sábado, 26 de junho de 2010

Ação Solidária aos Desabrigados das Chuvas do Nordeste

Imagens capturadas na Internet (Fonte: Revista Veja)




É por causa de cenas iguais a esta e por saber da situação caótica, pela qual as populações afetadas pelas chuvas estão enfrentando, que devemos agir pensando na coletividade, em compartilhar esta preocupação, doando um pouco.

Em virtude da nossa I Arrecadação da Campanha de Solidariedade estar aquém da nossa perspectiva em virtude dos jogos da Copa do Mundo, das provas disciplinares e daquelas propostas pela Secretaria Municipal de Educação, resolvi divulgar os postos de arrecadação neste espaço e na referida Unidade Escolar, pois com toda a certeza a nossa comunidade interna não deixará de participar. Afinal, a E.M. Dilermando Cruz já provou o quanto é uma Escola Solidária.

A divulgação através deste e dos alunos, como multiplicadores ou agentes transmissores e conscientizadores é de fundamental importância, visto que não queremos ficar de braços cruzados, ignorando a gravidade da situação.

As mídias - a todo o momento - vêm divulgando a destruição das cidades, a perda material total das populações afetadas, a falta de comida, de água potável e os diversos registros de saques (sob diferentes intenções, é claro!), mas, principalmente, por comidas.

Para quem tem um coração solidário e quer ajudar as populações da região nordeste, mais especificamente dos estados de Pernambuco e de Alagoas, pode procurar os seguintes caminhos: as agências de Correio (para os desabrigados de Alagoas), a Arquidiocese do Rio de Janeiro e, ainda, os espaços públicos de exibição da Copa do Mundo 2010 (Campanha Copa Solidária).



AGÊNCIAS DOS CORREIOS

Os donativos (alimentos não perecíveis, roupas, toalhas, lençóis, calçados, tendas e barracas) podem ser encaminhados a qualquer agência do Correio e o envio é gratuito, ou seja, sem nenhuma despesa ao remetente. Eu acredito que as agências franqueadas não recebam os donativos sob estas condições (gratuidade). Não sei!

Os donativos devem ser embalados em pacotes de até 30 Kg e o endereçamento postal é:

Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Alagoas

Rua Lavenere Machado, nº 80, Trapiche da Barra

CEP 57010 383 - Maceió/Alagoas

Não são aceitos doações de remédios ou de dinheiro.



ARQUIDIOCESE DO RIO DE JANEIRO

As doações devem ser entregues na Catedral Metropolitana de São Sebastião, na Avenida Chile, no Centro.

Além de alimentos, roupas e material de higiene, as doações podem ser realizadas sob a forma de dinheiro. Quem puder colaborar pode fazer o depósito pela conta da Cáritas, no Banco Bradesco: Agência: 814-1, Conta corrente: 48500-4.



COPA SOLIDÁRIA

É uma Campanha promovida, em parceria, do Serviço Social da Indústria (Sesi), a Rede Globo e à Central Única das Favelas (Cufa). Os donativos podem ser: água potável, material de limpeza, material de higiene pessoal e alimentos não perecíveis.

As doações só podem ser entregues durante a transmissão dos jogos do Brasil, quando haverá pessoal encarregado para recebê-las.

O endereço é no Fifa Fan Fest, na praia de Copacabana.



Tragédia no Nordeste: Chuvas torrenciais e rompimento de barragens devastam cidades inteiras




Rio Jacuípe e Cidade de mesmo nome(Alagoas) - Imagem capturada na Internet (Fonte: Revista Veja)



Não há como ficar indiferente a certos acontecimentos, ainda mais sendo estes trágicos, como foram as consequências das chuvas na região nordeste do Brasil.

Desde o dia 18 de junho, as chuvas que caíram na região, sobretudo nos estados de Pernambuco e Alagoas, deixaram pelo menos 51 mortos, sendo o maior número em Alagoas (34 óbitos).

As cidades mais afetadas, em ambos os estados, mais pareciam ter sofrido um tsunami. De acordo com os especialistas, a violência da enxurrada e consequentemente da devastação das cidades não decorreram apenas em razão do aumento dos índices pluviométricos na região, mas principalmente pelo rompimento de barragens situadas ao longo de rios que cortam Pernambuco e Alagoas.

Só para se ter uma ideia quanto a média de chuvas, em Pernambuco, a média esperada para este mês de junho era de 389 mm. Contudo, em três dias, caíram 248,2 mm.

O número de desabrigados é muito grande e quanto aos desaparecidos, graças a Deus, o quantitativo divulgado (centenas de pessoas) foi reduzido em razão da descoberta que muitos saíram e procuraram abrigos antes da enxurrada.

Um caso super interessante e transmitido nos telejornais ocorreu numa comunidade quilombola em União dos Palmares, município de Alagoas. Os seus moradores tiveram que subir em árvores para escapar da enchente causada pelo transbordamento do rio Mundaú, que cobriram as suas respectivas casas.

As chuvas deram uma trégua, mas segundo o Serviço Nacional de Meteorologia, a previsão é de mais chuvas para os próximos dias. Os riscos de uma nova subida dos rios na região não foram descartados e, com certeza, dificultarão a entrega de donativos e a chegada das equipes de resgate nas referidas áreas.


As imagens abaixo foram capturadas na Internet com o objetivo de ilustração (Fontes: Revista Veja, Click PB)




Município de União dos Palmares, rio Mundaú (Alagoas)






Município de União dos Palmares (Alagoas) - Observem as marcas da altura da água nas paredes das casas desmoronadas



União dos Palmares (Alagoas)





Barragem na cidade do Rio Largo (Alagoas)

Cidade do Rio Largo (Alagoas)







Cidade do Rio Largo (Alagoas)






Cidade de Branquinha (Alagoas)







Cidade do Rio Largo (Alagoas)






Cidade Branquinha (Alagoas)






Cidade Branquinha (Alagoas) - Vejam o detalhe do trilho da linha férrea



sexta-feira, 25 de junho de 2010

Um ano sem Michael Jackson



Imagem capturada na Internet (Fonte: Veja)


Um ano de morte de Michael Jackson... No dia 25 de junho de 2009, o foco principal das mídias era um só e, justamente, para aquele que causaria um luto mundial. Por overdose de analgésicos e outros medicamentos, a vida do astro Michael Jackson foi encerrada precocemente.

Mas, a própria morte o fez ter a imagem mais apreciada e vivificada como o grande astro da música e de uma coreografia ímpar, tal como ele era considerado antes de todos os fatos polêmicos que passaram a rondar a sua vida pessoal e profissional.

Além de sua imagem ter sido resgatada e valorizada, neste primeiro ano após a sua morte, a situação financeira do espólio de Michael Jackson (herança) mudou totalmente.

O mundo do entretenimento vem faturando muito em cima do nome do ídolo. Segundo a Revista Veja, a Billboard estima que, entre a indústria da música, da TV e do cinema, o astro arrecadou – da data de sua morte até hoje - um valor próximo a 1 bilhão de dólares (cerca de 1,773 bilhão de reais).

Antes, astro endividado... Com sua morte, sua popularidade sobreviveu e aumentou a herança deixada. É aquela velha história, “quem é rei, nunca perde a majestade!” Nem mesmo depois de morto!

Apesar de a data ter sido lembrada e homenageada em várias partes do mundo, o cemitério onde o astro está enterrado, próximo a Los Angeles (EUA), não estava cheio de fãs, como foi mostrado na TV. Eu acredito que o fato se deu em razão da proibição de visita do público ao seu mausoléu.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Curiosidade: A Calçada dos Gigantes





Imagem capturada na Internet (Google)


Ainda no contexto do continente europeu, além das falésias e dos fiordes, há uma formação bastante interessante e que desperta grande curiosidade, atraindo diversos turistas. Trata-se da “Calçada dos Gigantes” (The Giant's Causeway).

Segundo a lenda local, a calçada foi construída por um gigante irlândes na intenção de lutar com outro gigante de origem escocesa.

Seu nome era Finn MacCool e um dia dirigiu-se para o norte, na costa, onde poderia olhar a Escócia através do estreito de Moyle. Este procurava pelo gigante escocês Benandonner, que era o seu maior rival e que vivia desafiando sua reputação e força.

Como os dois nunca haviam se encontrado, Finn MacCool decidiu convidar Benandonner para ir à Irlanda, para um duelo final.

Contudo, não havia um barco suficientemente grande para carregar o gigante escocês. Em razão disso, Finn MacCool construiu uma calçada feita por pedras gigantes a fim de que seu rival pudesse cruzar o canal, não tendo assim nenhuma desculpa para evitar o confronto.

No entanto, assim que Benandonner se aproximou, Finn MacCool se deu conta que seu inimigo era muito maior e mais assustador do que ele havia imaginado.

Ele correu para sua casa e pediu conselho a sua mulher sobre o que fazer. Sua esposa, Oonagh, que era bem prática e objetiva, mandou-lhe que se disfarçasse de bebê e o colocou em um berço gigante feito de madeira.

Sua esposa aconselhou que ficasse quieto e fingisse estar dormindo. Logo depois, a sombra de Benandonner surgiu na porta do casal.

Oonagh convidou o gigante Benandonner para entrar, mas pediu que este não fizesse barulho para não acordar o filho de Finn.

Quando o gigante viu o tamanho da "criança" imaginou como seria o tamanho do pai do bebê e fugiu correndo de volta para a Escócia, destruindo a calçada após cruzar o estreito, para evitar que seu inimigo fosse atrás dele.

Lenda interessante para a formação geológica de cerca de 40.000 colunas de basalto, de formas poligonais, dispostas lado a lado, como se fosse uma calçada (daí, a sua denominação), localizada na costa nordeste da ilha da Irlanda, mais especificamente na Irlanda do Norte, território que faz parte do Reino Unido.


Imagem capturada na Internet (Fonte: Administrativo)

De acordo com os dados geológicos, as colunas são provenientes do resfriamento relativamente rápido da lava basáltica durante uma erupção vulcânica ocorrida há cerca de 60 milhões de anos.

As lavas subiram por fendas no calcário a 1000º C e ao entrar em contato com o mar e o ar, o basalto se solidificou, formando as colunas, cuja altura 'máxima pode chegar a 6 metros, enquanto a largura pode ser de até meio metro.

Ela foi descoberta em 1693. Em 1986, ela foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO sob a denominação de "Calçada dos Gigantes e sua Costa" e, no ano seguinte, como Reserva ,Natural Nacional.

Todas as imagens abaixo foram capturadas na Internet com a finalidade de ilustração
























Fontes:

. Cruzeiro do Sul

. Mosaicos do Sul

. Material didático particular

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Copa 2010: Cristiano Ronaldo, o jogador mais bonito





Imagens capturadas na Internet (Google)


Atendendo a pedidos de muitas alunas, que elegeram o jogador português - Cristiano Ronaldo - como o mais bonito da Copa do Mundo 2010, estou postando duas imagens dele.

Eu só espero que no próximo jogo do Brasil, no dia 25/06 (sexta feira), que vai ser justamente contra Portual, elas não deixem de torcer para a nossa Seleção em razão do jogador.

Este jogo, na verdade, me preocupa muito...

Aí, garotas, todas concordam? Ou há outro jogador que pode entrar na briga com Cristiano Ronaldo?

Dois anos de Lei Seca: Estado do Rio de Janeiro lidera no ranking das Unidades Federativas que apresentaram queda no número de vítimas no trânsito






Infelizmente, devo confessar que ainda não me sinto tranqüila e confiante na nossa Seleção Brasileira, mesmo com os resultados positivos nestes dois primeiros jogos, com a Coréia do Norte e com a Costa do Marfim. Mas, também, em nenhum momento levanto a voz para ironizar ou praguejar contra os jogadores ou ao técnico Dunga. Pelo contrário torço e até elevo os pensamentos a Deus para dar aquela forcinha espiritual...

Mas, a razão desta postagem tem a ver com outra comemoração, longe dos campos de futebol e, muito menos da África do Sul, sede da Copa 2010.

Estou falando da posição do nosso estado, o Rio de Janeiro, no ranking dos países que apresentaram redução no número de mortes no trânsito.

O Rio de Janeiro registrou o maior percentual de queda. Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, divulgado na semana passada, a redução registrada em nosso estado foi de 32% no número de óbitos por acidentes de trânsito. O período avaliado foi de 12 meses após a entrada em vigor da Lei com os 12 meses anteriores a esta.

A Lei Federal n.º 11.705/2008, mais conhecida como "Lei Seca", completou 2 anos de vigência neste último domingo (20/06) e a notícia não só vem corroborar a sua eficácia no combate à imprudência e irresponsabilidade de quem associa bebida e o ato de dirigir, como ela traduz que os fluminenses (nascidos no estado), em geral, aprovaram e seguem a legislação vigente, como também, que a fiscalização tem sido eficiente.

Tudo é uma questão de conscientização coletiva, de vigilância e de fiscalização constante. O processo é lento, mas os resultados já mostram que as mudanças de hábitos e de respeito à coletividade vêm dando sinais de ampla adesão.

É evidente que os números ainda são altos, não resta dúvida! Há muitos motoristas que ainda não se conscientizaram quanto aos riscos da vinculação do álcool ao volante, ou seja, ao dirigir.

Esta redução representa, de acordo com o Ministério da Saúde, como se 694 vidas tivessem sido poupadas.

No ranking das Unidades Federativas que reduziram o número de mortes no trânsito, seguem após o estado do Rio de Janeiro (-32%); Espírito Santo (-18,6%); Alagoas (-15,8%); o Distrito Federal (-15,1%); Santa Catarina (-11,2%); Acre (-8,8%); Tocantins (-7,1%); Bahia (-6,1%); São Paulo (-6,5%); Rio Grande do Sul (-6,4%) e Paraná (-5,9%).

Se por um lado, os resultados da Lei Seca são motivos de comemorações. Uma outra atividade, também considerada um crime na legislação (Lei Federal nº 9605/98), ainda é muito praticada em nosso estado e, em especial, no município do Rio. É a atividade de soltar balões.

Sob o ritmo de Copa do Mundo e os festejos das festas juninas, as atividades dos baloeiros aumentam consideravelmente (confecção, soltura e acompanhamento por terra). Associado a isso, as condições climáticas nesta época do ano (passagem do outono para o inverno) favorecem à propagação de incêndios no caso do balão cair ainda com a bucha acesa, pois o ar é mais seco.

Embora, para muitos, os balões coloridos no céu possam parecer algo inofensivo e, inclusive, bonitos de se admirar, estes representam um verdadeiro arsenal a deriva, sem rumo, sob a influência dos ventos e, sobretudo, riscos eminentes de incêndios.

Não importa onde eles caiam, os riscos são elevados e as consequências em termos de perdas humanas, de outros animais, cobertura vegetal ou materiais são imprevisíveis. Estes podem cair em áreas construídas, densamente povoadas, bem como em áreas desabitadas, mas com uma riqueza de flora e fauna. E é justamente por isso, que fabricar, transportar e soltar balões é considerado um crime ambiental.

Infelizmente, a prática dos baloeiros só pode ser extinta a partir da conscientização geral quanto aos riscos de incêndios e de perdas materiais e de vidas ou, por via da ação de terceiros, através de denúncias.

De sábado para domingo, ontem, mais um registro dos danos ambientais causados pela queda de um balão ocorreu no município do Rio. Foi no Morro dos Cabritos, na Zona Sul do Rio, na Lagoa. O fogo se alastrou rapidamente e tomou uma proporção de assustar qualquer um. Este destruiu parte da vegetação da Área de Preservação Ambiental, localizada neste.

A vinculação do incêndio a queda de um balão foi cogitada inicialmente, depois descartada e, em seguida, confirmada.

Ainda bem que era uma área desabitada, pois o número de vítimas humanas poderia se tornar uma catástrofe, ainda mais em nosso município, onde muitas encostas são intensamente ocupadas e de forma desordenada. Mas, sem dúvida as perdas em termos de cobertura vegetal e fauna também são lamentáveis.

Assistam o vídeo abaixo (Globo News) sobre o referido incêndio. Alguns até fizeram uma analogia a um vulcão em atividade:





domingo, 20 de junho de 2010

Curiosidades: Falésias e Fiordes



Ação erosiva das ondas do mar - Imagem capturada na Internet (Google)



Como prometi aos alunos, estou postando as imagens de falésias e fiordes. A explicação ou um simples desenho no quadro branco não tem a mesma eficácia da qual a imagem impõe. E, como todos sabem, o livro didático de Geografia não faz referência nenhuma e nem faz uso de imagens. Por isso, os avisei sobre a postagem neste espaço.

Mas, antes, retomando a explicação em sala de aula, vamos ver os conceitos destes, que se encontram associados à costa litorânea...

As falésias consistem em formas de relevo litorâneo, abruptas e escarpadas, resultantes da ação erosiva constante das ondas do mar sobre a rocha e/ou material sedimentar ou vulcânico (abrasão marinha).

Por sofrerem a ação do mar, permanentemente, estas são denominadas de falésias vivas ou ativas. Quando estas se encontram localizadas mais para o interior do continente, distantes dos efeitos abrasivos do mar, são chamadas de falésias mortas (ou paleofalésias).

O trabalho erosivo das ondas do mar, abrasão marinha, se faz pelo solapamento da base e, posteriormente, há o desmoronamento do material sobrejacente. É evidente que outros agentes erosivos agem sobre a topografia litorânea, mas para a formação de falésias, o agente principal são as ondas do mar.

Notem os conceitos envolvidos sobre a costa alta e costa baixa...



Falésia Dover (Inglaterra)

Imagem capturada na Internet (Google)





Falésia de Etretat (França)

Imagem capturada na Internet (Google)





Falésias no Monte Argentário (Itália)

Imagem capturada na Internet (Google)



Como eu comentei na aula, em nosso litoral, principalmente, nordestino, encontramos falésias talhadas em terrenos argilosos, as de Formação Barreiras. Sua extensão, no entanto, é registrada desde o Amapá até o estado do Rio de Janeiro.




Falésias na Praia Canoa Quebrada (Ceará)

Imagem capturada na Internet (Fonte: Guia do Litoral)





Falésias na Praia de Canoa Quebrada (Ceará)

Imagem capturada na Internet (Fonte: Guia do Litoral)



Praia de Pitinga em Arraial d'Ajuda e ao fundo as falésias (Bahia)

Imagem capturada na Internet (Fonte: Folha OnLine)



Falésias na Praia de Trancoso, Porto Seguro (Bahia)

Imagem capturada na Internet (Google)





Os fiordes são grandes vales rochosos ou, melhor dizendo, corredores estreitos e profundos localizados na costa alta. Estes, ao contrário das falésias, foram escavados pela erosão glaciária e, hoje, se encontram cobertos pelas águas do mar.

A palavra fiorde é de origem norueguesa, significando algo semelhante a “porto seguro”, ou seja, aquele que apresenta águas calmas, que favorece a atividade pesqueira, o transporte e a ancoragem de barcos e navios.

Alguns vales (fiordes) chegam a exceder 350 Km de comprimento e uma profundidade de cerca de 1.500 m. Os paredões rochosos podem ultrapassar 1.000 m de altura.


Todas as imagens abaixo consistem no fiorde Gerianger, na Noruega (fontes diversas através do Google) .



















Fontes de Consulta:

. GUERRA, Antonio Teixeira - Dicionário Geológico e Geomorfológico (IBGE)

. InfoEscola

Crônica: Um Sonho Ecológico


Imagem capturada na Internet (Fonte: 3ª Compª Comandos Mocambique)




UM SONHO ECOLÓGICO

João Justino Leite Filho

Eu via o pôr-do-sol e meu lado criança entendia que o sol era uma pipa que estava sendo recolhida do céu por alguém que havia brincado o dia inteiro.

Minha imaginação permitiu que eu fosse uma gaivota e tentasse acompanhar o espetáculo, de cima. Então, me senti de asas abertas, desafiando o vento e ganhando altura.

Quando escureceu de vez fui coruja e pela primeira vez pude ver na escuridão. De manhã, eu, andorinha em vôos rasantes, passei a centímetros de prédios, antenas, telhados…

Uma chuva me surpreendeu e, encharcado, mergulhei no oceano. Fui golfinho, polvo, fiz parte de cardumes, pesquisei as profundezas do mar, descobri cavernas, montanhas. Desafiei meus limites como baleia e fiquei encalhado na praia.

Sendo tartaruga me libertei da areia e fui lentamente caminhando em direção à mata, tomei banho de sol como crocodilo, fui ganhando patas ágeis, corpos flexíveis. Fui leopardo, tigre, antílope. Acho que tive o pescoço mais comprido do mundo, depois brinquei com a minha tromba, pensei em me ver no espelho e fiz muitas macaquices.

Dancei nos desertos como avestruz e, porque a sede bateu, fui camelo e me saciei no meu próprio reservatório.

Dei sustos, quando fui hipopótamo, brinquei bastante como foca, vivi bons momentos com rinoceronte e fico emocionado quando me recordo da minha vida de chinchila nas montanhas do Peru e do Chile.

Migrei como cegonha, vi Deus nos nascimentos.

O frio e o cansaço fizeram de mim um urso sonolento se preparando para hibernar. Dormi o mais longo dos sonos e acordei pensando em continuar experimentando vidas irracionais.

Só que meu lado racional me mostrou os riscos que eu havia corrido.

Os homens podiam ter acabado com a minha vida de hipopótamo, interessados na minha pele e no marfim dos incisivos. Podiam ter me fuzilado em plena dança de avestruz, visando minhas longas penas brancas para fazerem enfeites.

Se me encontrassem como foca, ou me matariam para confeccionar roupas esportivas com a minha pele, ou me levariam para fazer gracinhas que dão dinheiro. Minha preciosa vida podia ter sido abreviada por um arpão.

Pobre de mim se tivessem me visto como chinchila, como leopardo, como irracional.
Corri sérios riscos de ser enjaulado, engaiolado, castrado, embalsamado. Como cegonha eu estaria migrando para o fim.

Por segurança, fui me levantando como ser humano e meu lado realista me disse: Muito cuidado com os homens!


Fonte: Blog do Prof. Rafael Porcari

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Mutilação Genital Feminina: uma prática cultural em países africanos, asiáticos e, em expansão, na Europa


Waris Dirie - Imagem capturada na Internet (Google)




Para quem pensa que a caça aos albinos é a única crendice absurda praticada na África está totalmente enganado.

Não resta dúvida que esta prática existente, principalmente, na Tanzânia e Burundi é hedionda e inadmissível nos dias de hoje (vide postagem do dia 04 de junho), mas há também outras que nos chamam a atenção e nos chocam no referido continente e, inclusive, nestes dois países.

Uma delas é a mutilação do órgão genital da mulher, mais conhecida como MGF (Mutilação Genital Ffeminina), na qual são submetidas meninas (crianças), jovens e mulheres adultas.

Na maioria das vezes, a mutilação é realizada antes da puberdade e, em geral, nas meninas com idades entre 4 a 8 anos.

Consiste em uma prática comum, principalmente, no nordeste, leste e oeste do continente africano. Em geral, as fontes de pesquisa indicam 29 países africanos, mas de acordo com o meu levantamento, este número é superior, totalizando em 31 nações, como a Somália, Etiópia, Egito, Senegal, Burundi, Sudão, Gana, Congo, Camarões, Mauritânia, Quênia, Líbia, Tanzânia, Libéria, Burquina Faso, Níger, Malauí, Moçambique, Angola, Costa do Marfim, Serra Leoa, Guiné-Bissau, República Africana Central, Mali, Nigéria, Uganda, Togo, Benim, Chade, Gâmbia e Libéria.

Cerca de 18 destes países já consideram e classificam a MGF como crime. No entanto, mesmo tendo uma instrumento legal sobre esta tradição, isso não impede que a sua prática ocorra, principalmente, de forma clandestina.

Na Ásia, a Mutilação Genital Feminina também é praticada e consiste numa tradição cultural em países do Oriente Médio e do Sudeste asiático, sobretudo, naqueles que professam o islamismo.

Pode até parecer um absurdo, mas na Europa há também registro desta prática. A sua ocorrência não tem nada a ver com a cultura européia, pelo contrário! Esta, na verdade, reflete os traços culturais das comunidades de imigrantes, principalmente, de origem africana.

Só para se ter uma ideia, estima-se que cerca de 500.000 mulheres na Europa sejam submetidas à mutilação genital ou sejam ameaçadas de tal remoção.

Em alguns países há uma legislação específica para a proibição da prática de MGF, como nos da Grã-Bretanha, a França, Espanha, Dinamarca, Itália, Suécia, Áustria, Noruega, Bélgica e Chipre. Diversas Campanhas promovidas por ONGs (Organizações Não-Governamentais) e entidades oficiais, com o apoio dos governos são promovidas na tentativa de coibir e proibir a sua prática entre os imigrantes.

No mundo todo, a estimativa é bem assustadora ... cerca de 150 milhões de mulheres, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com a Declaração conjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS) e a UNICEF, publicada em 1997, a Mutilação Genital Feminina (MGF) é uma prática de origem cultural ou outras não-terapêuticas, que consiste em uma intervenção, no qual o órgão genital da mulher é parcialmente ou totalmente removido ou lesionado (ferido).

No referido documento, as Agências da Organização das Nações Unidas (ONU), citadas, distinguem e relacionam os diferentes tipos de Mutilação Genital Feminina, a saber:

I. Excisão (remoção) do prepúcio ou de parte ou da totalidade do clitóris (clitoridectomia);

II. Excisão do clitóris, com parcial ou total excisão dos lábios menores (excisão);

III. Excisão de parte ou de todos os órgãos genitais externos (infibulação). A abertura genital é costurada, deixando um pequeno orifício capaz de permitir a passagem da urina e do fluxo menstrual;

IV. Sem classificação: inclui punção, perfuração, corte, alongamento do clítoris ou dos lábios, bem como queimar introduzir substâncias corrosivas ou ervas na vagina.

Os tipos I e II são mais comuns. Cerca de 80% das mulheres submetidas à MFG passaram por esses procedimentos.

A cicatriz na vagina resultante da prática de infibulação é aberta antes do coito ou do parto, provocando mais dores nas vítimas.

As justificativas empregadas na defesa da referida tradição cultural são distintas, podendo ser por razões religiosas, sociais, higiênicas, psicológicas e, até, preventivas, exemplificando:

I. Psico-sexuais: a remoção do clitóris implica na proteção da castidade e assim valorizar a mulher perante à comunidade;

II. Religiosas: baseia-se na crença da pureza da mulher, na qual concebe que seus órgãos genitais contribuem negativamente para a sua formação. Outro argumento é que as mulheres que não passam pela excisão não podem ser muçulmanas (devoção ao islamismo);

III. Sociológicos: consistem em atos de iniciação e passagem para a idade adulta, bem como de inibição da libido;

IV. Higiênicos: baseados na concepção de que os órgãos genitais femininos exteriores são “sujos”.

Havendo, ainda, a crença em que a mutilação genital feminina reduz significativamente a probabilidade de que a mulher tenha vários parceiros, o que diminuiria os riscos de infecção pelo HIV (AIDS), já que os números de pessoas infectadas pelo vírus é elevado e alarmante no continente africano.

Em geral, tais procedimentos são cometidos, principalmente, por parteiras, mulheres idosas da comunidade, babeiros, curandeiros, médicos e enfermeiras. O material empregado na remoção variam, podendo ser facas, lâminas (giletes), pedaços de vidros, pequenos troncos de árvore, espinhos, folhas e ervas etc.

As consequências desta prática são previsíveis, não? Além da discriminação, humilhação e outros sentimentos que possam abalar o lado emocional da mulher, a MGF por ser uma prática extremamente perigosa, realizada – na maioria das vezes - sem ou com o mínimo de condições higiênicas, bem como pelo uso de material não esterilizados, envolvendo outros riscos, tais como: dores constantes e permanentes, contaminação, hemorragia, transmissão do HIV/AIDS, complicações futuras durante o parto, entre outras.

Um caso a ser destacado, neste contexto, é a história de vida da ex-modelo e embaixadora da ONU especial para a eliminação da Mutilação Genital Feminina, Waris Dirie, que aos 5 anos de idade foi submetida a esta prática desumana em seu país de origem, Somália.

Aos 13 anos, ela foi obrigada a casar com um homem bem mais velho (60 anos). Fugiu e chegou a Londres, onde trabalhou como doméstica e na rede McDonald's.

Seu ingresso na carreira de modelo (top model) aconteceu após ter sido descoberta pelo fotógrafo britânico Terence Donovan. Na época, Waris Dirie tinha 18 anos e, em pouco tempo, virou uma celebridade internacional.

Ela também é a fundadora Waris Dirie Foundation, instituição que luta para acabar com esta tradição, divulgando e conscientizando as pessoas sobre a prática e suas diversas sequelas. A Fundação também orgniza eventos e programas educacionais, além de fornecer apoio às vítimas de MGF.

Este ano, ela veio ao Brasil, como convidada e madrinha do camarote da Brahma em São Paulo.
Sua história de vida pode ser lida no Waris Dirie Foundation.


Waris Dirie (Contigo)



"Futebol é um negócio que gera dinheiro para si próprio.

A verba arrecadada dificilmente é revertida em ações para

o combate à fome ou à pobreza.

Além do mais, o mundo conhecerá uma África

que foi embelezada,

e não o verdadeiro continente"

Waris Dirie, 2010

Fontes de Consulta:

. Ciência Hoje

. Contra Capa

. Estadão

. Opinião e Notícias

. Plus News

terça-feira, 15 de junho de 2010

Copa 2010: Brasil x Coreia do Norte


Estamos prestes a ter os nossos corações acelerados...

Faltam poucos minutos para o início do primeiro jogo do Brasil na Copa 2010 contra a seleção da Coreia do Norte.

Infelizmente, o meu coração está mais apertado, pois desde ontem, à noite, minha mãe se encontra internada em consequência de uma infecção diagnosticada em exames preliminares, mas de origem desconhecida.

Tal como Dunga, técnico polêmico e vítima de muitas críticas, eu também sou supersticiosa. Não vou bater os pés e nem enterrar papel no campo, mas os dedos em "figa" e o grito de "perde, perde", quando a bola estiver nos pés dos adversários, ah, isso vou fazer, sim!

Esta primeira seleção que o Brasil vai enfrentar, também, é alvo de grande polêmica, pois representa o país mais fechado do mundo.

Fechado por seu regime comunista desde 1948 e da grande ameaça que representa ao mundo em virtude do desenvolvimento de bomba atômica e de seus testes realizados no Pacífico, tanto em 2006 quanto no ano passado.

Em termos de futebol, no entanto, eles nunca impressionaram e nem surpreenderam, bem como representaram uma forte ameaça. Mas, vamos ver e torcer que este continue a ser referenciado como país com uma seleção "ruim" de bola.


Caricatura de Carlo Alf


domingo, 13 de junho de 2010

Registro de 7 graus negativos no estado do Rio de Janeiro


Imagem capturada na Internet (Fonte: Wikipedia)

Conforme mencionei às turmas e retomando até uma matéria postada neste espaço (25/05/2010), na 3ª feira passada (08/06), a temperatura registrada no pico das Agulhas Negras, no Parque Nacional der Itatiaia, no sul do estado do Rio de Janeiro, chegou a 7 graus negativos por volta das 6h30min. Até então, a temperatura mais baixa registrada em todo o estado, neste ano.
 
Segundo os órgãos meteorológicos, neste final de semana, as temperaturas iriam cair mais ainda.

Na manhã do dia o8 de junho, não chegou a nevar no Pico das Agulhas Negras, pois as condições atmosféricas não eram propícias para a precipitação nival (neves). A temperatura abaixo de zero grau Celsius associado à ausência de nuvens e a baixa umidade do ar só favoreceram a formação de geada, isto é, camada de cristais de gelo na superfície.

Se houvessem nuvens e alta umidade, com certeza, o ramo hoteleiro local e os turistas iriam adorar, pois haveria precipitação de neve. Nesta época, a torcida é grande para a ocorrência destas condições atmosféricas.
 
Só para se ter uma ideia das baixas temperaturas e de seus efeitos na superfície, segundo o Abrigo Rebouças, localizado próximo ao cume de montanha, os visitantes (turistas) “dispensam os isopores para conservar geladas suas latinhas de cerveja ou de refrigerantes. Eles as colocam em riachos rasos que cortam o abrigo” (Diário do Vale).

Como já expliquei na postagem anterior sobre esta temática, o Pico das Agulhas Negras, com 2.792 metros de altitude, consiste no ponto culminante de nosso estado (Rio de Janeiro), localizado na Serra da Mantiqueira, na divisa entre este e o estado de Minas Gerais.
 
 
Fonte:

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Copa 2010: Ausência justificada de Nelson Mandela no Jogo entre a África do Sul e o México

A bisneta de Nelson Mandela que faleceu é a de camiseta verde, à esquerda

Imagem capturada na Internet (Agência AP - publicada no Globo.com)

Atualizado em 12/06/2010 às 06h45m


Devo admitir que torci pelaseleção da África do Sul no jogo inaugural da Copa do Mundo, que aconteceu às 11h (16h no horário sul-africano), nesta sexta-feira, no estádio Soccer City, em Joanesburgo. É claro que eu não pude assistir o jogo todo por causa das aulas no turno da manhã, mas pude assistir o final do segundo tempo.

Apesar de sua seleção ter jogado com um país latino-americano, o México, torci que a seleção sul-africana ganhasse, afinal, eles eram os donos da casa e da festa. E, perder logo de primeira não seria nada agradável.

Além disso, eles jogaram bem (pelo que eu pude ver) e a equipe contava com um brasileiro no comando, o técnico Parreira.

Durante a transmissão do jogo, o comentarista ainda mencionou a ausência de Nelson Mandela no estádio. Eu estranhei, pois este não esteve presente na Abertura do referido evento esportivo e nem neste primeiro jogo (África do Sul x México).

Pois bem, agora - à noite - li a notícia que a sua ausência nesta partida foi devido a morte trágica e prematura de sua bisneta Zenani Mandela Junior, de 13 anos, em consequência de um acidente de carro.

A adolescente faleceu na madrugada desta sexta feira, às 0h35m (horário local na África do Sul), após o carro de sua família se envolver em um acidente de carro na saída da cerimônia de Abertura da Copa 2010.

Nelson Mandela não gosta de aparecer em público, principalmente, em eventos deste porte e, apesar, dele não ter confirmado a sua presença neste primeiro jogo, sua ausência foi sentida e comentada.

Nelson Mandela se casou três vezes e teve nove filhos, além dos netos e bisnetos. Sua história de vida, tal como é referenciada nas mídias, é marcada por tragédias, principalmente, ligadas a perdas de membros familiares.

Uma de suas filhas, Malaziwe Mandela, faleceu com nove meses de idade. A causa de sua morte, eu desconheço. Em razão disso, o casal Mandela decidiu batizar a filha seguinte com o mesmo nome da criança falecida.

Outros dois filhos deste também faleceram. O primeiro, Madiba Thembekile, morreu em consequência de um acidente de trânsito, em 1969. Nesta época, período do Apartheid na África do Sul, Mandela se encontrava na prisão de Robben Island. Sua mãe também faleceu neste período em que esteve na prisão.

O seu segundo filho, Makgatho Mandela, faleceu em 2005, em consequência de complicações decorrente do vírus HIV (AIDS).

A África do Sul como toda a África subsaariana é marcada pelos altos índices de pessoas infectadas pelos vírus HIV. Sendo que a África do Sul é o país africano que mais sofre com a AIDS, apresentando o maior número de pessoas contaminadas pelo vírus HIV no mundo.

Pois bem, além da perda recente de sua bisneta após a Abertura da Copa do Mundo em seu país, África do Sul, em 2008, outra perda humana marcou a sua vida. Sua neta Kefuoe Seakamela morreu afogada.



Fontes:

. DST-AIDS

. Globo.com

. Terra

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Dica de Site: Bandeiras de países para pintar

Como a estamos no "clima" de Copa do Mundo e, inclusive, a abertura do Campeonato foi hoje, à tarde, estou aproveitando o ensejo para - novamente - indicar o site Colorir Desenhos, o qual já recomendei neste espaço.

Neste, além de diferentes temas de desenhos, há bandeiras para colorir. Como este Blog é voltado, também, para profissionais da área de Educação, além dos alunos e outros interessados, vale a dica para trabalhar com os mapas.

Acesse o site AQUI!















Continentes: Mapas Mudos

Atendendo a sugestão da aluna Tatiana do Nascimento, da turma 1904, estou postando os mapas mudos dos continentes: Ásia, América, África, Europa e Oceania.

O continente antártico não foi incluído, pois este é um imenso território sem nação e, em consequência disso, não há reprezentatividade em nenhum evento esportivo.

Alguns mapas foram capturados no site Geografiaparatodos e outros na Internet (Oceania e Ásia), porém todos foram modificados através do Adobe Photoshop (inclusão de bordas e o nome dos continentes).