segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Bate-Boca na Primeira Sessão Plenária do Senado Federal


Senado Federal - Imagem capturada da Internet


Hoje foi transmitida pela TV por assinatura, através do Canal 118 (TV Senado) a primeira sessão plenária do Senado Federal, após o término do recesso legislativo.

No plenário, os principais pronunciamentos giraram em torno da crise vigente na "Casa" em razão das denúncias que pairam sobre o presidente do Senado, José Sarney. Na verdade, as discussões só iniciaram após o mesmo ter presidido a sessão e ter saído do recinto.

Como era de se esperar o embate e as opiniões divergentes ecoaram um clima de discórdia: tinham aqueles que pregavam - ora de forma enfática ora de forma sutil, a renúncia do senador José Sarney, enquanto um outro grupo defendia a permanência deste, ressaltando agressivamente os seus argumentos em oposição ao primeiro grupo, contrário a sua conservação na presidência da Casa.

Eu não pude acompanhar todos os pronunciamentos, mas assisti o do senador Pedro Simon (PMDB-RS) e o do senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Ambos defenderam a renúncia de José Sarney, sob diferente forma de entonação quanto a posição de cada um diante da situação vigente.

O primeiro sofreu muitas retaliações por parte dos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL), os quais veemente defenderam a permanência do presidente do Senado. Pode-se dizer que houve um verdadeiro e intenso bate-boca no plenário.

Ouvindo o senador Fernando Collor falar de forma agressiva, inclusive, "ameaçando" Pedro Simon, caso ele mencionasse novamente o seu nome (mandou que Pedro Simon engolisse suas palavras, entre outras ofensas), lembrei-me do tempo de sua gestão como presidente do Brasil (1990-1992), dos escândalos de corrupção que marcaram o seu governo e do processo de impeachment, que o afastou da presidência e da política por oito anos.

Como eu mesma já mencionei em outra postagem... a nossa memória é curta. Esquecemos de rever o histórico de vida e de gestão política dos candidatos durante o processo eleitoral e, de forma contínua, os erros se repetem e são revigorados através de novos processos de nepotismo, de corrupções, de falcatruas, CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) terminando em pizza etc. como um círculo vicioso.

Diferentemente na forma de conduzir o seu discurso, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) mesmo pronunciando em favor do afastamento de José Sarney, lembrou de alguns atos na vigência do governo presidencial deste. Alguém (não sei dizer quem foi) lhe chamou a atenção quanto à criação do SUS (Sistema Único de Saúde), que foi sob o seu governo (José Sarney).

Infelizmente, não pude continuar a assistir ós pronunciamentos dos demais, pois tive que sair. Mas, cheguei a assistir um pouco o discurso da senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) e o final da plenária, quando o 3° Secretário do Senado Federal, o senador Mão Santa (PMDB-PI) deu por encerrada a Sessão, que teve início às 14h e terminou às 19h59min.

Tomei conhecimento, depois, que alguns senadores (além de Eduardo Suplicy) fizeram questão de lembrar, em seus pronunciamentos na plenária, das grandes realizações de José Sarney enquanto presidente do país (1985-1990).

Ora, como qualquer cidadã comum, eu não acho isso nada demais, afinal este deveria ser o seu verdadeiro papel e função, como governante, não? Ou estes foram realizados sob a forma de favor?

Eu acho uma graça isso... É como se tivessemos a obrigação de perdoar todos os erros dos políticos, uma vez que algo foi feito pelo povo. Essa é obrigação deles, mas como já estamos acostumados com os belos discursos e poucas realizações, o quê é feito tem que ser enaltecido anos após anos...

No quê tudo isso vai resultar, a gente não sabe ao certo, mas podemos até arriscar em um palpite e apostar, face às experiências passadas, similares, nas diferentes instâncias dos três Poderes.

Mas, seria bom que os condutores tomassem outro caminho. Caminho este, iluminado por uma questão de dignidade, de ética, de moralidade na política brasileira e no exercício de seus membros ativos em suas respectivas funções públicas. O povo brasileiro merece ver isso acontecer.

Um comentário:

jheniiffer disse...

concordo plenamente com vossa senhoriaa zoa mais serio concordo eles so colacam o que fizeram de bom e as coisas erradas que eles fizeram querem apagar o povo esuqce e so conta uma historinha que acreditam devemos pensar analizar tudo exemplo nosso antigo prefeito não fez nada na primeira vez e ainda piorou na segunda vai entender esse povo um bando de IGNORANTE nesse assunto e aunda a Gente SUPER IGNORANTE que anula ou vota em branco e assim que vem nosso futuro nos escolemos que queremos para eles nos representar-nos na camara e em outros lugares nosso voto e um jeito de colcocar-mos pessoas que conhecemos a historica politica!!Não vejo a ora de pode vota