sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Dica: Uma História de Rabos Presos (Ruth Rocha)



Imagem capturada na Internet


A crise por qual perpassa o Senado Federal em razão das denúncias contra o atual presidente da Casa, o senador José Sarney, representa uma pequena faceta de um universo bem maior.

O argumento utilizado pelo José Sarney, no qual afirmou - em outras palavras - que não havia razão para renúncia da presidência do Senado, visto que todos os senadores são iguais, aspecto confirmado durante as discussões entre os seus membros face às denúncias de irregularidades praticadas por estes mesmos, me fez lembrar de uma situação de estarmos de "rabo preso".

Tal situação aparece bem ilustrada no livro infanto-juvenil "Uma História de Rabos Presos", de autoria da escritora Ruth Rocha.

Quando eu pensei em elaborar um projeto sobre a política brasileira, a professora Eliane Castro, da E.M. Dilermando Cruz, sugeriu dois livros da mesma autora. Um deles foi "O que os olhos não vêem" e o outro é o acima citado, cujo conteúdo é bastante crítico e análogo ao que perpassa, em nosso país, nas funções e nas relações interpessoais estabelecidas no âmbito dos três Poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário).

Qualquer semelhança não é mera coincidência. O livro foi lançado em 1989 e continua atualizado, tal como nos remete a história política do país. Infelizmente!


Sua história passa na cidade fictícia de Egolandia, cujo prefeito Egomeu precisou de muito dinheiro para se eleger. Em sua campanha eleitoral, este distribuiu umas duas mil camisetas, graças ao coronel Eurico, que pagou por estas.

Em troca do favor concedido, o prefeito atendeu um pedido antigo do coronel e mandou abrir uma estrada no sul da cidade, onde este possui terras. Apesar da estrada ligar "nada com coisa nenhuma", a estrada acabou valorizando as terras do coronel Eurico, tal como era o seu intento.

Assim como o prefeito e os vereadores, outros também mantêm uma relação de favores "obrigatórios" mediados por irregularidades e falcatruas ocultas, que acabam sendo descobertos e mostrando que todos têm o rabo preso.

Assim, que estes são descobertos, surgem enormes rabos nas pessoas e, aos poucos, estes se enroscam uns nos outros.

É tão nítido a relação análoga ao que estamos presenciando no Senado e em todas as instâncias da política brasileira.

Infelizmente, todos apresentam "rabos presos" e, quando um não tem, a pressão é muito grande e o próprio sistema cria situação para que este adquira e passe a integrar o grupo dos corruptos, dos desleais, entre outras denominações correlacionáveis.

Vale a pena ler o livro. Eu indico!

5 comentários:

jheniiffer disse...

Foi passado a nos esse da rute rocha e otimo adorei esse livro!!!na 4 serie lemos ele!!

Marli Vieira disse...

Eu sei, Jheniffer! E a professora foi a Eliane, não?

Foi ela mesmo que sugeriu a leitura destes dois livros.

Que bom que você leu, gostou e lembra do seu contexto.

Beijos

Anônimo disse...

Esther,

Quando meus filhos eram crianças, eles leram este livro e agora ja adultos estamos relendo, pois as falcatruas são as mesmas, só mudam de epoca.

É muito triste! Mas o SENADO todo esta com o RABO PRESO, este livro nunca esteve tão atual.

Marli Vieira disse...

Esther,

Você falou uma coisa bem certa e que implica na própria história política do país... a corrupção, a troca de favores, o rabo preso.

O livro se mantém atual, pois o sistema político continua o mesmo, inclusive, pior.

Obrigada por seu comentário.

Abraços!

Tamiris Neves *--* disse...

PROOOOOOFESSORA :D
na quarta série eu li esse livro, o rabos presos, eu tenho aqui em casa, só que em xerox.