sexta-feira, 11 de março de 2011

Japão sucumbido às forças da natureza: forte terremoto e tsunami


Ondas atingem residências em Natori, distrito de Miyagi
Tsunami invadindo Natori, no distrito de Miyagi (Fonte: Último Segundo)


Sismos no Japão não são tão assustadores, como possam ser para nós, que não estamos acostumados, mas a população japonesa já conhecem os seus efeitos e convivem com um sistema de prevenção e proteção avançado, inclusive, tendo o melhor sistema de prevenção de desastres naturais.

Entre estes, pode-se destacar o sistema de alarmes, orientações à população quanto aos cuidados em casa durante um sismo (a fim de evitar maiores danos materiais e vítimas), existência de abrigos subterrâneos, tecnologia construtiva anti-terremotos (edifícios mais resistentes aos tremores), formas eficazes de comunicação das autoridades com a população, entre outros.

Mas, os efeitos de uma tsunami, não há quem consiga mensurar a força e suas consequências. E foi esta sensação, de grande impotência diante da força da natureza, que o Japão viveu hoje (11/03), à tarde, com o forte terremoto e a formação de uma tsunami, bem como horas depois, com as réplicas.

O Japão, arquipélago com cerca de 3.500 ilhas, se encontra localizado numa área de grande instabilidade tectônica, ou seja, numa área de encontro de placas tectônicas. Por isso, fenômenos como terremotos e tsunamis são recorrentes.


Ficheiro:Japan topo en.jpg

Japão (Fonte: Wikipedia)


De acordo com o Painel Global,  o terremoto registrado no país teve uma força equivalente a 16 mil bombas atômicas. Assustador e, ao mesmo tempo, imaginável.

O forte terremoto que atingiu a costa nordeste do Japão, às 14:46h do horário local (2:46h hora de Brasília), foi de magnitude 8,9 graus na escala Richter e provocou uma tsunami de cerca de 7 metros que atingiu as cidades da região norte do país a uma velocidade de 800 km por hora.  

Trata-se do maior terremoto já registrado no Japão, o sétimo maior desde que os abalos começaram a ser listados e o quinto maior desde 1900.

O seu epicentro foi no Oceano Pacífico, a 160 quilômetros da costa. Após esse tremor, outros abalos secundários (réplicas) ocorreram.

Também no centro do país houve, hoje, um tremor de terra.

De acordo com as últimas notícias transmitidas nos jornais televisivos, o número de mortos já ultrapassa 350 vítimas. Há muitos feridos e desaparecidos.

Segundo o Painel Global, em consequência da grande intensidade e características da falha local, novos fortes tremores são esperados para as próximas horas e para os próximos dias. No entanto, a intensidade dos mesmos deve diminuir, pois deverá ocorrer uma estabilização das camadas.

Todavia, segundo o referido site, as réplicas deverão ocorrer, ainda, por um longo período, o qual poderá ser superior a um ano.

A propagação das ondas já ameaça outras regiões do planeta. Hoje, à noite, vários pontos da costa oeste do continente americano já estão sentindo os efeitos das ondas.

Mar invade a cidade de Iwanuma, no norte do país
Tsunami invandindo (Fonte: Último Segundo)

Técnico verifica fendas que se abriram em rodovia perto de Mito, no distrito de Ibaraki

Fendas abertas na rodovia perto de Mito, no distrito de Ibaraki (Fonte: Último Segundo)  


Fontes de Consulta

. G1.com

. Último Segundo

Um comentário:

Loh Souza disse...

Muito boa materia