sábado, 25 de junho de 2016

O Voto Popular consagrou a Ruptura Histórica do Reino Unido com a União Europeia


 Imagem capturada na Internet

Os primeiros resultados da apuração dos votos do plebiscito realizado, anteontem, acerca da situação do Reino Unido junto à União Europeia, ou seja, de sua saída ou permanência ao bloco econômico davam a vitória, com uma margem muito pequena de diferença, a sua permanência.

Embora, fosse muito cedo e insensato pensar que os primeiros resultados assinalavam forte vantagem à manutenção do Reino Unido, eu cheguei a cogitar essa possibilidade e até comentei com os alunos do 9˚ Ano, mas lembrei-os que ainda não tinha visto o resultado final da apuração.   

No entanto, ao tomar conhecimento do resultado oficial do plebiscito, a notícia me surpreendeu, pois mesmo com todas as Campanhas pró e anti-União Europeia que agitaram o Reino Unido nestes últimos dias, eu ainda acreditava no poder de persuasão do Primeiro-Ministro - David Cameron – o mesmo que teve a ideia da realização do referido plebiscito e que era favorável a permanência do Reino Unido na UE.

Pois bem, a vitória foi dos eleitores que puxavam a Campanha do “Brexit” (Britain/Grã-Bretanha + Exit/Saída), ou seja, anti-União Europeia.   

De acordo com as mídias, a maioria dos eleitores de Londres, da Escócia e da Irlanda do Norte votaram pela permanência do país no bloco, mas o restante do Reino Unido decidiu por sua saída da União Europeia, o qual superou em número nas urnas, definindo o resultado.

 Imagem capturada na Internet
Fonte: Wikipedia

Um fato a ser destacado, também, no que refere ao perfil dos eleitores é que, majoritariamente, foram os jovens e adultos (com menos de 50 anos). A maioria dos mais velhos, no entanto, escolheram a ruptura com o bloco econômico.

Não resta dúvida que foi uma vitória apertada, pois 51,89% dos eleitores votaram a favor da saída do Reino Unido, enquanto 48,11% desejavam a sua permanência. Com isso, além do bloco econômico passar a ter 27 países-membros (eram 28, até então), o Primeiro-Ministro, David Cameron, já anunciou a sua renúncia para o mês de outubro do ano em curso, período este, que ele vai se encarregar de assegurar a estabilidade do processo transitório para o novo Primeiro-Ministro frente à saída do Reino Unido da UE.

Não se pode afirmar, neste momento, quais serão as consequências da saída do Reino Unido da UE, nem para ele, nem para o bloco europeu e nem para os demais países que mantêm acordos comerciais e políticos, assim como os imigrantes que vivem lá.

Há muitas especulações que aumentam o clima de instabilidade política e econômica no continente. Logo, após a divulgação do resultado oficial, o mercado financeiro sofreu um forte impacto promovendo a queda da libra esterlina.

O temor também ascendeu entre algumas autoridades quanto aos riscos de alguns países-membros da União Europeia, insatisfeitos, decidirem por adotar a mesma trajetória seguida com a consulta popular sobre as opções de ficar ou sair do bloco econômico.

Ao mesmo tempo, outros acreditam que – a fim de que esta possibilidade seja seguida - os países-membros sofrerão forte pressão para “punir” o Reino Unido.

Só que eles não devem esquecer que a economia do Reino Unido se configura, no momento, como forte e muitos países-membros do bloco europeu exportam para o Reino Unido, ou seja, não só ele depende dos países, como estes do próprio Reino Unido.

Os efeitos da saída do Reino Unido serão sentidos em vários territórios, inclusive, segundo a consultoria britânica Global Counsel, sujeitaria ao próprio bloco econômico a um patamar de um parceiro comercial menos atrativo, em escala mundial, capaz de perder o seu poder globalmente.

Por outro lado, em razão de uma petição apresentada ao Parlamento antes do plebiscito do dia 23 de junho, acerca da repetição do mesmo já está sendo articulada pela população que votou a favor de sua permanência, contrariando o resultado oficial da consulta popular.

A referida petição menciona a necessidade de criação de uma legislação específica que defina uma nova consulta popular quando a decisão majoritária da apuração dos votos não representar mais de 60% do total dos eleitores e, também, se o comparecimento às urnas for inferior a 75% do eleitorado.  

Como foi anunciado, apenas 51,89% votaram a favor de sua saída (ou seja, menos de 60%) e o comparecimento às urnas foi em torno 71,8% (menos que 75%). Por isso, a iniciativa popular sobre a convocação de um novo plebiscito ganhou destaque em muitas manchetes de jornais, sobretudo, por ter recolhido mais de 2 milhões de assinaturas, quando 100 mil já tornava viável a discussão e tomada de decisão no Parlamento britânico.

O clima de incertezas é fato notório, ninguém tem dúvida quanto a isso! O que vai acontecer daqui pra frente, ninguém sabe ao certo. Todavia, só podemos ter certeza que essa ruptura histórica do Reino Unido com o bloco europeu vai engendrar mudanças significativas em todos os níveis de abrangência política, econômica e social em seu território, assim como na entidade supranacional que o perdeu.

Fontes de Consulta

. Diário de Notícias

. El País

quarta-feira, 22 de junho de 2016

23 de Junho: A Grande Decisão do Reino Unido frente à União Europeia


Imagem capturada na Internet
Fonte: Syntagma

Amanhã, dia 23 de junho, os europeus e, mais especificamente, os britânicos estarão delineando o futuro socioeconômico e político do Reino Unido a partir da votação popular em um plebiscito que vai ocorrer sobre a sua permanência ou não na União Europeia.

Na atualidade, o que mais se ouve e se lê nas mídias é o termo “Brexit”, isto é, a referência a esta questão da possível saída do Reino Unido da União Europeia. O termo amplamente divulgado é a abreviação das palavras, em inglês, Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída).

Quem propôs a realização do plebiscito foi o Primeiro-Ministro do Reino Unido (e líder do Partido Conservador), David Cameron, cuja opinião pessoal é favorável à sua permanência no bloco econômico. A realização do referido plebiscito foi uma promessa dele durante a sua Campanha às eleições parlamentares em 2015.

Primeiro-Ministro do Reino Unido - David Cameron
Imagem capturada na Internet
Fonte: Wikipedia

No entanto, as pressões internas em defesa da sua saída do bloco aumentaram com o crescimento eleitoral do partido nacionalista Ukip (UK Independence Party ou, em português, Partido de Independência do Reino Unido).

A União Europeia é composta – atualmente - por 28 países-membros e, desde a sua criação, o bloco só tem se ampliado devido às novas adesões. O último país a integrar o mesmo foi a Croácia, em julho de 2013, havendo ainda fortes candidatos a ingressar, como a Islândia, Montenegro, Macedônia e Turquia. Além destes, também, são candidatos, a Sérvia, a Bósnia-Herzegovina, a Albânia e o Kosovo. Este último, no entanto, apresenta certas restrições porque sua independência não é considerada por todos os países-membros da UE.

Desde que a crise econômica – iniciada em 2008 nos EUA - arrastou os países-membros da chamada Zona do Euro (países que adotaram a moeda única do bloco, o Euro), a Grécia ameaçou sair do União Europeia, em 2012.

Ela foi o primeiro país-membro a sofrer com a crise e de forma mais agressiva, pois atuou de forma mais indisciplinada nos gastos públicos e se endividou excessivamente. Além da Grécia, outros países-membros também se encontram em situação similar, tais como Portugal, Irlanda, Itália e Espanha.

Diferentemente, de razões de déficit orçamentário ou da própria crise que abateu no mundo todo e, em especial, na União Europeia, a decisão a ser tomada amanhã – no plebiscito - por meio de voto popular coloca em questão a situação peculiar do Reino Unido no que diz respeito, entre outros motivos:
- Nas últimas décadas, a União Europeia cresceu muito, exercendo cada vez mais controle efetivo sobre a vida cotidiana dos britânicos (argumento da ala dos conservadores);

- A defesa da soberania nacional;

- O orgulho pela identidade britânica;

- Desconfiança com a burocracia de Bruxelas, em termos econômicos, tendo em vista que – segundo especialistas – a economia britânica é, atualmente, muito mais criativa e dinâmica sendo prejudicada pelo bloco;

- O controle de suas fronteiras em face do “Espaço Schengen” firmado entre os países-membros da União Europeia (condição de não haver fronteira política entre os países do bloco, permitindo a livre circulação de pessoas);

- Questões de segurança interna e defesa (a UE restringe o poder de controle do governo sobre quem entra no país, isto é, os imigrantes e os riscos de atentados terroristas).

A decisão está nas mãos dos britânicos e o que está em jogo é o futuro do Reino Unido, de sua integridade, de sua economia, de sua política, de sua população e dos serviços.

De acordo com muitos especialistas, afirmar as consequências da aprovação de sua saída do bloco é algo muito difícil de prever, suposições existem, mas nada pode ser assegurado.


Vamos esperar para ver...

"Se os ingleses, apesar de todo o estatuto especial que conseguiram, 
se vêem como meros vassalos europeus, 
o que dirão então os portugueses? 
Seja qual for o resultado do referendo, 
é bom que o mesmo sirva para se perceber 
que a União Europeia tem que levar uma grande volta. 
Como está, não pode continuar".
Luís Menezes Leitão (Syntagma)

Fontes de Consulta

. BBC Brasil

. Jornal O Globo impresso (várias edições)

. Portal G1

. Revista Exame

. Syntagma

. Último Segundo

sábado, 18 de junho de 2016

Dica de Exposição: Comciência no CCBB


 "O visitante bem-vindo"
Imagem do meu acervo particular

Embora, já esteja nos últimos dias, quem puder ir ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) ver a Exposição Comciência, da artista australiana Patrícia Piccinini, aproveita, pois esta além de apresentar esculturas de diferentes materiais e desenhos, suas obras despertam diversos sentimentos que variam desde a afetividade, proteção e carinho a certa estranheza a determinadas criaturas criadas.
 
Relações de afetividade que podem, dependendo do olhar observador e contemplativo, despertar total empatia ou aversão (preconceito) às suas esculturas e imagens surreais. Assim como no caso destes sentimentos de afetividade haver entre as máquinas.
 
“(...) criaturas imaginárias, fantásticas, mas sua pesquisa também se baseia na ciência genética e na análise do comportamento humano. Sua obra explora a incerteza entre o futuro geneticamente  modificado e a imaginação livre do sonho coletivo, os medos, os fascínios do inconsciente de todos.”
 
A perfeição de cada traço, de cada olhar, expressão facial e de atitude de afetividade e proteção derrubam a ideia de seres estranhos e repulsivos. Pelo contrário, nos leva a pensar em um possível futuro assinalado por relações harmoniosas entre os seres humanos e criaturas bizarras.
 
A artista utilizou em suas obras, silicone, fibra de vidro, cabelo humano, pelo de animal, couro, epóxi,  bronze, peças automotivas,  entre outros.
 
Vale a pena contemplar a suas obras e, por isso, fica – aqui – a dica de Exposição. Ela vai terminar no final do mês, dia 27/06.
 
Endereço do CCBB
 
Rua: Primeiro de Março, n˚ 66 - Centro (próximo à Igreja da Candelária)
 
Entrada Franca
 
Horário: 9h às 21h (todos os dias)


Todas as imagens abaixo fazem parte do meu acervo particular, autorizadas a serem registradas por ocasião da minha visitação à referida Exposição.
 
  Objeto suspenso e móvel sobre uma menina ajoelhada no chão
(ele incha e desincha, cobrindo e ocultando a menina).
 

Semblante de paz


"Metaflora"

"Esfinge sphinx"




"Vanitas"

"Fantasma ghost"

"Os amantes"

"Mar de fertilidade"

 
"O golpe"

 "Indiviso"



"O visitante bem-vindo"


 "Substituto"

"De bruços"

"Flor bota"

  " Grande mãe"
 


"A força de um braço"

"O observador"


 "A confortadora"


  "O tão esperado"



 

domingo, 12 de junho de 2016

Tradições Indianas: Casamento arranjado entre uma jovem e um cachorro

 Imagem capturada na Internet
Fonte: Pravda RU


O que é a questão cultural de um povo...

A crônica que publiquei, anteriormente, sob o contexto do Dia dos Namorados (Absolvendo o Amo), a autora - Martha Medeiros – finaliza a mesma com a seguinte frase, “Não adianta querer compensar com amor pelos amigos, pelos filhos e cachorros, não é com eles que você fica de mãos dadas no cinema.

Pois bem, isso depende da pessoa e da sua cultura, pois vejam uma situação – meio bizarra – mas – de qualquer forma – compreensível diante das crenças e valores culturais do seu povo.

Um indiano fez com que sua filha, de 18 anos, casasse com um cachorro. Para quem não sabe e, eu também desconhecia, outros matrimônios nestas mesmas circunstâncias já foram realizados no local, pelo menos, onde eles moram, no leste da Índia.

Houve até a cerimônia do casamento e eu até lembrei de algumas cenas da novela da rede Globo, recentemente reprisada, Caminho das Índias (Glória Perez). Só que a cerimônia exibida na novela era em outro contexto (feito por uma família tradicional da casta de comerciantes) e o único personagem a exceção é o cão, pois também havia um guru local (na novela, o guru era o Sacerdote Pandit, interpretado pelo ator José Abreu).

Pois bem, na vida real, foi o próprio guru que aconselhou ao Sri Amnmunda, pai da moça (Mangli Munda), que a mesma estava sob efeito de um feitiço e que, se ela viesse a casar com um homem, os riscos eminentes eram da família ser destruída e até a comunidade, a qual eles pertencem.

De acordo com o guru, Mangli estava possuída por “um espírito maligno” e só o casamento com o cachorro a livraria da maldição. O casamento com o cachorro, segundo o mesmo e as tradições indianas, evitaria essa tragédia.

O cachorro escolhido pelos seus pais Sri Amnmunda e Seems Devi (muitos dos casamentos na Índia são arranjados pelos pais) é chamado Sheru. A jovem não se mostrou nem um pouco feliz com tal arranjo, ainda mais por ser com um animal, mas - a seu favor – ela contava com a possibilidade de obter a sorte após o livramento da maldição e, principalmente, que ela não está impedida de se casar normalmente com um homem (sem precisar de haver o seu divórcio com o cão, Sheru).

Sem precisar a data específica do matrimônio oficial, Mangli e Sheru se casaram, em uma cerimônia realizada em 2014. A cerimônia seguiu a tradições indianas, com a benção do guru (que é o sacerdote), muitos festejos nas ruas e festa. De acordo com as mídias, a festa teve 70 convidados.


A jovem Mangli deverá tomar conta de Sheru como um animal de estimação.






Fontes de Consulta



Crônica: Absolvendo o Amor

 Imagem capturada na Internet


Aproveitando o clima de amor que o dia inspira mais ainda...


ABSOLVENDO O AMOR
Martha Medeiros

Uma mulher namora um príncipe encantado por três meses e então descobre que ele não é príncipe coisa nenhuma, e sim um bobalhão que não soube equalizar as diferenças e sumiu no mundo sem se despedir. Mais um, segundo ela. São todos assim, os homens. Ela resmunga: "Não dá mesmo para acreditar no amor".

Peraí. Por que o amor tem que levar a culpa desses desencontros? Que a princesa não acredite mais no Pedro, no Paulo ou no Pafúncio, vá lá, mas responsabilizar o amor pelo fim de uma relação e a partir daí não querer mais se envolver com ninguém é preguiça de continuar tentando. Não foi o amor que caiu fora. Aliás, ele talvez nem tenha entrado nessa história. Quando entra, é pra contribuir, para apimentar, para fazer feliz.

Se o relacionamento não dá certo, ou dá certo por um determinado tempo e depois acaba, o amor merece um aperto de mãos, um muito obrigada e até a próxima. Fique com o cartão dele, você vai chamá-lo de novo, vai precisar de seus serviços, esteja certa. Dispense namorados, mas não dispense o amor, porque esse estará sempre a postos.

Viver sem amor por uns tempos é normal. Viver sem amor pra sempre é azar ou incompetência. Só não pode ser uma escolha, nunca. Escolher não amar é suicídio simbólico, é não ter razão para existir. Não adianta querer compensar com amor pelos amigos, pelos filhos e cachorros, não é com eles que você fica de mãos dadas no cinema.

Fonte: MEDEIROS, Martha. Doidas e Santas, 33 ed. 2012, Porto Alegre, RS 

Início da Campanha da Solidariedade 2016

 Logotipo da Campanha da Solidariedade da E.M. Dilermando Cruz
(Autoria: Kalina Matias da Silva)

Esta semana, finalmente, daremos início à I Campanha da Solidariedade - 2016 da E. M. Dilermando Cruz, depois de um ano inteiro (2015) sem a sua realização.

A turma deste ano (2016) está entusiasmada e os alunos sempre cobraram acerca do início da mesma. Eu, sob este clima, estou feliz e otimista quanto ao projeto em dar certo, pois é preciso que os alunos sejam comprometidos e acreditem na sua importância em prol de terceiros.  

Como muitos sabem, ano passado, um grupo grande de alunos da turma indicada pelos professores do I Segmento do Ensino Fundamental não correspondeu as perspectivas de comprometimento na tarefa e, em razão disso, a ideia compartilhada - no início do ano letivo com os mesmos - não teve seguimento e, com isso, não houve Campanha de Solidariedade em 2015.

O pouco que eu arrecadei de donativos, com algumas pessoas conhecidas, eu entreguei na Casa de Apoio à Criança com Câncer – São Vicente de Paulo (Irajá, Rio de Janeiro).

Para quem não sabe, a ideia deste projeto de arrecadar donativos para crianças em tratamento de câncer foi de um grupo de alunas da antiga 5ª série, em 2007. Elas tinham participado de uma atividade similar com a ex-professora da 4ª série (antigo Primário) na sala de aula e me disseram que queriam fazer o mesmo só que a nível de mobilização da escola toda. E, com isso, me pediram para ajuda-las, como professora responsável.

Eu aceitei prontamente, afinal, gestos como este e na faixa etária deles não devem ser desprezados e, muito menos, desvalorizados.

Daí a Campanha ter iniciado em 2007, com uma turma de 5ª série (atual 6˚ Ano) e ter tido prosseguimento, com os mesmos alunos até chegarem no 9˚ Ano.

Desconsiderando a interrupção do referido projeto, em 2015, a Turma 1601 (2016) vai ser a terceira turma a assumir e participar das Arrecadações da Campanha da Solidariedade.

Feliz e na perspectiva de atingirmos os nossos objetivos!

. Projeto: Arrecadação de donativos para crianças em tratamento de câncer;

. Início do Projeto: 2007;

. Ano 2016: Início da 3ª Edição da Campanha (2007-2010/ 2011-2014/ 2016-2019);

. Duração: Anual com duas Arrecadações semestrais;

. Turma inicial-responsável: 6˚ Ano (a mesma turma segue com o projeto até o 9˚ Ano, quando há escolha de uma nova turma para o ano letivo seguinte);

. Turma deste ano: 1601

. Instituições Beneficiadas: Associação Brasileira de Assistência aos Cancerosos - Hospital Mário Kroeff (Rua Magé, nº. 326, Penha, Rio de Janeiro/RJ) e Casa de Apoio à Criança com Câncer São Vicente de Paulo (Estrada do Colégio, nº. 1185, Irajá, Rio de Janeiro/RJ);

. Principais Donativos: Gelatina em Pó (cor vermelha); Leite em Pó Integral e Brinquedos (novos e/ou usados em perfeitas condições).

. Divulgação da Campanha: Cartazes fixados na Unidade Escolar; Lembretes para os alunos mais novos (em idade) e para os professores; Blog Geografia em Foco; Facebook; divulgação oral às turmas (de sala em sala) nos dois turnos (manhã e tarde); o Dia D da Campanha (no pátio interno da escola) e a presença da mascote da Campanha, a Letina;

. A Mascote da Campanha: Letina, boneca de sucata, a ser confeccionada pela nova turma. O nome da mascote foi escolhido como a mistura das palavras “Leite e Gelatina” (Letina). A deste ano vai ser a terceira mascote, cada qual com o mesmo objetivo.



. Desafios constantes: Confecção da nova mascote; local para armazenar os donativos com segurança e carros para realizar as entregas.


. Propostas para 2016: Realização de palestras sobre o câncer de mama e um Evento de Ação Social (ambos, em expectativa de realização durante o ano).

Turma 1601 (2016)





sábado, 11 de junho de 2016

Mensagem: Solidariedade


Imagem capturada na Internet
Fonte: Frases do Bem 

Imagem alterada em 12/06/2016 às 10h55

Solidariedade: Um Chamado à União

Solidários, somos gente;
Solitários, somos peças.
De mão dadas, somos força;
Desunidos, impotência.
Isolados, somos ilha;
Juntos, somos continente.
Inconscientes, somos massa;
Reflexivos, somos grupo.

Organizados, somos pessoas;
Sem organização, somos objetos de lucro.
Em equipe, ganhamos, libertamo-nos;
Individualmente, perdemos, continuamos presos.
Participando, somos povo;
Marginalizando-nos, somos rebanho.

Unidos, somos soma;
Na massa, somos número.
Dispersos, somos vozes no deserto;
Agrupados, fazemo-nos ouvir.

Amontoando palavras, perdemos tempo;
“Com ações concretas, construímos sempre”.


quarta-feira, 8 de junho de 2016

Fenômeno Meteorológico: Micro Explosão


  Ilustração do fenômeno Micro explosão feito pela NASA
Imagem capturada na Internet
Fonte: Diego Rhamon


É de assustar! São tantos os fenômenos atmosféricos que a cada notícia que chega, sobretudo, no que se refere aos de maior poder de destruição nos causam sobressaltos, ainda mais, quando acontecem em nosso território.
 
Recentemente, as mídias divulgaram várias ocorrências de um fenômeno chamado “micro explosão” (ou microexplosão). Algumas cidades em Santa Catarina e em São Paulo tiveram os seus momentos de pânico em meio à tempestade, com fortes rajadas de ventos e os seus efeitos destrutivos no solo, com inúmeras perdas materiais. Em alguns casos, como nas duas cidades de catarinenses de Ponte Alta do Norte e Porto União, afetadas pelo fenômeno, em meados do mês passado (15/05), houve também perdas humanas.

Domingo passado, dia 05/06, foi a vez de Campinas, em São Paulo... Grande destruição, perdas materiais, corte de energia, quedas de diversas árvores e uma vítima fatal.
 
Muitos nunca tinham ouvido falar, outros já, mas não com ocorrência em território nacional. Para quem não o conhece, eu descreverei de forma sucinta o referido fenômeno.


MICROEXPLOSÃO
 
. Definição: Fenômeno meteorológico caracterizado por correntes de ar descendentes a partir de uma nuvem que, ao tocar a superfície (solo), espalha-se horizontalmente como uma explosão com ventos radiais.
 
A corrente de ar se desloca da base da nuvem e cai em linha reta, em direção ao solo, sob a forma de um "corredor ou coluna de vento", em grande velocidade, irradiando para os lados ao tocar o solo.
 
A micro explosão pode ser úmida (associada à chuva) ou seca, quando só há a corrente de ventos (rajadas de ventos).
 
Imagem capturada na Internet
Fonte: Dammous 
 
. Extensão de seus efeitos no solo: Pode atingir até 4 KmSe essa extensão for superior a 4 Km, ele é classificado em “macro explosão”.

. Sentido do seu deslocamento no solo: Unidirecional, ou seja, uma única direção alinhada.

 Deslocamento unidirecional da tempestade
Imagem capturada na Internet
Fonte: Simtech
 
. Velocidade dos ventos: Superior a 90 km/h podendo chegar a 400 Km/h.
 
. Origem/tipo de nuvem (nuvem-mãe): Origina-se a partir de nuvens de grande desenvolvimento vertical, altas, denominadas de Cumulonimbus, formadas pelo encontro de massas de ar frio e de ar quente, que gera ventos muito fortes.

A Cúmulo-nimbo ou Cumulonimbus (Cb) se encontra associada à ocorrência de tempestades com muitos raios, trovoadas, além da queda de granizo. Ela pode ocorrer isoladamente ou em grupo.
 
O ar quente, mais leve, eleva-se, condensa-se, formando a nuvem. Ao atingir altura elevada, várias das parcelas se resfriam e mergulham de volta por dentro da própria nuvem, fazendo com que haja um confronto entre correntes descendentes (parcelas resfriadas) e correntes ascendentes (novas parcelas elevadas e aquecidas), carregando gotas de água, gelo e diversos particulados. 

 Fonte: Climatologia Fácil

As velocidades das correntes atingem 200km/h e as colisões entre elas podem chegar aos impressionantes 400km/h. Tais colisões são as responsáveis pelo surgimento de carga estática dentro da nuvem (eletricidade), com ocorrência de relâmpagos e trovoadas (trovões). Em seguida, há precipitação de chuva forte, podendo haver ou não a formação de tornados ou de micro explosão.

A nuvem Cumulonimbus, devido aos ventos superiores (alta troposfera), pode configurar-se como uma torre com expansão horizontal, lembrando uma bigorna de ferreiro ou, também, o cogumelo de uma explosão atômica.
 
 Nuvem Cumulonimbus
Imagem capturada na Internet
Fonte: Storms
 
 
Imagens capturada na Internet e
trabalhadas no Adobe Photoshop
 
. Consequências: Como é um fenômeno pontual, de ventos muito fortes e de alto poder destrutivo, os seus efeitos no solo ocasionam ampla destruição, capaz de derrubar construções, arremessar veículos a grandes distâncias, destelhar habitações, provocar quedas de árvores, postes e até de aeronaves, entre outros eventos.

Os destroços, no entanto, ficam alinhados em uma única direção. Isso facilita a identificação do fenômeno e do sentido do deslocamento do ar.

. Micro explosões ≠ Tornados: A micro explosão e o tornado são muito parecidos, causando – muitas vezes – certa confusão na sua identificação, sobretudo, quando a constatação é feita após a sua ocorrência. 

Vejamos algumas semelhanças e diferenças entre eles...

. Semelhanças
- Ambos são fenômenos meteorológicos, caracterizados por correntes descendentes de ar extremamente fortes;
- São originários do mesmo tipo de nuvem, ou seja, tendo início a partir da base da nuvem Cumulolimbus;
- Podem estar associados ou não a tempestades;
- Ambos possuem alto poder de destruição, no entanto os maiores efeitos destrutivos acontecem ao atingir o solo.

. Diferenças
- A corrente de ar de micro explosão despenca em linha reta, unidirecional, como uma “coluna ou corredor de vento". No tornado, a corrente de ar se apresenta sob a forma de espiral (corrente em redemoinho);
- A corrente de ar dos tornados, em redemoinho, gera uma nuvem-funil que avança para baixo, girando, tornando-se maior conforme o fenômeno fique mais forte (vide imagem abaixo);
 - A coluna de ar dos tornados, em espiral, giram muito rápido e se deslocam rapidamente, enquanto que a coluna de ar descendente da micro explosão – ao atingir o solo – produz um grande impacto (explosão de ar) que se irradia para os lados, em alta velocidade;
 - O poder de destruição dos tornados é maior que o da micro explosão;
 - Em ambos, os efeitos destrutivos mais efetivos acontecem no solo, no entanto, por apresentarem correntes de ar em redemoinho (espiral), os tornados são mais violentos e  visíveis em decorrência da poeira e destroços levantados do solo;
 - Os destroços gerados após a ocorrência de uma micro explosão ficam alinhados em uma única direção, já os produzidos pela passagem de um tornado ficam totalmente desordenados;
 - Os tornados apresentam velocidades dos ventos superiores as das micro explosões.
 
 Fonte: Climatologia Fácil


Tornado - Imagem capturada na Internet
Fonte: Mundo Educação
 

Campinas (SP) - Imagem capturada na Internet
Fonte: Portal G1 
 
 Campinas (SP) - Imagem capturada na Internet
Fonte: Portal G1 
 
 Fontes de Pesquisa
 
. As Nuvens - Faculdade de Ciências de Lisboa

. Cisalhamento de Vento - Tempo João Pessoa

. Material Didático particular

. Micro-Explosões - Dammous

. Sistemas de Meso Escala: As Trovoadas – Faculdade de Filosofia, Letras e de Ciências Humanas - Disponível em PDF

. STEINKE, Ercília Torres. Climatologia Fácil. 2012, São Paulo

. Tornado - Wikipédia