terça-feira, 31 de dezembro de 2013

 Imagem capturada na Internet (Fonte: Blog Eduardo Marini - R7) 
 
Peço mil desculpas a todos pela minha ausência no Blog, neste final de ano, pois estive super atribulada com atividades escolares (final do ano letivo), com o curso do Cecierj (Curso de Formação Continuada em Geografia), com a minha filha estudante (Ensino Médio), com tarefas em casa (tarefas doméstica e família) e com os cuidados com a minha mãe (sistema de rodízio com mais duas irmãs).
 
Além disso, eu tive reposição de aula durante a semana e aos sábados devido à greve dos professores da rede municipal.
 
Este período de final de ano letivo requer mais atenção nossa devido o fechamento das notas dos alunos e da nossa participação nos Conselhos de Classe. Afinal, o processo escolar do aluno pode definir dois resultados totalmente antagônicos, isto é, ele pode ser promovido para o ano ou série seguinte por ter alcançado os objetivos propostos ou, então, ele pode ficar retido no mesmo ano ou série por não ter alcançado os mesmos objetivos, não obtendo a média escolar. 
Eu, ainda, tive que comparecer a Metropolitana III (rede estadual) para tratar da minha situação de lotação, pois consegui levar os meus tempos de complementação cumprida no C.E. Jornalista Tim Lopes para o meu colégio de matrícula, ou seja, C.E. Profa Sonia Regina Scudese.
 
Finalmente, poderei dar aula em apenas uma Unidade Escolar e não mais em duas ou três como já fiquei no ano ano retrasado e neste. Só não me sinto totalmente feliz, porque adorava dar aula no “Tim Lopes”. Falo isso não só pelo corpo docente, Direção e de apoio que sempre foram maravilhosos comigo, falo também pelos alunos. E quanto a estes devo admitir que, pela primeira vez em minha vida profissional nos segmentos de Ensino Fundamental (6º ao 9º Ano) e Ensino Médio (1ª à 3ª Série), eu tive alunos tão educados. Impressionante, a diferença de comportamentos em sala de aula em relação a todas as turmas que já tive anteriormente, assim como a deste ano.
 
Não vou dizer que não houve nenhum caso de indisciplina, porque houve, inclusive, com  o comparecimento dos responsáveis no colégio após a minha convocação, mas foram casos isolados. Mas, de uma forma geral, as turmas sempre tiveram comportamento exemplar.
 
Do C. E. Jornalista Tim Lopes vou guardar doces lembranças, risos e a alegria de ser professora e a certeza de cumprido a minha missão.
 
Quanto ao Blog, vários temas deveriam ter sido abordados neste espaço, mas – realmente – eu não tive tempo de escrever. Por isso tenho que reconhecer este meu grande erro, pois quem tem Blog não deve permitir que falhas deste tipo ocorram. Mas, não houve jeito!
 
Final de ano, a gente sempre faz uma reflexão geral do ano que está terminando, dos erros e acertos, já pensando no ano seguinte em termos de mudanças positivas. Eu mesma sempre proponho mudanças, mas elas pouco acontecem, mas acontecem... Lentamente, mas sempre algo muda para melhor.
 
É preciso repensar a vida da gente em termos familiar, social, profissional e, enquanto ser individual. A todas estas facetas, inclui-se, no meu caso, a saúde (maiores cuidados e consultas periódicas); educação/aprimoramento do conhecimento (atenção à vida escolar de minha filha e ao curso do Cecierj), as amizades (atenção a elas); cultura (atualização permanente quanto à leitura de jornais, revistas e livros; frequência a cinemas e/ou teatros nos fins de semana) e, no espiritual, embora eu não esteja presa a nenhuma instituição formal e representativa, pois tenho uma comunicação direta e clara com Deus, a minha filha está precisando resgatar este vínculo através da celebração da missa. Daí, eu ter colocado como uma das prioridades para o ano de 2014. 
Hoje é o último dia de 2013 e é preciso decidir o caminho que queremos traçar para o ano que se aproxima. Daí, eu gostar muito de uma mensagem de Carlos Drummond de Andrade que reflete a magia que ocorre em nosso interior por ocasião da virada do ano. E é, com ela, que encerro esta postagem.
 
 
CORTAR O TEMPO 
 
Carlos Drummond de Andrade
 
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
 
 
Industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
 
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação
e tudo começa outra vez, com outro número
e outra vontade de acreditar
que daqui pra diante vai ser diferente.

 
 FELIZ 2014!

Nenhum comentário: