sábado, 8 de abril de 2017

Ataque e Contra-Ataque na Síria

Criança síria sendo tratada após ataque químico
na cidade de Khan Sheikhoun
(Fonte: BBC Brasil)


Os últimos acontecimentos no mundo, além de aterrorizantes e preocupantes, nos coloca mais alarmados em razão das possíveis consequências graves de ambos os fatos, tanto em escala regional quanto em escala mundial.
 
Por um lado, o ataque aéreo do governo da Síria - com gás sarin – à cidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib, que se encontra sob controle de forças rebeldes (contrárias ao governo do presidente Bashar al-Assad), no dia 04 deste mês e, por outro lado, a tomada de decisão do governo do EUA - em represália a este ataque químico - atacando com mísseis à base aérea síria de Shayrat, na província de Homs, na quinta-feira passada (06/04).
 
Um olhar sobre a Síria

Embora, o regime do presidente Bashar al-Assad, negue ter usado armas químicas, chegando a atribuir o uso do mesmo aos rebeldes sírios, os resultados obtidos nas análises (autópsias) realizadas em alguns corpos, por especialistas turcos, comprovaram o emprego do gás sarin, assim como aumentaram as certezas das mesmas terem sido usadas pelo governo.
 
Presidente da Síria, Bashar al-Assad
Imagem capturada na Internet 
 
Além de configurar-se com um ato de total barbárie, sobretudo, contra civis, não é a primeira vez que o governo da Síria é acusado de fazer uso de armas químicas sobre os rebeldes sírios e, consequentemente, à população civil.
 
Aqui mesmo, neste espaço (Blog), eu já publiquei o primeiro ataque com armas químicas (com gás sarin, também), ocorrido em Damasco (capital da Síria) e adjacências, em final de agosto de 2013, que resultou na morte de 1.429 pessoas, sendo 426 crianças.
 
O ataque desta vez foi na cidade de Khan Sheikhoun, província de Idlib, que também é controlada por forças rebeldes sírias, que se opõem e lutam contra o governo de Bashar al-Assad, presidente da Síria desde 17 de julho de 2000.
 
O número de vítimas fatais subiu para 86 mortos, sendo 30 crianças e cerca de 400 pessoas apresentaram problemas respiratórios e vômitos em consequência do contato direto e/ou indireto com o referido gás tóxico.
 
O sírio Abdul-Hamid Alyousef segura seus filhos gêmeos,
mortos durante o ataque com armas químicas

 
 
Imagem capturada na Internet
(Fonte: BBC Brasil) 

 
 Imagem capturada na Internet
(Fonte: BBC Brasil) 

 
O Conflito na Síria

No âmbito deste conflito interno na Síria, quem está no centro deste tabuleiro de Xadrez, isto é, entre o embate do regime do governo de Bashar al-Assad com os rebeldes sírios, é a população civil síria, a mais vulnerável e a que mais sofre com os efeitos das ofensivas de ambas as partes.
 
A guerra civil que se arrasta na Síria remonta ao início da chamada Primavera Árabe, em março de 2011, quando diversas manifestações populares contra os regimes ditatoriais ocorreram no chamado Mundo Árabe, isto é, nos países do Norte da África e do Oriente Médio, predominantemente islâmico, de cultura árabe.
 
Igualmente aos demais líderes deste grupo, o presidente sírio Bashar al-Assad, há quase 17 anos no poder (a serem completados em julho deste ano), sofre pressão dos opositores ao seu regime, que tentam derrubá-lo e tomar o poder.
 
Iniciadas pacificamente, as manifestações populares sírias reivindicavam mais democracia e liberdades individuais no país. No entanto, após repressões violentas do Exército sírio, a resposta dos manifestantes se tornou mais ofensiva com uso de armas. Com isso, a violência aumentou muito em ambas as partes.
 
Além desses dois oponentes (rivais), para piorar também a situação conflitante que arrasa o país, há a presença do Estado Islâmico. Embora, sua área de atuação tenha sofrido reduções, tendo em vista a retomada dos territórios ocupados pelo Exército sírio, este é considerado o pior e o mais perigoso grupo terrorista da atualidade.
 
Esses três elementos – rivais – reunidos e atuantes em um mesmo território justificam a origem da atual crise humanitária dos refugiados sírios, que estão fugindo da Síria e pedindo refúgio em países vizinhos do Oriente Médio (onde este se localiza), como também a países da União Europeia e outros (inclusive, ao Brasil).

 
Um olhar sobre os EUA

Na 5ª feira passada (06/04), os EUA – em retaliação ao recente ataque químico do governo sírio, bombardeou a base aérea de Shayrat (província síria de Homs), da qual se acredita que partiram os aviões com as armas químicas que atingiram a cidade de Khan Sheikhoun.
 
O ataque foi de certa forma “surpresa”, surpreendendo o mundo todo. Apesar de sua ação militar, isolada, ter tido apoio dentro e fora dos EUA (OTAN, Conselho Europeu, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha e outros), aumentando a sua popularidade política, esta gerou também uma onda de contestações no mundo inteiro, tendo em vista os riscos eminentes de agravamento da situação de segurança tanto a nível regional quanto a nível mundial.

Protestos em Londres contra o bombardeio na Síria
Imagem capturada na Internet
Fonte: O GLOBO

 
A tomada de decisão do governo do EUA e o ataque propriamente dito, além de violar o direito internacional, podem agravar não só o conflito interno na Síria, fortalecendo as forças rebeldes e, sobretudo, o Estado Islâmico (nível regional) como também ascende e pode o colocar, a nível internacional, em um confronto direto com a Rússia e o Irã, que são aliados do governo de Bashar al-Assad.
 
Embora, se posicionando com contrário ao governo sírio e de apoio às forças rebeldes que tentam derrubar o regime de Bashar al-Assad, desde o início da guerra civil na Síria (2011), esse foi o primeiro ataque militar dos EUA no país. Inclusive, sua ação militar assinalou um forte retrocesso à política adotada por Barack Obama (ex-presidente) de não se envolver, militarmente, na guerra civil da Síria.
 
Segundo o que foi divulgado nas mídias, os dois navios de guerra norte-americanos, fundeados no Mar Mediterrâneo, lançaram 59 mísseis sobre a referida base militar síria, matando 6 pessoas e destruindo-a quase totalmente. Seus principais alvos ee que forma destruídos eram os aviões, as pistas de pouso, radares, depósitos de armas e de combustíveis.
 
Mencionei que o ataque foi de certa forma “surpresa”, porque as autoridades estadunidenses chegaram a alertar à Rússia, com antecedência, quanto a este ataque, pois esta possui uma área militar na mesma base síria e, como precaução para não a atingir durante o bombardeio, eles utilizaram mísseis do tipo Tomahawk, que são guiados por satélites (GPS) e, por isso, são extremamente precisos (as chamadas “armas estratégicas e inteligentes de longa distância”).
 
Em defesa, o presidente Donald Trump alegou que sua intervenção foi fundamental no momento presente, ou seja, vital para os interesses de segurança nacionaldos EUA. Ele ainda conclamou a união de todas as nações a fim de acabar com as atrocidades cometidas na Síria, acabando também com todos os tipos de terrorismo.
 
A quase totalidade dos dirigentes e/ou representantes, afirmam que o seu contra-ataque, ato considerado ilegítimo, vai na contramão do direito internacional e, certamente, afasta o problema interno da Síria a uma solução a curto prazo e de forma pacífica.
 
Na verdade, se o presidente Donald Trump teve – entre os seus objetivos – aumentar a sua popularidade, ele conseguiu! E ainda, o ataque surpresa, mas com conhecimento prévio dos russos, serviu como um alerta à própria Rússia, ao Irã e à Coreia do Norte. Será que entraremos novamente no clima de Guerra Fria?

Fontes

. El País

. Jornal O GLOBO (várias edições impressas)

. Ópera Mundi

. Opinião & Notícias

. Portal G1 (várias edições)
 

sexta-feira, 7 de abril de 2017

07 de Abril: Dia Nacional de Combate ao Bullying e Violência na Escola


 Memorial das vítimas
Imagem capturada na Internet
Fonte: R7 Notícias
 
Quase ninguém sabe, mas no dia de hoje – 7 de abril – se comemora o Dia Nacional de Combate ao Bullying e Violência na Escola.
 
Talvez, muitos não saibam, pois a data foi instituída há um ano, ou seja, no dia 29 de abril de 2016, através da Lei nº 13.277. Por isso, ela é recente e não teve muita repercussão nas mídias. No entanto, a motivação de sua origem, com certeza, todos lembram com grande tristeza. Ela reporta uma tragédia ocorrida na cidade do Rio de Janeiro.
 
Passaram-se seis anos, mas as lembranças e a dor pelas perdas de vidas inocentes, pegas de surpresa no espaço escolar se encontram encravadas no coração da maioria que, direta e/ou indiretamente, tiveram uma ligação com os alunos envolvidos.
 
Estou me referindo à chacina que marcou, para sempre, o bairro de Realengo, mais especificamente, a Escola Municipal Tasso da Silveira, o qual ficou conhecido como o “Massacre de Realengo”.
 
Há seis anos, na manhã do dia 07 de abril de 2011, o ex-aluno da referida escola municipal, Wellington Menezes de Oliveira, na época com 24 anos, entrou no estabelecimento escolar armado (dois revólveres, calibres 32 e 38), fingindo ser um palestrante e, ao subir para o andar superior, ele entrou em uma sala do 9◦ Ano (Ensino Fundamental), sem pedir licença à professora que estava ministrando aula de Português e atirou contra os alunos da turma. Seu foco principal eram as alunas, as atingindo na cabeça.
 
 Wellington Menezes de Oliveira
Imagem capturada na Internet
Fonte: Wikipedia
 
Ao todo morreram 12 adolescentes, de idade entre 13 a 16 anos, sendo dez alunas e dois alunos. Estes últimos, de forma acidental. Além das vítimas fatais, mais de treze ficaram feridos com esse ataque.
 
As vítimas fatais do Massacre de Realengo
Imagem capturada na Internet
Fonte: RJNotícias
 
Graças a uma vítima baleada que conseguiu fugir da escola e encontrou alguns Agentes do Departamento de Transportes Rodoviários (DETRO), que estavam em uma operação de fiscalização nas proximidades, junto policiais militares, estes foram até à escola.
 
Na tentativa de impedir que o Wellington Menezes causasse mais mortes no local, os policiais atiraram duas vezes sobre o jovem, o atingindo sequencialmente na perna e no abdômen. Ferido e já caído na escada de acesso ao andar de cima, o Wellington Menezes tirou sua própria vida, atirando contra a sua cabeça.
 
No final de setembro de 2015 foi inaugurado, em uma praça, ao lado da escola, um Memorial com estátuas de bronze representando os alunos, vítimas do massacre. Cada uma delas mede 1,5 m de altura, com exceção de uma que, a pedido de seus pais, teve a forma de uma borboleta. Até o nome da praça foi substituído, passando a ser chamada de Anjos da Paz.  
 
 Memorial Anjos da Paz
Imagem capturada na Internet
Fonte: Portal G1 
 

Em razão dessa chacina, envolvendo ex-aluno e alunos contemporâneos, em um espaço escolar, a referida data foi escolhida justamente para combater a violência e o Bullying nas escolas. Espaço e ambiente propícios à promoção de ações positivas acerca do respeito  ao próximo, às pluralidades culturais, ao exercício da cidadania, à cultura pela Paz e à tolerância mútua.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Dica de Curso de EAD sobre o Negro no Brasil Pós Abolição

 
Imagem capturada no próprio site do Curso de EAD
 
Dando prosseguimento à temática do negro em nosso país, desde o período do Brasil Colonial e Imperial, o site EAD História está oferecendo – desta vez -  o curso “O Olhar do Outro - O Negro no Brasil Pós Abolição”, cujo início está marcado para o próximo dia 10/04.  

De acordo com as informações prestadas no referido site, o mesmo será focado a promover reflexões e debates acerca dos aspectos gerais que nortearam a vida dos ex-escravos africanos após a abolição da escravatura em nosso país, sob a perspectiva de construir e desenvolver uma consciência étnico racial. 

No âmbito desses aspectos a serem abordados encontram-se o nascimento da Nação, as formas de trabalho, a condição da mulher negra e as relações de poder e propriedade.
 
. Carga horária: 40h
. Início: 10/04/2017
. Finalização: 10/06/2017
. Investimento: R$50,00
 
Eu participei do Curso anterior – História e Cultura Afro Brasileira e, logo, posso assegurar que vale a pena investir e se inscrever, pois além do mesmo disponibilizar um rico material didático, as trocas realizadas nos Fóruns – sob a forma de aprendizagem colaborativa – o torna imprescindível em nosso aperfeiçoamento e exercício docente em sala de aula.
 
Não é necessário ser professor (a) de História, tendo em vista que a temática pode ser trabalhada por diferentes áreas de conhecimentos, pois de acordo com o que estabelece a Lei 10.639 (2003), o ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana é obrigatório na Educação Básica.
 
Fica, então, aqui, a dica deste Curso sob a modalidade de Educação a Distância. Para efetuar a sua inscrição, clique AQUI!

Mensagem: Nunca Permita



 Imagem capturada na Internet (Fonte: Pixabay)

 
NUNCA PERMITA
 
Nunca permita que alguém corte suas asas,
Estreite seus horizontes e tire as estrelas do teu céu.
Nunca deixe seus medos serem maiores que a tua vontade de voar.
O valor da vida está nos sonhos que lutamos para conquistar.
 

Se der errado, a gente dá um jeito.
Se bagunçar, a gente arruma.
Se quebrar, a gente conserta.
E se tudo acabar, a gente recomeça!
 

Quando a situação for boa, desfrute-a.
Quando a situação for ruim, transforme-a.
Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se.
 

Nunca desista de um sonho,
Só por causa do tempo que você vai levar para realizá-lo.
O tempo vai passar de qualquer forma.
 

Esteja de volta à felicidade.
Tomara que ela lhe aceite.
 
Autoria desconhecida. Texto com vários recortes de diferentes mensagens

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Mês de Abril: Datas Comemorativas

03 de Abril: Dia do Atuário
(especialista na avaliação e administração de riscos
junto ao mercado econômico e financeiro)
Imagem (Fonte: Pixabay)


ABRIL


01. Dia da Mentira
       Dia do Tomate

02. Dia do Propagandista
        Dia Mundial da Conscientização do Autismo


03. Dia do Atuário
        Dia do Desporto Comunitário

04. Dia Nacional do Parkinsoniano

05. Dia das Telecomunicações

        Dia do Propagandista Farmacêutico
        Dia dos Fabricantes de Materiais de Construção
 
06. Dia Nacional de Mobilização pela Promoção da Saúde e Qualidade de Vida
 
07. Dia do Corretor
       Dia do Jornalismo
       Dia do Médico Legista
       Dia Mundial da Saúde

       Dia Nacional de Combate ao Bullying e Violência na Escola

08. Dia da Natação
        Dia do Correio
        Dia Mundial do Combate ao Câncer
        Dia Nacional do Sistema Braile


09. Dia Nacional do Aço

10. Dia da Engenharia


11. Dia da Organização Internacional do Trabalho (OIT)
       Dia do Infectologista
       Dia da Escola de Samba

12. Dia do Médico Obstetra
       Dia Nacional do Humorista

13. Dia do Office-Boy
       Dia dos Jovens
       Dia da 1º Execução do Hino Nacional Brasileiro (1831)
       Dia do Beijo

14. Sexta-feira Santa
       Dia Pan-Americano
       Dia das Américas
       Dia Mundial do Café

15. Dia da Conservação do Solo
       Dia Mundial do Desenhista
       Dia do Desarmamento Infantil

16. Páscoa

       Dia da Voz

17. Dia do Lojista de CD
      Dia Internacional de Luta dos Trabalhadores do Campo
 
18. Dia Nacional do Livro Infantil  
       Dia de Monteiro Lobato
 
19. Dia Nacional do Índio
       Dia do Exército Brasileiro
 
20. Dia do Diplomata
        Dia do Disco
 
21. Dia de Tiradentes
       Dia da Latinidade
       Dia do Metalúrgico
       Dia do Policial Civil
       Dia do Policial Militar
 
22. Dia do Descobrimento do Brasil
       Dia da Força Aérea Brasileira (FAB)
       Dia da Comunidade luso-brasileira
       Dia do Planeta Terra
 
23.  Dia Mundial do Escoteiro
         Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor
         Dia Nacional da Educação de Surdos
 
24. Dia do Agente de Viagem
        Dia Internacional do Jovem Trabalhador
 
25. Dia do Contabilista 
        Dia da Organização das Nações Unidas (ONU)
 
26. Dia do Goleiro
        Dia da 1ª Missa no Brasil
 
27. Dia da Empregada Doméstica
       Dia do Sacerdote
 
28. Dia da Educação
        Dia da Sogra
        Dia Nacional da Caatinga

29. Dia Mundial da Dança
        Dia do Crítico Teatral
 
30. Dia Nacional da Mulher
        Dia do Ferroviário 
        Dia da Baixada
        Dia Internacional do Jazz