sábado, 30 de abril de 2016

2016: Ano Internacional das Leguminosas

Imagem capturada na Internet (Fonte: PEA UNESCO)


Há tempo estou para publicar, neste espaço, a temática escolhida para celebrar este ano... 
 
A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, na intenção de conscientizar as pessoas sobre a importância desses alimentos não apenas a nível de promoção da saúde e de nutrição, como também em termos de segurança alimentar e sustentabilidade ambiental.
 
A principal Agência designada à responsabilidade de celebração do Ano é a FAO, que é a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.
 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a desnutrição é a mais grave ameaça da saúde pública em escala mundial. Segundo a mesma, anualmente, 3,9 milhões de crianças morrem de desnutrição. Por outro lado, 1.500 milhões de pessoas se encontram acima do peso, incluindo, 43 milhões de crianças menores de 5 anos.
 
Daí, a importância do tratamento desta temática – neste contexto - a fim de aumentar a conscientização acerca das leguminosas enquanto alimentos saudáveis e imprescindíveis a uma boa nutrição em razão de seu alto teor de proteínas e aminoácidos essenciais, bem como de constituírem fonte de carboidratos, vitaminas e minerais.
 
No âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, as leguminosas também se sobressaem em termos de produção e sustentabilidade ambiental em face da gestão e uso de recursos naturais e sustentáveis da terra, água e biodiversidade.
 
Elas são capazes de aumentar a biodiversidade, a produtividade e eficiência do uso da água em sistemas agrícolas e na rotação de culturas, reduzindo a necessidade do uso de fertilizantes, diminuindo o custo final da lavoura e, também, evitando a emissão de gases de efeito estufa.
 
Além disso, a temática escolhida contribui para o tratamento da questão de segurança alimentar, sob a qual a FAO tem por objetivos principais:
 
- ajudar a eliminar a fome, a insegurança alimentar e a desnutrição;

- tornar a agricultura mais produtiva.
 
Fonte de Consulta: PEA UNESCO

Nenhum comentário: