo com uso de band-aid no local. Eu sabia que haveria uma alteração estética no meu nariz após a cirurgia e aproveitei, inclusive, para alertá-los quanto à importância do uso de filtro solar.

Como muitos sabem, diversos fatores se encontram relacionados à incidência de câncer de pele, principalmente, em nosso país. No meu caso específico, além das exposições constantes ao sol, a cor da minha pele (bem branca) e a idade (efeitos cumulativos da radiação solar) propiciaram o seu desenvolvimento. Mas, vale ressaltar aqui que eu mesma nunca abusei ou extrapolei o horário adequado de tomar sol, como, por exemplo, na praia ou na piscina, justamente, por ser muito branca. 

As exposições, as quais me refiro têm a ver com os trajetos e as esperas em paradas de ônibus no percurso entre a faculdade e a escola ou entre uma escola e outra. O meu descuido foi com o uso regular de filtro solar nestas ocasiões. Tanto foi que eu sempre ficava com marcas das alças das camisetas que usava e das sandálias nos pés. 

No momento, estou me recuperando... Os pontos externos do nariz foram retirados no último dia 13/04, já os internos serão removidos amanhã (20/04).

As lições aprendidas perpassam pela importância do diagnóstico imediato (consulta ao médico especialista), o uso constante de filtro ou bloqueador solar (nosso país é tropical, com grande incidência solar) e dar mais atenção a nossa saúde.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Pandemia do Novo Coronavírus no Brasil: Números Atualizados


 

  Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay

. Data: 02/04/2020
 
. Números Oficiais:
 
     - Casos Confirmados (infectados): 7.910 indivíduos
 
     - Mortes pela Covid-19: 299 pessoas
 
Como já mencionei, neste espaço, todas as Unidades Federativas do nosso território (26 estados e 1 Distrito Federal) têm casos confirmados da doença Covid-19, no entanto, os registros oficiais de mortes incidem no Distrito Federal (região Centro-Oeste) e em 21 estados, a saber:

- Região Norte: Amazonas (03), Pará (01) e Rondônia (01) 

- Região Nordeste: Alagoas (01), Bahia (03), Ceará (20), Maranhão (01), Paraíba (01), Pernambuco (09), Piauí (04), Rio Grande do Norte (02) e Sergipe (02);
 
- Região Sul: Paraná (04), Rio Grande do Sul (05) e Santa Catarina (02);
 
- Região Sudeste: Espírito Santo (01), Minas Gerais (04), Rio de Janeiro (41) e São Paulo (188);
 
- Região Centro-Oeste: Distrito Federal (04), Goiás (01) e Mato Grosso do Sul (01).
 
Como podemos observar, São Paulo continua sendo o estado com o maior número de mortes, totalizando 188 vítimas fatais.

Dos 21 estados brasileiros, seis deles entraram neste levantamento, recentemente, registrando os primeiros óbitos pela Covid-19 (Rondônia, Alagoas, Paraíba, Sergipe, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul).

Acre, Amapá, Roraima, Tocantins e Mato Grosso são os únicos estados brasileiros sem registro oficial de óbito por Covid-19.


No entanto, vale ressaltar aqui, que esses números não expressam a “realidade”, tendo em vista que muitas mortes estão sendo investigadas para confirmação ou não da Covid-19.

Dados extraídos do site oficial do Ministério da Saúde
(atualização 02/04 às 19h36)

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Pandemia do Novo Coronavírus no Brasil: Números Atualizados


Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay


. Data: 01/04/2020


. Números Oficiais no BRASIL:

     - Casos Confirmados (infectados): 6.836 pessoas

     - Mortes pela Covid-19: 240 pessoas

terça-feira, 31 de março de 2020

Charges: Pandemia Global do Novo Coronavírus

Imagem capturada na Internet
 
O novo Coronavírus e Covid-19 são temas interligados em um único problema atual, a pandemia global, sendo o assunto mais comentado no mundo todo.

O primeiro trata-se de um vírus, que por ter sido descoberto recentemente, é citado como “novo Coronavírus” (existem outros tipos de Coronavírus). Já o segundo é o nome oficial da doença causada por este, a qual se assemelha a uma gripe ou resfriado, mas - nos casos mais graves – pode levar à Síndrome Respiratória Aguda (SARS) e insuficiência renal, podendo causar à morte.

As charges abaixo foram capturadas em diferentes sites da Internet e podem ser trabalhadas com alunos quando tudo voltar ao normal, sem atuais ameaças do novo Coronavírus ou, agora mesmo, para aqueles que estão participando de aulas aos moldes de Educação a Distância (aulas on line).