quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Índice de Qualidade de Vida: Brasil ocupa a 38ª posição no ranking dos países


Revista Internacional Living - Janeiro 2010
Imagem capturada na Internet e reproduzida no Adobe Photoshop




A Revista International Living divulga, anualmente, no mês de janeiro, o Índice de Qualidade de Vida dos países. De acordo com os editores e a proposta da revista, a lista tem o intuito de classificar os países onde “a vida é, simplesmente, excelente”.

No entanto, os seus editores chamam a atenção que a classificação dos países tem por base uma concepção ocidental de análise, ou seja, as fontes, os funcionários e editores têm influência pelo padrão de vida ocidental (aos moldes dos EUA).

Para chegar ao resultado final e a classificação no referido Índice de Qualidade de Vida, os países são avaliados sobre nove categorias, a saber:

. Custo de Vida;

. Cultura e Lazer;

. Economia;

. Ambiente;

. Liberdade;

. Saúde;

. Infra-estrutura;

. Segurança e Risco;

. Clima.


As ideias pré-concebidas acerca de padrão alto ou baixo nível de vida, de cultura e entretenimento, bem como do clima ser mais agradável ou não, indubitavelmente, não irá coincidir com a opinião diferenciada de cada país e de seu respectivo povo.

Cada categoria analisada possui um peso - sobre a classificação final - de acordo com os percentuais abaixo:

. Custo de Vida (15% da classificação final): Este indicador é um guia de quanto irá custar viver em um estilo comparável ou melhor do padrão de vida dos EUA. Para calcular esta pontuação leva-se em conta, também, as taxas de cada país, imposto de renda e da dívida pública.

. Cultura e Lazer (10%): nesta categoria são analisados a taxa de alfabetização, a circulação do jornal, primário e rácios de matrícula do Ensino Secundário, o número de pessoas por museu e uma avaliação – subjetiva - da variedade de ofertas culturais e recreativas (lazer).

. Economia (15%): São considerados as taxas de juros, PIB, taxa de crescimento do PIB, o PIB per capita e a taxa de inflação.

. Meio ambiente (10%): Nesta categoria são avaliados a Densidade demográfica (hab/Km²), o índice de crescimento populacional, as emissões de efeito estufa per capita, bem como a percentagem total de terra que está protegido.

. Liberdade (10%): A principal fonte para esta categoria é a Freedom House, com ênfase nos direitos políticos do cidadão e das liberdades civis.

. Saúde (10%): Nesta categoria, são observados o consumo de calorias em percentagem das necessidades diárias, o número de habitantes por médico, o número de leitos hospitalares por 1.000 habitantes, o percentual da população com acesso a água potável, a taxa de mortalidade infantil, esperança de vida e despesas de saúde pública em percentagem do PIB de um país.

. Infra-estrutura (10%): Esta categoria se baseia na análise das ferrovias (comprimento), das rodovias pavimentadas e vias navegáveis, comparado no âmbito do país avaliado e de sua população absoluta. O número de aeroportos, veículos, telefones, prestadores de serviços de Internet, telefones celulares também sào levados em conta.

. Segurança e Risco (10%): Esta categoria tem por base os critérios de precaridade e de perigo utilizados pelo Departamento E.U. quanto às condições de vida extraordinariamente difíceis, ditas como insalubres ou perigosas.

. Clima (10%): Esta categoria é avaliada em termos de precipitação média anual e temperatura média, assim como considera os riscos de catástrofes naturais (atmosféricos).

As fontes oficiais utilizadas na análise incluem: o Anuário Estatístico da UNESCO; Liberdade no Mundo: A Pesquisa Anual de Direitos Políticos e Liberdades Civis; Estados Unidos Department of Commerce; E.U. Departamento de Estado; O Escritório das Nações Unidas para o Controlo da Droga e Prevenção do Crime; A Freedom House Survey; Resumo Estatístico do Brasil Membros; The World Factbook, The World Almanac and Book of Facts; E.U. Departamento de Estado índices de custo de vida no exterior, Quarters Subsídios e Hardship Diferenciais; A Organização Mundial de Saúde, o mundo Economist in Figures.

Também, para efeito da análise dos resultados oficiais da referida classificação, é levado em consideração a opinião dos seus editores do mundo todo.

Neste ano, o Índice de Qualidade de Vida englobou 194 países. A liderança do ranking, pelo quinto ano consecutivo, coube à França. Embora, o país se caracterize por apresentar uma burocracia cansativa e impostos elevados, estes são compensados por um nível de qualidade de vida insuperável. A França sempre obtém pontuações elevadas na maioria das categorias, sobretudo na Saúde, considerada a melhor do mundo.

Os EUA apresentaram uma queda em relação ao ranking de 2009, caindo da terceira para a 7ª posição, sendo superado – neste ano - pela França, Austrália, Suíça, Alemanha, Nova Zelândia e Luxemburgo.

O Brasil ocupava, no ano passado (2009), a 43ª posição em qualidade de vida, neste ano (2010), este foi elevado para a 38ª posição.

O país obteve melhores pontuações nas seguintes categorias: liberdade (83); risco e segurança (83) e clima (82). Os piores índices foram para o Lazer e Cultura (58) e infraestrutura (59).

O Japão, segundo país mais rico do mundo (só perdendo para os EUA), encontra-se classificado em duas posições acima do nosso país, isto é, na 36ª posição.

O Uruguai, apesar de ter apresentado uma queda de seis posições em relação ao ranking do ano passado (2009), foi o país latino-americano de melhor posição na Lista de 2010, ostentando a 19ª posição.

Já a Argentina foi o segundo melhor país da América Latina, neste ano, ocupando o 26º lugar. Esta também apresentou uma queda de cinco posições em relação ao ranking de 2009.

Além destes países latino-americanos, situam-se à frente do Brasil, o Chile (31º lugar), a Costa Rica (33º) e o Panamá (34º).

O Equador ocupa apenas uma posição atrás do Brasil, ou seja, ele é o 39º país em qualidade de vida. O México, por sua vez, ocupa a 46ª posição no ranking, enquanto a Colômbia, a Bolívia e o Paraguai ocupam, respectivamente, as seguintes posições: 56ª, 58ª e 64ª.

O Haiti, país latino-americano, localizado na América Central Insular (mar do Caribe), que foi bastante castigado por fortes terremotos neste início de ano e é considerado o mais pobre da América, ocupa a 180ª posição no ranking publicado.

Com os últimos fenômenos tectônicos, infelizmente e certamente, o país cairia desta posição.

O país que ocupa o último lugar do atual ranking (2010) é a Somália (África). E, diferentemente do que foi publicado na BBC Brasil, entre os 15 últimos países do ranking, treze são da África e dois são da Ásia, isto é, o Afeganistão e o Iémen.

Veja a lista completa dos Países com Melhor Qualidade de Vida, AQUI.





















2 comentários:

Artur disse...

Vi um site em que o Brasil apar ece em lugar 70 no indice de desenvolvimento. Por isso me surpreendo com este lugar agora. Mas vou procurar e confirmar e indicar aqui o site. Gostei do vosso blog

Artur
imolorservicos@hotmail.com Portugal

Marli Vieira de Oliveira disse...

Artur,

Obrigada por visitar o Blog e contribuir com o mesmo, comentando.

Esta colocação do Brasil diz respeito à análise da Revista International Living divulga a relação dos países, anualmente, quanto ao Índice de Qualidade de Vida.

O que você citou foi o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) empregado pela ONU para análise da qualidade de vida dos países (desenvolvimento).

Estamos falando de dois índices, os quais utilizam critérios de análise diferentes e de Instituições totalmente distintas.

Veja a reportagem também do IDH.

Obrigada e valeu a contribuição.

Marli Vieira