quinta-feira, 22 de abril de 2010

22 de Abril: Dia da Terra

Imagem capturada na Internet (Google)

Além da data comemorativa do “Descobrimento do Brasil”, hoje, festejamos o Dia da Terra.

Como já publiquei neste Blog, a origem da escolha do dia da Terra partiu do senador norte-americano Gaylord Nelson, em 1970, por ocasião de um manifesto contra a poluição. No entanto, somente à partir de 1990, que o movimento a favor do Planeta Terra passou a ser comemorado na data de 22 de abril.

Com o passar dos anos e com uma maior conscientização a respeito das questões ambientais, muitos países aderiram e incorporaram a data ao calendário nacional.

Quando falamos de Dia Mundial da Terra devemos retroceder à história do planeta desde o seu surgimento, há cerca de 4,5 bilhões de anos.

Como já postei neste espaço, eu costumo dividir a história e evolução da Terra em dois períodos, como o próprio MOREIRA (1985) cita: Primeira Natureza e Segunda Natureza.

Ambos se divergem tanto em termos de escala temporal quanto de dinâmica ambiental, tendo o surgimento do homem como fator limite da passagem de um período para o outro.

Assim sendo, pode-se dizer que a Primeira Natureza (Natureza Natural) compreende o período da formação do nosso planeta (há 4,5 bilhões de anos) até, aproximadamente, 1,8 milhões de anos, quando o primeiro representante do gênero Homo (ancestral do homem moderno) surgiu na Terra.

Como se pode ver, o período da Primeira Natureza foi o mais longo e sua dinâmica ambiental foi regida apenas por fenômenos naturais, quer sejam sob a atuação de agentes internos (endógenos) quer sejam de agentes externos (exógenos) ou, ainda, na atuação sincrônica de ambos.

A Segunda Natureza se caracteriza como um período mais curto, porém muito relevante para nós, pois trata-se do tempo do homem.

Este teve início há cerca de 1,8 milhões de anos e se mantém até os dias de hoje. Sua dinâmica ambiental é caracterizada não só por fenômenos naturais, mas – sobretudo – por aqueles de derivações antrópicas, isto é, causados direta e/ou indiretamente pelo homem.

Aliado a isso, as transformações da natureza ocorreram mais rapidamente em razão do desenvolvimento das ciências e da tecnologia.

Pode-se considerar o machado de pedra como o primeiro instrumento a alterar o meio ambiente, afinal foi a partir da utilização deste, que o homem pré-histórico passou de nômade a sedentário, pois derrubou árvores para cultivar alimentos (além do registro de criação de animais na época).

No entanto, apesar de serem denominados de "predadores", suas intervenções na natureza não eram tão efetivas a ponto de causar um grande dano ambiental, visto o número reduzidíssimo de habitantes na Terra e a própria capacidade da técnica do machado de pedra.

Só que, assim como a própria evolução humana, ao longo do tempo, as técnicas se aprimoraram, a população mundial foi crescendo, ocupação do solo foi transcorrendo, povoados, vilas, cidades, as atividades econômicas foram se diversificando, a agricultura, o pastoreio, surgiram as primeiras oficinas, as primeiras indústrias, as tecnologias modernas e de ponta.

Neste processo, tanto os homens quanto as ciências e as tecnologias evoluíram. Infelizmente, esta evolução transcorreu sob um conceito dicotômico de relações entre o Homem e a Natureza.

Daí, todos os problemas gerados e perpetuados através destes valores dissociativos de uma relação, onde aos elementos naturais foram atribuídos poderes exclusivamente econômicos.
E, como até hoje, a exploração dos recursos naturais continua de forma acelerada, a ocupação e apropriação dos solos é uma prática cega, sem vistas para os riscos naturais que as áreas representam e tantos outros aspectos ligados aos problemas ambientais da Terra.

Problemas ambientais estes, que são reflexos também das relações homem x homem (sociais, políticas e econômicas).

Avanço da desertificação, aumento do aquecimento global, escassez ou falta de água potável, desmatamentos, queimadas, ocupações desordenadas, todos os tipos de poluição, violência no campo e nas cidades, fome, drogas, prostituição, desemprego, criminalidade etc...

Esta é a história da Terra!

Ela precisa tomar outro rumo, muito embora já seja algo irreversível em determinadas situações.
Mas, como mudar? As mudanças perpassam pelas ideias e pela atitude. E é para isso, que este data é dedicada.

Ao pensarmos na Terra, não estamos fazendo nada mais do que pensarmos em nós mesmos e nas gerações futuras.

A revolução perpassa, primeiramente, pela conscientização dos problemas ambientais, não esquecendo que o homem é um agente do meio ambiente (e, por sinal, o maior modificador deste).

E ciente deste contexto, as palavras de ordem devem seguir: a conservação, preservação, desenvolvimento sustentável, os três R (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), a solidariedade, a cobrança e aplicação de EIAs (Estudo de Impacto Ambiental) de credibilidade, políticas e sanções mais severas aos infratores, valorização de valores humanos, entre tantos outros.

Apenas a critério de curiosidade, no âmbito da Escala Internacional do Tempo Geológico, as Eras Azóica, Pré-Cambriana, Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica (apenas o período Terciário) correspondem ao longo período da chamada Primeira Natureza, enquanto o período Quaternário da Era Cenozóica constitui a Segunda Natureza.

Nenhum comentário: