quarta-feira, 25 de novembro de 2009

25 de novembro: Dia Internacional pela Erradicação da Violência Contra a Mulher


Imagem capturada na Internet


Hoje se comemora o Dia Internacional pela Erradicação da Violência Contra a Mulher. Poucos sabem da existência desta data, mas - com certeza - conhecem bem o problema, seja por estar na condição de vítima, seja por estar na posição de agressor ou, ainda, de telespectador da violência contra a mulher.

A origem da escolha desta data nos remonta à história das irmãs Mirabal, isto é, Maria Teresa, Pátria e Minerva, as quais ficaram conhecidas como "As Mariposas".

As três irmãs tiveram o mesmo destino, marcado pela violência. O cenário foi a República Dominicana, país da América Central (Insular), durante um período de grande instabilidade política no país, sob o governo do ditador Rafael Trujillo.

Elas foram presas, torturadas e brutalmente assasinadas no dia 25 de novembro de1960, por agentes do Serviço de Inteligência Militar (SIM) a mando do ditador Rafael Trujillo.

Na década de 1960, a sociedade dominicana, cansada e totalmente descontente com a ditadura no país, realizavam manifestações – diariamente - contra as forças militares repressivas que davam sustento ao ditador.

A participação ativa das irmãs Mirabal na luta contra a ditadura no país lhes deu a fama de revolucionárias, o quê muito incomodou ao ditador Trujillo.

No dia 25 de novembro de 1960, Pátria acompanhou as suas irmãs Minerva e Maria Teresa que foram visitar seus respectivos maridos, que estavam presos.

As três foram interceptadas em um determinado ponto do trajeto ao presídio por agentes do Serviço Militar de Inteligência (SIM), sendo conduzidas a um canavial próximo.

No canavial, as irmãs foram submetidas às mais cruéis formas de tortura. Elas foram destroçadas a golpes, estranguladas e, colocadas novamente no veículo em que viajavam. Depois, foram jogadas em um precipício, a fim de simular um acidente de carro.

O assassinato das irmãs Mirabal comoveu todo o país e, ao mesmo tempo, serviu para fortalecer o sentimento patriótico de uma sociedade que aspirava um governo democrático, capaz de assegurar o respeito à dignidade humana.

Quanto à proclamação da data...

Em 1981, durante o I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em Bogotá (Colômbia), a referida data (25 de novembro) foi definida em homenagem às irmãs Mirabal.

Em 1991 teve início a Campanha Mundial pelos Direitos Humanos das Mulheres, sob a coordenação do Centro de Liderança Global da Mulher, que propôs 16 Dias de Ativismo com base na Violência contra as Mulheres, ficando estabelecido o seu início para o dia 25 de novembro e encerramento para o dia 10 de dezembro (aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos).

Este período contempla, também, outras duas datas importantes: o 1º de Dezembro (Dia Mundial da Luta contra a AIDS) e o dia 6 de Dezembro (Dia do Massacre de Montreal/Canadá), data em que Marc Lepine, 25 anos, invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica e ordenou que todos os homens, cerca de 40, saíssem do recinto, permanecendo apenas as mulheres.

Logo depois e sob um estado de fúria, Marc gritou: “você são todas feministas!?”, matando em seguida 14 mulheres à queima roupa e se suicidando depois.

Marc Lepine deixou uma carta, onde justificava os seus atos, premeditados. Ele não suportava a idéia de ver mulheres estudando engenharia, um curso tradicionalmente dirigido ao público masculino.

Por fim, em 1999, a data 25 de novembro foi proclamada como o Dia Internacional pela Erradicação da Violência Contra a Mulher pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), órgão da Organização das Nações Unidas (ONU).



Fonte:

Cabrocha, a Flor do Samba


Extra On Line

Unesco no Brasil

Nenhum comentário: