quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Edward Kennedy:morre o último grande baluarte da família Kennedy


Imagem capturada na Internet


Conforme foi noticiado em todas as mídias, na 3ª feira (25/08), à noite, morreu o último líder político da família Kennedy, o Senador Democrático Edward Kennedy, aos 77 anos. Considerado o maior senador dos EUA da atualidade.

Um tumor no cérebro, descoberto no ano passado, encerrou sua luta contra a doença (câncer), abreviando sua vida pública como político nos EUA e em particular no clã dos Kennedys.

Ironicamente, há duas semanas atrás do seu falecimento, no dia 11 de agosto, sua irmã Eunice Kennedy morreu, vitimada por problemas associados a um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

De vida pública não tão expressiva quanto aos seus irmãos ligados à política dos EUA, esta se destacou em outras áreas baseada por sua experiência e amor à irmã mais velha Rosemary, que tinha problemas mentais.

Eunice Kennedy foi uma das criadoras dos Jogos Paraolímpicos e defensora dos direitos dos deficientes mentais. Sua filha casou com o ator e atual Governador Republicano da Califórnia, Arnold Schwargenegger.

Com a morte de Eunice e de Edward Kennedy, o único membro vivo desta família é a caçula das mulheres, Jean - 81 anos - que foi embaixadora americana na Irlanda.

Apelidado de Ted, Edward era o filho caçula do casal Joseph P. Kennedy e Rosemary Kennedy, ambos já falecidos, que tiveram mais oito filhos, sendo quatro homens e cinco mulheres.

Joseph P. Kennedy (sentado), sua esposa, Rosemary Kennedy (em pé) e seus nove filhos. Da esquerda, sentados: Eunic, Jean, Edward (no colo do pai), Patricia e Kathleen. Em pé: Rosemary, Robert, John, a senhora Kennedy e Joseph Jr. Foto: AP (capturada na Internet)


Descendente de imigrantes irlandeses, o empresário Joseph Pratick Kennedy foi Embaixador americano em Londres, na década de 30 (SéculoXX), mas o seu grande sonho era se tornar o primeiro presidente católico dos EUA. Aspiração esta, nunca alcançada, enquanto ele.

Ao sugerir ao governo norte-americano, às véspera da II Guerra Mundial, que estabelecesse um tipo de acordo com Adolf Hitler, o embaixador foi considerado simpatizante às idéias nazistas e, à partir disso, seu sonho à ascensão política foi desfeito.

Mas, como ele era obstinado, não desistiu de sua idéia, transferindo sua ambição à carreira do seu filho primogênito, Joseph Kennedy Jr.

No entanto, seu filho morreu tragicamente, aos 29 anos (1944), quando o avião que pilotava - em uma missão durante a II Guerra Mundial - foi abatido durante voo.

Em razão disso, a ambição paterna foi transferida para os outros filhos.

Com o seu total apoio e articulações movidas a dinheiro, seus outros três filhos, John Fitzgerald Kennedy (JFK), Robert Francis Kennedy (Bobby) e Edward Kennedy (Ted) seguiram a carreira e tiveram ascensão política até o cargo de senadores.


Da esquerda para a Direita: Bobby, Ted e JFK


Destes, apenas John Fitzgerald Kennedy (JFK) realizou o sonho do grande patriarca da família, se elegendo como 35° presidente dos EUA (1961-1963).

Contudo, ao mesmo tempo, em que a família Kennedy se projetava politicamente sob as expensas dos três irmãos (John, Bob e Ted), sua história foi marcada também por várias tragédias ligadas a escândalos, doenças (deficiência mental, câncer) e mortes (por overdose, assassinatos, acidentes aéreos e terrestres).

Mortes estas ligadas a várias gerações da família Kennedy. Em decorrência destas e de suas circunstâncias atípicas (tragédias), cada infortúnio anunciado era tratado como "a maldição dos Kennedy".

Além do irmão mais velho, John Fitzgerald Kennedy (JFK) e Robert Francis Kennedy (Bobby) morreram prematuramente, no auge da carreira política e de forma trágica, ambos por assassinato (ainda não totalmente esclarecidos).

Edward Kennedy também tinha pretensão a se candidatar ao cargo de Presidente, mas após ter seu nome envolvido a um acidente de carro, com vítima e registro de sua fuga do local, este acabou perdendo as chances de concorrer. Por sua vez, tal situação permitiu que ele se transformasse em um dos mais atuantes e importantes senadores do país, com 47 anos na Casa.

Teve vários projetos de leis aprovados, os quais estavam voltados para os direitos civis, o salário mínimo, o sistema de saúde pública e aos direitos dos imigrantes.

Por suas lutas constantes no Senado associadas a sua aparência, caracterizada por seus cabelos brancos, este tinha o cognome de “leão liberal” do Senado.

O Assassinato do Presidente John F. Kennedy - 22 de novembro de 1963

Sequência de imagens (retiradas na Internet)













-------------------------------------------------

Senador Robert Kennedy baleado, não resistiu ao ferimento e morreu em 06 de junho de 1968

Imagem capturada na Internet


Cogita-se que, com a morte de Edward - o último baluarte da família - a herança política que traduz a história dos Kennedys, nos EUA, vai se perder, não se perpetuando com o ingresso de novos nomes da família. Os poucos que arriscaram a carreira política, não tiveram a mesma projeção dos três irmãos: JKF, Bobby e Ted.

Seu velório e o enterro ocorrerão amanhã e no sábado, respectivamente. O velório será realizado na Biblioteca Presidencial John Fitzgerald Kennedy, em Boston, Massachusetts. O público terá acesso ao velório em um determinado período do dia, enquanto o outro está reservado só para a família e os amigos.

No sábado haverá uma missa na Basílica de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, também, em Boston. Já, o enterro será no Cemitério Nacional de Arlington, localizado próximo de Washington.

Ele será sepultado ao lado de seus irmãos JFK e Bobby Kennedy, dois grandes ícones da política americana.

De acordo com o quê foi divulgado nas mídias, o atual Presidente americano Barack Obama, que teve o apoio do Senador Edward Kennedy durante a sua Campanha Presidencial, deverá proferir a oração fúnebre.

Até o sepultamento, as bandeiras dos EUA tanto na Casa Branca quanto nos edifícios públicos e postos militares ficarão hasteadas meio mastro.

Imagem capturada na Internet



Saibam mais sobre a história dos Kennedys e da morte do Senador Edward Kennedy acessando algumas sugestões abaixo...





  • Família Kennedy

- Conheça os Membros da Dinastia Kennedy

- Cronologia da Família Kennedy

- O Ocaso do Clã Kennedy

  • Edward Kennedy
-Yahoo!Notícias

- G1-Globo.Com

  • John F. Kennedy
- Assassinato de John F. Kennedy

- Biografia de JFK

- You Tube

  • Robert Kennedy
- Geneton.com.br

2 comentários:

Dylan disse...

Com a morte do senador Edward Kennedy, fechou-se mais um capitulo da dinastia política desta família, marcada pela tragédia e os escândalos, mas mais importante, modelo do idealismo e da concepção do sonho americano.

Todos os irmãos foram expoentes do liberalismo norte-americano, partilharam o mesmo legado: a democracia, inclusive morreram em nome dela. A ambição política progressista era correspondida com triunfos retumbantes, dados pelas minorias sem voz, pelos imigrantes e injustiçados, no fundo, a possibilidade de todos acreditarem novamente na América, pelas mãos de três grandes estadistas.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

Marli Vieira disse...

Dylan, antes de mais nada obrigada por seu comentário...

Apesar de todas as verdades e inverdades que envolvem o clã dos Kennedy, não podemos questionar a posição dos três irmãos JFK, Bobby e Ted, como eram chamados, respectivamente, John F. Kennedy, Robert Kennedy e Edward Kennedy.

Embora os dois primeiros tenham tido a vida abreviada por terceiros (assassinato) e o terceiro por doença (câncer), a vida pública deles na política primava por isso: democracia.

O senador Edward Kennedy, então, que por 47 anos pode concretizar os seus ideais através de projetos de leis e, não apenas em discurso, esteve voltado para às causas dos direitos civis, à saúde pública (questão tão polêmica e debatida por lá), os direitos dos imigrantes (outro ponto nevrálgico para o país), entre outros.

Seu papel foi tão importante e pode ser constatado, ontem, durante o seu velório, no horário aberto ao público, pela quantidade de pessoas que fizeram questão de dar o "último adeus" ao senador Ted.

Abraços.