quarta-feira, 17 de junho de 2009

Meio Ambiente e Cidadania: Existe uma coisa difícil de ser ensinada

Devido a falta de mesas para a exposição das maquetes acerca dos efeitos do Aquecimento Global, muitos alunos de outras turmas acabaram quebrando alguns trabalhos e/ou deixando-os cair no chão.
 
Como tanto as turmas da tarde (ontem) quanto as da manhã (hoje) conseguiram ver as maquetes, solicitei aos alunos que retirassem as mesmas e que cada grupo levasse para casa.
Alguns me avisaram que não queriam, pois havia quebrado e eu respondi que, então, o jogasse no lixo. Outros, eu ainda sugeri que guardasse a placa para um eventual trabalho, no futuro.
 
Eles pegaram na hora da saída, mas qual a minha surpresa ao chegar na rua para ir à papelaria, após o almoço... A calçada da escola estava cheia de pedaços de isopor, árvores, casinhas no chão, entre outros fragmentos das maquetes.
 
A temática Meio Ambiente não foi posta em prática, pelo contrário!
 
Recolhi alguns pedaços de isopor e de outros componentes das maquetes (árvores, casas etc) e levei para dentro da escola.
 
Algumas mães vieram ao me encontro manifestar, também, indignação com a sujeira e a atitudes dos alunos, tal como eu demonstrava na hora.
 
Comuniquei à Direção sobre o ocorrido, inclusive, porque o pessoal da COMLURB que presta serviço para a escola, também, atua do lado externo.
 
Amanhã, colocarei um cartaz chamando a atenção dos alunos sobre as atitudes tomadas por um grupo deles.
 




O cartaz já está pronto. Além dos fragmentos coletados e as imagens registradas de uma parte da calçada, coloquei duas notas, a primeira é uma mensagem de minha autoria, "Relação Homem versus Natureza", a qual já foi postada neste espaço (no ano passado e no início deste mês) e a outra direcionada às turmas envolvidas:

ALUNOS DAS TURMAS
1701, 1703, 1801 E 1803.
 
Realmente, como o próprio texto diz “Existe uma coisa difícil de ser ensinada”, que é a elegância do comportamento, o respeito e, ao mesmo tempo, o exercício da cidadania em termos de igualdade de direitos e deveres.
 
Como trabalhar Meio Ambiente, se as pessoas desconhecem o seu conceito e, por isso, não enxergam toda a sua abrangência?
 
Como trabalhar Meio Ambiente, se as pessoas desconhecem ou fingem ignorar que lugar de lixo é na lixeira?
 
Como trabalhar Meio Ambiente, se as pessoas desconhecem o significado das palavras reciclagem e reutilização? E ao desconhecerem estas palavras, ignoram também o termo desperdício?
 
Como trabalhar Meio Ambiente, se as pessoas não respeitam:
 
- o serviço e os profissionais que varrem, diariamente, as ruas;
 
- as pessoas que transitam, todos os dias, pela calçada da escola (crianças, jovens, adultos e idosos);
 
- as galerias de águas pluviais, para onde o lixo acumulado nas ruas é destinado, provocando o entupimento das mesmas e sérios problemas durante as chuvas?
 
- a sua própria imagem, adotando atitudes de verdadeiro vândalo ao quebrar e chutar as placas de isopor da maquete?
 
- o próprio meio em que vivem, uma vez que o tempo de decomposição do isopor é longo?
 
Fiquei, realmente, muito chateada com as cenas que vi, pelos comentários que ouvi de alguns responsáveis no portão da escola que se mostraram indignados e condenaram as atitudes dos alunos.
 
É uma pena que certos valores e a própria aprendizagem, ainda, não foram compreendidos e assimilados - como deveriam ser - por um grupo grande de alunos.
 
Prof.ª. Marli Vieira

Um comentário:

Dolores disse...

Gostei dos seus trabalhos sobre meio ambiente com seus alunos.O dificil é a desconhecimento de cidadania e falta de consciencia dos nossos educandos.
Voce está de parabéns professora Marly